EXPO FEIRA TT




3ª EXPO FEIRA TT




MANGUALDE VAI SER O CENTRO DA AVENTURA


Todo o fascínio do TT num concelho encantado


Juntar uma série de actividades ao ar livre, directamente relacionadas com a aventura, vão transformar Mangualde num verdadeiro centro de emoções no primeiro fim-de-semana alargado do próximo mês Outubro. Entre os dias 5 e 7, a maior praia artificial da Europa vai transformar-se numa autêntica praia viva, por onde irão passar diversas vertentes do TT de laser, mas também de competição.

Com o apoio da Câmara Municipal de Mangualde, o “Dá Gás” e o “Rodas no Trilho”, os dois principais clubes do Todo-o-Terreno do concelho vão reeditar um evento que já assegurou um espaço muito especial para Mangualde nas duas anteriores edições. Um verdadeiro Encontro Nacional de Praticantes vai mostrar que a dinâmica do TT ainda é cativante, através de passeios organizados, provas de navegação e orientação, pistas de obstáculos e de trial, para além de uma série de acções direccionadas aos mais novos, que contam com o especial carinho da “VivAventura”. Espaços especiais para exposições de veículos 4x4, motos e respectivos acessórios, vão cativar os inúmeros visitantes que são esperados em Mangualde.

Os encantos paisagísticos do Concelho de Mangualde, bem como todas as iguarias de uma gastronomia regional única, vão ser atractivos constantes ao longo de três dias de um agradável convívio. Uma forma de projectar um tipo de turismo diferente, mas muito cativante. Até porque os agradáveis mistérios do interior de Portugal merecem ser apreciados com mais emoção.

Depois do habitual período de férias, os dias 5 a 7 de Outubro merecem ser vividos de forma intensa, mas na tranquilidade de um concelho que sabe receber. Prometemos que Mangualde vai continuar a estar em foco.





NUNO DINIS

CRITERIUM RALIS CENTRO




DESFILE DE CAMPEÕES EM NOME DA AMIZADE



27 Concorrentes inscritos prometem espectáculo
                                                         

É já amanhã, Sábado, dia 1 de Setembro que Aguiar da Beira vai viver uma verdadeira festa em torno do seu primeiro rali, numa organização conjunta da Câmara Municipal de Aguiar da Beira e do Clube Automóvel da Marinha Grande.

Na terra natal da ARC Sport, que, naturalmente colabora neste evento, vai ser vivida uma verdadeira jornada de confraternização em torno de uma modalidade que transformou Aguiar da Beira numa verdadeira terra de campeões. A esmagadora maioria dos pilotos que estiveram ligados à ARC Sport faz questão de estar presente neste evento.

Estes vão ser apenas os primeiros passos de uma prova que poderá vir a ser bastante interessante. A Câmara Municipal de Aguiar da Beira e o Clube Automóvel da Marinha Grande realizaram um excelente trabalho, na montagem e organização do rali, que vai contar com troços muito técnicos e de alguma dificuldade. Esperamos sinceramente que a Super Especial a disputar nas ruas de Aguiar da Beira venha a ser um grande espectáculo. A ARC Sport colabora naturalmente com grande empenho neste evento, embora nada tenha a ver com a organização. Vamos contar com um lote de bons pilotos e carros competitivos, esperando que o próximo Sábado venha a ser um grande dia de festa para todos aqueles que gostam de ralis”, afirma Augusto Ramiro, um dos responsáveis pela ARC Sport, que se irá dedicar, como é habitual, a prestar assistência aos seus pilotos e amigos.

Com uma lista de 27 concorrentes inscritos, vai ser possível ver evoluir Ricardo Moura, o Campeão de Portugal de Ralis, bem como assistir ao regresso de Adruzilo Lopes. Quatro Renault Clio R3 construídos nas oficinas da ARC Sport em Aguiar da Beira, vão colorir as especiais da prova, com João Silva a voltar a correr em especiais portuguesas, e Renato Pita a aproveitar para afinar o Renault Clio R3 para o Rali do Centro.

A grande festa dos ralis nacionais, decorre em Aguiar da Beira no próximo Sábado, dia 1 de Setembro, entre as 15h00 e as 20h00.




NUNO DINIS

Eventos Fim Semana


Intercontinental Rallye Challenge- Rallye Barum


http://www.ircseries.com/
http://www.barum.rally.cz/



Campeonato Portugal Todo Terreno- BAJA TT OLEIROS-PROENÇA



www.escuderiacastelobranco.pt/



PROVA INTERMUNICIPIOS- VIANA DO CASTELO





Circuito de Guilhabreu- DRIFT



http://evsportcircuitoguilhabreu.blogspot.pt



Criterium Rallyes Centro- RALLYE AGUIAR DA BEIRA

www.camg.pt



Campeonato Regional Rallyes Norte- RALLYE CIDADE DE ALFENA



www.cami.pt





NUNO DINIS

ARMINDO ARAUJO-PARTE 2




"Estou de cara levantada e limpa neste processo"



O Rali da Finlândia foi o epílogo final de uma longa história que teve o seu início quando Armindo Araújo foi chamado de urgência à Mini, onde lhe foi proposto o projeto de ser piloto oficial da marca no WRC, devido a problemas que existiam com a Prodrive.
Numa conversa que o Ralis Online teve com o piloto, ficou bem evidente o quanto Armindo Araújo (bastante desgastado por esta situação) foi apanhado de surpresa.
A "gota de água" que levou a toda esta situação foi antes do Rali da Finlândia, quando a Motorsport Itália (MSI) não queria que Armindo Araújo fala-se que não tinha testado, sem que fosse dada ao piloto qualquer razão para não ter de facto testado. A partir daí o piloto admite ter-se apercebido de algumas movimentações, que a situação se deteriorou muito entre ele e a MSI, que terminou com a sua substituição.

