RALLYE DE PORTUGAL 2012





Duelo apaixonante em perspectiva



O Vodafone Rally de Portugal 2012, que se realiza de 29 de Março a 1 de Abril, promete grande animação pelas estradas do Baixo Alentejo e Algarve, depois do seu arranque em Lisboa, num confronto desportivo entre os nomes mais salientes do WRC que fará vibrar os milhares de adeptos que garantirão uma colorida mancha humana ao longo das 22 classificativas que compõem a prova.
Na verdade, tudo parece indicar que o duelo Citroën-Ford, que tem marcado as últimas edições do Mundial, possa agora ter contornos ainda mais interessantes, com a formação liderada por Malcolm Wilson a tentar interromper uma superioridade que a marca francesa tem manifestado nas últimas quatro edições "mundiais" da nossa prova, depois de duas vitórias de Sebastien Loeb e outras tantas de Sebastien Ogier.
Temos mesmo de recuar até ao distante ano de 1999 para verificar o último triunfo da Ford em Portugal, com o malogrado Colin McRae, pelo que o norueguês Petter Solberg e o finlandês Jari-Matti Latvala partirão para a nossa prova com o desejo de demonstrar que a superioridade exibida na Suécia também poderá suceder em provas de piso de terra.
Por outro lado, o campeão do Mundo, Sebastien Loeb, e o seu colega de equipa, o finlandês Mikko Hirvonen, tudo irão fazer para manter a Citroën no lugar mais alto do pódio, tudo isto gerando a perspectiva de um duelo apaixonante, que poderá colocar bem alta a fasquia competitiva da 46ª edição do Vodafone Rally de Portugal.
Em termos desportivos há ainda que contar com o atractivo de uma equipa oficial com as cores nacionais, como é o caso do WRC Team Mini Portugal, com Armindo Araújo e Paulo Nobre, que certamente irá contribuir para levar ao rubro os espectadores portugueses que não deixarão de "puxar" pelo seu compatriota, num motivo mais de entusiasmo para a competição.
Mas muitos mais nomes sonantes irão surgir a seu tempo na lista de inscritos, uma vez que a previsão aponta para um total superior a 20 WRC, entre os Citroën DS3, os Ford Fiesta e os Mini John Cooper Works, o que por si só constitui uma excelente garantia para uma classificação muito disputada nos seus diversos patamares.
Realce ainda para a presença do vencedor das duas últimas edições da prova, o francês Sebastien Ogier, inscrito pela VW Motorsport com um Skoda Fabia S2000, e se desta feita as suas aspirações não serão semelhantes às das últimas edições, não é menos verdade que Ogier será sempre mais um cartaz para esta edição da prova.
Finalmente uma chamada de atenção para a presença dos principais interessados pela conquista do título nacional de ralis, entre os quais o campeão de 2011, Ricardo Moura, em busca da revalidação do seu ceptro, e para a estreia da WRC Academy, um aliciante programa promocional destinado a jovens valores e que, à semelhança do que já sucedera no ano passado, terão em Portugal a sua primeira experiência competitiva aos comandos de um Ford Fiesta R2. De entre esses nomes, destaque para o madeirense João Silva, que acaba de confirmar a sua presença nesta interessante iniciativa.

