Mikko Hirvonen Crash Rally Finland 2010

WRC - RALLYE DA FINLANDIA



LATVALA COMANDA EM DIA CHEIO DE ACIDENTES ESPECTACULARES

BARROSO PEREIRA DESISTE COM PROBLEMAS MECÂNICOS


Único representante da equipa oficial da Ford ainda em prova, Jari-Matti Latvala parte para o segundo dia - e decisivo - do Rali da Finlândia, com pouco mais de nove segundos de vantagem sobre o norueguês Peter Solberg.
Depois de uma ronda de passagens vespertinas em que Latvala andou a fundo, chegando mesmo à penúltima especial com dez segundos exatos de vantagem. Contudo, a vitória na super-especial que encerrava o primeiro dia da prova, aproximou Solberg da liderança.
O piloto finlandês da Ford chegou ao topo da classificação no início da tarde e tratou de ampliar a sua vantagem ao longo dos troços da tarde, com um andamento bastante rápido e consistente, beneficiando ainda do facto de ter uma boa posição de partida para esta etapa.
"Partir em terceiro para a estrada deu-me um pouco de vantagem hoje. Talvez tenha sido muito cuidadoso de vez em quando, mas amanhã temos de manter esta rapidez", afirmou Latvala no final do dia. "Amanhã, serei o primeiro na estrada pelo que não será fácil mas teremos de lidar com isso se quisermos ganhar. Não podemos aplicar grandes táticas agora que o Petter está mesmo atrás de mim", afirmara o piloto ainda antes da 11ª especial do dia.
Solberg, por sua vez, mostrou-se "confiante e descansado para amanhã, mas não vou correr riscos". O piloto do Citroën C4 WRC privado pretende tirar partido de ser o segundo na estrada amanhã, mas o norueguês sabe que a sua tarefa está longe de ser fácil.
Sébastien Ogier é o terceiro da geral, a 21,8 segundos do líder, com o francês promovido a companheiro de equipa de Sébastien Loeb nesta prova a conseguir ascender ao terceiro posto fruto de uma ronda de passagens muito consistente e sem grandes erros. Loeb bateu-se com as dificuldades inerentes ao facto de 'abrir' as estradas, o que já de si é prejudicial para a performance dos pilotos, mas a sua situação ficou ainda mais complicada quando uma ligeira saída de estrada danificou o para-choques do seu C4 WRC, passando a contar com um carro algo desequilibrado.


Kankkunen: quem sabe não esquece

Matthew Wilson coloca o Ford da Stobart no sexto posto da geral, logo na frente de Juha Kankkunen. O regressado piloto de ralis, que leva já 51 primaveras no seu BI, demonstrou grande capacidade de adaptação ao moderno mundo dos ralis, terminando este primeiro dia em sétimo, à frente de Kimi Raikkonen, com quem 'KKK' havia dito que queria lutar e bater antes da prova se iniciar.
Juho Hanninen é o nono, logo na frente de Matti Rantanen, estes dois ao volante de modelos Fábia S2000 da Skoda. No Mundial de Produção (PWRC), Ott Tanak lidera confortavelmente com mais de um minuto de vantagem sobre o segundo, que é Patrick Flodin, com este a preparar-se para 'roubar' a liderança do campeonato a Armindo Araújo.Nuno Barroso Pereira terminou esta sua primeira internacionalização da pior forma, sendo obrigado a abandonar na sequência de problemas mecânicos no seu Subaru Impreza WRX STI.



CLASSIFICÇÃO 1ª ETAPA

1. J. LATVALA 1:10:30.7
2. P. SOLBERG +9.1
3. S. OGIER +21.8
4. S. LOEB +32.0
5. D. SORDO +43.7
6. M. WILSON +2:35.3
7. J. KANKKUNEN +3:10.7
8. K. RÄIKKÖNEN +3:18.2
9. J. HÄNNINEN +3:44.3
10. M. RANTANEN +4:25.4


NUNO DINIS

WRC

Jean Todt quer ralis do mundial à antiga


O Presidente da FIA, Jean Todt pretende fazer regressar as provas do Mundial de Ralis ao antigo formato. Tomando como exemplo este rali da Finlândia, Todt deseja aumentar a quilometragem dos troços, que nesta prova ronda os 300 quilómetros para...800.

Desta forma, o caderno de encargos atual deixaria de obrigar a um parque de assistências central, e os ralis poderiam voltar a realizar-se em linha. Se as pretensões de Todt forem avante, poderemos, no futuro, voltar a ter um Rali de Portugal que inclua ao mesmo tempo especiais como Ourique, Arganil, Fafe e Ponte de Lima.
 
 



NUNO DINIS

CLUBE ESCAPE LIVRE




Espaço Escape Livre no Vivaci agora mais amplo




O Clube Escape Livre conta agora com um espaço mais amplo no Vivaci. O único centro comercial da cidade está cada vez mais dinâmico e conta com mais público e mais lojas abertas.
No espaço do Escape Livre é possível conhecer um pouco das acções desenvolvidas pelo Clube, desde o programa anual de actividades que promovem a região ao Programa Escape Livre na Rádio Altitude.

Em destaque está actualmente a apresentação do passeio BMW X Experience – Caminhos de Santiago, a realizar de 1 a 5 de Outubro, e também os pneus Bridgestone utilizados na Fórmula 1, seja em piso seco ou molhado.



 


Visitem a Guarda e visitem o espaço do Clube Escape Livre no Vivaci da Guarda.

NUNO DINIS

OS RALLYES EM PORTUGAL

BERNARDO SOUSA



No âmbito da 51ª edição do Rali Vinho da Madeira, prova que se realiza entre os dias 5 e 7 de Agosto, o piloto Bernardo Sousa vai estar no dia 1 de Agosto, às 19h30, no Forum Madeira, centro comercial gerido pela Multi Mall Management, para uma sessão de autógrafos.
A iniciativa decorre no Piso 1 do Forum Madeira onde Bernardo Sousa e o seu co-piloto de equipa Nuno Silva, os actuais líderes do Campeonato Portugal de Ralis, vão es...tar junto de uma réplica fiel do Ford Fiesta Super 2.000, carro com o qual vão correr no Rali Vinho da Madeira. O carro permanecerá em exposição até dia 8 de Agosto.
Bernardo Sousa foi o mais jovem piloto português a competir no Mundial de Ralis. Começou a sua carreira desportiva, em 1999, no Karting, onde se cotou sempre entre os mais rápidos nos campeonatos disputados. Reconhecido como uma das grandes promessas dos ralis a nível mundial, Bernardo Sousa prossegue a sua carreira internacional, ao voltar este ano ao Campeonato do Mundo de Ralis, onde participam na nova e promissora Copa S WRC.


NUNO DINIS

WRC - RALLYE DA FINLANDIA


PEC 1
Petter Solberg lidera o Rali da Finlândia após a super-especial de abertura da prova, seguido por Mikko Hirvonen e Sebastien Loeb. Nuno Barrosso Pereira ficou com o 13º tempo entre os concorrentes do PWRC isto depois dos Ford oficiais terem dominado o shakedown.

