WRC- RALLYE DA GRÉCIA



ARMINDO ARAÚJO COM DIA SEGURO



Armindo Araújo e Miguel Ramalho ultrapassaram, sem problema, o segundo dia do Rali da Grécia e terminaram as oito especiais de hoje na décima segunda posição da geral. Com a tarefa de abrir e limpar a estrada, por ser das primeiras a partir para as especiais, a dupla portuguesa cumpriu à risca a missão solicitada pela equipa no arranque para as secções de hoje.

Na chegada a Loutraki, onde está instalada a zona de assistência da prova grega, Armindo Araújo classificou de positivo, este segundo dia de rali. “Apesar das dificuldades que sentimos pelo facto de partirmos muito na frente e termos encontrado alguma lama nas especiais, cumprimos inteiramente aquilo que nos foi pedido e conseguimos poupar a mecânica ao máximo. Como não tivemos oportunidade de testar as melhores afinações para este carro, efectuamos algumas alterações no final da manhã e, nas segundas passagens, melhoramos o nosso ritmo”, começou por dizer o piloto de Santo Tirso.

Com oito especiais pela frente no dia de amanhã, “as mais difíceis e demolidoras deste rali”, assegura o piloto português, os objetivos traçados pela equipa serão os mesmos. “Vamos continuar a fazer o nosso trabalho e procurar que o MINI não sofra com a dureza das especiais. Será muito importante ultrapassar, sem problemas, o dia de amanhã para poderemos manter a esperança de terminar a prova com um resultado dentro dos objetivos que pretendemos”, afirmou ainda Armindo Araújo.

Com dupla passagem por quatro provas especiais, a dupla do MINI John Cooper Works, terá que disputar ao cronómetro 149.56 quilómetros, entre a saída e o regresso a Loutraki, uma cidade costeira localizada a sul de Atenas.




NUNO DINIS

WRC ACADEMY- RALLYE DA GRÉCIA



JOÃO SILVA EM SÉTIMO LUGAR NO RALI DA GRÉCIA  





No Rali da Acrópole, João Silva e Hugo Magalhães ocupam a sétima posição por entre os concorrentes do FIA WRC ACADEMY, após seis classificativas realizadas pontuáveis para esta categoria, faltando apenas realizarem-se mais 4 especiais, durante o dia de amanhã para se chegar ao final desta etapa grega da academia.
O piloto madeirense está claramente mais rápido em comparação com a sua participação no Vodafone Rali de Portugal, onde em média chegou a perder mais de 3 segundos por quilómetro para os homens da frente, mas hoje nas especiais da região central grega que afastou as equipas mais de 200 quilómetros da base do rali, a dupla portuguesa conseguiu reduzir essas diferenças para valores que se cifraram em pouco mais de um segundo por quilómetro de perda, um claro sinal de que o trabalho recentemente efectuado representou um forte acréscimo de competitividade para João Silva e Hugo Magalhães.
Segundo o piloto, “o dia foi muito bom, sabemos que o sétimo posto não é uma posição de grande relevo em termos objectivos, mas temos de perceber que a minha intenção em apostar no projecto do FIA WRC ACADEMy visa evoluir enquanto piloto e melhorar as minhas capacidades, aproveitando da melhor forma tudo o que poderia aprender com esta aposta, e depois do dia de hoje tenho plena consciência de que estamos no bom caminho.”
“Nas primeiras classificativas do dia andei num ritmo muito bom para mim, senti claramente que o trabalho que desenvolvi com o Hugo Magalhães ao nível das notas de andamento e o teste que fizemos em Espanha foram factores importantes para termos alguma evolução e apesar do sétimo posto, sei que melhoramos bastante e num curto período de tempo. Termino o dia feliz por perceber que progredimos muito em conjunto e que acima de tudo percebemos que é possível ainda melhorar mais. A academia é uma verdadeira escola de ralis e o nível de exigência permite evoluir a um nível que em Portugal seria impossível. Esta foi efectivamente a minha aposta e espero poder continuar este projecto.” 
“Nas duas últimas especiais do dia a ponte traseira empenou, e com a chuva os pisos ficaram muito macios e escorregadios e levantei um pouco o pé pois já não me senti tão à vontade e era importante terminar. No parque final já vão reparar o carro e vamos tentar pô-lo mais ao meu gosto para amanhã, pois o dia será bem mais difícil pois chegam as verdadeiras classificativas gregas com muitas pedras no caminho. Quero capitalizar cada metro deste rali em mais e mais experiência para o futuro.”
A João Silva e Hugo Magalhães restam agora quatro difíceis classificativas até chegarem ao final da sua participação no Rali da Grécia com o Ford Fiesta R2, sendo que o rali continua até Domingo para os restantes concorrentes do Mundial de Ralis da FIA.