TROÇOS NOCTURNOS DE REGRESSO

A edição de 2012 do Vodafone Rally de Portugal terá uma extensão total de 1564,26km, incluindo 22 provas de classificação, num total de 434,77km, ou seja, uma percentagem de 27,8 face à distância total e uma média de 19,76km por classificativa, o que confere desde logo uma intensa competitividade ao evento.
Em moldes gerais, podemos apontar três grandes alterações face às edições anteriores:
            - introdução de três classificativas nocturnas;
            - duas especiais disputadas no concelho de Tavira;
            - nova "power stage", de extensão mais reduzida                  
Outra mudança para este ano é a substituição do "shakedown" pela "qualifying stage", que assume as características de uma verdadeira especial, para mais com a oportunidade dos mais rápidos escolherem a sua ordem de partida para o primeiro dia de prova.
Repetindo a fórmula que tanto sucesso teve em 2011, o início competitivo do evento terá como cenário o majestoso enquadramento da Praça do Império, com a realização da super especial de Lisboa, que certamente irá atrair de novo milhares de espectadores à zona do Mosteiro dos Jerónimos e Centro Cultural de Belém.
A partir daqui tudo será diferente, pois o regresso ao sul do País será feito numa ligação por estrada até Ourique, palco de uma neutralização antes das três classificativas nocturnas. Para esta fase da prova, a organização teve em conta todas as questões de segurança que essas classificativas apresentam, reduzindo desde logo a sua extensão, com uma média de 12km, ou seja, cerca de metade da média das restantes especiais.
Por outro lado, foi reduzida para mais de metade a distância habitual entre os postos de rádio, permitindo uma mais rápida detecção de qualquer problema. Finalmente estará disponível um helicóptero ambulância com capacidade de voar à noite, em caso de qualquer emergência, estando ainda previstos dois heliportos na zona, também eles operacionais nessas condições.
Os três troços cronometrados a disputar são: Gomes Aires, na distância de 10,19km, totalmente novo; Santa Clara, com 14,29km, versão mais curta da anterior especial; e Ourique, num total de 11,1km, em que metade será totalmente nova face à anterior versão.
Correspondendo ao desejo que a Câmara Municipal de Tavira manifestou em voltar a acolher o rali no seu concelho, foi possível incluir das classificativas nessa zona, algo que não sucedia desde 2007. Mas esta fase da prova marca ainda o regresso da especial de S. Brás de Alportel ao programa do rali, sendo os seguintes os troços deste segundo dia de prova: Tavira, com 25,01km, totalmente novo; Alcarias, num total de 25,15km, com 70% de percurso novo; e S. Brás de Alportel, com 16,18km, semelhante à versão de 2010
O terceiro dia do Vodafone Rally de Portugal 2012 - 31 de Março - não apresenta qualquer alteração face à edição deste ano, incluindo um conjunto de três classificativas: Almodôvar, com 26,22km; Vascão, perfazendo 25,29km; e Loulé, na distância de 22,57km.
Disputado a 1 de Abril, o derradeiro dia do Vodafone Rally de Portugal apresenta a última grande novidade desta edição, com a introdução de uma nova e curta classificativa, que será o palco do "power stage", que atribuirá pontos extra em termos de Mundial para os três melhores tempos, prometendo um excelente espectáculo televisivo.
O programa prevê duas passagens pelas seguintes classificativas: Silves, com 21,42km, sem alterações; Santana da Serra, num total de 31,04km, idêntico a 2011; e Sambro, num total de 5,08km, utilizando a parte do troço de Santa Clara que não foi realizada no primeiro dia de prova.

UMA GRANDE RELEVÂNCIA ECONÓMICA
Numa outra vertente, é fundamental salientar o facto de o Vodafone Rally de Portugal ser, desde 2007 e de uma forma consolidada, o acontecimento desportivo com maior retorno económico para o nosso país depois do Euro 2004.
De facto, segundo o estudo elaborado por um instituto especializado independente, a Universidade do Algarve, o impacto positivo directo na economia da região onde a prova se desenrola, em particular o Baixo Alentejo e o Algarve, foi de quase 50 milhões de euros, um número muitíssimo significativo, por se registar numa época baixa do turismo naquela zona, e sobretudo se tivermos em conta que 61,3% desta receita correspondeu a exportação de serviços, uma vez que os gastos foram realizados por pessoas ou entidades residentes no estrangeiro.
Igualmente muito interessante  é o registo de um retorno em termos de notoriedade internacional para o nosso país, medido apenas pela exposição nas diversas cadeias de televisão, que atingiu o valor de 42,16 milhões de euros, elevando assim para quase 92 milhões o impacto económico do Vodafone Rally de Portugal 2011.

OPEN ANIMA TERCEIRO DIA DE PROVA
Tal como sucedeu no ano passado, os concorrentes do "Open" de ralis, sem dúvida o campeonato da especialidade mais pujante no nosso país, foram de novo desafiados a animarem o terceiro dia de prova, disputando os troços de Almodôvar, Vascão e Loulé no intervalo das duas passagens dos concorrentes do WRC.
Limitado a 30 participantes, o "Open" irá proporcionar um espectáculo adicional aos espectadores que acorrerem a essas classificativas, num despique que em 2011 foi ganho por Ricardo Teodósio e que agora promete uma vez mais "casa cheia"!
 
