SUPER ESPECIAL DE GOUVEIA




Super Especial Rali – Gouveia – Serra da Estrela

Domingo 14 de Agosto - 14h30m



O Museu da Miniatura Automóvel/ DLCG –EEM /Município de Gouveia em colaboração com outras entidades, vai levar a cabo mais uma Super Especial de Rali, que promete, uma vez mais, atrair muito público, a Gouveia.

Englobado no programa das Festas da Cidade (Festas do Sr. Calvário), os Ralis estarão de volta a Gouveia e á Serra da Estrela, no dia 14 de Agosto, Domingo, às 14h30m

A Super Especial de Rali constitui-se um enorme sucesso no ano transacto, e este ano promete uma vez mais ver desfilar vários pilotos ligados a diversas modalidades, onde o Rali será a modalidade rainha.

A emoção dos Desportos Motorizados estão de volta a Gouveia e à Serra da Estrela, numa pista que promete muito espectáculo.

No total serão, mais de 2 KM em piso de asfalto, nos espaços compreendidos entre a Escola Secundária de Gouveia, Piscinas Municipais e Pavilhão Gimnodesportivo

No local vão existir zonas específicas para o público assistir á prova com toda a segurança, e zonas de bar.

Quanto a horários, manha de domingo estará reservada aos Reconhecimentos e as máquinas começam a desfilar a partir das 14h 30m…

Para além dos veículos de competição haverá muitas outras surpresas.

PROGRAMA


Manha:

9h – Recepção aos Convidados/Parque

9h45 - Reconhecimento Pista /Briefing ´

12h – Visita Museu da Miniatura Automóvel

12h30 - Almoço

Tarde:

14.30 – 1ª Demonstração/Passagem pelo circuito

Intervalo

16.45 h – 2ª Demonstração/Passagem circuito

17h45h – Entrega Lembranças

 
 
NUNO DINIS

RALLYE DE GONDOMAR

RALLYE DE GONDOMAR FOI APRESENTADO


Foi anteontem, junto ao Douro, oficialmente apresentando a edição 2011 do Rali Cidade de Gondomar.

Entidades locais e representante federativo, para além do Presidente do Gondomar Automóvel Sport, Paulo Magalhães, estiveram presentes nesta apresentação, sem esquecer muitos convidados que disfrutaram de um excelente final de dia.
Quanto à prova em si, as novidades, com a prova a ter dois dias efectivos de competição, com seis especiais no primeiro dia e quatro no segundo.

Brandião / Paredes (4,2 Kms) e Vilarinho (13,69 Kms) por duas vezes e uma dupla passagem pela Super-especial de Gondomar, constituem a parte competitiva do primeiro dia 10 de Setembro, que começa pelas 15 horas e termina já depois das 22 horas.
No segundo dia a prova terá ainda uma dupla passagem por Gens/Covelo (6,93 Kms) e Medas (9,10 Kms), terminando o rali por volta das 13 horas.



NUNO DINIS

BERNARDO SOUSA



DEU PARA GANHAR EXPERIÊNCIA


Bernardo Sousa e Paulo Babo terminaram há momentos o Rali da Finlândia, prova pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis, sendo que a dupla portuguesa levou o Ford Fiesta S2000 ao 6º lugar na categoria SWRC e foram 24ºs classificados na geral absoluta.
Para o piloto “terminar este rali foi óptimo, sem dúvida que esta experiência de fazer este rali me fez evoluir como piloto, principalmente na leitura do terreno e da compreensão das notas que depois se traduzem no ritmo que conseguimos manter. Estou certo que depois deste rali a equipa fica sem dúvida mais forte e poderemos capitalizar essa experiência em maior rapidez e eficácia para as provas que se seguem e para um possível regresso à Finlândia no futuro.”
“Foi pena que nunca tenha tido o carro a 100% pois para além dos problemas de transmissão da primeira etapa, nunca consegui ter o motor a funcionar correctamente e apesar do trabalho da equipa que trocou tudo o que era possível trocar, nunca se detectou a origem das falhas. Temos agora de ver o que se passa antes do Rali da Alemanha.”
“Ainda assim somamos mais alguns pontos e vou agora avaliar com calma a posição em que ficamos no campeonato e estamos prontos a dar o nosso melhor, agora em asfalto, nas provas que ainda restam no SWRC. Reafirmo que o meu objectivo é terminar no pódio e é para o cumprirmos que vamos continuar a trabalhar como até aqui.”


O próximo rali do TEAM QUINTA DO LORDE será o ADAC Rali da Alemanha de 18 a 21 de Agosto.




NUNO DINIS

WRC-ARMINDO ARAUJO



ARMINDO COM MUITOS PROBLEMAS


Armindo Araújo não teve um Rali da Finlândia nada fácil, mas apesar de tudo acabou por ser o único piloto que levou um Mini ao final da prova.

"Logo no arranque de hoje partiu-se o colector de escape, ficamos sem pressão no turbo e tivemos de disputar cinco classificativas nessas condições. Na parte da tarde, nas segundas passagens e com os pisos mais degradados começaram a surgir outros problemas. Os radiadores ficaram entupidos, o carro entrou em modo de segurança várias vezes e só podíamos pensar em chegar ao final. Foi o que fizemos", começou por dizer o piloto de Santo Tirso.
Numa prova tão complicada e onde denotou a falta de experiencia neste tipo de condições, Armindo Araújo mostrava-se ainda assim satisfeito pelo trabalho que conseguiu desenvolver. "Aprendi muito como piloto neste rali e não tenho duvidas que isso me ajudará no futuro. Esta prova é mítica por vários aspectos e conseguimos entender quais. Os nossos objectivos ao nível de aprendizagem neste tipo de rali foram claramente cumpridos e estamos contentes com isso", acrescenta.

Quanto ao MINI JCW WRC, ficou visível que há ainda muito trabalho pela frente e os problemas sentidos pelos seis carros que alinharam na Finlândia é disso exemplo. "O MINI está cada vez mais competitivo mas é preciso ainda muito desenvolvimento. Todos os problemas que senti nas anteriores provas acabaram por voltar a acontecer quando os pisos se tornaram mais irregulares. Fomos a única equipa que conseguiu disputar a totalidade das especiais o que não deixa de ser um dado importante, ainda que o tenhamos feito também dentro de algumas limitações. Este ano sabíamos que seria assim e por isso vamos continuar a trabalhar com grande empenho para colocar este projecto no patamar que desejamos", concluiu o piloto apoiado pela MINI, TMN, GALP, MCA, Lusitânia e Turismo de Portugal.


A próxima prova da dupla portuguesa está marcada para a Alemanha entre 18 e 21 de Agosto.





NUNO DINIS

WRC - RALLYE DA FINLANDIA


LOEB "VOA" NA FINLÂNDIA

A luta pela vitória no derradeiro dia do Rally da Finlândia, não foi tão emocionante como se esperava mas, de qualquer forma, os pilotos oficiais andaram muito depressa.

Com os pisos a encontrarem-se algo húmidos esta manhã, Sébastien Loeb venceu nos dois primeiros e distanciou-se um pouco de quem vinha atrás, conseguiu gerir a vantagem acumulada e obteve mais uma vitória histórica na Finlândia pois, foi o primeiro piloto não nórdico a vencer este rally pela segunda vez.

Jari-Matti Latvala perdeu 10 segundos para Loeb no troço inicial de hoje mas, conseguiu recuperar algum terreno na parte da tarde e ascendeu à segunda posição, terminando a 8,1s do francês. Na "Power stage", Latvala averbou o segundo melhor tempo, obtendo 2 pontos extra.

Sébastien Ogier não conseguiu acompanhar Loeb e acabou por furar um pneu no final da 18ª especial, altura essa em que trocou de posição com Latvala. Nos restantes troços, Ogier queixou-se do mau estado dos seus pneus posteriores e de não ter pneu sobressalente mas, conseguiu um ponto extra na "Power stage".

Mikko Hirvonen foi sem dúvida o piloto mais rápido do fim de semana, vencendo mais oito troços (incluindo a "Power stage") e ainda conseguiu terminar num excelente quarto lugar, depois de ter recuperado 32 posições.

Petter Solberg era o mais próximo do trio da frente mas, o norueguês esteve muito apagado no último dia, perdeu uma posição para Hirvonen e por pouco, não perdeu a quinta posição para Mads Ostberg pois, a diferença final cifrou-se em 11,6s.

Os Mini oficiais tiveram muitos problemas a nível de sobreaquecimento no derradeiro dia. O primeiro a queixar-se foi Kris Meeke que perdeu mais de 3 minutos com um furo e depois, sentiu muita falta de potência no motor do Mini com este a ter temperaturas muito altas até parar. Por outro lado, Daniel Sordo ia-se mantendo na sétima posição mas, depois de alguns problemas na caixa de velocidades, o radiador do seu carro ficou com alguma lama e foi o principio do fim, com o espanhol a desistir no penúltimo troço.