NUNO DINIS

CPR- RALLYE SERRAS DE FAFE




É já este fim-de-semana que o CPR regressa às miticas estradas de terra da Zona de Fafe, isto depois de termos presenciado o regresso do WRC a essas mesmas estradas.
A Demoporto, entidade organizadora do Rallye Serras de Fafe conseguiu reunir um bom lote de inscritos repartidos por CPR, Taça de Portugal e Campeonato Regional Nordeste. São 50 equipas inscritas que irão percorrer estes duros troços contando ainda com um elemento contra que é o calor.


MAPA




NUNO DINIS

WRC TEAM MINI PORTUGAL




Piloto do MINI John Cooper Works WRC confiante 

para o Rali da Grécia



Armindo Araújo e Miguel Ramalho vão, a partir da próxima quinta-feira, iniciar a sua sexta prova da temporada no Campeonato do Mundo de Ralis. A dupla portuguesa procura, no Rali da Grécia, regressar aos bons resultados, após duas provas em que odesfecho final não inteiramente feliz.

Numa prova caracteristicamente dura para as mecânicas e marcada sempre por altas temperaturas, Armindo Araújo está ciente das dificuldades que terá pela frente mas esperançado em realizar uma boa prova. O Rali da Grécia é sempre muito duro e sabemos que esse será um grande desafio para todos. Já fizemos este rali algumas vezes e conhecemos bem aquilo que vamos encontrar. Estamos preparados para dar o nosso melhor e motivados como sempre”, começa por dizer o piloto de Santo Tirso.

A dureza das especiais costuma revelar-se sempre importante no Rali da Grécia e os objectivos podem ficar mais difíceis caso apareçam problemas mecânicos. Nas duas provas anteriores a dupla portuguesa foi vítima de alguns azares neste capitulo mas espera sair da prova grega novamente com um resultado dentro dos lugares pontuáveis. As mecânicas sofrem sempre muito mas vamos esperar que o MINI se mostre muito fiável. Estamos confiantes e determinados em lutar por um lugar dentro dos dez primeiros e tudo faremos para conseguir inverter esta fase menos positiva em termos de resultados. Afirmei desde oinício deste projecto que o nosso objectivo, em todas as provas, é terminar num lugar pontuável e o nosso trabalho está direccionado nesse sentido. A concorrência estará, como até aqui, muito forte mas nós vamos dar o máximo por aquilo que pretendemos”, disse ainda Armindo Araújo.

O Rali da Grécia terá um total de vinte e duas provas especiais, repartidas por quatro dias de prova. As hostilidades terão início na quinta-feira com a disputa de uma única especial (Kineta) de 25 km estando reservadas as restantes entre sexta-feira e domingo. A edição 2012 do Rali da Grécia será ligeiramente mais longa que a anterior,tendo no total 409 quilómetros cronometrados.