WRC REGRESSAM A FAFE
Dando continuidade às acções promocionais em torno do Vodafone Rally de Portugal, o ACP leva este ano a cabo o Fafe World Rally Sprint, com o apoio da edilidade local, iniciativa que promete devolver o troço de Fafe/Lameirinha à ribalta do mundo dos ralis, com toda a emoção dos seus saltos e a animação dos milhares e milhares de pessoas na zona do Confurco.
Trata-se de uma exibição sob a forma de um rally sprint, a realizar a 24 de Março, e que reunirá os principais carros e pilotos presentes na quarta prova do Mundial do próximo ano.
O Fafe World Rally Sprint terá lugar no cenário privilegiado do troço de Fafe/Lameirinha, aproveitando os últimos seis quilómetros da classificativa. Verdadeiro troço cronometrado, o evento realizar-se-á com base em duas mangas de qualificação e uma final, a que acederão os pilotos mais rápidos.
A edição do Vodafone Rally de Portugal 2012 tem os apoios da Vodafone Portugal, Turismo de Portugal, Instituto do Desporto de Portugal, BP Ultimate, Hertz, Essilor, Instituto Geográfico do Exército, Câmaras Municipais de Lisboa, Almodôvar, Faro, Loulé, Ourique, S. Brás de Alportel, Silves e Tavira, Mosteiro dos Jerónimos, Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, Agência Portuguesa do Ambiente, Egeac - Padrão dos Descobrimentos, Centro Cultural de Belém, Konica Minolta, Brisa, Fonte Viva, Sagres Zero, D. Pedro Hotels. A Bola é o "media partner".



Todas as informações em www.rallydeportugal.pt




NUNO DINIS
PHOTOS: ACP MOTORSPORT

SHAKEDOWN DE BEJA

1º SHAKEDOWN RALLYE DE BEJA


No próximo dia 3 de Março de 2012 irá realizar-se um evento designado "Shakedown Salvada-Beja".
Na sua primeira edição, este evento irá ser realizado num percurso de terra com aproximadamente 5 Kms, utilizando parte de um troço já usado em provas do Regional Sul.
A ideia dos organizadores é e de proporcionar aos mais diversos pilotos a possibilidade de testarem e afinarem as suas máquinas tendo em vista as provas que se aproximam no Regional Sul e Open de Ralis no Rali de Portugal.
Já estão confirmadas muitas presenças de pilotos habituais nas provas do Regional Sul.
Para mais informações sobre este evento, deverá ligar o 918 204 672.


NUNO DINIS

JOAO SILVA NO WRC ACADEMY



JOÃO SILVA REUNE APOIOS NECESSARIOS PARA WRC ACADEMY


Campeão Júnior madeirense em 2009, campeão Júnior e do CPR2 - Madeira em 2010, campeão do CPR2 e do CPR - Turismo em 2011. A ascensão de João Silva nos ralis nacionais tem sido a todos os títulos notável, mas agora o jovem piloto madeirense prepara-se para o maior desafio da sua ainda curta carreira: dar o "salto" para o Campeonato do Mundo de Ralis e ser o primeiro português a participar na WRC Academy, uma competição criada pela FIA para promover jovens talentos de todo mundo e com a qual João Silva tomará contacto já nos próximos dias 6 e 7 de Março, num estágio realizado na sede da M-Sport em Dovenby Hall (Inglaterra).
Um passo lógico se atendermos ao currículo construído em tão poucos anos no panorama nacional, mas que acabou por se revestir de significativas dificuldades que só permitem ao piloto português confirmar, para já, a presença nas duas primeiras provas da competição, o Rali de Portugal (29 de Março a 1 de Abril) e o Rali da Grécia/Acrópole (25 a 27 de Maio).
"Sempre encarámos a WRC Academy como uma oportunidade única de aprendizagem e evolução numa altura em que todos os outros campeonatos internacionais exigem custos superiores e têm um retorno inferior a diversos níveis", analisa o jovem piloto de 24 anos. "Como as vantagens vão muito além do plano desportivo, pensávamos que a Academy seria atrativa para qualquer patrocinador ou empresa nacional pela exposição que configura numa plataforma enorme, que chega a milhões de pessoas em centenas de países. Só que quando fomos apresentando o nosso projeto a potenciais interessados percebemos que as empresas nacionais se retraíram imenso no atual clima económico, mesmo quando o investimento ou apoio que pedíamos era muito reduzido se comparado com outros projetos. Chegámos a ponderar uma solução alternativa mas com o apoio do meu pai, através da empresa da família, a FX Hotelaria, decidimos fazer este esforço e garantir as duas primeiras provas. Não é a situação que pretendíamos e só o conseguimos porque a M-Sport se mostrou flexível e interessada em ter-nos no campeonato. Durante os ralis de Portugal e da Grécia esperamos mostrar o nosso valor e atrair apoios para um projeto verdadeiramente nacional e não apenas fruto de um esforço particular", referiu João Silva.
Com a inscrição formalizada, o próximo passo para o jovem piloto e o cotado navegador José Janela será uma ação de apresentação e formação organizada pela M-Sport, que incluirá sessões sobre preparação física, alimentação, relação com os media e, claro, um primeiro contacto com o Ford Fiesta R2, modelo que será usado na WRC Academy pelo segundo ano
consecutivo. "Penso que não terei problemas em passar do Renault Clio R3 para o Fiesta R2, só preciso mesmo de conhecer o carro e readquirir algum ritmo. Após essa ação em Inglaterra deveremos ter um segundo ensaio no Monday Test (sessão de preparação) no Rali de Portugal", concluiu.
NOVIDADES NA WRC ACADEMY PARA 2012
Depois da empolgante época de estreia que viu o irlandês Craig Breen arrebatar o título (na última classificativa do último rali!) e o respetivo prémio de 500 mil euros, a FIA WRC Academy voltará a ser disputada em seis provas do Mundial de Ralis, desta vez em Portugal, Grécia, Finlândia, Alemanha, França/Alsácia e Espanha/Catalunha. Apesar de ainda não ter sido divulgada a lista oficial de concorrentes, tudo indica que vários dos pilotos da edição de 2011 repetirão presença, juntando-se a estreantes absolutos como João Silva.
Contudo, o vencedor final poderá este ano escolher entre uma época no SWRC (Mundial de S2000) ao volante de um Ford Fiesta S2000, ou disputar todas as 13 provas do Campeonato do Mundo com um Ford Fiesta R2. Adicionalmente, foi criado o "Rookie Award" (para o melhor estreante) que consiste num teste com um Ford Fiesta S2000 sob a orientação de um dos pilotos oficiais da Ford no WRC, Petter Solberg ou Jari-Matti Latvala. Sempre com uma filosofia de "escola" do Mundial de Ralis, a Academy continuará a reservar o último dia de cada prova para o visionamento de vídeos, briefings e outras iniciativas de formação para os jovens pilotos.