Mas vamos ao início. Armindo Araújo critica a MSI, logo desde a segunda prova do WRC, de ter investido dinheiro a mais em "Show off", adquirindo meios que poderiam agradar à marca (em termos de imagem, por exemplo), mas que nada traziam em termos práticos, isto é, não garantiam ao piloto mais quilómetros de testes, que era isso que Araújo procurava.
Armindo Araújo admite não ter acompanhado como devia, a partir do momento em que o projeto ganhou forma, a relação entre a Mini e a MSI, mas como tudo estava contratado entre as partes ficou descansado com essa situação.
Inscrito como piloto oficial da Mini no WRC e detentor da licença do WRC Team Mini Portugal (M1), e assumindo que está praticamente tudo pago até final da temporada (por parte dos seus patrocinadores), Armindo Araújo revela que a MSI não pode correr com esse nome no Mundial de Ralis, a não ser com o piloto titular da equipa que é ele. Por essa razão é que a MSI queria que Armindo Araújo aceita-se o tal comunicado dizendo que ele estava em inferioridade física, o que dava à MSI razões para poder correr com outro piloto. "Não poderia nunca aceitar uma coisa daquelas", disse o piloto.
Quando questionado sobre o seu futuro, o piloto diz ainda que neste momento "tenho contrato com a Mini até 31 de Dezembro".
Então qual a razão para a decisão tomada pela MSI? O piloto também não sabe em concreto, admitindo diversos cenários, mas deixa a convicção de que "não poderia entrar em mentiras, nunca o fiz em 13 anos de carreira. Sei que esta situação pode ser prejudicial para a minha carreira, mas estou de cara levantada e limpa neste processo. Agora só me resta aguardar serenamente, pois o caso está entregue aos advogados".
Já foram feitas exposições à FIA, esperando-se por isso que a MSI tenha muito por explicar nos próximos dias. Na Alemanha a MSI está a utilizar o nome da WRC Team Mini Portugal, mas na prática não o poderá estar a fazer.
"Os meus patrocinadores estão comigo neste momento", disse ainda Armindo Araújo, sem dúvida bastante irritado e desgastado com todos estes acontecimentos.


NUNO DINIS
FONTE: Paulo Homem- Ralis Online

ARMINDO ARAUJO



ARMINDO ARAÚJO RESPONDE


Já passava das duas da manhã (dia 22 de Agosto), quando surgiu por parte de Armindo Araújo, em comunicado, a sua versão dos factos, relativamente à sua dispensa da Motorsport Italia.
Contudo, neste comunicado, não surge a razão, na opinião do piloto, que levou a Motorsport Itália a dispensar os seus serviços. Fica-se com a certeza de que havia um claro mal estar dentro da equipa e de que a relação Armindo / Pianto se deteriorou bastante.
Um caso que está longe de estar resolvido, mas em que falta saber afinal qual foi a razão objetiva que levou a Motorsport Itália a abdicar de Armindo Araújo até final da temporada.
Aqui ficam os comunicados na integra.
Após a comunicação por parte da Motorsport Itália (MSI) sobre a dispensa da dupla portuguesa do WRC TEAM MINI PORTUGAL, Armindo Araújo entendeu só agora estarem reunidas todas as condições para fazer o seguinte esclarecimento:
I- Com os objetivos bem definidos para o projeto 2012, iniciamos a temporada com um interessante resultado no Rali de Monte Carlo, sendo que, apenas no Rali da Suécia arrancamos com a equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL. A partir do Rali do México, a terceira prova do calendário começou a surgir, por parte da MSI, uma tentativa de camuflagem dos problemas mecânicos e a clara ideia que apenas os pilotos Armindo Araújo e Paulo Nobre eram responsáveis pelos fatos ocorridos durante as provas. A partir desta altura, a MSI, iniciou também uma tomada de posição sobre os meus comunicados de imprensa, referindo que eu falava mal da equipa e da marca. Todas as minhas comunicações foram aprovadas pela MINI PORTUGAL e em nenhuma delas existe tais referências. Sempre defendi a marca e a equipa que represento.
II- Para preparar a fase de asfalto e a estreia com o MINI JCW WRC versão 01B, fui convidado no dia 17 de Julho para uma sessão de testes em Itália que se realizaria entre os dias 10 e 12 de agosto. No dia 8, fui informado do local por coordenadas de GPS. Durante os três dias que permaneci em Itália, lamentavelmente não fui autorizado a efetuar qualquer teste, mas sim pressionado a declarar-me doente e incapacitado para alinhar no Rali da Alemanha. (em anexo envio email da proposta da MSI para comunicar a suposta doença). Nesta altura fiquei incrédulo com tal proposta.
III- No dia 15 de agosto a MSI pede-me autorização para utilizar a licença desportiva do WRC TEAM MINI PORTUGAL, propriedade da empresa Armindo Araújo Lda, com um outro piloto até ao final do ano. Facto que, por razões óbvias não aceitei, até porque, como se compreenderá, já previa o desfecho. No dia seguinte, 16 de agosto, a MSI informa-me que não correria mais pela equipa, ou qualquer outra do seu grupo, quer no Rali da Alemanha como nas restantes provas do calendário até final do ano, sem qualquer explicação ou justificação.
IV- No dia 17 de agosto, informei a MSI; MINI Alemanha; MINI Portugal que reuni toda a documentação e informação existente sobre o caso, e entreguei à equipa de advogados liderada pelo Dr. José Pedro Gomes, que tomará todas a diligências legais necessárias para defender o meu bom nome e a defesa do projeto nacional que muito me honra.
V- Sempre foi minha posição defender a verdade a justiça e a transparência. Todos os meus patrocinadores, já informados de todos estes acontecimentos, revêem-se na minha tomada de posição. Por tudo isso e pela ligação à minha imagem, entendemos retirar toda a publicidade no carro número 12 da equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL.
Para finalizar, comunico que, como era meu dever, informei a FIA de todos os fatos sucedidos, aguardando serenamente o desenrolar dos processos em curso, confiante e crente que a verdade desportiva, a imagem dos patrocinadores, o meu bom nome, e a imagem do País sejam repostas, o que é de inteira justiça.