Henning Solberg aproveitou os problemas dos Mini e terminou o rally na sétima posição, na frente de Matthew Wilson e de Kimi Räikkönen. O ex-piloto de formula 1 começou bem a etapa mas, perdeu tempo para Wilson devido a uma ligeira saída e de alguns problemas nos amortecedores dianteiros do seu DS3.

Juho Hänninen voltou a terminar no top 10 e venceu de novo no SWRC, deixando Martin Prokop com mais de 2 minutos e meio de atraso e Bernardo Sousa (6º no SWRC) a quase 9 minutos

Armindo Araújo também sentiu problemas de sobreaquecimento no motor do Mini e ficou sem ALS mas, de qualquer forma, a sua participação não foi positiva pois, se havia o problema em desconhecer os troços de um rally com este tipo de características, Frigyes Turan também lá estava pela primeira vez e fez melhor figura com um S2000.

LÍDERES DO RALLY:

Jari Ketomaa (SS 1); Sébastien Loeb (SS 2 a 8); Sébastien Ogier (SS 9 e 10); Sébastien Loeb (SS 11 a 22)

VENCEDORES DE TROÇOS:

Jari Ketomaa (1); Sébastien Loeb (5); Mikko Hirvonen (13); Jari-Matti Latvala (2); Sébastien Ogier (1)




NUNO DINIS

PORTUGAL MOTORSPORT



VÁ PELOS SEUS DEDOS ATÉ AO MOTORSPORT PORTUGUÊS




O Portugal Motorsport tem a partir de dia 29 de Julho um site exclusivamente dedicado ao desporto automóvel nacional, criado com base no grupo do Facebook que está activo desde Dezembro de 2009. Um “upgrade” necessário e há muito requisitado por membros e apoiantes, que no início do ano encontrou os apoios necessários para a sua concretização.

Carregado de tradições e momentos de glória, o Motorsport Português tem sido acompanhado ao longo dos anos por um sem número de órgãos de comunicação especializados ou não, que de alguma forma têm contado a sua história, ainda que muitas vezes em notícias dispersas por outros eventos ou campeonatos de referencia por esse mundo fora.

O grupo Portugal Motorsport, lançado em 2009 por Artur Lemos e Luís Caramelo, apostou desde o início nos pilotos portugueses, nas suas participações em Portugal e no estrangeiro e igualmente na recordação de provas – circuitos, ralis, pistas de terra… – que de alguma forma marcaram a história do nosso motorsport, quase desde que ele existe.
Pelas páginas do Facebook, foram desfilando testemunhos, carregadas milhares de fotos, relatados factos desconhecidos, ajustadas histórias, enfim, foram passadas em revista décadas do motorsport português, talvez já um pouco esquecidas, mas que os que as viveram intensamente, não deixaram morrer, mais desejando revivê-las de forma real.
Os dois encontros realizados na Mealhada e Curia, confirmaram a necessidade de um reencontro com o desporto automóvel nacional por parte de todos aqueles que de alguma forma contribuíram para a sua construção, destacando-se no último encontro, a atribuição dos “PORTUGAL MOTORSPORT AWARDS” que distinguiram figuras de importância incontestável no universo do motorsport português.
Dois eventos que igualmente impuseram uma aproximação determinada com um presente não muito brilhante, mas que constitui a realidade de um desporto, que, como seria de esperar, sofre como nenhum outro, com as grandes limitações e condicionantes económicas do nosso país.
PORTUGAL MOTORSPORT em site justificava-se assim a criação de um local ao qual todos pudessem aceder para acompanhar e apoiar o desporto automóvel nacional e feitos dos pilotos portugueses aquém e além fronteiras, pelo que nasceu o site PORTUGAL MOTORSPORT.

http://www.portugalmotorsport.com/  será portanto a partir de hoje a SUA referência, quando quiser saber alguma coisa acerca dos assuntos que nos propusemos focar, tratados de uma forma peculiar, ou seja, apostando sempre e antes do mais em…Portugal!
Garantimos um apoio importante. Depois de termos pensado nas potencialidades e validade desta nossa proposta, apresentamo-la à FPAK (Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting) entidade que reconheceu a sua importância e nos garantiu a chancela de “reconhecido oficialmente pela FPAK”, ao que nos parece até agora inédita nesta ou noutras iniciativas.
Uma chancela, que nos permite encarar o futuro com confiança e transmitir a todos essa mesma confiança, pois estamos certos de que o caminho a seguir pelo site PORTUGAL MOTORSPORT está traçado, é compreendido por todas as forças vivas do desporto automóvel português – pilotos, patrocinadores, equipas, dirigentes, organizadores, técnicos, enfim todos os que de alguma forma nele estão – e passará a er a partir do dia 29 de Julho (hoje ! ) o NOSSO local de encontro privilegiado.


O QUE VAMOS PODER VER ?

De funcionamento simples, o site PORTUGAL MOTORSPORT compõe-se de secções distintas em que os destaques assentam na promoção das provas nacionais e internacionais, assim como a possibilidade da sua visualização nos diversos canais de TV e através da operadora nacional da FPAK, TSM.

Esta secção fica na zona nobre do lado direito da página, ao lado dos “banners” de publicidade e das notícias destacadas, que por sua vez encabeçam as secções de vídeos e a galeria de fotos, em constante actualização.

No menu principal, muitas secções distintas, englobando todas as categorias do Motorsport Nacional e Internacional e mais algumas outras plenas de importância; por exemplo a secção “Who?”, onde poderão encontrar biografias/identificação de toda uma série de pessoas/entidades ligadas a este desporto, descrição e contactos de circuitos, fichas sobre clubes organizados, em suma, um verdadeiro “quem é quem” sempre completo e em actualização.

A secção “Old Times” continua evidentemente o espírito revivalista com que o grupo foi criado no Facebook e no “Magazine” apostamos nos lançamentos em Portugal de novos modelos de consumo geral, com referência às suas principais características técnicas, equipamento e preços, garantindo também uma ligação ao site importador da marca, para mais detalhes e por exemplo a marcação de um “test-drive”…

Achamos que o site PORTUGAL MOTORSPORT vai garantir um constante interesse de todos. Até ao final de 2011, nem todas as secções estarão ainda a funcionar em pleno, cumprindo-se nesses cinco meses um período experimental, que nos permitirá acertar detalhes e comprovar funcionalidades.

Manteremos obviamente inalterada a página do Facebook, para que nos façam chegar as vossas opiniões e críticas acerca desta nova aposta. Afinal foi com todos que construímos um grupo com mais de 3700 membros e quase 10.000 fotografias, que cresce dia a dia e que já é uma referência no motorsport português… agora com ligação permanente ao site PORTUGAL MOTORSPORT.



Senhoras e senhores… motores em marcha desde as 15h00 do dia 29 de Julho 2011 !



Aí está o PORTUGAL MOTORSPORT ao alcance dos seus dedos.





NUNO DINIS

ARC SPORT




ARC SPORT DEFENDE POSIÇÕES NO ATLÂNTICO




RICARDO MOURA QUER SOLIDIFICAR LIDERANÇA

JOÃO SILVA ESTREIA SUBARU IMPREZA



Depois de uma jornada açoriana praticamente perfeita, a ARC Sport volta a lutar pela vitória no Campeonato de Portugal de Ralis, assumindo-se como favorita para a edição deste ano do Rali Vinho da Madeira.

Após um domínio perfeito no seu território, o Campeão Nacional de Produção e actual líder absoluto do campeonato, vai tentar aumentar distâncias, agora no selectivo asfalto da ilha da Madeira. Ricardo Moura que volta a ter a companhia de António Costa como navegador sabe que o Rali Vinho da Madeira poderá ser uma prova essencial para os seus objectivos.
“Este foi um rali que nos trouxe grandes alegrias, quando na época passada aqui conquistámos o título de campeões nacionais de Grupo N. Este ano nada ficará decidido, mas atribuímos grande importância ao Rali Vinho Madeira, por ser uma prova insular com grande protagonismo para os nossos patrocinadores. É um rali de transição para o asfalto, depois de três provas consecutivas em terra, onde os nossos adversários se vão apresentar ao melhor nível. Estamos preparados para efectuar uma prova em pleno, representando condignamente os Açores e todos os nossos patrocinadores”, afirma, confiante, Ricardo Moura.
João Silva, Campeão Júnior da Madeira, e juntamente com José Janela Campeões da Madeira de Duas Rodas Motrizes, desejam experimentar novas emoções. Com o competitivo Subaru Impreza da ARC Sport, a equipa deseja ensaiar andamentos mais concludentes. Pela reconhecida agressividade do jovem piloto madeirense, aliada à experiência do seu navegador e à eficiência do Subaru em asfalto, esperam-se resultados proveitosos.
Por Aguiar da Beira a confiança nos seus pilotos e em todos os membros da equipa ARC Sport é total. Um Rali Vinho da Madeira conseguido é um dos principais objectivos.
“Penso que somos fortes candidatos a vencer a prova ao nível nacional, tendo a garantia que poderemos lutar pelos melhores resultados possíveis. Esperamos que o Ricardo Moura obtenha mais um resultado positivo e que o João Silva se adapte bem à condução de um carro de tracção integral nos troços que tão bem conhece, conquistando um resultado positivo. Estamos preparados para mais um importante desafio”, afirma, com determinação, Augusto Ramiro, responsável pela equipa de Aguiar da Beira.