NUNO DINIS
FONTE: www.ralisonline.net
POTO: Nuno Dinis Photos

PEDRO MEIRELES



PEDRO MEIRELES INICIA ANO NO RALLYE PORTUGAL

Pedro Meireles vai  iniciar a temporada do CPR no Rali de Portugal. O piloto voltará a estar ao volante do Mitsubishi Lancer Evo X, este ano assistido pela Sports&You, tendo Mário Castro como navegador.

MÁRIO CASTRO CONTINUA COM PEDRO MEIRELES EM 2012
O navegador Fafense Mário Castro formará novamente dupla com Pedro Meireles no CPR 2012. A equipa Minhota renovará a aposta no Mitsubishi Lancer EVO X mas desta feita será assistido pela Sports & You. “ Será a minha 5ª época com o Pedro Meireles, piloto em quem eu reconheço muitas qualidades mas que não tem tido a sorte do seu lado. Para esta época... a nossa aposta será novamente a conquista do título absoluto e espero estar á altura da equipa para poder ajudar a atingir os nossos objectivos. Gostávamos de ter um carro mais competitivo mas penso que mesmo com o carro actual poderemos realizar bons ralis e lutar de igual para igual com os nossos adversários que mais uma vez estarão muito motivados. A nossa época começará no rali de Portugal. Ao contrário do que se perspectiva , penso que este Ano será bastante disputado e estarão novamente 4 ou 5 pilotos com aspirações ao título. O facto de apenas contarem os 5 melhores resultados permitirá que qualquer um tenha um percalço e ainda assim não perca as hipóteses de lutar pelo campeonato”.
 
 
 
NUNO DINIS
PHOTO: Nuno Dinis Photos

CLUBE ESCAPE LIVRE



Um passeio inédito com Dacia Duster 4x2


Descobrir e utilizar todas as capacidades de uma viatura 4x2 e transforma-las num evento exclusivo de aventura, lazer e descoberta de uma região extraordinária é a proposta que o Clube Escape Livre tem para oferecer. De 22 a 24 de Junho, o Dacia Duster Aventura 4x2 leva os proprietários dos Dacia Duster com tração dianteira a uma viagem inesquecível.