RICARDO PEREIRA

WRC ACADEMY- JOAO SILVA/HUGO MAGALHAES



RALI DA GRÉCIA ARRANCA HOJE E JOÃO SILVA ESTÁ 

MUITO MOTIVADO






A primeira classificativa do Rali da Acrópole realiza-se esta quinta-feira ao final da tarde, sendo que o piloto madeirense João Silva e o seu novo co-piloto Hugo Magalhães não vêem a hora de iniciar a competição na segunda jornada deste ano da FIA WRC ACADEMY.
Depois de um Rali de Portugal que não correu de feição às aspirações da equipa, João Silva está empenhado em fazer com que a sorte mude nas classificativas gregas, tendo inclusive iniciado a sua preparação para esta prova com alguma antecedência, realizando uma sessão de testes intensiva com um Ford Fiesta R2 em tudo semelhante ao que utiliza na academia, na passada semana em Espanha, antes de rumar a Loutraki, localidade que será a base da prova grega do Mundial de Ralis da FIA.
João Silva está ciente de que “este será o maior desafio da minha carreira de piloto. Já terminamos os reconhecimentos e a dureza das especiais é algo que só mesmo passando por lá se pode compreender. Muita pedra solta e para se andar rápido é preciso acreditar que o carro vai resistir e que os pneus vão durar até ao fim, o que parece sempre inacreditável, dada a dificuldade dos pisos.”
“Vai ser uma prova onde muitos pilotos vão ter surpresas desagradáveis ao nível mecânico e espero que tenhamos desta vez sorte e que o Ford Fiesta R2 acorde “bem disposto” para nos levar rápido e sem problemas de maior até ao final do rali no Domingo! Quero minimizar rapidamente a imagem que deixamos em Portugal e não vou deixar passar esta oportunidade, pois como se sabe, apesar de este ser o nosso primeiro rali fora de portas, pois Portugal apesar de contar para o Mundial foi em casa, pode também vir a ser o nosso último rali na academia em 2012 pois a continuidade não está ainda assegurada.”
“O trabalho de recolha de notas correu muito bem apesar de ser tudo novo para nós. Creio que em conjunto com o Hugo Magalhães consegui efectuar um bom trabalho e agora vamos ter de o traduzir num andamento superior ao que tive em Portugal e não vou pensar em gerir a corrida. Vamos dar o nosso melhor, sabemos os objectivos a que nos comprometemos, partilhamos objectivos comuns dentro do carro, e o espírito com que encaramos esta participação é excelente, o que me dá ainda mais motivação. Preciso de estar 100% concentrado para não cometer erros.”
João Silva e Hugo Magalhães vão ter de enfrentar várias dificuldades ao longo de três dias, numa mistura demolidora de terra batida e rocha que desafia ao máximo todas as equipas e viaturas, e que todos os anos provoca muitas surpresas ao longo do grupo de equipas que vão alinhar à partida deste Rali da Acrópole.




ANTONIO DINIS

PAULO NETO SPORT





Somar pontos no CPR2

A inglória desistência no Rali Targa Vieira do Minho, não abanou a confiança de Paulo Neto / Paulo Fiuza para o Rali Serras de Fafe, onde o objetivo é claramente somar pontos no CPR2.

O único rali de terra do Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM, vai ser encarado por Paulo Neto /Paulo Fiuza com muita confiança, tanto mais que este será o segundo rali da temporada para esta equipa neste tipo de piso.
 O que rodamos no Rali de Portugal em pisos de terra será certamente uma importante mais valia para nós no Rali Serras de Fafe, não só pelo maior conhecimento que temos do carro neste tipo de piso como pelo maior ritmo que poderemos adoptar”, começa por explicar Paulo Neto, piloto apoiado por Weber, Quantinfor, Vitarte, Caras decoração, Diresco, Carlos Simões, Banhoazis, Listor, Tres, Domino e Sanitana afirmando ainda que  nesta prova teremos uma concorrência acrescida e conhecedora dos troços de Fafe, mas sabemos que poderemos ser competitivos e alcançar um bom resultado”.