NUNO DINIS

WRC



 Mini regressa aos ralis






Apoiada na Prodrive e tendo como base o novíssimo Mini Countryman, a marca propriedade da BMW vai fazer o seu regresso aos ralis, aproveitando a nova regulamentação S2000.
A BMW acaba de confirmar aquilo que já se sabia há muito tempo: a Mini irá fazer algumas provas do Mundial de Ralis em 2011 para se inscrever a tempo inteiro em 2012 tendo como parceira a Prodrive de David Richards. A base será o Mini Countryman – acabado de apresentar – que está a ser desenvolvido pela Prodrive desde o início de 2009. Terá um motor 1.6 litros sobrealimentado e tracção integral, de acordo com a nova regulamentação S2000 que servirá de base para o Mundial de Ralis a partir de 2011.
Nada mais foi revelado, nomeadamente, pilotos e tudo o que se relaciona com o carro. Os testes com clientes vão começar no Outono deste ano, sendo que David Richards se mostrou “muito satisfeito com esta parceria e com o facto de termos já uma interessante lista de interessados no carro.” Quer isto dizer que a Mini irá comercializar os Mini Countryman WRC um bocadinho à imagem do que faz a MSport com os Focus WRC.

Recuando na história, os Mini fizeram furor nos ralis quando Pat Moss venceu as Mille Miglia de 1959, seguindo-se três vitórias no mítico Rali de Monte Carlo. Paddy Hopkirk venceu em 1964, Timo Makinen em 1965 e Rauno Aaltonen em 1967, piloto que tinha conquistado o ceptro Europeu de Ralis em 1965. A BMW, marca proprietária da Mini, também têm u m longo passado ligado aos ralis, nomeadamente quando Achim Warmbold e Jean Todt venceram o Alpenfahart Rally na Áustria em 1973, primeiro ano do Mundial de Ralis.

Curiosamente, a última vitória da BMW no Mundial de Ralis registou-se há 23 anos quando Bernard Béguin venceu a Volta à Córsega de 1987 ao volante de um BMW M3 preparado pela… Prodrive.



NUNO DINIS
FONTE: SAPO MOTORES

MIGUEL CAMPOS


MIGUEL CAMPOS TESTA AMANHA FORD FIESTA S2000

O Ford Fiesta S2000 da RMC Motorsport vai regressar aos ensaios já neste sábado, com Miguel Campos ao volante do carro norte-americano em troços de asfalto em Ponte de Lima, com vista à sua participação no Rali Vinho da Madeira, prova a contar para o Intercontinental Rally Challenge (IRC).
"Fiquei muito satisfeito com este convite da RMC e pretendo obter o conhecimento máximo sobre este carro. Obviamente que não deve ser muito distinto do anterior S2000 que tripulei no Rali de Portugal em 2008. No entanto, este carro é a última evolução nesta categoria o que me deixa muito ansioso de o testar. Iremos tentar testar várias soluções de setup de forma que na Madeira possamos ter alternativas de acordo com o desenrolar da própria prova", começou por dizer Campos.
"Como é do conhecimento geral, o Rali Vinho da Madeira é uma das provas mais mediáticas do panorama nacional e internacional e obviamente queremos ir preparados para dar o melhor retorno aos patrocinadores. A honestidade do nosso trabalho tem dado frutos muito positivos, o que nos deixa bastante orgulhosos. Estou certo que eu e o Aloísio Monteiro vamos contar com um carro bastante competitivo, após um teste que vai decorrer da melhor forma", terminou.


NUNO DINIS

NUNO BARROSO PEREIRA



Na Finlândia vamos andar o que pudermos e soubermos

É já na próxima semana que a BPSport, com Nuno Barroso Pereira/Pedro Conde, vai dar o primeiro passo rumo à internacionalização, alinhando na edição de 2010 do Rali da Finlândia com um Subaru Impreza.
Barroso Pereira vai assim, engrossar o, restrito, pelotão dos concorrentes ao P-WRC integrado na estrutura da Tommi Makkinen Racing. Consciente das dificuldades que vai enfrentar, o piloto português mostra-se motivado para esta sua estreia fora de Portugal e logo numa prova pontuável para o mundial de Produção naquela que é considerada por muitos como a mais difícil e técnica de todas as provas que fazem parte do Campeonato do Mundo de Ralis.
"Fazer ralis fora de portas era algo que estava na minha mente. Possivelmente para o próximo ano. Julgo que só andando com os melhores podemos evoluir, e o meu objetivo foi sempre esse. Andar mais depressa, ser mais competitivo e ganhar consistência e 'endurance'. Como disse, ia tentar em 2011. [Mas] O convite do Tommi para alinhar sob as suas cores no P-WRC já este ano foi irrecusável. Com muito sacrifício, nosso e dos patrocinadores, conseguimos montar um mini projecto para o mundial, tendo como horizonte a disputa da totalidade do campeonato no próximo ano. Assim as provas nos corram de feição".
Relativamente à prova de estreia, Barroso Pereira mostra-se cauteloso: " O nosso objetivo, de toda a equipa, para a Finlândia é 100 por cento realista. É provavelmente a prova mais difícil do mundo. Muito rápida e técnica, em que só quem conhece a fundo o terreno anda na luta pelos lugares cimeiros. Como não é o nosso caso, vamos ter uma atitude de contenção. Apesar de contarmos com as preciosas 'dicas' do Makkinen, vamos andar o que pudermos e soubermos, sem cometer loucuras, com um grande objetivo; terminar a prova e levar ao palanque final a bandeira de Portugal e as cores dos nossos patrocinadores!"


TEXTO E FOTO
RICARDO PEREIRA

RALLYE VINHO MADEIRA 2010


BASSO AUSENTE

Segundo a RTP Madeira, Giandomenico Basso não estará presente no Rali Vinho Madeira. A falta de patrocínios levam a que o italiano falte a um dos ralis onde tem tido mais sucesso. Luca Rossetti vai estar presente, mas irá conduzir um Punto S2000 da Procar.


NUNO DINIS

ESCUDERIA CASTELO BRANCO


SITE ACTUALIZADO

O site da Escuderia Castelo Branco foi actualizado com a Regulamentação Moto / Quad / UTV / Buggy do Campeonato Nacional de Todo o Terreno e Moto / Quad do Campeonato Europeu de Bajas.

"Clik" em http://www.escuderiacastelobranco.pt/ e conheça a documentação já disponível !
 
 
 
NUNO DINIS

MIGUEL OLIVEIRA


Miguel Oliveira primeiro piloto português a liderar o CEV




Quatro provas, quatro pódios, dois segundos lugares e duas vitórias : É o balanço alcançado por Miguel Oliveira - actual líder da 125GP - nesta primeira metade do Campeonato Espanhol de Velocidade, que está a ser uma das edições mais marcantes dos últimos anos. O piloto de 15 anos conseguiu ser o primeiro atleta português a ocupar o comando do CEV, feito inédito para a história do motociclismo nacional.
Com três vencedores diferentes - Alex Rins, Maverick Viñales e Miguel Oliveira - a temporada de 2010 está a conhecer uma frenética “dança das cadeiras” pelas vitórias, na qual o piloto português está a conseguir tirar melhor proveito, fruto da sua regularidade e postura em prova.
Terceiro classificado no ano anterior com a equipa BQR, e apesar de não ter participado na recente pré-época, o piloto do Team Andalucía Cajasol iniciou o ano no bom caminho, estando a cumprir à letra os objectivos estabelecidos no começo da temporada, rumo ao título cada vez mais perto de ser uma realidade.
“No princípio não foi muito fácil. Vinha de uma equipa que tem uma forma de trabalhar completamente diferente, e isso nota-se. Na primeira corrida, apesar de não ter tido uma pré-temporada, cheguei a liderar. Senti que esta época poderia ser melhor, pelo facto de ter uma equipa que trabalha só para mim, o que é fantástico”, comentou o actual líder do campeonato.
“As corridas seguintes foram a consequência do trabalho de equipa e em Jerez consegui a vitória que tanto perseguia. Esta subida ao lugar mais alto do pódio serviu de motivação extra para mim e para a equipa e de seguida traçámos o objectivo de reforçar a liderança no campeonato, durante a paragem do verão, com mais uma vitória em Aragón. Neste momento continuo a preparação física normal com mais uns treinos em supermoto, pois quero estar a 100% no regresso em Setembro. Vou aproveitar para descansar uns dias e gozar um pouco da praia”, concluiu Miguel Oliveira.