A edição deste ano do Rali Vinho da Madeira disputa-se entre 3 e 6 de Agosto, com a ARC Sport a chegar ao Funchal como líder do Campeonato de Portugal de Ralis em termos absolutos e também no Agrupamento de Produção.







NUNO DINIS

PAULO NETO



Balanço a meio da temporada




Numa altura em que o Campeonato de Portugal de Ralis se encontra a meio da temporada, Paulo Neto / Daniel Amaral fazem um balanço positivo, mas querem melhores resultados na segunda fase da época.

O terceiro lugar à geral obtido no Rali Vila Verde foi o culminar de uma primeira fase da temporada no Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM, que Paulo Neto considera como positiva.
“A meio da época estamos em 4º lugar com os mesmos pontos do terceiro, o meu amigo e colega de equipa Ivo Nogueira. No principio do campeonato tinha em mente um lugar no pódio e tendo em conta a qualidade de andamento dos colegas que estão nos lugares da frente, posso dizer que estou satisfeito com a primeira metade do campeonato” refere Paulo Neto, acrescentando que “para melhorar este lugar tínhamos que ter mais verba para conseguirmos testar mais o carro para melhorarmos as afinações e para que eu próprio conseguisse tirar mais proveito do potencial do carro, o que me parece que ainda estou muito longe de conseguir”.
Aliás, uma das novidades da equipa foi mesmo a estreia de um novíssimo Citroen DS3 R3. “Penso que foi uma aposta que tem dado os seus frutos positivos. Tem sido um excelente aliado em termos de comunicação e marketing, pois foram feitos muitos artigos de imprensa com o carro que permitiram promover os nossos patrocinadores” refere o piloto de Sintra adiantando que “em termos desportivos o carro tem um grande potencial que ainda não conseguimos explorar na totalidade. É um carro fiável, competitivo e que proporciona uma gozo muito grande de condução”.
Em relação à sua metade da temporada, Paulo Neto afirma que “não posso ir em Maximum Atack, portanto, gostava de acabar no pódio no CPR2 e sei que para isso tenho que acabar ralis e esperar por alguma sorte também. Estamos a tentar fazer um teste mais a sério antes do Rali do Centro para que possamos estar mais à vontade com o carro”.

A presença de Paulo Neto no CPR, CPR2 e no Citroen Racing Trophy, que tem a assistência técnica da P&B Racing, conta com os seguintes parceiros:

- VALADARES – Louça Sanitária
- SAINT GOBAIN – WEBER – argamassas industriais
- QUANTINFOR – Consultoria informática
- VITARTE – Produção gráfica
- CARAS DECORAÇÃO
- DIRESCO – Superfícies de Quartzo
- RESTAURANTE “O AMARAL”
- CARLOS SIMÕES - Concessionário Citroen em Mafra
- BANHOAZIS - Mobiliário de Banho
- LISTOR - Pavimentos Flutuantes
- TRES – Torneiras
- DOMINÓ – Indústrias Cerâmicas
- PAULO NETO, LDA – Materiais de construção



NUNO DINIS

ESCUDERIA CASTELO BRANCO




A ESCUDERIA CASTELO BRANCO apresentou á imprensa e ás equipas as duas próximas provas do CPTT que decorrerão no mês de Setembro sob a organização do Clube Albicastrense. Duas provas totalmente diferentes quer em desenho quer na sua estrutura base, que ajudarão a definir o desfecho de um campeonato que ainda assim se mantém interessante para as equipas participantes.

A Escuderia começa por levar a cabo uma prova num local inédito em termos do TT nacional, e, aproveitando o facto de uma das provas previstas para os CPTT 2011 / CNTT 2011 ver a sua realização anulada pelo respectivo clube organizador.

Compreendido o interesse da prova por parte dos responsáveis máximos das Câmaras Municipais de Oleiros e Proença-a-Nova – uma vez mais a apostar no desporto motorizado como actividade promotora e potenciadora do desenvolvimento das respectivas regiões – a ECB lançou mão á obra e apresenta hoje o resultado de um trabalho intenso de preparação, para o qual encontrou o apoio também incondicional de todas as forças vivas da região.

Nesta altura, a prova está completamente definida, por parte do clube organizador e o seu regulamento entregue nas respectivas federações e podemos afirmar que não foi difícil definir um percurso competitivo, beneficiando da diversidade de estradas, trilhos e caminhos existentes nesta densa mancha verde que se designa por “zona do pinhal”.

A base da Baja TT Proença-Oleiros, ficará instalada no complexo do Centro Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova e tal como tínhamos previsto a estrutura da prova é construída por uma dupla passagem por um percurso de cerca de 150 kms, após a passagem por uma super-especial espectáculo e pela colocação, no centro de Oleiros, de um Parque de Assistência, enquadrado na vida activa da população. Pretende-se com esta acção estimular, de forma incondicional, a chegada dos fantásticos do TT de competição e o tecido sócio económico da região que tão bem sabe receber.

De referir que a Baja TT Proença – Oleiros marca o regresso do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno (Autos) após nada menos do que 5 meses e numa altura em que os dois primeiros estão separados por apenas quatro pontos, o terceiro a 13 e entre o primeiro e último há 39 pontos em 75 ainda possíveis, o que torna a prova ainda mais importante na definição das lutas pelos títulos de 2011.



BAJA IDANHA-A-NOVA JÁ VAI NA TERCEIRA EDIÇÃO

A Baja TT Idanha-a-Nova volta a contar para o Europeu de Todo-o-Terreno (Motos e Quads) para o Nacional das mesmas categorias e UTV-Buggies e ainda para o Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno (Autos) e Desafio ELF Mazda, pelo que a competição está assegurada a todos os níveis, até porque, ao contrário do que seria de esperar, o número de participantes não diminuiu, mas pelo contrário tem tendência a aumentar em quantidade e qualidade.
Em termos de motos, quad e UTV Buggy, a prova terá um total de aproximadamente 320 kms, distribuídos por três dias de competição, estando a sua conclusão prevista para a tarde de Domingo, bem no centro da lindíssima e acolhedora vila de Idanha-a-Nova. Na sexta-feira, correm-se 5 km de super-especial e no sábado realizam-se dois SS (Sectores Selectivos) com 150km e 80km, respectivamente. No domingo, percorrendo um traçado caracterizado pela sua rapidez, o SS apresenta aproximadamente, 80km.
Para além da integração nos Campeonatos Nacional e Europeu, no Rali TT Terras da Raia 2010, disputa-se também o Troféu Polaris Challenge. A Organização apresenta 120 como o número expectável de inscritos, entre Motos, Quads, UTVs e Buggies.
No que respeita aos vulgarmente designados por “jipes”, as grandes novidades passam por uma dupla passagem por uma super-especial, estando ainda por decidir se a mesma será mantida dentro do Campo de Escuteiros (Campo do Agrupamento de Idanha-a-Nova do Corpo Nacional de Escutas) ou se haverá uma alternativa que está a ser estudada e que permita uma maior visibilidade a equipas pilotos, facilitando o trabalho a quem recolhe imagens.
Segue-se um percurso de cerca de 300 quilómetros, efectuado sem paragens obrigatórias para assistência, ou seja uma dupla passagem por um percurso de 150 Kms, com uma ZA (Zona de Assistência) no meio, mas com o tempo a contar para o total da prova.

O TT- Pack 2 tem como objectivo garantir aos concorrentes uma redução de custos, caso as suas escolhas incidam nas duas provas que a ECB organiza, a saber:

Baja TT Proença-a-Nova / Oleiros (3 e 4 de Setembro)
Baja TT Idanha-a-Nova (23, 24 e 25 de Setembro)



O TT - Pack 2 é uma modalidade de inscrição, pensada pela ECB em prol das equipas participantes no CPTT e no CNTT, que, para as diversas categorias e incluindo já o valor do aluguer do GPS e o Seguro Obrigatório, apresenta Taxas de Inscrição bastante reduzidas!