E.MAIL COM O COMUNICADO QUE A MOTORSPORT ITALIA PRETENDIA QUE FOSSE LANÇADO
Morning Bruno, morning Armindo,
I hope you're both OK. I understand that Bruno's going to speak to the FIA to see what he can do, but in the meantime, please see below some options for the press release. The sections in black are fairly standardand non-controversial, but the sections in italics / different colours are to be discussed. Please let me know what you'd like to do.

Best wishes, Katie

Ola a todos,
It's Armindo here. I'm sure most of you are surprised to hear from me right now, but I'm afraid I have some news that I wanted to tell you all personally. Unfortunately, Miguel and I won't be able to compete in ADAC Rallye Deutschland.
During the season break between New Zealand and Finland, I picked up a back injury from coming off my motorbike. Everything felt OK as we headed into Finland, but after the big jumps on the Finnish gravel, I realised that it was more serious than I thought. Provided I get it fixed as soon as possible, there shouldn't be any long-term damage, but driving again before I'm fully recovered could create a much bigger problem.
During Rally Finland I started to get back pains, landing over some of the bigger jumps. I can't pin- point how or where this started, but ever since the rally finished it's been causing me more and more discomfort. Having spoken to my physio, he says that if I don't want to make the injury worse, I need to rest and certainly can't compete in Rally Germany.
This season has been highly pressurised from start to finish. I only found out following Monte-Carlo that I would get the opportunity to compete in the full 13 event WRC Calendar with a works- supported team instead of doing only seven events as a privateer. This was one of the best pieces of news that any driver can have. However, the pressure has been significant and it's been a big change for me. This transition has finally caught up with me and after speaking to my team in our Rally Finland debrief and more since returning home, we've mutually decided that it's better for me to take some time out, relax and regain my focus on the sport and how I approach it. I hope it's fair to say that I've always been motivated and determined in my career and I've been working with the same team now for many years – we even won two Group N world titles together! However, there's always a point where you have to admit that something isn't quite right and I hope that we've accepted that point at just the right time and that in future I'll be able to come back stronger than ever!
This doesn't mean we're out of your lives though! :-)
All of the fans have been fantastic all year and I hope they'll be equally supportive of whoever replaces me in WRC Team MINI Portugal in Germany. For my part, I'll be passing on all the advice I can and hope to see some top times from the MINIs out in the Mosel vineyards. Don't forget it's WRC Team MINI Portugal so I have a very personal interest in seeing the team get good results.
Germany is one of my favourite rallies and I had my best result last year out in Trier so I'm disappointed not to be able to get back out on the stages. This isn't the last you've seen (or heard) of me! Don't worry,
we'll keep you up-to-date about how I'm getting on and I'll be back as soon as possible.
For now, 'boa sorte' to whoever takes over – they better take good care of my MINI or they'll have me to answer to!
Bye – but only for now, Armindo