Depois dos reconhecimentos e tendo em conta que os troços são semelhantes aos dos anos anteriores nesta mesma prova, a estratégia passa por jogar sempre pelo seguro. Nesta prova é muito importante ter a máxima concentração para não cometer qualquer erro, pois queremos terminar e somar pontos para o nosso campeonato que é o CPR2. Já conhecemos os troços e as suas particularidades, pelo que estamos confiantes na obtenção desse objectivo, que é somar pontos!!!”.

A presença da Paulo Neto Sport no CPR, CPR2 e no Citroen Racing Trophy de 2012, que terá a assistência técnica da P&B Racing, conta com os seguintes parceiros:

-      SAINT GOBAIN – WEBER – Argamassas industriais
-      QUANTINFOR – Consultoria informática
-      VITARTE – Produção gráfica
-      CARAS DECORAÇÃO
-      DIRESCO – Superfícies de Quartzo
-      CARLOS SIMÕES - Concessionário Citroen em Mafra
-      BANHOAZIS - Mobiliário de Banho
-      LISTOR - Pavimentos Flutuantes
-      TRES – Torneiras
-      DOMINÓ – Indústrias Cerâmicas
-      SANITANA - Sanitários
-    PAULO NETO, LDA – Materiais de construção




NUNO DINIS
PHOTO: Paulo Neto Sport

ACP MOTORSPORT




DE 9 A 13 DE OUTUBRO


Uma nova categoria de veículos
para a mesma seletividade de sempre


A sétima edição do Rally de Portugal Histórico vai para a estrada de 9 a 13 de outubro, em mais um desafio para pilotos e máquinas, numa competição que cimentou os seus alicerces na grande seletividade do seu percurso que, ano após ano, tem atraído um vasto leque de participantes, com os melhores "clássicos" nacionais a travarem um animado despique com os estrangeiros que nos visitam.

Atento à realidade que o rodeia, o Automóvel Club de Portugal tem procurado inovar em cada ano, de forma a criar novos motivos de interesse para a prova e a ir ao encontro de sugestões que lhe são apresentadas pelos participantes. Por isso mesmo, a grande novidade da edição de 2012 será a criação de uma nova categoria de veículos apta a participar na prova, muito embora com uma classificação à parte.

Trata-se da categoria de "Neo-Clássicos", aberta a veículos automóveis ligeiros de passageiros, legalmente matriculados, construídos entre 1 de Janeiro de 1983 e 31 de Dezembro de 1989, com características desportivas e/ou pertencendo a um modelo que tenha participado à época no Rally de Portugal. Para que esta categoria seja efetiva, deverá haver um mínimo de 12 concorrentes inscritos.

Esta terceira categoria junta-se às anteriores duas: assim, a categoria de Históricos incluirá todas as viaturas construídas entre 1 de Janeiro de 1966 e 31 de Dezembro de 1982; a categoria de Clássicos reunirá as viaturas construídas entre 1 de Janeiro de 1946 e 31 de Dezembro de 1965.

Com médias horárias idênticas para todos os concorrentes e uma classificação única, o Rally de Portugal Histórico 2012 voltará a proporcionar mais um motivo de interesse, pois os condutores dos carros mais antigos terão de novo uma divisão específica, onde poderão lutar com armas mais iguais face aos seus diretos adversários, e em que será atribuído ao vencedor o Troféu ACP Clássicos.

As inscrições para o Rally de Portugal Histórico 2012 encontram-se já abertas  e com um valor bonificado até ao dia 30 de junho de 500 euros, passando a partir dessa data esse valor para 950 euros até à data de encerramento das mesmas, a 14 de setembro. De referir que os sócios do ACP terão um desconto de 100 euros sobre estes valores e os do ACP Clássicos pagarão menos 200 euros relativamente aos valores das inscrições. A este valor acresce um pacote de 2000 euros relativo a estadias e alimentação para a totalidade do evento.

Como sempre, serão cinco dias de intensa competição, com um percurso que voltará a rondar os 1800 quilómetros, com 45 provas de classificação, cuja extensão total será superior a 650 quilómetros.