O campeonato estará de regresso a 12 de Setembro em Albacete, circuito onde o piloto português se tem sentido particularmente à vontade.

Classificação provisória após 4 provas – 125GP

1. Miguel Oliveira, 90 pts
2. Maverick Viñales, 77 pts
3. Alex Rins, 71 pts
4. Isaac Viñales, 39 pts
5. Eduard Lopez, 33 pts
6. Niklas Ajo, 31 pts
7. Pau Tortosa, 25 pts
8. Joan Perello, 20 pts






NUNO DINIS

 

PAULO NETO


50% dos objectivos foram cumpridos




Paulo Neto / Daniel Amaral disputaram a 4ª prova do Campeonato de Portugal de Ralis o Sata Rali dos Açores. Apesar de nem tudo ter corrido como previsto deu para trazer alguns pontos dos Açores.
Não começou bem para Paulo Neto / Daniel Amaral a edição 2010 do Sata Rali dos Açores, mas no 3º dia de competição os “estragos” foram limitados, com a dupla sintrense a conseguir concluir a prova, ao volante de um Citroen Saxo 16V, da equipa açoriana CC Racing.
“De facto só conseguimos cumprir 50% dos objectivos a que nos tínhamos proposto. Um problema com um tubo de gasolina deixou-nos fora de prova logo no 5º troço do rali, Conseguimos voltar no Super-rali, e fomos até ao final da prova obtendo dessa forma alguns pontos para o Campeonato” refere Paulo Neto.
Sobre o Sata Rali dos Açores, Paulo Neto diz que “é uma excelente prova, muito bonita e com troços verdadeiramente espectaculares. Tirando aquele problema com o Saxo, conseguimos rodar de forma consistente e sem grandes problemas, ganhando mais ritmo competitivo e experiência. Espero nas próximas provas acabar de vez com os azares.
Não quero terminar sem deixar de agradecer, mais uma vez, o apoio da Magomar e do Restaurante Amaral que tornaram possível esta participação”.



A presença de Paulo Neto no Campeonato de Portugal de Ralis, conta com os seguintes parceiros:

- VALADARES – Louça Sanitária
- SAINT GOBAIN – WEBER – argamassas industriais
- QUANTINFOR – Consultoria informática
- M.C.D. GARCIA – Peças automóveis
- PROFILTEK– Divisórias de Duche
- VITARTE – Produção gráfica
- CARAS DECORAÇÃO
- MDM – Móveis de banho
- TRÊS-TORNEIRAS
- DIRESCO – Superfícies de Quartzo
- RESTAURANTE “O AMARAL”
- PULSAR – Relógicos
- PAULO NETO, LDA – Materiais de construção


NUNO DINIS

KARTODROMO DE BALTAR


“Uma Aventura à noite”




Esta quarta prova do Aventura Empresas, trouxe uma prova nocturna à totalidade do plantel, proporcionando excelentes corridas e muita animação. A vitória final foi para a equipa A. Marinho Ouro/ Mir Portugal através de Tiago Martinho/ Pedro Matos e Luís Fernandes/ João Brites, respectivamente primeiro e terceiro classificados. O segundo lugar da Implamed, é fruto do bom resultado da equipa 15 de Miguel Martin/ Joaquim Felipe que somou a segunda posição à décima da dupla Octávio Teixeira/ João Medeiros mas também da penalização de falsa partida na última final à equipa da Ventilnorte de Paulo Sampaio/ David Gomes (sexta posição final) a somar ao quarto lugar da Guedes Vieira, relegando a equipa para a terceira posição em empate pontual com o seu adversário.

Uma palavra final para a competitividade deste troféu que está em alta, sendo o equilíbrio a palavra dominante, com corridas extremamente disputadas, o que tem trazido uma procura de novas equipas à procura de vagas.

A próxima prova volta ao horário normal e realiza-se no dia 11 de Setembro, contando já com uma nova formação.

Corrida 1

Pedro Matos (A. Marinho Ouro/ Mir Portugal 2) vence com autoridade, batendo o autor da pole-position Joaquim Felipe (Implamed 2) numa disputa constante, com Mário Dias (IKF Team), Filipe Vieira (Guedes Vieira/ Ventilnorte) e João Brites (A. Marinho Ouro/ Mir Portugal 1) sempre perto e à espreita de uma oportunidade para bater o seu adversário. O piloto da Gobulling João Moreira surge na sexta posição, à frente do regressado Armindo Ferreira (M&M McNally), João Araújo (Gobulling), Paulo Sampaio (Ventilnorte/ GV) e Hernâni Lopes (IKF Team) a fechar os dez primeiros.

Corrida 2

Segunda vitória do kart nº 2 com Tiago Martinho (A. Marinho Ouro/ Mir Portugal 2) a impor-se aos seus adversários, seguido de Miguel Martin (Implamed 2) autor da pole-position, Luís Fernandes (A. Marinho Ouro/ Mir Portugal 1). Depois destes e junto deles, aparecem também, Hugo Vieira (Guedes Vieira/ Ventilnorte) David Gomes (Ventilnorte/ Guedes Vieira), Jorge Cardoso (IKF Team), Reinaldo Fonseca (Gobulling) e um pouco mais atrás Ricardo Passos (M&M Mark Team). A fechar os dez primeiros Xavier Rodriguez da VG/ IKF e João Medeiros da Implamed 1.

Corrida 3

Mesmo partindo do sexto lugar da grelha fruto da super-pole, Pedro Matos vence de novo, arrastando atrás de si Mário Dias que chega ao segundo lugar, à frente de Joaquim Felipe. João Brites é quarto, queixando-se de ter sido prejudicado com um toque na primeira curva, Filipe Vieira é o quinto com João Moreira a comandar o restante pelotão, onde pontificava Paulo Sampaio, Leonel Ribeiro, Octávio Teixeira e Jorge Canosa.
Corrida 4

Luís Fernandes saiu de terceiro para chegar à vitória, seguido de Tiago Martinho, vindo de sexto, Jorge Cardoso que saiu da pole-position caiu para terceiro, Miguel Martin é o quarto, seguido de Hugo Vieira, Reinaldo Fonseca, Ricardo Passos, Rodrigo Negrão, David Gomes após a penalização atrás referida e finalmente Xavier Rodriguez a fechar o lote dos melhores dez.





NUNO DINIS



VODAFONE WEDO SAMSUNG TEAM


Aston Martin a caminho de Braga!


O Aston Martin do Vodafone Wedo Samsung Team voltará à acção no próximo fim-desemana com a realização do Circuito de Braga, 4ª ronda pontuavel para o campeonato de Portugal de GT`s.

José Pedro Fontes e Diogo Castro Santos partem para Braga na liderança do Campeonato, posição que têm como objectivo manter antes da paragem de Verão que antecederá as duas últimas provas da temporada.

Segundo José Pedro Fontes “embora seja a pista menos favorável ao nosso carro, vamos para Braga muito motivados e com o principal objectivo de manter a liderança no Campeonato. O balanço até ao momento é muito positivo e, agora que entramos na segunda metade da temporada, é muito importante darmos o nosso melhor para “colher os frutos” do trabalho realizado até ao momento”.
Objectivos claros também tem Diogo Castro Santos, afirmando que “a primeira passagem por este circuito representou o meu regresso à competição e, ao mesmo tempo, o meu primeiro contacto com o Aston Martin. Neste momento sinto-me confiante para encarar Braga novamente e disposto a dar o meu melhor para continuarmos a cumprir o objectivo da equipa.”