NUNO DINIS
FONTE: Paulo Homem- Ralis online

WRC TEAM MINI PORTUGAL




CONFIRMAM-SE RUMORES....ARMINDO DE FORA DO WRC


Num lacónico comunicado da Motorsport Itália, Bruno di Pianto, patrão da equipa, anuncia o fim da relação com Armindo Araújo, deixando algumas pistas sobre esta separação.
Primeiro deixa a entender que o projeto não era para 13 mas sim para 7 provas, tendo na realidade a equipa disputado 8 provas com Armindo Araújo, mas apenas sete integrado o projeto WRC Team Mini Portugal.
Em segundo lugar admite ter havido muita pressão sobre Armindo Araújo, deixando a entender que houve um entendimento comum entre o piloto e a equipa para ele parar, refletir e descansar.
Diz ainda Piano, que não foi um decisão pessoal, mas que a mesma foi tomada por razões desportivas, o que não é estranho de compreender face aos resultados pouco positivos que o piloto obteve.
O chefe da equipa diz ainda que Chris Atkinson é o piloto que se segue para substituir Armindo Araújo, já a partir da Alemanha.
Aguarda-se agora pela posição oficial de Armindo Araújo.


NUNO DINIS
Fonte: www.ralisonline.net

Hommage Philippe Bugalski RIP

WRC ACADEMY- JOÃO SILVA


O FIM DE UM SONHO



João Silva não deverá estar presente em mais nenhuma prova do WRC Academy em 2012, depois de ter concluído o recente Rali da Finlândia, As razões são óbvias (falta de apoios) pelo que agora até parar pode ser uma hipótese.
O que retiras da tua experiência no WRC Academy?
Aprendi em 3 ralis o que nunca iria aprender em Portugal numa vida.

Vais ficar parado ou pretendes regressar ao Nacional ou mesmo ao Campeonato de Ralis da Madeira?
Não sei o que vou fazer nos próximos tempos. A vontade é de não fazer ralis nenhuns e mostrar a todos que se querem pilotos rápidos e competitivos devem começar a olhar por nós. Mas infelizmente esta paixão deverá ditar o contrário.

Até onde é que achas que poderias chegar como piloto de ralis?
Poderei chegar ao topo sem dúvida alguma. Basta para tal ter as oportunidades certas na altura certa. Eu fiz 3 provas do mundial com recursos escassos, sem testes e provas de adaptação e consegui sempre mostrar o meu valor aos "managers" da academia. Relembro que na Finlândia aterrei de pára-quedas sem testes ou prova de adaptação e consegui fazer tempos melhores que alguns pilotos do ano passado, e que este ano fizeram tempos muito rápidos. Logo com experiência e oportunidades chegarei ao topo, pois a vontade e o talento já demonstrei por diversas vezes a todos