A quem se dirige?

O TT-Pack 2 destina-se às equipas que decidam participar nas duas provas ECB e formalizem a sua inscrição em ambas, dentro do prazo previsto para o período de inscrição para a primeira delas, que decorrerá de 1 de Agosto a 20 de Agosto (2011).


A Escuderia Castelo Branco concretiza com a Baja TT Idanha-a-Nova, uma aposta clara no TT Nacional, já que com a prova raiana organiza o segundo de dois eventos integrados nos respectivos campeonatos, o que permitiu uma aposta na redução de custos para os concorrentes, com a consequente criação do fantástico “Pack2” que já foi explicado anteriormente, mas que tem merecido o total apoio por parte de todos os intervenientes.



NUNO DINIS

CLUBE ESCAPE LIVRE


Nas Alturas Navegação 4x4 é uma prova cheia de novidades





O evento de orientação e navegação todo terreno que promete surpreender os participantes está apenas a dois meses de distância. O Nas Alturas Navegação 4x4 irá oferecer condições naturais, paisagísticas, históricas e gastronómicas únicas, mas também uma série de agradáveis extras que a ACR de Fernão Joanes e o Clube Escape Livre estão a preparar.
O período oficial de inscrições termina já daqui a cinco dias, no final de Julho, passando a sofrer uma majoração de 25 por cento sobre o actual valor de 400€. Dezoito equipas não quiseram perder a oportunidade e já garantiram a sua inscrição nesta prova recheada de atractivos, estando no horizonte da organização receber cerca de 30 equipas.
Para começar, o prémio Fair Play TT Verde, em homenagem a uma entidade que sempre fez um jogo limpo e isento em relação a todas as modalidades TT e entidades organizadoras – o site TT Verde - será entregue à equipa que demonstrar o melhor espírito de fair play, companheirismo e entreajuda.
Os prémios serão também aliciantes, e variam entre os 1000€ à equipa vencedora, 600€ à segunda classificada e os 400€ a entregar à terceira equipa com melhor pontuação, isto além dos respectivos troféus com a assinatura da SPAL. Os cinco primeiros vencedores recebem ainda descontos para a prova “Sin Fronteras Challenge”, a realizar em Marrocos, de 4 a 10 de Dezembro. Para além disto, serão sorteados outros prémios com importante valor monetário.
O Nas Alturas Navegação 4x4 distingue-se ainda pelo preço do alojamento. O centro de operações é o Hotel Vanguarda, onde os participantes terão preços especiais, se ali desejarem ficar instalados.
Uma diferença em relação a outras provas da modalidade está na organização dos way points, escolhidos sempre em função de algum tipo de interesse específico. Outra novidade é a existência de dois pontos de controlo em cada dia, sendo que cada equipa só é obrigada a controlar um deles para não penalizar.

O Nas Alturas Navegação 4x4 pretende ser encontro obrigatório de quem aprecia uma prova competitiva, mas onde o convívio e o Fair Play são as notas dominantes.

O último período de inscrições começa a 1 de Agosto e terá o custo de 500€ por equipa (2 viaturas, 4 pessoas) valor que inclui o fornecimento de cartas militares, o caderno de prova, a revista oficial de prova, a alimentação (três jantares e dois pequenos-almoços), o troféu da SPAL e seguros. Podem ser feitas junto do Clube Escape Livre, através dos emails fernaojoanes.tt@gmail.com  e escapelivre@netvisao.pt ; pelo fax: 271 205 289; ou consultando o site http://www.escapelivre.com/ , onde se encontram todas as informação sobre a prova.






NUNO DINIS

ACP MOTORSPORT

25ª BAJA VODAFONE PORTALEGRE 500
27 a 29 de Outubro de 2011

Já lá vão 25 anos de aventura!


Foi em 1987 que José Megre e Pedro Villas-Boas conceberam a prova que viria a ser a referência do todo-o-terreno nacional – a Baja Portalegre. Ano após ano, a prova cresceu e incrementou-se, chegando mesmo a atingir um número de inscritos surpreendente e único, com 450 participantes, entre autos e motos, em 1992.

É natural e frequente identificá-la como a “prova rainha”, devido à sua singularidade, espírito e desafio com que os pilotos profissionais e amadores encaram esta prova e pelo apoio dos milhares de espectadores presentes, por vezes sob chuva inclemente, incitando e vibrando com a passagem

dos seus ídolos. Amada pelos portugueses e respeitada além fronteiras ao longo destes 25 anos, a Baja Portalegre contou sempre com a presença de pilotos de topo do todo o terreno mundial. Gilles Lalay, Stephane Peterhansel, Richard Saint, David Castera, Cyril Deprés Thierry Magnaldi nas motos, Colin McRae, Carlos Sainz, Jutta Kleinschmidt nos automóveis, entre muitos outros, permitiram aos pilotos lusos um confronto directo, quer pelos resultados quer pela exposição mediática, e serviu também de trampolim para muitas “carreiras” internacionais entre os pilotos nacionais. Inserida na Taça FIA de Bajas desde 2002, a Baja Portalegre encontra-se integrada este ano na recém criada Taça do Mundo FIA de Rallies Todo-o-Terreno para os automóveis. Nesta 25ª edição seremos observados por um elemento da FIM - Federação Internacional de Motociclismo - com o intuito de verificar as nossas capacidades organizativas para podermos integrar o futuro Campeonato do Mundo de Bajas já em 2012. O ACP irá realizar na NERPOR uma exposição de veículos, fotos, objecto, etc, que visam retratar um pouco da história da prova ao longo de 25 anos. Para além destas iniciativas, iremos preencher o programa da prova com diversas actividades. Entre elas, podemos citar as seguintes:



• Corrida dos mais novos – Mini Baja – dia 28 (sexta-feira)

Com o objectivo de promover o Todo-o-Terreno entre os mais novos, o ACP decidiu criar uma corrida incluída no programa da Baja.

Categorias:

Categoria 1 – Pilotos dos 8 aos 12 anos
Categoria 2 – Pilotos dos 13 aos 15 anos

Classes das Motos:

Classe MB1 – motos até 50cc
Classe MB2 – motos de 50cc a 85cc 2T
Classe MB3 – motos de 85cc 2T a 125cc 2T e motos até 250cc 4T.

Serão distribuídas taças aos primeiros cinco classificados da geral, aos três primeiros classificados de cada categoria e ao primeiro de cada classe.

No valor de inscrição está incluído um seguro de acidentes pessoais. Não será necessária licença desportiva. Neste momento, o figurino da prova depende do número de inscritos e será definido mais tarde. De qualquer forma, a Mini-Baja será realizada na sexta-feira dia 28, entre o prólogo das motos e dos autos, e inclui uma corrida de 30 minutos + uma volta, ao percurso do Prólogo (5km). A prova desenrola-se num circuito fechado, não são realizadas ligações em asfalto e são autorizadas motos sem matrícula. Será criado um Regulamento específico para esta prova que, uma vez concluído, será enviado aos potenciais participantes e será publicado no site da prova. Para que possamos, com alguma antecedência, definir o figurino da prova, seria interessante que tivéssemos uma ideia da aceitação deste evento. Assim, gostaríamos que os interessados nos enviassem um e-mail para acpmotorsport@acp.pt

Novas classes Moto

Com o objectivo de levar mais pilotos à 25ª Baja Portalegre, iremos criar duas novas classes para além das já existentes, para abranger um leque vastíssimo de pilotos interessados em participar na mítica prova.

• Classic Baja - ano de fabrico até 1995

Prova dirigida aos mais “antigos”, pilotos e motos, que beneficiará o conjunto mais “usado”, utilizando um sistema já testado na Lousã, em que se soma as idades das motos e pilotos para encontrar um Handicap que, convertido em segundos, será subtraído ao tempo final. Existirá um “bónus” suplementar, em segundos, para quem se apresente em Portalegre com a mesma moto, para isso tem de nos apresentar provas com a qual participou em 1987, ou pelo menos do mesmo ano e modelo. Para esta classe está preparado um percurso com cerca de 140km, com uma assistência sensivelmente ao km 70. As classes e restantes condições estão referidas no regulamento da prova que podem brevemente consultar no site, www.bajaportalegre500.com

• Maxi Baja (trail e maxi-trail)

Exclusiva a motos de grande “envergadura”, do segmento Trail e Maxi Trail, divididas em duas classes, até 750cc e uma outra com mais de 750cc. Estas motos deverão ter uma autonomia mínima de 150km. Esta classe percorrerá cerca de 300km, com uma assistência ao km 150. As classes e restantes condições estão referidas no regulamento da prova, disponível brevemente no site: http://www.bajaportalegre500.com/ 


A Prova

Nos automóveis, a única alteração prende-se com a criação de uma classe comemorativa dos 25 anos da Baja, que é basicamente a já existente Promoção Especial. A prova inicia-se com as verificações na quinta-feira, para Autos e Motos. Na sexta feira, dia 28, os concorrentes enfrentam o habitual prologo nas imediações de Portalegre. No sábado os Autos têm pela frente dois troços com cerca de 160 e 280 km cada, entre ambos tem uma paragem para assistência (15m) e para reabastecimento (20m), seguida de um reagrupamento que antecede o SS3. As motos “deliciam-se” com mais de 400km em linha e 5 assistências no percurso.