As sessões de qualificação do Campeonato de Portugal de GT`s iniciarão pelas 13h de Sábado, estando as duas corridas agendadas para as 17:10h e 12:30 de Sábado e Domingo respectivamente.








NUNO DINIS

Pikes Peak run

ARMINDO ARAUJO




Testes deixam boas indicações para a fase de asfalto Armindo Araújo alinhará na Race of Champions Southerm EuropePartilhar



Após dois dias de intenso trabalho, Armindo Araújo regressou de Itália (zona de Milão) extremamente satisfeito com o ensaio realizado com o novo Mitsubishi Lancer Evo X, preparado pela Ralliart, com o qual disputará as duas próximas provas de asfalto do PWRC.

Os cerca de 200 quilómetros percorridos deixaram óptimas indicações, tendo o piloto português ficado até surpreendido com as melhorias apresentadas por esta nova máquina. “Este carro está muito mais leve que o anterior e por isso muito mais rápido. Fiquei surpreso e muito satisfeito com isso e logicamente ainda mais confiante para lutar pela vitória nas duas próximas provas”, começa por dizer o tirsense.
Com as melhorias evidenciadas por este novo Mitsubishi Lancer Evo X, o campeão e actual líder do Mundial de Ralis Produção teve ontem (terça-feira) um dia de testes centrado sobretudo na preparação do «set up» ideal para esta nova máquina. “A equipa construiu um carro muito específico para asfalto, dos mais pequenos detalhes ao «roll bar» tudo foi pensado minuciosamente e durante os quilómetros que realizamos ontem, onde testamos diferentes tipos de suspensões e molas, percebemos que demos um importante salto em termos competitivos”, frisou ainda o piloto apoiado pela Galp, TMN, MCA, Lusitania Seguros e Mitsubishi Motors no PWRC.

Armindo Araújo na ROC Southerm Europe Final

Antes do regresso ao PWRC, que acontecerá no Rali da Alemanha, Armindo Araújo voltará a competir em Portugal, nos dias 8 e 9 de Agosto, depois de ter confirmado a presença na Race of Champions Southern Europe Final. “É um prazer e uma honra poder novamente ser um dos representantes nacionais num evento tão importante como este. Vou tentar dar o meu melhor para voltar a levar bem alto o nome de Portugal”, afirmou o campeão do Mundo de Ralis Produção.

SATA RALLYE AÇORES 2010 IRC (Sete Cidades)

Sata rallye açores 2010 marques

Andreas Mikkelsen - JUMP - SALTO - SS Sata Rally Açores 2010

Massive crash Seat Leon Eurocup 2010 Brands-Hatch (HD)

ARC SPORT - RALLYE SATA AÇORES


UMA JORNADA VITORIOSA






RICARDO MOURA IMPERIAL



Dois carros nos dez primeiros lugares numa prova IRC
Sérgio Silva e Paulo Rego com um rali muito positivo
Luís Cardoso gostou do regresso


A ARC Sport obteve um resultado bastante importante no Sata Rallye Açores, ao colocar dois carros nos “top ten” de uma prova pontuável para o IRC.
Nos Açores Ricardo Moura não deu qualquer hipótese à concorrência, mostrando-se um verdadeiro “imperador” no seu território. O Campeão de Ralis dos Açores obteve pontuação máxima para o campeonato açoriano de ralis e também para o campeonato de produção nacional, onde é cada vez mais líder. Para além desta excelente colheita em pleno Atlântico, Ricardo Moura conquista ainda pontos valiosos em termos absolutos.
Ricardo Moura e Sancho Eiró efectuaram um rali irrepreensível, terminando a prova como a 2ª melhor equipa portuguesa na prova, a melhor açoriana, averbando ainda inequívoca vitória no Grupo N nacional, para além do 5º lugar final numa prova pontuável para o IRC.
Melhor era impossível! Foram alcançados todos os objectivos.
“Não há palavras! É difícil gerir tantas emoções importantes para mim. Foram alcançados todos os objectivos, conseguindo averbar duas vitórias demasiado importantes. Cumprimos a estratégia que tínhamos definido, o que nos levou a consolidar as lideranças nos dois campeonatos, o açoriano e o nacional do Agrupamento de Produção.
Fomos sempre muito realistas ao longo de toda a prova. Quando foi necessário andar depressa, demonstrámos que o conseguimos fazer, mas também mostrámos inteligência quando foi preciso. Quero dar os parabéns a toda a nossa equipa que se mostrou altamente profissional, e sublinhar todo o apoio que tenho tido da ARC Sport, uma união que tem vindo a dar os seus frutos”, declarou, totalmente realizado, Ricardo Moura.
Sérgio Silva e Paulo Leal levaram o Subaru Impreza N11 ao 3º lugar entre os concorrentes ao campeonato açoriano de ralis e ao 8º da classificação geral. Uma prova considerada muito positiva, tendo em conta o orçamento da equipa. Para o piloto, os seus objectivos continuam intactos.
“Foi sem dúvida um resultado bastante positivo, dadas as dificuldades que sentimos. Este é um rali difícil, que requer muito material, e foi necessário reunir as condições mínimas para poder estar presente numa prova tão importante como esta. Gostaria ainda de assinalar que o nosso oitavo lugar contribuiu com um ponto para a Subaru no IRC. Estamos no terceiro lugar do Campeonato dos Açores, a apenas dois pontos da segunda posição, sem que esse tenha sido o nosso objectivo inicial”, afirma Sérgio Silva.
Paulo Rego efectuou um rali excepcional, tendo em conta a sua estreia ao volante do Subaru Impreza N2009 da ARC Sport. Uma habituação que foi dando frutos de troço para troço. Paulo Rego e Abel Carreiro chegaram a registar tempos fantásticos a partir do segundo dia de prova. Uma excelente aposta para o Sata Rallye Açores, com o 5º lugar para o campeonato açoriano e a 11ª posição na classificação geral.
“É um carro espectacular e muito bem preparado, que se mostrou impecável durante toda a prova. A ARC Sport é talvez a melhor equipa com que corri, demonstrando um elevado grau de profissionalismo. Estou agradecido pelo empenho que foi sempre demonstrado pelos técnicos da ARC Sport, não só na preparação do carro, mas também na preparação para a prova e no acompanhamento constante que sempre me deram, o que me ajudou a evoluir bastante como piloto”, afirmou visivelmente feliz Paulo Rego.
Luís Cardoso mostrou-se bastante feliz no final do rali. Apesar de um problema com o diferencial traseiro do Mitsubishi que o impediu de terminar o segundo dia de prova, Luís Cardoso e José Rodrigues regressaram para a derradeira etapa, acabando por chegar a Ponta Delgada com um sorriso nos lábios.
“Apesar do azar de ontem, sinto-me bastante feliz por ter conseguido chegar ao fim da prova ao lado do meu compadre José Rodrigues. Diverti-me imenso e a ARC Sport mostrou-se brilhante no trabalho que realizou no carro. Apesar deste ter sido um regresso pontual, pode ser que ainda faça uma prova até ao final deste ano”, concluiu Luís Cardoso.
Esta foi uma jornada vitoriosa para a ARC Sport. A equipa com a maior estrutura presente no Sata Rallye Açores, com quatro carros inscritos, atingiu a maior parte dos seus objectivos, dando continuidade ao excelente trabalho que tem vindo a efectuar no desporto automóvel em Portugal.
“Foi de facto uma jornada vitoriosa. Estivemos praticamente perto do pleno. O Ricardo Moura efectuou um rali fantástico, e quero deixar aqui os meus parabéns não só ao piloto e navegador, como também a toda a equipa açoriana que o acompanha, pois efectuou um excelente trabalho.
O Paulo Rego também está de parabéns, pois para além da adaptação ao carro no primeiro dia, esteve verdadeiramente impecável ao volante de um carro que aprendeu a conhecer com o decorrer da prova.
De parabéns está também o Sérgio Silva, pois apesar da limitação de orçamento conseguiu chegar a um excelente resultado.
Só não conseguimos o pleno devido ao problema no diferencial traseiro do carro do Luís Cardoso, que apesar de tudo demonstrou uma excelente postura competitiva.
Este excelente resultado só foi conseguido devido ao esforço conjunto de uma equipa muito coesa e unida, à qual me orgulho de pertencer”, afirmou Augusto Ramiro, responsável pela ARC Sport.