NUNO DINIS

www,ralisonline.net

TEAM TOMIAUTO






TEAM TOMIAUTO AFASTA-SE DOS RALLYES


Num longo comunicado, que publicamos na integra, o Team Tomiauto, pelo qual correm António Nunes e Miguel Nunes, afirma que no final da época a equipa se vai retirar. As razões são as de quase sempre, e funcionam como mais um sério aviso à FPAK. O Ralis Online reve-se totalmente neste comunicado.
Aqui fica o comunicado para ler com atenção:
"Após 7 temporadas a constar por entre as listas de inscritos, o Team Tomiauto Total/Cepsa retirar-se-á no final deste ano. Com início de carreira a bordo dos Citroën C2, passando pelos Peugeot 206 S1600 e atingindo o pico do automobilismo com o Peugeot 207 S2000 de Miguel Nunes, os irmãos Nunes terminarão a sua carreira a bordo dos Mitsubishi Lancer Evolution X. Procurando sempre competir com armas iguais e não enveredando por vitórias fáceis, António e Miguel Nunes há muito que já haviam deixado bem patente o seu desagrado sobre o rumo que o automobilismo segue e agora, após a vinda a público de mais notícias negativas para os ralis regionais, a equipa decide colocar o travão nas suas participações. Miguel Nunes, entristecido confirma o abandono, apontando "...um conjunto de factores que fazem-nos abandonar o Campeonato Regional de Ralis. Ao longo destes 7 anos algumas situações menos agradáveis e injustas foram causando algum desgaste na equipa. Com o aumento das dificuldades financeiras que se foram sentindo gradualmente nos últimos anos, tudo fizemos e tentamos sempre alertar para onde caminhavam os ralis na Madeira, no entanto nada foi feito, continuando o campeonato a ser completamente desajustado à realidade que vivemos na região...", situação esta última que António corrobora na totalidade: "...temos uma regulamentação que entendemos ser desajustada à realidade que vivemos e uma federação que não defende minimamente os interesses da modalidade...", afirmando ainda que o abandono acontece também devido "...a uma série de azares que me têm afectado particularmente ao longo da minha carreira, culminando agora no último Rali Vinho Madeira com a maior decepção que tive nesta modalidade. Tudo isto aliado à crescente dificuldade em angariar apoios e ao cansaço acumulado ao longo dos anos devido ao esforço e sacrifício que temos de fazer para conseguirmos por o nosso projecto de pé, fez-nos tomar a decisão de por termo à nossa carreira...". Com um empobrecimento cada vez mais generalizado, nem mesmo "...as dificuldades aparentes da maioria das equipas fizeram com que os responsáveis da modalidade dessem o braço a torcer e criassem as condiçõess necessárias para ajudar as equipas as ultrapassar as dificuldades. Ano após ano assistimos a uma verdadeira degradação da modalidade. Continuamos a não ter legislação que defenda os praticantes da modalidade, sendo estes presas fáceis para as autoridades que cada vez mais "caçam" o dinheiro fácil através das multas...", situação que ocorreu recentemente com a equipa, causada por uma denúncia, e que a fez passar por "...momentos muito difíceis, com uma clara perseguição por parte de algumas autoridades que nos obrigaram a ter um elevado custo com uma re-expedição inesperada das 2 viaturas da equipa até Espanha, com a agravante de ter ficado em causa a participação no Rali do Marítimo, o que nos traria ainda mais problemas pelo incumprimento de alguns contratos de patrocínio assumidos por nós...", sublinha Miguel.
Se a nível legislativo o panorama é negativo, António afirma convincentemente de que "...o automobilismo tem vindo a degradar-se na região não é de agora, mas sim consequência de nunca se terem tomado medidas ajustadas à nossa realidade de há uns anos a esta parte, obrigando as equipas a acompanhar uma evolução que não era adequada a uma região como a nossa, de forma a que agora surgem as dificuldades e aparecem os reflexos de tudo o que foi mal feito anteriormente...", também a nível desportivo as condições criadas para a verdade desportiva estão-se a esfumar pois, segundo Miguel, "...rali após rali sentimos um maior facilitismo no cumprimento dos regulamentos, cada vez se sente uma maior permissividade por parte das entidades competentes, situação que irá concerteza criar um clima desagradável entre as diversas equipas participantes e, por consequência natural, ficará cada vez mais abalada a verdade desportiva!..", o sentimento de que "...em tempos difíceis o melhor é fechar os olhos a tudo para ninguém se chatear..." tem tido, na opinião do piloto, "...o efeito completamente oposto...". A situação torna-se ainda mais saturante quando se assiste "...à dualidade de critérios que sentimos perante algumas situações vividas, nomeadamente o rigor e severidade da aplicação de uma penalização de 1m30s à nossa equipa no RVM de 2011, quando noutras situações mais graves assistimos sempre a uma resolução fácil em benefício das equipas infratoras...". Se a todas estas situações "...e a algo mais que fica por dizer, somarmos a crescente dificuldade em angariar os apoios necesssários para voltar a colocar o projeto na estrada, reflectimos muito e chegamos à conclusão que não há condições nem devemos continuar a nos esforçarmos para contribuir para este desporto, não podemos remar a vida toda contra a maré!", confessa Miguel Nunes. A causa para tamanha degradação do automobilismo está, segundo o mais novo dos irmãos Nunes, "...no conflito de interesses que surgem à volta da modalidade, cada um puxa para seu lado e ninguém se entende. Desta forma acaba-se sempre por prejudicar uma maioria, maioria essa que faz falta à modalidade quando se vão embora...". Por entre muitas vitórias, títulos e espectáculo, aconteceram também muitas polémicas e no Rali do Porto Santo "...ocorreu por uma simples razão: nós conseguimos sempre lutar pelas vitórias, se andasse mais lá para trás de certeza que não incomodaria ninguém e nenhuma polémica surgiria. Na altura do 207 S2000 foi normal que essa polémica tomasse uma outra proporção, afinal de contas estava o Campeonato Absoluto em jogo, que felizmente acabou por vir juntar-se ao nosso palmarés...".
Para trás ficam "...muitas boas recordações fruto da elevada competititvidade que sempre procurei, venci todas as competições por onde passei, troféu Citroën C2, Classe S1600, Campeonato Absoluto, Agrupamento de Producao, 3 Vice Campeonatos... Para alcancar todas estas vitorias em apenas 7 anos de competição foram muitas as situacoes de grande adrenalina vividas dentro do carro que serão sempre as melhores recordacões. Levo como melhor recordaçao o RVM de 2011, foi uma recuperacão que ficará para sempre na minha memória. Tenho muitos motivos para sair de cabeça erguida e orgulhoso por tudo o que consegui alcançar...", conclui Miguel Nunes. António coloca um ponto final "... a 5 anos e meio porque tive de fazer um ano de intervalo por falta de apoios e outro ano interrompido por um acidente. Durante todo este tempo aconteceu-me do melhor e do pior em ralis, guardo excelentes momentos passados dentro do carro que não são possíveis descrever, guardo poucas mas boas amizades que ganhei, levo também algumas amarguras e desilusões, mas no final só posso sentir-me um priveligiado por ter feito um desporto que era a minha verdadeira paixão e por ter provado a mim próprio que também era capaz de fazer o que via os meus ídolos de infância fazerem...".
Não querendo estender-se muito mais, Miguel endereça um último agradecimento "...com muito carinho a todos os patrocinadores que estiveram connosco, a todos os que apoiaram e colaboraram com a equipa e um muito muito especial agradecimento à equipa que nos possibilitou alcançar todos estes resultados, eles foram uns verdadeiros heróis que trabalharam sempre nos bastidores, a todos os elementos que passaram na nossa equipa um muito obrigado, e sem qualquer desrespeito por ninguém gostava de salientar todo o empenho do Martinho Fernandes e do Gabriel Reynolds que estiveram connosco desde o primeiro momento, desde a montagem do primeiro parafuso dos Citroën C2 até hoje e concerteza até ao final do campeonato. Um agradecimento muito especial tambem a todos os co-pilotos que estiveram connosco, o Henrique Freitas, o Jorge Gonçalves, o José Camacho, o Roberto Castro e o Victor Calado...", enquanto o irmão mais velho dos Nunes quer "... agradecer em primeiro lugar, e porque foi devido a eles que conseguimos concretizar o nosso sonho, à nossa equipa, além de serem competentes ao mais alto nível que sempre nos permitiu ter a máxima confiança nos carros, são pessoas do melhor que lutaram connosco, sofreram nas derrotas, festejaram nas vitórias e foram incansáveis em todos os momentos, todas as palavras que possa dizer não são suficientes para expressar o meu agradecimento e admiração por todas as pessoas que fizeram parte da nossa equipa. Quero tambem agradecer a todos os que directa ou indirectamente nos apoiaram e fico feliz por além de serem patrocinadores ganhamos principalmente amizades, a todos os que na estrada, em mensagens, ou de alguma outra forma manifestaram apoio a nossa equipa, o nosso muito obrigado!".
Termina assim todo o trajecto de uma equipa que sempre quis lutar com armas iguais, que sempre quis defender a verdade desportiva e o desportivismo por entre os vários intervenientes. Treinamos, aplicamo-nos, lutamos, vencemos, perdemos, batemos, choramos e algumas vezes tivemos que nos resignar mas, no final desta temporada que poderá trazer mais um título a Miguel Nunes e a Victor Calado, sairemos com cabeça erguida e com a certeza de que enquanto estivemos presentes honramos os nossos compromissos com os nossos patrocinadores e com os adeptos que se deslocavam à estrada para nos ver passar. Obrigado a todos!