 

Para a 25ª edição desta verdadeira festa do TT de Portugal, o Automóvel Club de Portugal conta com os patrocínios da: Vodafone, Câmara Municipal de Portalegre, BP, Hertz e Fedima, com o apoio da revista Motojornal, Ibermedia, IGEO, SNB, Termas da Fadagosa de Nisa, Fencaça, Federação Portuguesa de Caçadores, Jornal “A Bola”, Rádio Portalegre (104,5) e a colaboração das Câmaras Municipais de Nisa, Fronteira, Gavião, Crato, Monforte, Ponte de Sôr, Sousel, Alter do Chão, Estremoz, Arronches e Abrantes.  A estas autarquias juntam-se as Juntas de Freguesia de Tolosa, Amieira do Tejo, Monte da Pedra, Sousel, Cunheira e Chança.



NUNO DINIS

CLUBE ESCAPE LIVRE



Off Road ACP a Santiago de Compostela em 2011… e 2012!




Está esgotado um dos melhores e mais recheados passeios de todo terreno turístico da actualidade. O IX Off Road ACP, organizado pelo Automóvel Club de Portugal em parceria com o Clube Escape Livre, é um passeio que leva cerca de 50 viaturas e 150 sócios do ACP até Santiago de Compostela, por fora de estrada. Durante cinco dias, a viagem conduz à descoberta das mais ricas e variadas características de todo um percurso ibérico, sejam paisagísticas, gastronómicas, culturais ou religiosas.
Em conferência de imprensa que se realizou na Finiclasse 2002, concessionário oficial Mercedes-Benz em Viseu, os responsáveis do Automóvel Clube de Portugal e do Clube Escape Livre confirmaram que a adesão ultrapassou claramente as expectativas para o passeio que decorre de 30 de Setembro a 4 de Outubro, o que levou a ponderar a realização de um segundo evento em 2012, face aos inúmeros pedidos dos sócios do ACP que não conseguiram vaga neste ano.
A qualidade do evento falou, uma vez mais, por si: o passeio de 2012 está também a ter tanta adesão que, a um ano e três meses de distância, apenas restam 12 vagas de pré-inscrição.
A aventura parte de Trancoso e percorre essencialmente zonas montanhosas e verdejantes, a caminho do norte de Portugal e da vizinha Espanha, salpicadas aqui e ali de povoados e de elementos arquitectónicos e religiosos seculares.
O IX Off Road ACP será, certamente, para muitos participantes, uma marcante evasão à rotina diária, com visitas a monumentos, igrejas, locais emblemáticos e aldeias que há séculos serviram de porto de abrigo dos peregrinos a caminho de Santiago de Compostela.
Entre os locais a visitar estão o castelo de Trancoso, o Santuário de N.ª S.ª da Lapa (Sernancelhe), o mosteiro de S. João de Tarouca, a Torre Medieval de Ucanha, a queda de água “Fisgas do Ermelo” (Mondim de Basto), a aldeia típica de Agra (Vieira do Minho), o Santuário de Nossa Senhora da Abadia (Amares), o Santuário de São Bento da Porta Aberta (Terras de Bouro), o Mosteiro de Tibães (Braga) e a Igreja do Mosteiro de Oia (Espanha).
Contrastando com os tempos idos, os peregrinos desta viagem ficam alojados em referenciadas unidades hoteleiras de quatro estrelas, algumas delas com SPA gratuito à disposição, e acolhem, com a melhor comodidade e conforto, os nossos viajantes. Também não partem a pão e água, pois a gastronomia rica e variada proporcionará o devido conforto ao estômago. O convívio entre sócios é outro grande argumento para esta expedição de 600 quilómetros que termina na catedral de Santiago de Compostela, com a cerimónia do Botafumeiro.
Mais informações sobre o Off Road ACP do próximo ano podem ser solicitadas na delegação do ACP Guarda (271213467), no Clube Escape Livre (271205285), ou através de escapelivre@netvisao.pt. O Automóvel Club de Portugal mantém a colaboração o Clube Escape Livre e tem o patrocínio Mercedes-Benz (viatura oficial), Turismo de Portugal, Bridgestone, Camel Active, SPAL, o apoio institucional das câmaras municipais da Guarda, Trancoso, Sernancelhe e Mondim de Basto, e a colaboração do Teatro Municipal da Guarda, Dom digital, RFM, Lusomotores, TTVerde, TSM, Todo Terreno, Off Road, Altitude FM e Localvisão.









NUNO DINIS

PEUGEOT SPORT PORTUGAL



Rali Vinho Madeira




PEUGEOT PORTUGAL PRESENTE


A dúvida está esclarecida: a Peugeot Portugal vai participar na edição 2011 do Rali Vinho Madeira, prova do Campeonato Europeu de Ralis e do Campeonato de Portugal, com a dupla Bruno Magalhães/Paulo Grave.

O facto da prova madeirense ter sido afastada do calendário do IRC (Intercontinental Rally Challenge), levou a equipa a equacionar a sua presença na competição, tendo adiantado que a decisão seria tomada depois da realização do SATA Rallye Açores.

A vontade de continuar a divulgar a imagem dos patrocinadores, que tornam possível a existência do projecto, e o desejo de alcançar um bom resultado numa das provas mais importantes dos calendários europeu e nacional, levou-a a optar pela presença no Rali Vinho Madeira, onde será séria candidata à vitória.

Com a participação no Rali Vinho Madeira, a equipa cumpre o seu programa desportivo definido para este ano, uma vez que irá marcar, ainda, presença nos ralis Mecsek (Hungria) e SanRemo (Itália), duas provas pontuáveis para o IRC.

Para Bruno Magalhães, “a presença na Madeira é uma boa notícia, tanto mais que se trata de um rali que tem um ambiente fantástico, é dos que mais gosto, como já disse várias vezes, e onde sempre fomos rápidos. Iremos, naturalmente, lutar pela vitória, sem ter a “pressão” de ter de pensar nos pontos”.




NUNO DINIS

CAMPEONATO OPEN RALIS 2011


FPAK ALTERA E REGULAMENTOS COR MAS DEPOIS FAZ MARCHA ATRAS


Numa altura em que estão em cima da mesa e em estudo diversas importantes alterações para 2012 no Desafio Modelstand, a FPAK alterou o regulamento do Open de 2011 tendo em vista esta competição.
Assim, já com efeitos a partir da próxima prova do Open os concorrentes do Desafio Modelstand vão partir por ordem sequencial de números, isto é, partem para a estrada todos seguidos.
A organização do Desafio Modelstand solicitou à FPAK esta situação, e a mesma inclui-a no regulamento do Open. Contudo, no regulamento a FPAK afirma que aos concorrentes do Modelstand deverão passar a ser atribuídos números de competição sequenciais, a partir do nº 17 e segundo a ordem da classificação geral desta competição.
Trata-se de uma situação vai de encontro ao que muitos pilotos solicitaram, embora o facto de partirem do número 17 (algo que foi decidido pela FPAK) motivou de pronto alguma polémica.


Depois da alteração regulamentar no Open, que indicava que os concorrentes do Desafio Modelstand partiam a partir do nº17 de forma sequencial, a FPAK voltou agora a alterar, de novo a pedido da entidade organizadora, o regulamento do Open.
No fundo o actual regulamento é o mesmo que esteve em vigor até ao Rali de Oliveira do Hospital, já que a medida de os concorrentes do Modelstand partirem em sequência após o nº17, não foi do agrado dos pilotos.
Dessa forma a organização do Desafio Moldelstand pediu que o regulamento voltasse atrás, tendo a FPAK aceite esse pedido, pelo que em Gondomar os concorrentes desta competição partirão por ordem de classificação do Open.


http://www.ralisonline.net/

NUNO DINIS

KARTING URBANO OLIVEIRA DO HOSPITAL



Decorreu ontem, no recinto da feira, em Oliveira do Hospital. o 1º Convívio Karting Oliveira do Hospital, inserido no cartaz da Expoh que se realiza na cidade beirã de 16 a 24 Julho.
Esta prova tinha um percurso de 500 mts, muito engracado e onde houve emoção do inicio ate ao final.
A partir da pole position a equipa do Bufallu's Bar Team Super Bock imprimiu um ritmo muito forte desde inicio e nunca largou a lideranca da prova senão quando, pouco tempo depois da mudanca de piloto, se partiu o cabo do aceleradordo karting nº1 o que fez com que se atrasassem mesmo assm conseguindo recuperar até ao quarto lugar a 4 voltas do primeiro classificado.
O vencedor desta prova foi a equipa do Espiritos Club com um total de 209 voltas à pista e com um tempo total de 2:31:32.696. A segunda posição foi ocupada pela Racing Team que ficou a escassos 16s da lideranca da prova.
No lugar mais baixo do pódio ficou a equipa do Twins Bar a 3 voltas do lider da prova.