A ARC Sport volta a competir numa prova do IRC entre 4 e 7 de Agosto na ilha da Madeira.










NUNO DINIS

BERNARDO SOUSA



Bernardo Sousa: “Apesar de tudo, continuamos no caminho certo”


Ao terceiro dia do ‘SATA Rallye Açores’, a frustração bateu à porta do Ford Fiesta S2000 ao não ter conseguido chegar um pouco mais além. O número 12 de porta foi uma espécie de 13, o tal número 'reprovado' por todos. A ambição dos actuais líderes do Campeonato Portugal de Ralis (CPR) ficou marcada pelo azar. Seja como for, dos Açores sai a nota mais importante: a liderança no CPR está mais reforçada.
Depois de uma entrada fulgurante, de Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva, conseguindo averbar o primeiro tempo da geral em Tronqueira1 numa extensão de 21,94kms, e quando tudo parecia correr bem aos actuais comandantes do CPR, um “desaire” em Lomba da Maia ditou o infortúnio e a boa prestação no arranque do terceiro dia do Team Ford Quinta do Lorde. “Vínhamos a andar bem. Entramos com ritmo, com garra, chegamos a realizar bons tempos. Os índices de motivação subiram, melhorando a nossa prestação dos dois dias antecedentes, até porque, ontem, abrimos os troços o que nos valeu tempos abaixo do que era esperado. De todo o modo, hoje, numa zona mais lenta, numa parte mais sinuosa, a duas especiais do final do rali, bateu-nos o azar à nossa porta. Demos um toque numa pedra partindo logo aí o apoio da roda traseira direita”, explicava a razão do cronometro indicar um tempo menos bom e a consequente descida na classificação.

Ao volante do seu Ford Fiesta S2000, o jovem piloto madeirense lamentava o sucedido. “Infelizmente estas coisas às vezes acontecem, a verdade é que já não acontecia algum tempo, mas hoje, aconteceu. Razão? Olhe, simplesmente porque queríamos subir um pouquinho mais acima na tabela... Agora, vamos ver o que nos reserva o próximo rali, que será na Madeira junto dos meus e de uma terra que tanto estimo e adoro. Oxalá a sorte seja outra”, manifestou o comandante do campeonato.

Seja como for, apesar do 10.º lugar depois de alguns percalços, num balanço mais a frio deste rali açoreano só poder ser positivo. “Claro que sim. Apesar não termos conseguido alcançar todos os nossos objectivos no SATA, saímos daqui mais líderes do CPR, deixando a concorrência mais afastada, apesar de reconhecer que a armada de seguidores está cada vez mais forte e com mais equipas, porém o que é mais importante ressalvar de todo o resto, é que estamos mais na frente, e isso é indiscutível”, confidenciava à chegada ao parque fechado.

A terminar Bernardo deixa uma palavra aos fãs. “Sempre disse que este projecto apoiado pela PT Negócios, Ford, Eni, MMM Gift, Delta Q, Cision, Beta, Specialized, QF, 2Q, Pirelli tem pernas para continuar. Estamos no caminho certo e vamos seguramente ser campeões. Custe o custar”.

Próximo: Rali Vinho Madeira

A próxima participação de Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva é o Rali Vinho MAdeira que se disputa entre os dias 5 e 7 de Agosto. "Motivados em alcançar um bom resultado. Aliás não poderia deixar de ser. Estarei em casa e espero ter o carinho que habitualmente recebo quando disputo um rali na ilha".

NUNO DINIS

IRC - RALLYE SATA AÇORES


Bruno Magalhães vence Sata Rali dos Açores


Alfred Hitchcock não teria conseguido escrever um guião mais emocionante e inesperado para o dia final do SATA Rali dos Açores. Depois de ter visto a liderança fugir-lhe devido a problemas mecânicos no seu Peugeot 207 S2000 ao início da tarde, Bruno Magalhães contou com uma pequena ajuda da sorte para vencer - com inteira justiça - a prova açoriana.
Foi um final de prova impróprio para cardíacos e ficará para a história do Intercontinental Rally Challenge (IRC) e dos ralis como um dos finais mais emocionantes. Depois de liderar grande parte da prova na primeira e na segunda etapa, o dia final do rali contou com uma primeira surpresa quando Bruno Magalhães viu o seu Peugeot 207 S2000 apresentar problemas ao nível da caixa de velocidades, perdendo quase 20 segundos para Juho Hanninen, que vinha a atacar no seu Skoda.
Mas a sorte hoje não quis nada com a Skoda. Primeiro, Juho Hanninen teve um furo no seu Skoda na penúltima especial e caiu para quarto, perdendo uma vitória que era quase certa. Jan Kopecký aproveitou, então, para ascender ao comando, beneficiando ainda de algum tempo perdido por Magalhães atrás do vagaroso Skoda de Hanninen. À entrada da derradeira e decisiva especial eram 6,4 segundos que separavam os dois primeiros.
Bruno Magalhães partiu ao ataque na última especial, tentando passar o piloto checo, ganhando-lhe cerca de quatro segundos até ao ponto intermédio. Mas Kopecký não evitou uma saída de estrada na derradeira especial e entregou o triunfo ao piloto português. "É incrível, um grande obrigado ao público, esta vitória é para eles. Foi impressionante ver toda a gente de braços no ar a apoiar-me. Um obrigado também à minha equipa. Nós merecíamos esta vitória", afirmou o piloto bastante emocionado depois de terminar a prova.
Para a dupla lusa Bruno e Carlos Magalhães, houve ainda tempo para um último contratempo antes da derradeira especial, quando um furo demorou um minuto a ser resolvido.
No meio de tanta confusão de última hora, o pouco inspirado Kris Meeke acabou por ascender ao segundo posto, salvando assim um fim de semana que esteve longe de ser ideal, sendo seguido no pódio por Juho Hanninen, no melhor dos Skoda. Quanto a Jan Kopecký, o checo saiu de estrada a cerca de três quilómetros do final, embora sem consequências físicas para os ocupantes. Mas o drama também se estendeu a Andreas Mikkelsen, que no último troço acabou por ficar sem direção assistida. No meio da poeira, e de forma a não atrapalhar a luta pela vitória, já que Kopecký vinha logo atrás de si, Mikkelsen decidiu parar e esperar que o Skoda passasse, o que não veio a acontecer. Apesar disso, Mikkelsen finaliza em quarto.
Grande prestação foi a de Ricardo Moura, com o piloto açoriano a terminar a prova caseira no quinto posto, ao volante do seu Mitsubishi Lancer Evo IX, conseguindo ser o segundo melhor português e, também, o melhor do Agrupamento de Produção. Pedro Vale ficou com o sexto posto, à frente de Vitor Pascoal, Sérgio Silva e Bernardo Sousa. O piloto do Ford Fiesta S2000 terminou as duas últimas especiais em ritmo lento, devido a uma suspensão danificada, acabando por tirar algum partido com a boa velocidade que havia adotado nos troços antes para minimizar os danos em termos de classificação geral.