NUNO DINIS
FONTE: www.ralisonline.net

SUPER ESPECIAL GOUVEIA 2012







Em breve galerias de fotos da 3ª Super Especial de Gouveia 2012 na nossa página do Facebook...

Rallye Oliveira do Hospital



APRESENTAÇÃO RALLYE OLIVEIRA DO HOSPITAL



Decorreu ontem ao final da tarde no stand da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital na Expoh ( Exposição Regional de Oliveira do Hospital) a apresentação do Rallye de Oliveira do Hospital e que irá para a estrada nos próximos dias 7 e 8 de Setembro de 2012.
Esta prova marca o inicio da fase de Terra do Campeonato Open de Ralis 2012. Esta prova conta para o Campeonato Open de Ralis, Campeonato de Portugal Júnior de Rallyes e ainda para o campeonato Regional de Rallyes do Centro numa organização conjunta da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e do Clube Automóvel do Centro.
As principais novidades prendem-se com a realização da Super Especial no dia 7 pelas 21.30h totalmente em terra batida e a realizar num terreno adjacente ao Parque de Assistências e depois com a passagem de todas as Pec’s para a parte sul do concelho oliveirense, com as especiais Oliveira do Hospital, São Gião e Penalva de Alva a serem realizadas por duas vezes.
Após as apresentações feitas pelo Presidente do Clube Automóvel do Centro, António Fidalgo, que destacou o empenho e motivação de toda edilidade oliveirense e seus membros.
De seguida tomou da palavra o Director de Prova que fez uma breve síntese do que havia sido o Rallye de Oliveira do Hospital no passado e dos acontecimentos da prova do ano passado. A seguir iniciou a apresentação da prova deste ano com as novidades que já referimos.
Antes do final da apresentação da prova foi a vez do Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital proferir algumas palavras sobre a prova e sobre as negociações que foram feitas com o CAC para a realização da prova e salientou tambem o facto das negociações feitas com o ACP sobre o Rallye de Portugal referindo “ que se os valores apresentados pelo ACP se mantiverem e estiverem de acordo com possibilidades da CMOH iremos ter a realização de uma pec no concelho oliveirense no Rallye de Portugal de 2014 sendo que deverá ser a primeira do Rally.”
No final o Presidente oliveirense agradeceu ao CAC e ao seu presidente todo o empenho que têm posto na realização desta prova e que espera que este rallye seja o melhor de sempre e de todo Campeonato.













NUNO DINIS e www.ralisonline.net
Photos: Nuno Dinis Photos 2012

Rallye Oliveira do Hospital


MAPAS RALLYE DE OLIVEIRA DO HOSPITAL
7 E 8 SETEMBRO 2012












NUNO DINIS

Rallye Aguiar da Beira






Aguiar da Beira já faz parte da história do desporto automóvel em Portugal. Desde 2008 que diversos títulos nacionais de ralis ligam o nome da Vila de Aguiar da Beira a campeões que escolheram e confiaram numa empresa sedeada no concelho para alcançarem os seus objectivos.