A principal novidade do percurso é marcada pelo regresso a Tomar, no final do primeiro dia, mantendo-se as neutralizações de Arganil, Lamego, Régua e Leiria. Como sempre, um dos grandes aliciantes do Rally de Portugal Histórico será a noite de Sintra, a 12 de outubro, que assinala o final competitivo do evento, já que o último dia será exclusivamente dedicado à distribuição de prémios.



 NUNO DINIS

ARC SPORT- RALLYE SERRAS DE FAFE



RENATO PITA E ARC SPORT QUEREM CONTINUAR LÍDERES


A região de Fafe volta a estar em foco a 25 e 26 de Maio, com a quarta prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Ralis, a segunda a contribuir com pontos para as duas rodas motrizes. Com o Campeão de Portugal ausente, uma vez que Ricardo Moura escolheu não disputar o Rali Serras de Fafe, as atenções da ARC Sport estão totalmente centradas na participação de Renato Pita e Alberto Silva aos comandos do Renault Clio R3, equipa que se sagrou vencedora nas duas rodas motrizes no Rali do Targa, prova que abriu a competição nesta especialidade.

Para o piloto de Viana do Castelo esta é uma grande oportunidade para continuar na liderança do campeonato de 2L/2RM.
 Vamos continuar a manter a estratégia que delineámos para este ano de estreia. Depois da sorte que tivemos em Vieira do Minho, vamos tentar sair de Fafe como líderes, embora seja a primeira vez que corro em pisos de terra com o Renault Clio, sendo também para mim uma estreia absoluta nos troços de Fafe. No entanto toda a equipa está bastante confiante”, afirma, com a habitual boa disposição, Renato Pita.

Completamente confiante nas capacidades de Renato Pita e Alberto Silva, bem como na competitividade do Renault Clio R3, a ARC Sport pretende fazer uma prova sem qualquer tipo de pressões.
 Este vai ser o primeiro rali de terra do Renato ao volante do Renault. Vamos encarar esta prova como mais uma importante aprendizagem, que deve ser realizada sem pressões e com muita confiança. É este o espírito de toda a equipa”, conclui Augusto Ramiro, responsável pela casa de Aguiar da Beira.


Classificações CPR e 2L/2RM antes do Rali Serras de Fafe:

CPR – 1º Ricardo Moura, 60; 2º Miguel Barbosa, 36; 3º Pedro Meireles, 25

2L/2RM – 1º Renato Pita, 25; 2º Pedro Matias, 18





NUNO DINIS
PHOTO: AIFA-OFICIAL ARC SPORT






CLUBE ESCAPE LIVRE

BMW descobre primavera no Alvão e Gerês


Nada melhor que aliar os prazeres da natureza com os prazeres do corpo e do espírito. Se a estes juntarmos o prazer da condução, ainda que por alguns atribulados caminhos e corta-fogos, conclui-se que o propósito de proporcionar um excelente fim-de-semana foi garantidamente cumprido em mais um BMW X Experience. A caravana seguiu rumo ao norte e levou cerca de cem pessoas e 40 viaturas à descoberta de uma admirável região do país num passeio de todo terreno de lazer e turístico organizado pelo Clube Escape Livre.
Uma viagem de aventuras, descoberta, pequenos prazeres e luxos, por terras transmontanas. Assim foi em mais um BMW X Experience, com os participantes a usufruir de um tratamento de SPA no Água Hotels, em Mondim de Basto, a poucas horas do jantar e de iniciar a etapa noturna até ao alto do Monte Farinha. O santuário mariano de Nossa Senhora da Graça foi o primeiro local de destino, constituindo também uma verdadeira aventura face ao denso nevoeiro e à forte chuva que caiu, impedindo observar Mondim de Basto e as suas luzes.
Os BMW X1, X3 e X5 voltariam ao terreno na bem mais primaveril manhã seguinte, por percursos de terra em grande altitude e paisagens de perder de vista, desta vez rumo a Montalegre. No miradouro da Pedra Bela foi altura para desfrutar da extraordinária paisagem do Gerês, tomar um café e saborear uma merenda local. Mais à frente, e porque o percurso da manhã era longo, nova paragem para provar os cremosos iogurtes da Nutregi e retemperar forças. Ainda antes de almoço, o Ecomuseu de Barroso aguardava os participantes para desvendar um pouco da cultura, da tradição, da oferta natural e turística da região de Barroso, que integra Montalegre e Boticas. Depois de almoço, a água encheu a vista, com a barragem do Alto Rabagão a preencher parte do percurso. Junto ao rio Tâmega, pausa para um reconfortante café no parque da Sobradela, seguida de nova subida ao monte Farinha, agora sim, com todo o horizonte limpo e disponível para desfrutar da observação.
Domingo foi, decididamente, o dia de maior adrenalina, rumo à cascata Fisgas do Ermelo, e na travessia dos corta-fogos junto às Minas de Fonte Figueira a proporcionar os maiores desafios, sem margem para hesitações e com todas as dificuldades superadas pela caravana BMW. A chegada a Amarante ficou marcada pela visita guiada à igreja de São Gonçalo, pertencente ao complexo do mosteiro, que encantou todos os participantes pela sua beleza.
Um almoço de requinte na Casa da Calçada, hotel de charme da rede Relais & Chateaux, seguido da visita guiada ao Museu Amadeo de Souza Cardoso, encerrou, com chave de ouro, mais um BMW X Experience. O balanço foi claramente positivo, com os participantes a prometer regressar para uma nova aventura do Clube Escape Livre. Muito agradada, saiu também a atriz Joana Seixas, que conseguiu conciliar os horários da gravação da futura novela da SIC, “Dancin’ Days”, com este passeio de lazer e aventura do Clube Escape Livre. A presença da atriz foi aproveitada pelo programa Fama Show que, com a apresentadora Andreia Rodrigues, realizou uma reportagem.











NUNO DINIS
PHOTOS: Clube Escape Livre

ARMINDO NEVES RALLYE SPORT




Rali Serras de Fafe
Primeiro Teste em Terra

A equipa AN-Rally Sport iniciou no passado fim-de-semana a preparação para o próximo Rali de Fafe, evento que se irá disputar nos míticos troços desta zona naquela que será a única prova em terra da Taça de Portugal de Ralis, que vai decorrer este fim-de-semana.

Passámos o carro para especificações de terra e ao mesmo tempo aproveitámos para rodar com os novos pneus Hankook num pequeno teste de cerca de 20 kms”. Referiu o piloto, adiantando que foi um teste curto, mas que serviu essencialmente para verificar se estava tudo em ordem com o carro e para perceber o funcionamento dos pneus, que desde logo nos deixaram boas indicações para o rali”.

A equipa deu assim início á preparação da próxima prova, o Rali Serras de Fafe, que terá lugar nos dias 25 e 26 de Maio, iniciando-se os reconhecimentos já no próximo fim-de-semana.




NUNO DINIS


NOVIDADES...




Já se encontram disponiveis no nosso Kanal os novos videos sobre rallye de Portugal, Rallye Serra da Freita e Rallye de Arganil. Visitem-nos no Meo Kanal 962259.


Na nossa página do Facebook em www.facebook.com/nunowrcdinis ja estão albuns de fotos sobre as últimas provas. Rampa Histórica do Luso, Rallye de Arganil, Rallye Serra da Freita.

Aguardamos a vossa visita




NUNO DINIS

COR- RALLYE SERRA DA FREITA



JORGE RIBEIRO TRIUNFA NO FAST BRAVO



Jorge Ribeiro venceu o Rali Serra da Freita, terceira prova a contar para o Troféu FASTBRAVO.
O piloto de Penafiel teve forte oposição por parte do segundo classificado, Herculano Antas que ainda chegou a liderar a prova por pouco mais de um segundo. No entanto, Jorge Ribeiro voltou à liderança, e, com a anulação do derradeiro troço, a classificação final acabou por ficar por aí.
Com bons registos nos tempos, Hélio Abreu completou o podium com um confortável terceiro lugar, na frente de Cristiano Queiroga que passou toda a prova com problemas elétricos.
Rui Garcia não teve melhor sorte, o vencedor do rali anterior não foi além da segunda especial, com o motor a aquecer em demasia, desistiu quando o motor entregou a alma ao criador.
A próxima prova está agendada para dia 25 de Maio no Rali Serras de Fafe, a primeira prova em pisos de terra.