CLASSIFICAÇÃO FINAL OFICIAL

1 Magalhães Bruno / Magalhães Carlos 02:34:00.4
Peugeot 207 S2000

2 Meeke Kris / Nagle Paul 00:01:00.1
Peugeot 207 S2000

3 Hänninen Juho / Markkula Mikko 00:01:20.7
Skoda Fabia S2000

4 Mikkelsen Andreas / Floene Ola 00:04:45.6
Ford Fiesta S2000

5 Moura Ricardo / Eiró Sancho 00:05:22.0
Mitsubishi Lancer Evo IX

6 Vale Pedro / Medeiros Rui 00:10:55.3
Mitsubishi Lancer EVO VII

7 Pascoal Vítor / Castro Mário 00:12:08.7
Peugeot 207 S2000

8 Silva Sérgio / Leal Paulo 00:12:54.5
Subaru Impreza STI

9 Sousa Bernardo / Silva Nuno 00:13:09.8
Ford Fiesta S2000

10 Carmo Ricardo / Reis Justino 00:14:23.6
Mitsubishi Lancer Evo IX





NUNO DINIS

wrc

Carlos Sainz vai pilotar carro zero no Rali da Alemanha


O bicampeão do mundo de ralis em 1990 e 1992, Carlos Sainz, poderá regressar ao WRC, pela primeira vez em cinco anos, durante o Rali da Alemanha.

O piloto espanhol que estará presente no rali em conjunto com a sua equipa de todo o terreno da Volkswagen, poderá também pilotar o carro zero na prova em questão. "Nada está confirmado, mas poderei pilotar um Volkswagen Scirocco como carro zero no primeiro dia do rali", revelou Sainz."Seria interessante voltar a tomar contacto com o WRC".
Carlos Sainz divide neste momento o seu tempo entre o programa competitivo do Dakar e a carreira do filho, Carlos Sainz Júnior, que venceu a sua primeira corrida da Formula BMW Europeia no passado fim de semana.



NUNO DINIS

IRC - RALLYE SATA AÇORES



BRUNO MAGALHÃES MANTÊM LIDERANÇA

Bruno Magalhães terminou a segunda etapa do Sata Rali dos Açores na liderança, mas um ataque tardio de Juho Hanninen colocou o homem da Skoda nos 'calcanhares' do piloto português. À entrada para a última ronda de especiais do dia, o piloto do Peugeot 207 S2000 dispunha de 13,3 segundos de vantagem sobre Jan Kopecký, então segundo, mas no final da etapa Magalhães viu a sua vantagem cair para meros 2,2 segundos.
O piloto finlandês tem demonstrado um ritmo bastante elevado, recuperando tempo e posições sucessivamente para chegar à vice-liderança, posição que ocupa com 2,2 segundos de diferença para Magalhães. Mas a prestação menos bem conseguida de Magalhães nesta última ronda de passagens teve outra explicação que não apenas a diferença de andamentos entre os dois pilotos, na medida em que o Peugeot 207 S2000 sofreu um furo no pneu traseiro esquerdo na penúltima especial, o que acabou por influenciar a prestação da dupla lusa.
"No penúltimo troço furámos o pneu traseiro esquerdo e mudámos o pneu antes da derradeira especial, mas o pneu que pusemos era para o lado direito e ficámos com grandes dificuldades no equilíbrio do carro. O carro estava a escorregar imenso e era impossível andar mais depressa. Todos sabemos como ele [Hanninen] é rápido, mas eu estou a dar o máximo e vamos ver...", afirmou Magalhães no final do troço.
Incapaz de emular o ritmo adotado pelos seus principais rivais, Jan Kopecký caiu para o terceiro posto, embora se mantenha perto do duo da frente, distando a apenas 8,2 segundos do primeiro posto, com os dois pilotos da marca checa a apostarem numa 'dobradinha' da Skoda. Andreas Mikkelsen, ao volante do Ford Fiesta S2000, mantém-se no quarto posto à frente de Kris Meeke, mas o britânico está a aproximar-se uma vez mais da posição do piloto nórdico, havendo apenas 2,8 segundos a separá-los. Mas esta parece não ser uma prova de sorte para Meeke, que foi acometido por um furo que o fez perder mais algum tempo.
A braços com a tarefa ingrata de 'abrir' e limpar a estrada, Bernardo Sousa controlou os danos causados e manteve-se satisfeito por poder controlar as posições no campeonato português de ralis, pese embora a presença de Magalhães também a pontuar. "Nunca pilotei neste tipo de condições e está a ser muito difícil, o carro escorrega por todos os lados. Mas é uma boa experiência de aprendizagem. Estas são as regras do jogo e nós temos que jogar de acordo com elas", afirmou o piloto do Ford Fiesta S2000 da Quinta do Lorde Team.
Logo atrás deste aparece o açoriano Ricardo Moura, que conseguiu passar para o sétimo posto, afirmando-se como o melhor piloto do Agrupamento de Produção, ao volante do seu Mitsubishi Lancer Evo IX, sendo igualmente o terceiro melhor português em prova. Vítor Pascoal, que era sétimo, perdeu bastante tempo na décima especial e primeira da derradeira ronda de passagens, acabando por recuperar até ao oitavo posto, na frente de Pedro Peres e Pedro Vale, este assumindo o lugar de segundo melhor açoriano.


CLASSIFICAÇÃO GERAL

1 Magalhães Bruno / Magalhães Carlos 01:28:35.8
Peugeot 207 S2000

2 Hänninen Juho / Markkula Mikko 00:00:02.2
Skoda Fabia S2000

3 Kopecký Jan / Starý Petr 00:00:08.2
Skoda Fabia S2000

4 Mikkelsen Andreas / Floene Ola 00:00:48.9
Ford Fiesta S2000

5 Meeke Kris / Nagle Paul 00:00:51.7
Peugeot 207 S2000

6 Sousa Bernardo / Silva Nuno 00:02:23.6
Ford Fiesta S2000

7 Moura Ricardo / Eiró Sancho 00:03:38.6
Mitsubishi Lancer Evo IX

8 Pascoal Vítor / Castro Mário 00:03:43.8
Peugeot 207 S2000

9 Peres Pedro / Ferreira Tiago 00:06:28.6
Mitsubishi Lancer Evo IX

10 Vale Pedro / Medeiros Rui 00:06:55.9
Mitsubishi Lancer EVO VII


NUNO DINIS

BERNARDO SOUSA



Bernardo Sousa cimenta liderança no CPR


Os comandantes do Campeonato Portugal de Ralis (CPR), Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva ao volante do seu Ford Fiesta S2000 completaram o segundo dia do ‘SATA Rallye Açores’ dentro do top 10 da prestigiada competição, somando os primeiros oito pontos alargando a vantagem que tinham sobre o segundo classificado do CPR.
De acordo com o piloto este é mais um passo na concretização do “objectivo do Team Ford Quinta do Lorde desde o inicio se propôs alcançar: o título nacional” assumindo traços cada vez mais sólidos.
No final dos doze troços cronometrados, Sousa e Rodrigues do Team Ford Quinta do Lorde estão na sexta posição, baixando um lugar em relação ao dia de ontem.
Bernardo Sousa no final da contenda confessava: “Foi um dia muito difícil. Nunca abrimos em alguma vez os troços de um rali, por essa razão é muito complicado fazêlo porque os pisos estão sempre muito sujos e apresentam-se igualmente muito escorregadios. Naturalmente com isso beneficia a concorrência aproveitando as zonas limpas e tirar partido”, explicava os motivos de ter baixado um lugar, mas mostrando a sua satisfação por dilatar ainda mais a diferença de pontuação para o resto da concorrência do nacional.
Apoiado pela PT Negócios, Ford, Eni, MMM Gift, Delta Q, Cision, Beta, Specialized, QF, 2Q, Pirelli, Bernardo garante que vai tentar somar até final do ‘SATA Rallye Açores’ o máximo de pontos possíveis. “Não posso olhar de outra forma. Não fosse o dia de hoje ter perdido preciosos segundos amanhã a conversa seria outra. Não sendo assim, terei de ter em atenção aos pontos para o CPR”.