Para sublinhar tal prestígio, Aguiar da Beira vai contar com o seu primeiro rali agendado para o próximo dia 1 de Setembro, numa organização do Clube Automóvel da Marinha Grande, que conta com a colaboração da Câmara Municipal de Aguiar da Beira e da ARC Sport.

Para abrilhantar esta prova, é possível desde já assegurar as presenças de Ricardo Moura, o actual Campeão de Portugal de Ralis, título conquistado com a ARC Sport, bem como Adruzilo Lopes, antigo campeão absoluto e que também alcançou títulos nacionais de Produção e Duas Rodas Motrizes com a equipa sedeada em Aguiar da Beira, e ainda Renato Pita, piloto que este ano também confiou na estrutura da ARC Sport.

Inscrito no Criterium de Ralis Centro, o Rali de Aguiar da Beira conta com a chancela da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e está aberto a todos os tipos de veículos, com ou sem homologação (desde que sejam possuidores de Cintos de Segurança com cinco pontos de fixação, extintores  e arco de segurança). Para participar na prova não é necessário ter licença desportiva, sendo suficiente possuir carta de condução há mais de um ano.

Disputado em pisos de asfalto, o Rali de Aguiar da Beira vai contar com duas provas especiais de classificação diferentes, disputadas por três vezes, e ainda com uma Super Especial de encerramento, agendada para o final da tarde de Sábado, dia 1 de Setembro.

Uma grande jornada inteiramente dedicada ao desporto automóvel, para divulgar ainda mais o Concelho de Aguiar da Beira, uma terra que se pode orgulhar de possuir diversos campeões nacionais de automobilismo que contam com o apoio da ARC Sport, uma empresa com sede em Aguiar da Beira.






NUNO DINIS

WRC ACADEMY- JOÃO SILVA




João Silva com os pés bem assentes na terra antes dos “voos” na Finlândia





A terceira etapa da FIA WRC ACADEMY está prestes a arrancar no Rali da Finlândia, onde João Silva e Hugo Magalhães vão enfrentar mais um enorme desafio na sua incursão pelo mundial de ralis.
Realizando aqui o que será apenas o seu sexto rali em terra, o piloto madeirense já partilhou as suas expectativas e fez a sua avaliação inicial a este rali, conhecido pela sua rapidez, pelos saltos espectaculares e pela dificuldade que os “rookies” sentem nesta prova, caracterizada também por inúmeras sequências de curvas e lombas cegas onde os nórdicos são habitualmente reis e senhores.
Para João Silva, “esta nossa presença na academia de ralis da FIA é uma oportunidade fantástica de aprendizagem e evolução, e nada do que que já fiz até este momento em rali, me preparou para o que aqui encontramos, pois as características são tão diversas que quase temos de repensar tudo o que aprendemos até aqui, e reformatar os nosso métodos de trabalho desde a base.”
“As diferenças começam nos reconhecimentos, onde temos tempo muito limitado para realizar duas passagens em cada uma das classificativas, e isso implica recolher notas a velocidades médias de cerca de 60 quilómetros por hora, sem margem para qualquer erro ou dúvidas.”
“Depois, o tipo de piso em terra batida, que mesmo tendo alguma areia em cima, quase parece uma pista de asfalto tal o grau de compactação e de atrito do piso, o que dá uma tracção fantástica ao Fiesta que me parece estar a corresponder bem em termos de afinação, pois no teste que realizámos, senti-me muito à vontade com o carro, embora tenha a perfeita noção que não será por aí que se marca a diferença neste rali.”
“A velocidade média das classificativas vai ser muito elevada, e se a isso juntarmos os muitos saltos e lombas cegas, com curvas encadeadas, e onde o acertar na trajectória de inserção fará toda a diferença onde qualquer erro se vai transformar em muito tempo perdido, ou pior, numa saída de estrada. Tenho os pés bem assentes na terra quando afirmo que o resultado final será o que menos nos preocupa neste momento, quando o que pretendemos é tirar o maior partido desta participação no sentido de aprender cada vez mais, evoluir de forma estruturada e profissional a vários níveis, e com o objectivo de fazer o máximo de quilómetros e chegar ao final do rali. Nessa altura poderemos avaliar a nossa participação em função da evolução que isso nos traz para o futuro.”
O rali da Finlândia arranca esta quinta-feira e terminará Sábado para os concorrentes da FIA WRC ACADEMY.



NUNO DINIS

WRC Team Mini Portugal






Exigente tarefa para Armindo na Finlândia






Prova nórdica é umas das mais difíceis do calendário

Pouco mais de um mês após o excelente resultado alcançado na Nova Zelândia, Armindo Araújo e Miguel Ramalho já se encontram em solo finlandês para preparar a próxima prova do Campeonato do Mundo de Ralis 2012. A dupla do MINI John Cooper Works terá pela frente um dos ralis mais exigentes do calendário mas partiu motivada para conseguir efectuar o seu trabalho com o objectivo de conseguir um bom resultado.