Classificação na Prova:
1º Jorge Ribeiro / Pedro Moura
2º Herculano Antas / Luís Silva
3º Hélio Abreu / Ricardo Teles
4º Cristiano Queiroga / Rufino Silva
- Rui Garcia / Luís Sá – Desistiu


Classificação no Troféu:
1º Jorge Ribeiro - 44 pts
2º Cristiano Queiroga - 39
3º Hélio Abreu - 32
4º Herculano Antas - 23
5º Rui Garcia - 20
6º Rafael Cardeira - 17
7º Hugo Queirós - 11
8º Gonçalo Dias - 9


JOAO BICA
FONTE: www.ralisonline.net

PEUGEOT SPORT





208 R2 em programa de testes


O 208 R2 não pára de rolar. Após ter efectuado, este fim-de-semana, 1.074 km de especiais e ligações, como carro de abertura da Volta à Córsega, a última produção dos “ateliers” da Peugeot Sport prossegue, até sexta-feira, o seu programa de testes, nas estradas asfaltadas da ilha da beleza, para definir as afinações ideais para o asfalto. Este teste faz parte dos 6.000 km programados no caderno de encargos, antes da presença oficial no Rali do Ulster.




Uma bateria de testes

Durante o rali, o carro atraiu as atenções do público, dos pilotos, das equipas e dos organizadores. Todos queriam ver o novo R2, quer nos Parques de Assistência, quer nas especiais, e tiveram a oportunidade de perceber que o “pequeno leão” foi fiável e teve um excelente desempenho, durante toda a prova, apesar do calor estival que se sentiu.

O rali foi uma sessão de testes em configuração de corrida, que o carro cumpriu sem problemas, nas mãos dos experientes Stéphane Sarrazin e Benjamim Veillas.

Desde ontem, e até sexta-feira, a equipa de testes da Peugeot Sport continuará a fazer “sofrer” o 208 em estradas conhecidas pela marca do leão, ao sul de Bastia. O teste será comandado por Yann Goraguer, chefe do projecto 208 R2.

Trata-se do segundo teste em asfalto, depois do 208 R2 ter rodado, há algumas semanas no Var. É Germain Bonnefis, vencedor do “Volant 207”, no ano passado, que está ao volante.

Yann Goraguer explica a escolha deste local para a sessão de testes: “O primeiro objectivo deste teste é definir o “set up”, em especiais onde há grande aderência e que são muito sinuosas, a exemplo do que sucede num grande número de provas na Europa”.

É um programa de testes muito intenso para as equipas da Peugeot Sport, que voltarão à estrada dentro de três semanas, na região dos Vosges.


O que pensam os pilotos?

Vários pilotos participaram no desenvolvimento do 208 R2, em terra e asfalto, e entre eles, Stéphane Sarrazin e Craig Breen, o vencedor do WRC Academy 2011.
                                                                                                                                                  
Eles alternaram ao volante da nova “arma” de Sochaux, com outros pilotos de ralis, com estilos de condução e experiências diferentes, o que permitiu aos responsáveis perceberem os desejos dos pilotos e tentarem adaptar o carro a essas exigências.

Segundo Craig Breen, “o 208 R2 está a corresponder e posso compará-lo a tudo o que existe na categoria R2. Tem um motor muito potente e é muito estável. Conduz-se com facilidade e depressa nos sentimos à vontade e rolamos em bom ritmo”.