Foi sem duvida um belo convivio, apesar de terem havido alguns exageros por parte de algumas equipas mas correu tudo pelo melhor e onde a emocão foi sem dúvida a nota positiva deste convivio de onde se foram destacando alguns bons pilotos.

Temos no entanto uma critica a fazer à organização no sentido de que se devem salvaguardar situações como as que aconteceram com a empresa de aluguer do Kartings( a quem não se admitem aquele tipo de falhas) e com o desenrolar da prova, nomeadamente com horarios e com o desenrolar da prova mas no entanto de referir que esta foi uma prova que, na nossa opinião tem pernas para andar e onde num futuro poderá ter muito sucesso pois as condiçoes fisicas para a prática do karting no recinto da feira são muito boas.




1º classificado...ESPIRITOS CLUB

2ºclassificado...RACING TEAM


3º classificado...TWINS BAR


NUNO DINIS
FOTOS:NUNO DINIS PHOTOS

ARMINDO ARAUJO



ARMINDO ARAUJO NÃO IRA COMPETIR NA MADEIRA

Apesar de equacionada a possibilidade de Armindo Araújo alinhar no Rali Vinho Madeira, o bicampeão do Mundo de Ralis Produção decidiu hoje, quinta-feira, que não alinhará na prova insular que se disputará no inicio do mês de Agosto. Após o convite dirigido pela organização, Armindo Araújo manteve de pé a hipótese de participar no rali mas, uma série de factores externos à solicitação do Club Sports da Madeira, levaram-no a optar por não marcar presença na prova.
“Antes de mais queria agradecer à organização por me ter endereçado o convite para participar na edição deste ano do Rali Vinho Madeira. O facto de não alinhar na prova nada tem que ver com a organização mas simplesmente com um conjunto de factores que depois de ponderados tiveram influencia na decisão”, começa por dizer Armindo Araújo que explica de seguida quais os motivos que terminam com a possibilidade de estar presente no rali. “Foi-nos pedido por parte da MINI para focarmos todas as nossas atenções para a fase de asfalto do WRC. A hipótese de ir à Madeira seria positiva para testarmos neste tipo de piso se o MINI WRC não fosse obrigado a sofrer um «downgrade» muito significativo para poder alinhar na prova. Fazermos quilómetros de MINI sem o kit aerodinâmico WRC e com um restritor do turbo, que obrigatoriamente teria de ser de 30mm, ao invés do habitual 33mm estaria a desvirtuar os trabalhos que temos que realizar numa fase importante para o desenvolvimento do MINI JCW WRC. Optamos por agendar testes privados com vista a preparar as próximas provas”, afirma.


NUNO DINIS

ARMINDO ARAÚJO


Armindo Araújo foi convidado a estar presente no 10º Aniversario do Alfa Romeu Clube Portugal no próximo dia 9 de Julho (sábado), onde irá ser realizado da 5º Edição do Passeio Nocturno de Sintra, que levará os participantes a regressar às clássicas classificativas nocturnas dos Ralis de Portugal e das Camélias!

- 1º Pec - Lagoa Azul
- 2ª Pec - Peninha/Capuchos
- 3ª Pec - Penedo (Almoçageme/Colares)
- 4ª Pec - Eugaria/Galamares

- Neutralização - Praia das Maçãs

- 5ª Pec - Monserrate
- 6ª Pec - Pena/Capuchos/Pé da Serra
- 7ª Cabo da Roca/Peninha/Alcabideche/Lagoa Azul



A concentração está prevista para as 19h nas instalações do Italian Motor Village em Alfragide, onde será servido um pequeno lanche antes da partida pelas 20h30. Ao longo da noite, haverá ainda tempo para uma pequena neutralização na zona da Praia das Maças e o evento culminará, como habitualmente, com um jantar próximo das 23h30 no Restaurante "Casa Tua" na Penha Longa.


Armindo Araújo estará presente ao Volante de um potentissimo BMW M3 e será navegado por Nuno Rodrigues da Silva.



 
 
 
NUNO DINIS

JOAO BICA



JOÃO BICA E A PARTICIPAÇÃO NO CIRCUITO BOAVISTA



O nosso amigo e colaborador, como já havia sido notificado anteriormente, foi convidado pela Ford e a Q&F para estar presente no Circuito da Boavista, que decorreu no passado fim-de-semana,  aos comandos da Ford Transit do Ford Transit Trophy.
 Para João Bica, que se divertiu imenso e que se surpreendeu a si mesmo com o resultado obtido: “Para mim era claro que andar ao ritmo dos da frente era impossível portanto digamos que soube sempre onde era o meu lugar. Mesmo assim diverti-me bastante. Os tempo que fiz e constância dos mesmos agradou-me bastante. Este convite da Ford e da QF para guiar a Transit permitiu-me regressar às pistas e, ainda para mais, a experiência foi muito agradável. Foi um fim-de-semana excelente.”

 
 
NUNO DINIS

FORD TRANSIT TROPHY



Uma vez mais, o Ford Transit Trophy teve uma corrida imprópria para cardíacos, desta feita no Circuito da Bosvista, num dia pleno de animação, quer dentro quer fora da pista. João Baptista (M.Coutinho/Ibertal) arrancou “a ferros” mais um triunfo, na sequência do obtido há cerca de um mês no traçado espanhol de Jarama. O piloto portuense venceu, mas não conseguiu, ainda assim, impedir que a C.A.M fizesse a festa na qualidade de vencedora do fim-de-semana, por ter assegurado a maior pontuação, após o triunfo de ontem de Pedro Salvador e do terceiro lugar de José Pedro Leite hoje.
Era sabido de antemão que esta corrida tinha tudo para conhecer o calor da luta pelas posições cimeiras. Pois essa expectativa não foi gorada e logo desde o arranque José Pedro Leite sentiu os ataques do impetuoso João Baptista (que rubricou a melhor volta, com 2m38,588s). Partindo da “pole”, Leite fez o que pode para segurar a liderança, mas um toque de João Baptista a meio da quarta volta fê-lo cair para o terceiro posto. Este foi, afinal, o momento decisivo da corrida e que Baptista comentou, esclarecendo que “não tinha, em definitivo, intenção de bater na carrinha do José Pedro Leite. Já tinha tentado ultrapassá-lo várias vezes sem sucesso e naquele local ele fez uma manobra muito rápida para me tentar fechar e acabei por lhe tocar. Sinceramente, aquilo que acho é que foi uma situação normal de corrida e tenho pena que o entendimento exterior possa ser outro. Já lhe pedi desculpa pelo sucedido, mas, não consegui evitar o toque que, infelizmente, fez com que a luta pelo triunfo não se mantivesse até final.”
Naturalmente pouco agradado com este desfecho, José Pedro Leite (C.A.M.) também lamentou o acidente, referindo que “é pena que as coisas tenham acontecido desta forma, principalmente entre dois amigos. Foi um toque fulcral, já que não só me fez perder dois lugares, como podia ter tido consequências bem mais sérias, dado que bati violentamente nos pneus. A partir daí achei que tinha que pensar exclusivamente no campeonato e tentei não mais que garantir que a C.A.M. somava pontos suficientes para ganhar o fim-de-semana, como acabou por acontecer.”
Com uma corrida muito inteligente, Jorge Areia (Daro) assegurou um brilhante segundo posto, lugar altamente saboroso nomeadamente depois do desaire de ontem com Rui Azevedo. “Percebi que a luta entre os dois da frente me poderia beneficiar e no início optei por jogar pelo seguro. A verdade é que o toque entre o João Baptista e o José Pedro Leite acabou por facilitar a vida e só a muita experiência do João fez com que não conseguisse chegar ao comando da corrida. Estou contente com o resultado e a verdade é que hoje o carro esteve muito bom e só é pena que o meu colega de equipa, o Rui Azevedo, não tenha tido a mesma sorte, mas as corridas são mesmo assim...” afirmou o piloto.
Apesar de a Transit da Beta/Eni ter acusado alguma fadiga de travões, Valter Cardoso terminou no quarto posto, à frente do convidado da Ford e da QF, João Bica que se surpreendeu a si mesmo com o resultado obtido: “Para mim era claro que andar ao ritmo dos da frente era impossível portanto digamos que soube sempre onde era o meu lugar. Mesmo assim diverti-me bastante. Os tempo que fiz e constância dos mesmos agradou-me bastante. Este convite da Ford e da QF para guiar a Transit permitiu-me regressar às pistas e, ainda para mais, a experiência foi muito agradável. Foi um fim-de-semana excelente.”
O balanço final deste fim-de-semana do Ford Transit Trophy no Circuito da Boavista é claramente positivo, merecendo referência não apenas aquilo que se passou na pista, mas também o ambiente vivido no “paddock”, com a Ford e a QF a acolherem cerca de 400 convidados neste domingo de corridas na cidade do Porto. Paralelamente, o facto de terem sido concretizados os sonhos de três crianças da “Terra dos Sonhos” ao bordo das Transit do Trophy veio um dar um toque especial a um fim-de-semana repleto de pontos de interesse em torno de uma competição que se colocou no mais alto patamar do automobilismo português, desta vez num dos mais importantes palcos deste desporto e de nível mundial.