Aquando da apresentação oficial do programa para esta temporada, Armindo Araújo foi peremptório em afirmar que “o Rali da Finlândia será um dos maiores desafios do ano e aquela prova em que teremos mais dificuldades em conseguir chegar ao objectivo que nos propusemos em todos os ralis. As especiais da Finlândia são muito características e os pilotos da casa bem como a maioria dos nórdicos partem em clara vantagem sobre a concorrência. Sabemos que teremos uma árdua missão mas vamos lutar para realizar uma prova o mais inteligente possível e tentar capitalizar isso a nosso favor”, começou por dizer o piloto de SantoTirso.

Sem ter realizado qualquer teste com o MINI após o Rali da Nova Zelândia, a dupla portuguesa apenas terá oportunidade de voltar a sentar-se no carro durante a “QualifyingStage” de quarta-feira. “Este é também é um factor que não joga a nosso favor mas vamos tentar aí encontrar o melhor compromisso em termos de afinação do MINI. As primeiras especiais serão preponderantes para isso e para encontrar o nosso melhor ritmo competitivo. O rali é muito rápido é fácil para cometer erros e sendo um dos maiores desafios do ano é também um dos mais motivadores pela dificuldade que apresenta. Vamos dar o nosso melhor e penso que este ano o MINI e nós estaremos mais competitivos”, afirmou Armindo Araújo.

 O primeiro dia de especiais está agendado para hoje com a realização de apenas três especiais. Sexta-feira e Sábado disputar-se-ão as restantes 15 classificativas da prova que terá um total de 303.52 quilómetros cronometrados.





NUNO DINIS

Rallye verde Pino



TOUR & DRIVE


Entretanto anunciamos desde já a nossa intenção de levar a efeito em Outubro um "tour" muito completo, o TOUR & DRIVE,  a um preço super acessível tendo em conta o extraordinário programa apresentado com transporte, alojamento e todas as refeições incluídas. 
Assim além de irmos confortavelmente em autopulman até à Galiza, jantando e pernoitando num hotel de charme em Pontevedra, no dia seguinte e para quem pretender, poderá participar num curso de condução e aperfeiçoamento em pista.
Ao fim da tarde far-se-á uma visita ao famoso e incontornável CarClassic Museum em Vigo,  acabando o dia e antes do regresso com um magnifico jantar em Ponte de Lima no "Encanada" um dos restaurantes mais emblemáticos da zona norte. 





JOÃO BICA

ARC SPORT- Rallye Vinho Madeira





PONTUAÇÃO MÁXIMA PARA RICARDO MOURA

Objectivos totalmente atingidos para a ARC Sport



O Campeão de Portugal de Ralis sai da ilha da Madeira com o máximo de pontos para a edição deste ano do Campeonato de Portugal de Ralis. Ricardo Moura e António Costa levaram o Mitsubishi Lancer Evo IX ao quarto lugar da classificação geral, numa prova de asfalto exigente e selectiva, também pontuável para o Campeonato da Europa da especialidade.
O objectivo de Ricardo Moura e da ARC Sport foi totalmente atingindo. Ao longo de 19 especiais de classificação a equipa teve a possibilidade de testar novas afinações de suspensão no Mitsubishi, o que penalizou bastante as prestações do piloto. Apesar de tudo, Ricardo Moura alcança pontuação máxima para o CPR em termos absolutos e de agrupamento, o melhor Grupo N do Europeu e ainda, o quarto lugar absoluto. Uma excelente colheita de 2012 neste Vinho da Madeira organizado pelo Club Sports Madeira.
 “Foi muito mais positivo o resultado que a performance. Durante o primeiro dia as coisas não correram como queríamos, pois os dois amortecedores da frente ficaram inoperativos. Os nossos adversários mais directos descolaram com facilidade, e a partir daí o nosso objectivo principal foi terminar o rali e conquistar o máximo de pontos para o CPR. Hoje, ao montar os amortecedores antigos, tudo voltou ao normal e conseguimos andamentos perto do desejável, podendo contribuir para o espectáculo do rali”, declarou Ricardo Moura.

Para a ARC Sport este resultado foi muito importante e serviu igualmente para testar novas suspensões e ensaiar respectivas afinações. Para Augusto Ramiro este foi um rali com um desfecho muito positivo, embora com alguns problemas pelo meio.
 “Foi uma prova atribulada que nos deu imensas dores de cabeça. O acerto de suspensões foi um problema constante, pois os amortecedores da frente manifestaram um inesperado defeito. Quando procedemos à sua substituição, tudo regressou ao normal. O resultado final foi excelente, apesar do carro não ter tido o melhor comportamento dinâmico. O Ricardo Moura teve sempre uma postura muito competitiva, demonstrando que é um grande piloto. Quero também deixar os meus parabéns ao António Costa pelo seu desempenho ao longo de toda a prova. Conseguimos na Madeira a pontuação máxima para o CPR, alcançando por isso o nosso objectivos, afirmou o responsável peça ARC Sport.


Após o Rali Vinho da Madeira, Ricardo Moura reforça a liderança do CPR 2012, numa altura em que o piloto açoriano tem ainda pela frente mais duas provas, o Rali do Centro de Portugal a 21 e 22 de Setembro e o Rali de Mortágua em 19 e 20 de Outubro.






NUNO DINIS
Photos: Albano Loureiro- PressXL