NUNO DINIS






Bernardo Sousa sai na frente do SATA Rallye Açores


Os comandantes do Campeonato Portugal de Ralis (CPR), Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva ao volante do seu Ford Fiesta S2000 completaram o primeiro dia do ‘SATA Rallye Açores’ dentro do top 5 da prestigiada competição.
No final dos três troços cronometrados, Sousa e Rodrigues do Team Ford Quinta do Lorde estão na quinta posição, a apenas 11,3 segundos do líder do rali, num dia em que, foi notório o andamento muito igual entre a dupla portuguesa e a restante concorrência.
Nota deste facto, foi precisamente o terceiro melhor tempo averbado na especial Coroa da Mata, numa extensão de 7,5kms curiosamente o mesmo ‘crono’ conseguido por mais dois concorrentes em prova.
O dia começou logo pela manhã com os líderes do CPR a realizarem o Shakedown obtendo 1:52,5 na terceira passagem do pequeno traçado. À tarde, a dupla do Team Ford Quinta do Lorde, apoiado pela PT Negócios, Ford, Eni, MMM Gift, Delta Q, Cision, Beta, Specialized, QF, 2Q, Pirelli, entraram na primeira especial em Lagoa numa extensão de 14,9kms, cumprindo logo de seguida mais duas especiais.
Bernardo Sousa à chegada ao parque fechado fazia o balanço à prestação do arranque do Rallye: “Estou um bocado aborrecido porque a nossa prestação poderia ter sido bem melhor do que aquela que realizamos no dia de hoje, além do mais, no terceiro troço, o Kris Meeke estava literalmente parado dentro do troço, à nossa espera para que amanhã não saia na frente do rali”, referia desapontado.
Seja como for, amanhã o jovem piloto madeirense sai na frente, uma vez que os regulamentos do IRC ditam que os primeiros cinco pilotos alternem as suas saídas no arranque das etapas. “É por esse facto que estamos chateados. Houve nitidamente jogo de equipa, mas é com estas regras que temos de conviver. Amanhã saio em primeiro para estrada, com agravante de limpar os troços, mas estou confiante que vamos dar o nosso melhor e vencer todas as adversidades”, rematava
De resto, na primeira impressão ao ‘SATA Rallye Açores’ disse que “os pisos estão um bocadinho escorregadios”, concretizou o piloto do Team Quinta do Lorde.


NUNO DINIS

WRC


Kimi Raikkonen troca F1 por mais um ano no WRC


De acordo com uma notícia publicada hoje no Autosport inglês, Kimi Raikkonen já terá decidido permanecer pelo menos mais um ano no WRC, ao invés de regressar à Fórmula 1.
Sabe-se que a Renault tentou contratá-lo, mas o finlandês pretende manter-se ligado à Red Bull, pelo que é possível que ingresse na equipa austríaca de F1 em 2012, após terminar o contrato de Mark Webber. Para já o seu discurso não mudou nada:
"Não tenho saudades da F1 e gosto do que estou a fazer atualmente. De qualquer modo ainda não decidi o que farei no próximo ano. Talvez após o Rali da Finlândia possa tomar essa decisão.", referiu ao AutoSport inglês.
Pelo lado da Red Bull, uma fonte confirma que o acordo está próximo, sendo que a intenção passa por estender o seu vínculo nos ralis, pelo menos por mais um ano: "Estamos contentes com o que o Kimi tem feito este ano, pois é muito bom para a marca. Mantendo-se ligado à Red Bul, só será possível no WRC, pois aí há lugares livres, o que não sucede na F1 ou NASCAR.", referiu uma fonte da marca de bebidas energéticas.
Sébastien Loeb afina pelo menos diapasão ao dizer que "ele tem de fazer pelo menos mais um ano porque o primeiro é sempre de aprendizagem. Caso se mantenha, no ano seguinte vai desfrutar bastante mais. Se ele parar no final deste ano perde um ano de competição, mas se continuar já sabe com o que conta em termos de rapidez, que ele tem, e entretanto já conhece as provas todas. Pode evoluir imenso de um ano para o outro.", referiu.



NUNO DINIS

IRC - RALLYE SATA AÇORES


Juho Hanninen novo líder nos Açores; Magalhães logo atrás


Juho Hanninen é o novo líder do Sata Rali dos Açores, tendo saltado para a primeira posição após a terceira especial, Grupo Marques. Bruno Magalhães caiu para o segundo posto, tendo realizado o terceiro tempo da especial, partindo para o segundo dia com escassos 0,2 segundos de desvantagem para o finlandês da Skoda mas com Andrea Mikkelsen também a 0,2s.
Após a realização dos três primeiros troços da prova, o equilíbrio que existe na frente promete uma luta bastante animada para o segundo dia, em especial porque Andreas Mikkelsen parte para a segunda etapa igualmente com 0,2s de desvantagem para Hanninen.
Além disso, a posição na estrada também deverá ser bastante importante, sendo essa a razão pela qual o britânico Kris Meeke perdeu tempo na segunda especial, com o campeão da modalidade a jogar com a tática. Isto porque as posições de partida para a etapa de amanhã serão definidas com a inversão dos cinco primeiros da classificação atual. Ou seja, Bernardo Sousa será o primeiro na estrada amanhã.
Jan Kopecky (Skoda) ocupa o quarto posto, na frente de Sousa, com este a demonstrar algum desagrado por ter de 'abrir' a estrada amanhã, ao passo que Kris Meeke é o sexto, com este a beneficiar, assim, de uma melhor posição na estrada amanhã. Pedro Peres (Mitsubishi Lancer Evo IX) ocupa o sétimo posto, logo na frente de Vítor Pascoal (Peugeot 207 S2000), Ricardo Moura (Mitsubishi Lancer Evo IX) e Sérgio Silva (Subaru Impreza STI)

CLASSIFICAÇÃO APÓS 3 PEC'S:

1 Hänninen Juho / Markkula Mikko 00:18:35.8
Skoda Fabia S2000

2 Magalh?es Bruno / Magalh?es Carlos 00:00:00.2
Peugeot 207 S2000

3 Mikkelsen Andreas / Floene Ola 00:00:00.2
Ford Fiesta S2000

4 Kopecký Jan / Starý Petr 00:00:05.5
Skoda Fabia S2000

5 Sousa Bernardo / Silva Nuno 00:00:11.3
Ford Fiesta S2000
6 Meeke Kris / Nagle Paul 00:00:12.3
Peugeot 207 S2000
7 Peres Pedro / Ferreira Tiago 00:00:46.6
Mitsubishi Lancer Evo IX