Classificação da 2ª Corrida:

1º João Baptista (M.Coutinho/Ibertal), 12 voltas em 32m02,965s
2º Jorge Areia (Daro), a 1,969s
3º José Pedro Leite (C.A.M), a 9,793s
4º Valter Cardoso (Beta/Eni), a 17,036s
5º João Bica (Ford/QF), a 28,275s
6º Tiago Ribeiro (M.Coutinho/Douro In), 39,751s
7º Filipe Martins (Auto Rabal/Espoauto), a 47,047s
8º Domingos Pinheira (Mivex), 51,225s
9º João Fontainhas (FIAAL), a 1m15,925s
10º Nuno Santos (StockCar), a 1 volta



Volta mais Rápida: João Baptista (M.Coutinho/Ibertal), 2m38,588s, à 10ª volta



NUNO DINIS

FORD TRANSIT TROPHY


1ª CORRIDA


A exemplo do que já havia acontecido nas sessões de treinos, o Ford Transit Trophy foi um dos grandes animadores deste primeiro dia de corridas no Circuito da Boavista, naquela que é a quarta prova da competição levada a cabo pela Ford e pela QF. Apesar de a corrida ter sido grandemente encurtada (devido a contingências de programa, que num circuito citadino assumem um papel de enorme relevo), a verdade e? que as Transit que hoje estiveram em pista proporcionaram um espectáculo único ao milhares de apaixonados pelo automobilismo que este Sábado acorreram ao evento que se tornou um marco das organizações patrocinadas pela edilidade portuense.
Pedro Salvador venceu com autoridade a curta corrida, sendo que este triunfo começou a ser construído ainda ontem, com o piloto da “Invicta” a garantir a “pole”. Pois o arranque não podia ter corrido melhor a Pedro Salvador, que cedo começou a distanciar-se dos demais. Paralelamente o piloto atacou forte nas voltas iniciais e cavou um importante fosso atrás de si, tendo mesmo garantido a melhor volta em corrida. “Talvez tenha parecido fácil, mas a verdade é que ataquei nas voltas iniciais, até porque tinha que perceber como se portariam os pneus. Foi um triunfo importante e que, espero, tenha continuidade amanhã quando a Ford Transit da C.A.M. voltar à pista com o meu colega José Pedro Leite ao volante.”

Mais atrás, a batalha pelos restantes lugares do pódio teve vários protagonistas e um deles António Costa (Beta/Eni) foi vítima de um pião logo à segunda volta - na sequência de um toque da Transit da Daro com Rui Azevedo ao volante - e que o relegou para o sexto posto. A verdade é que esta foi uma corrida para esquecer para Azevedo que se debateu sempre com dificuldades de travagem, não conseguindo mesmo evitar um violento embate na última “chicane” do traçado, que lhe valeu a queda definitiva para o último lugar da classificação.

Desta forma, a sorte sorriu ao convidado da Ford e da QF, o consagrado piloto de ralis Bernardo Sousa, que garantiu um surpreendente segundo lugar – não esquecendo, porém, que os pilotos convidados não são classificados. Pedro Fins (Stockcar), foi o terceiro melhor na pista, mas o segundo em termos de Transit Trophy, com o piloto nortenho a esclarecer que “travei uma luta animada com o Bernardo Sousa e chegámos a tocar-nos. Sabia que estava mais rápido, mas a certo ponto achei que não valia a pena atacar, já que ele não me roubaria pontos. Foi uma corrida divertida e com um resultado final muito interessante...”
Depois do desaire sofrido ontem, em que o toque protagonizado por Filipe Martins deixou a Ford Transit da AutoRabal/Espocar com um comportamento menos... “saudável”, João Diogo Lopes fez hoje uma corrida de grande nível, que lhe valeu o terceiro lugar do dia. “Foi um excelente resultado. Hoje a nossa carrinha esteve bem melhor do que ontem e consegui imprimir um bom ritmo. Ainda assim este é reconhecidamente um circuito difícil e cheio de armadilhas para os menos conhecedores,” afirmou o piloto.
Merecem ainda destaque o quarto lugar de Renato Machado (M.Coutinho/Ibertal) que fechou o “top five” e de Nuno Fontainhas, que desta feita parece ter-se visto livre dos percalços que atrasaram a Transit da FIAAL durante as sessões de treinos.
Quanto ao convidado da Ford e da QF, Bernardo Sousa mostrou-se muito contente com a sua prestação nesta jornada de estreias: no Circuito da Boavista e ao volante da Transit! “Consegui um resultado muito satisfatório, tendo em conta a minha inexperiência. O carro é muito divertido e surpreendeu-me pela potência, comportamento e fiabilidade, amplamente revelada neste circuito citadino que é muito exigente. Gostei muito desta experiência e tenho que sublinhar também a magnífica organização do Ford Transit Trophy, aproveitando para agradecer o convite que me foi endereçado” afirmou o piloto madeirense. Amanhã a Transit com o número 45 passará para as mãos de outro consagrado piloto português, João Bica, que parte da sexta posição da grelha.

A segunda corrida do Ford Transit Trophy incluída no programa do Circuito da Boavista tem lugar, amanhã, Domingo, a partir das 13h15.


Classificação da 1a Corrida:

1o Pedro Salvador (C.A.M.), 5 voltas
2o Bernardo Sousa (Ford/QF), a 13,195s
3o Pedro Fins (StockCar), a 14,100s
4o João Lopes (Auto Rabal/Espoauto), a 16,789s
5o Renato Machado (M.Coutinho/Ibertal), a 18,651s
6o Nuno Fontainhas (FIAAL), a 21,524s
7o António Costa (Beta/Eni), a 36,934s
8o Luís Martins (M.Coutinho/In Douro), a 39,959s
9o Pedro Miranda (Mivex), a 46,764s
10o Rui Azevedo (Daro), a 1m16,029s


NUNO DINIS

PEUGEOT SPORT



ILMC – 6 HORAS DE IMOLA




NOVA “DOBRADINHA” DA PEUGEOT



Ao aliar o desempenho, a fiabilidade, a economia do combustível e a gestão dos pneus, os Peugeot 908 dominaram, este domingo, as 6 Horas de Imola. Depois de largarem da primeira posição da grelha, Sébastien Bourdais e Anthony Davidson celebraram com uma vitória esplêndida a sua primeira corrida juntos, aos comandos do n.º 7. Seguiram-se Franck Montagny e Stéphane Sarrazin, no n.º 8, que voltaram a oferecer ao 908 nova “dobradinha”, depois dos 1000 km de Spa. A Peugeot aumentou assim a sua vantagem no Campeonato de Construtores do ILMC.



Peugeot é mais líder no ILMC



No comando da classificação, após as três primeiras provas do Intercontinental Le Mans Series (Sebring, Spa e Le Mans), a Peugeot apresentou-se, à partida para as 6 Horas de Imola, com a ambição de aumentar a sua vantagem. Ao garantir a “pole position” e a “dobradinha”, a Peugeot marcou o máximo de pontos e elevou o seu avanço para 43.
Num traçado estreito e curto, face às 49 equipas inscritas, a tarefa da equipa e dos pilotos anunciava-se muito difícil. Contudo, não aconteceram acidentes que motivassem a entrada do “Safety Car” e a corrida decidiu-se na regularidade e no desempenho eficaz dos carros e dos pilotos.
Mais rápida ao longo do fim-de-semana – foram autores da “pole position” e da volta mais rápida – a dupla Bourdais/Davidson alcançou uma vitória inquestionável diante do par Montagny/Sarrazin, que esteve na luta pela vitória até ao momento em que a equipa decidiu, a menos de uma hora do final da corrida, que as posições eram para manter.
“Esta ‘dobradinha’ fez bem a toda a equipa. Foi uma vitória alcançada graças à velocidade, à fiabilidade e à economia de combustível”, sublinhou Bruno Famin. “Conseguimos mesmo fazer um terceiro turno, com os mesmos pneus, e com um ritmo mais elevado do que o dos nossos adversários. E foi nesse momento que tudo se decidiu a nosso favor. Pela quarta vez, noutras tantas corridas efectuadas esta temporada, tivemos a satisfação de ver todos os carros chegarem ao fim e com um excelente nível de fiabilidade”.