Por seu lado, Stéphane Sarrazin sublinha que “as mudanças de direcção são muito precisas e o motor 1.600 sobe depressa de rotações, o que permite atacar forte. É um verdadeiro carro de corrida, muito homogéneo, com uma caixa sequencial que nos dá muita confiança, e tem uma travagem potente, o que faz com que seja um super carro que se coloca muito bem.”




NUNO DINIS 

COR- RALLYE SERRA DA FREITA




MAIS UMA VITÓRIA PARA...PERES


Numa dia espetacular na zona de Arouca, o Rali Serra da Freita foi uma prova interessante do ponto de vista desportivo, com Fernando Peres a vencer e a somar no asfalto o número máximo de pontuações no Open. 
Profundo conhecedor da zona e com um ritmo alto, Fernando Peres venceu sem oposição e sem contestação o "seu" rali, numa prova em que venceu os três primeiros troços e depois geriu.
Mais interessante de seguir foi a luta pelas restantes posições entre os primeiros. João Barros estava a pouco mais de 12 segundos de Peres a meio do rali, mas o motor do Saxo Kit-Car parou no terceiro troço deixando o piloto fora de prova.
Daniel Nunes (que venceu o Júnior e ainda leva para casa outras duas vitórias, uma no Regional Centro e outra no Regional Norte.) estava a subir de ritmo, subindo nessa momento ao segundo lugar. Mesmo não tendo hipóteses de apanhar Peres, tinha que manter o ritmo muito alto, devido à prestação de Carlos Martins.
O piloto de Serpa impôs sempre um ritmo elevado, e nunca baixou os braços, mas como Nunes não falhou Carlos Martins terminou naquele que seria um excelente 3º lugar, continuando a ter boas prestações nas provas em que tem vindo a participar no Open. Contudo, uma transmissão partida no Mitsubishi na derradeira ligação levaria Carlos Martins a desistir.
Mário Barbosa terminou com os azares no Open. O piloto do Saxo fez também uma prova muito competitiva, que lhe valeu um 3º lugar, sem grande oposição de Luís Mota, que mais uma vez não se deu muito bem com ralis muito rápidos.
De André Marques, ainda a aprender o 206 S1600 não se pode esperar muito mais. O piloto tem vindo a evoluir gradualmente, mas o seu carro pode ser bem mais competitivo no asfalto.
De Diogo Gago já não se pode dizer muito mais. Mais uma vez o piloto demonstrou um grande andamento no seu 206 GTi, e os apenas 21 segundos que os separaram de André Marques demonstram o seu andamento neste prova.
Notas finais para Eduardo Veiga. Um pouco menos exuberante que o normal, mas mesmo assim, ainda passou por algumas situações apertadas, demonstrou sempre um ritmo muito vivo.
Anibal Rolo foi ainda o vencedor entre os clássicos.
LÍDERES DO RALI:
Fernando Peres (1ª à 4ª Pec)
VENCEDORES DE TROÇOS:
Fernando Peres (3); Daniel Nunes (1)
CLASSIFICAÇÃO FINAL
1º Fernando Peres / JP Silva – Mitsubishi Lancer Evo VII 35m50,3s
2º Daniel Nunes / Daniel Amaral – Mitsubishi Lancer Evo VI a 27,2s
3º Mário Barbosa / Bruno Gonçalves – Citroen Saxo Kit-Car 1m07,3s
4º Luís Mota / Alexandre Ramos – Mitsubishi Lancer Evo VII a 1m28,7s
5º André Marques / Hugo Magalhães – Peugeot 206 S1600 a 1m44,0s
6º Diogo Gago / Jorge Carvalho – Peugeot 206 GTi a 2m05,4s
7º Eduardo Veiga / Justino Reis – Ford Escort a 2m57,9s
8ª Rui Peres / José Costa - Peugeot 206 GTi a 4m07,1s
PILOTO DE RALI
Fernando Peres
MOMENTO DO RALI
Desistência de João Barros no 3º troço
MENOS DO RALI
Pouco luta pela vitória



JOAO BICA
FONTE:www.ralisonline.net