8 Pascoal Vítor / Castro Mário 00:00:47.4
Peugeot 207 S2000

9 Moura Ricardo / Eiró Sancho 00:00:49.7
Mitsubishi Lancer Evo IX

10 Silva Sérgio / Leal Paulo 00:01:20.6
Subaru Impreza STI


RICARDO PEREIRA

PAULO NETO




Em busca de alguns pontos




Paulo Neto / Daniel Amaral voltam ao Campeonato de Portugal de Ralis para disputar o Sata Rali dos Açores nos dias 16 a 18 de Julho. O objectivo passa terminar e amealhar alguns pontos para o Campeonato.
Alguns azares têm marcado a época de Paulo Neto / Daniel Amaral. Por isso, no Sata Rali dos Açores a dupla de Sintra quer acima de tudo terminar, até porque vai utilizar um Citroen Saxo 16V, da experiente equipa açoriana CC Racing.
“É uma participação que não foi programada no início da temporada, mas que foi possível concretizar devido ao apoio da Magomar e do Restaurante Amaral, que agradecemos, tornando assim possível a nossa presença no Sata Rali dos Açores” afirma Paulo Neto, que regressa a este evento 15 anos depois da sua única presença em São Miguel.
“Os reconhecimentos correram bem e os troços estão muito bons. É um rali muito longo onde temos que andar sempre muito concentrados para não cometer erros”, revela Paulo Neto, acrescentando que “a nossa estratégia passa por terminar. É esse o objectivo principal e vamos adoptar uma ritmo que sirva os nossos interesses. Queremos desta vez recolher alguns pontos no Campeonato de Portugal de Ralis”.

A presença de Paulo Neto no Campeonato de Portugal de Ralis, conta com os seguintes parceiros:

- VALADARES – Louça Sanitária
- SAINT GOBAIN – WEBER – argamassas industriais
- QUANTINFOR – Consultoria informática
- M.C.D. GARCIA – Peças automóveis
- PROFILTEK– Divisórias de Duche
- VITARTE – Produção gráfica
- CARAS DECORAÇÃO
- MDM – Móveis de banho
- TRÊS-TORNEIRAS
- DIRESCO – Superfícies de Quartzo
- RESTAURANTE “O AMARAL”
- PULSAR – Relógicos
- PAULO NETO, LDA – Materiais de construção


JOÃO BICA


RALLYE DE TÁBUA

GALERIA DE FOTOS


RALLYE DE TÁBUA

TEAM NN MOTOS-CLUBE SEITA OH

Jorge Gouveia sagrou-se campeao nacional de enduro‏





Troféu Husqvarna continua por apurar o vencedor





O Troféu Husqvarna prosseguiu o fim de semana passado até á Figueira da Foz, onde dezassete pilotos disputaram os lugares cimeiros e consolidaram as posições conquistadas.
Tudo começou por volta das 13h de sábado, com o calor e o pó a dificultar a prestação dos pilotos, contudo, de especial em especial, a marca evidenciou-se de marca notória.
Carlos Pedrosa e Jorge Gouveia foram os dois candidatos ao 1º lugar. Jorge Gouveia precisava de vencer a sua classe para se consagrar o campeão Nacional de Enduro na Classe Verdes. Carlos Pedrosa precisava de ter uma boa classificação para manter o 1º lugar no Troféu. A expectativa era enorme , tudo podia acontecer.
No final do primeiro dia Carlos Pedrosa liderava o troféu com apenas 56 segundos de Jorge Gouveia. Logo de seguida classificaram-se os seus colegas de equipa Ricardo Pereira, Rodrigo Albuquerque e Miguel Domingos com breves segundos de diferença. A prova exacta de um treino conjunto e de um trabalho árduo de equipa.
Ludgero Sousa, mesmo lesionado volta a exibir as suas qualidades posicionando-se em 6º lugar. Bruno Garcia, Luis Gouveia, João Oliveira e Arnaldo Neves foram as revelações mais abaixo. De especial em especial a evolução era notória, no entanto, algumas quedas e erros de percurso limitaram as suas prestações.
A especial nocturna fechou o sábado, pontuando para o domingo. O espectáculo chamou a atenção de todos os que passeavam ou faziam praia, reunindo vários espectadores. Para além de Carlos Pedrosa e Jorge Gouveia, a Husqvarna teve uma enorme revelação: Rodrigo Albuquerque. Aos comandos da sua TC 250 o piloto deixou toda a assistência boqueaberta com um espectáculo na areia que não deixou ninguém indiferente.
No segundo dia a marca Husqvarna continuou a destacar-se. Carlos Pedrosa voltou a liderar o dia com uma vantagem de 1.21s de Jorge Gouveia. Ricardo Pereira e Rodrigo Albuquerque não conseguiram manter o 3º /4º lugar uma queda aparatosa deixou-os limitados de continuar a defender a classificação. beneficiando destas desistências deu o seu melhor e conquistou o 3º lugar, seguindo-se Ludgero Sousa, Bruno Garcia, Luís Gouveia, Miguel Domingos e João Oliveira.


Na soma dos dois o pódio do troféu Husqvarna foi composto por:

1º  Carlos Pedrosa
2º  Jorge Gouveia
3º  Miguel Domingos
4º  Ludgero
5º  Bruno Garcia

Um final de prova muito benéfica para os pilotos Husqvarna que terminaram festejando já a victoria de Jorge Gouveia na Classe Verdes I.

Os nossos parabéns a todos em especial a Jorge Gouveia pela victoria antecipada na classe.

As melhoras para: Ricardo Pereira, Manuel Santos, Ludgero Sousa e Rodrigo Albuqueque.
O nosso obrigado á organização da prova que premiou a Italian Job com um Troféu. Um gesto único e ímpar que deixou a equipa da Italian Job sem palavras. Mais uma vez o nosso obrigada.


Team Italian Job Husqvarna continua a somar vitórias

Depois da Husqvarna ter conquistado o pódio em todas as classe na prova de Vale de Cambra, chegava a hora do Team da Italian job Husqvarna voltar a defender os lugares cimeiros.
No Nacional Nuno Oliveira, continuou a evidenciar todo o seu potencial e evolução.
Regressando do Europeu de Enduro da Polonia, com um fantastico 9º lugar á classe, o piloto Husqvarna prometia fazer um espectáculo único em Portugal. Assim foi, motivado o piloto da JPM no 1º dia conquistou o 3º lugar. No segundo dia ,tudo podia acontecer o seu andamento estava forte , e a meta era o 2º lugar. Uma queda na extreme fe-lo perder algum tempo, no entanto, conseguiu superar e subir uma posição. O pódio na classe Nacional era mais uma vez nosso, Nuno Oliveira volta elevar a marca. “ No segundo dia não comecei muito bem na extreme. Mas a prova acabou por me correr muito bem. Agora tudo é possivel, o 2º lugar vai ficar decidido na última corrida, temos todos a diferença de 1 ponto. “
O conhecido piloto do Team NN Motos, Gonçalo Bandeira voltou a defender as cores da marca na classe Elite1 e á Geral. Com um desempenho muito constante e confiante em prova, sem grandes erros e penalizações conquistou em ambos os dias o 2º lugar á classe. À geral no primeiro dia conquistou o 4º lugar, no entanto, o seu esforço no domingo permitiu-lhe ascender ao 3º lugar.
Para a marca e para Fernando Ferreira, na classe Elite II, o fim de semana não foi dos melhores. No primeiro dia, o piloto Husqvarna conquistou o 4º lugar. O objectivo era superar e ascender ao pódio no 2º dia, no entanto, uma avaria técnica, obriga-o a desistir da prova.
Motivos não faltam para a familia Husqvarna continuar a festejar. A última prova de Enduro será decisiva em todas as frentes.













MUITOS PARABENS PLA VITÓRIA NO CAMPEONATO "COSTINHA"

NUNO DINIS