Começo da corrida foi a continuidade das 24 Horas de Le Mans

Colocado na ‘pole position’, Sébastien Bourdais (Peugeot, n.º 7) controlou o andamento dos 48 carros que alinharam à partida. A classificação na frente conservou a hierarquia da qualificação, com Fassler (Audi, n.º 1), Montgany (Peugeot, n.º 8) e McNish (Audi, n.º 2) a perseguirem Bourdais, com diferenças mínimas.
Ao fim de seis voltas, os homens da frente começaram a ‘dobrar’ os primeiros retardatários. A corrida desenrolava-se ao ritmo das 24 Horas de Le Mans, ou seja, com os pilotos, claramente, ao ataque.
Pouco depois do seu primeiro reabastecimento, Franck Montagny ‘roubou’ o segundo lugar a Marcel Fassler, graças a uma manobra audaciosa: “Tive verdadeiro prazer ao guiar o carro, numa pista onde não é fácil ultrapassar, já que estava muito suja fora das trajectórias, mas consegui passar o Marcel, por fora, em Tamburello.”
No comando, Sébastien Bourdais continuava ao ataque e, numa demonstração da eficácia do 908 e dos pneus Michelin, alcançava a sua melhor volta, no final do seu segundo turno de condução, momentos antes de passar o volante a Anthony Davidson. Ao ter de manobrar num ‘pit lane’ exíguo, a equipa do n.º 7 perdeu, no reabastecimento, cerca de 30 segundos e o comando na prova.

“Não consegui parar na nossa ‘box’ e tivemos de fazer o carro recuar”, explicou Sébastien Bourdais. “É um pouco frustrante perder o tempo, duramente ganho na pista, mas os dois Peugeot continuam na frente e isso é que é importante”.
Anthony Davidson regressou à pista a 24 s. de Stéphane Sarrazin e mostrou-se, particularmente, inspirado no tráfego. O inglês depressa ‘encostou’ ao seu colega de equipa e os dois Peugeot 908 fizeram várias voltas ‘colados’.


Consumo de combustível e pneus poupados

Anthony Davidson regressou ao primeiro lugar após o seu primeiro reabastecimento, enquanto Stéphane Sarrazin fazia três turnos num ritmo mais elevado do que aquele a que os Audi rodavam. Os Peugeot colocavam-se fora do alcance dos adversários, ao ganhar-lhes uma volta, pouco antes de se atingirem as três horas de prova.
“Toquei no Tom Kristensen, quando o ultrapassei”, declarou Anthony Davidson. “A competição é sempre muito cerrada e eu estava à espera de uma reacção de força da parte dele. Como estava por dentro, a sua resistência forçou-o a passar pela escapatória e isso não teve consequência para mim”.

Emoção no final

Podiam ter existido duas reviravoltas na corrida: às 16h50 houve um contacto entre o Peugeot 908 n.º7 e um retardatário, que provocou um furo no pneu traseiro esquerdo. Sébastien Bourdais passou pela ‘box’ e perdeu o comando para Franck Montagny. Decorridos alguns minutos foi a vez do outro carro parar, pela mesma razão e com o mesmo efeito: foi a vez de Montagny voltar a ceder o comando a Bourdais. Nessa altura, o Team Peugeot Total decidiu manter as posições e geriu as últimas idas à ‘box’, controlando os níveis de combustível, de forma a que os carros chegassem ao fim, com nova ‘dobradinha’ dos Peugeot 908.

Declarações

Olivier Quesnel: “Hoje reunimos todas as condições: um carro rápido que gasta menos do que o seu rival, uma equipa que definiu uma estratégia perfeita e pilotos excepcionais. O resultado foi o que queríamos, com uma ‘dobradinha’ inquestionável. Recuperámos o nível de desempenho que tivemos no início de Maio, nos 1000 km de Spa, uma corrida que teve lugar com condições atmosféricas semelhantes. Foi o resultado perfeito, que nos permite ficar com uma boa margem de avanço na classificação. Agora, podemos gerir essa vantagem nas três corridas que faltam, com excepção de Zhuhai, onde a vitória é um objectivo importante”.

Sébastien Bourdais (Peugeot 908 n.º 7): “Estou muito feliz pela segunda vitória com o Peugeot. Entendi-me muitíssimo bem com o Anthony, que foi o piloto mais rápido do fim-de-semana. Por outro lado, encontrámos as afinações que nos satisfizeram e tivemos de enfrentar uma corrida difícil, mas que não nos impediu de vencer e de alcançar a ‘dobradinha’”.

Anthony Davidson (Peugeot 908 n.º 7): “Foi a minha quarta vitória com a Peugeot. Foi uma corrida muitíssimo difícil para todos os pilotos. É inacreditável como o ‘Safety Car’ não teve de sair para a pista uma única vez ao longo das seis horas! Esperávamos uma luta mais intensa, mas tivemos um carro fantástico e o Sébastien e eu soubemos ser complementares.”

Franck Montagny (Peugeot 908 n.º 8): “Que podia haver melhor que uma vitória, depois de Le Mans? Uma vez mais levámos os carros até ao fim e nos dois primeiros lugares. Estou satisfeito por pertencer a esta equipa, tivemos um excelente nível de desempenho e ficámos um pouco surpreendidos com a vantagem que conquistámos. Sabemos que eles vão trabalhar para responderem da próxima vez, pelo que vamos ter belas lutas no futuro”.

Stéphane Sarrazin (Peugeot 908 n. 8): “A ‘dobradinha’ da Peugeot é fantástica para toda a equipa, mas temos de reconhecer que tivemos menos problemas do que os nossos adversários. O Anthony foi muito rápido ao longo do fim-de-semana e foi decisivo, porque são os mais fortes que ganham”.



Filme da corrida

Hora Volta Observação

12h00 0 Partida Bourdais (n.º 7) – 1.º; Sarrazin (n.º 8) 3.º
12h47 29 n.º7 : gasóleo
12h48 30 n.º 8 : gasóleo
12h55 32 Montagny passa a 2.º, ao ultrapassar Fässler
13h38 59 n.º 8 : gasóleo, pneus. Sarrazin substitui Montagny
13h40 60 n.º7 : gasóleo, pneus, Davidson rende Bourdais
14h26 88 Os dois Peugeot 908 rodam juntos antes do reabastecimento
14h30 91 n.º 8 : gasóleo
14h31 91 n.º 7 : gasóleo, Davidson no comando à frente de Sarrazin
14h46 100 Davidson ganha uma volta a Kristensen, os dois carros tocam-se
15h21 123 n.º8 : gasóleo
15h23 124 n.º 7 : gasóleo
16h14 155 n.º 8 : gasóleo, pneus. Montagny rende Sarrazin
16h17 156 n.º 7 : gasóleo, pneus. Bourdais substitui Davidson
16h50 176 n.º 7 : gasóleo, pneu traseiro esquerdo furado. Montagny passa para a frente.
17h04 184 n.º 8 : gasóleo, pneu traseiro esquerdo furado. Bourdais passa para a frente
17h43 208 n.º 7 : gasóleo
17h58 219 n.º 8 : gasóleo



Classificação das 6 Horas de Imola

1.º, Peugeot 908 n.º 7 (Bourdais / Davidson), 220 voltas
2.º, Peugeot 908 n.º 8 (Montagny / Sarrazin), a 1’08’’688
3.º, Audi R18 n.º 1 (Fässler / Bernhard), a 1 volta
4.º, Audi R18 n.º 2 (Kristensen / McNish), a 1 volta
5.º, Lola-Toyota n.º 13 (Boullion / Belicchi), a 7 voltas
6.º, Lola-Toyota n.º 12 (Prost/Jani), a 8 voltas



Melhor volta : Sébastien Bourdais, em 1’33’’111

Classificação do Intercontinental le Mans Cup

Construtores Equipas

1.º, Peugeot, 132 pontos 1.º, Team Peugeot Total, 65 pontos
2.º, Audi, 89 pontos 2.º, Audi Sport Team Joest, 61 pontos
3.º; Team Oreca-Matmut, 34 pontos
4.º, Rebellion Racing, 33 pontos

Próxima prova: Silverstone (9-11 de Setembro)
 
 
 
NUNO DINIS