Num percurso que vai de Trancoso à Régua, ao longo de um fim de semana, muitos serão os momentos para pôr à prova as capacidades dos Duster 4x2 num todo terreno mais acessível mas cheio de surpresas paisagísticas e culturais, e onde também poderão participar os proprietários dos Duster 4x4.
O programa tem início no final de tarde de sexta-feira, dia 22 de Junho, com uma visita ao magnífico centro histórico de Trancoso e uma breve sessão informativa sobre o Parque Arqueológico do Vale do Côa. Depois do jantar, há ainda lugar para uma experimental saída noturna por fora de estrada que abrirá o apetite para as etapas dos dias seguintes.
No sábado, a caravana parte para novas aventuras: por entre algumas etapas todo terreno de descoberta paisagística extraordinária, fazem parte do roteiro as visitas guiadas aos núcleos das gravuras rupestres do Vale do Côa, Museu da Quinta da Ervamoira, incluindo uma prova de vinhos, bem como a visita às Ruinas do Prazo, em Freixo do Numão. De fundo, sempre as belas paisagens vinícolas e os olivais da região do Douro a proporcionar retratos memoráveis. O alojamento e jantar desta segunda noite são no Hotel Régua Douro.
O cais do Pinhão é, no domingo, o local de partida de um dia mais dedicado ao puro ócio e ao convívio entre todos os participantes, já que é no navio Infanta da empresa Barcadouro, exclusivamente reservado para este evento, que todos os participantes poderão usufruir verdadeiramente das paisagens durienses, na subida do rio, e onde também é servido o almoço. A chegada ao Pocinho está prevista para o início da tarde, seguindo-se uma viagem de regresso por comboio pela linha do Douro.
Porque há oportunidades que não se devem perder, as inscrições estão já abertas e são limitadas e podem ser feitas através de www.escapelivre.com. O valor é de 395 euros para duas pessoas e inclui todo o programa: duas noites de alojamento, refeições, visitas e ofertas, viagem de barco e comboio, seguro obrigatório da FPTT e Troféu SPAL.
O Dacia Duster Aventura 4x2 tem o patrocínio Dacia, o apoio das câmaras municipais de Trancoso, Vila Nova de Foz Côa e Peso da Régua, e a colaboração SPAL, Autofoco, RFM, Off Road, TT Verde, Lusomotores, Autoandrive, Diário de Coimbra e Jornal A Guarda.





NUNO DINIS
FOTOS: Clube Escape Livre

ARC SPORT- RALLYE SATA AÇORES






CAMPEÃO NACIONAL FOI O MELHOR PORTUGUÊS NOS AÇORES





RICARDO MOURA COM PROVA EXEMPLAR
SÉRGIO SILVA 2º MELHOR PORTUGUÊS
RUI LOUSADO ABANDONOU PERTO DO FIM







Ricardo Moura, Campeão de Portugal de Ralis, voltou a ser o melhor piloto português no Sata Rallye Açores, repetindo o 6º lugar absoluto da época passada. Ricardo Moura e Sancho Eiró rubricaram uma prova exemplar, nada podendo fazer frente aos mais competitivos S2000 presentes. Moura não foi apenas o melhor piloto luso em prova, como também triunfou entre os carros do Agrupamento de Produção. Uma excelente colheita para o Campeonato de Portugal de Ralis, que tal como o IRC arrancou este ano nos Açores.
“Foi um rali difícil, mas conseguimos sobreviver sem cometer erros. Chegar aos S2000 menos rápidos tornou-se uma missão impossível, mas a diferença que conseguimos alcançar em relação aos concorrentes mais directos fez com que as posições ficassem definidas muito cedo. Devido ao novo formato do Campeonato de Portugal de Ralis, lamento a ausência dos meus principais adversários, que teriam valorizado ainda mais esta vitória. Foi muito importante a presença do sol no último dia, para mostrar ao mundo a terra maravilhosa em que vivemos. Quero dar os parabéns à minha equipa dos Açores e à ARC Sport pelo excelente trabalho realizado, mas também à organização do Sata Rallye Açores que demonstrou ser uma das melhores do mundo”, declarou, no final da prova, Ricardo Moura.
Contando com o apoio da ARC Sport, Sérgio Silva terminou como o 2º melhor piloto português, conquistando o 8º lugar da classificação geral. Mais um resultado fabuloso para o piloto do Subaru Impreza WRX, que agora acompanhado por Fernando Nunes, repetiu os êxitos dos dois anos anteriores, voltando a dar pontos à Subaru para o IRC.
“Este é um Subaru muito fiável que me proporcionou excelentes resultados neste rali durante três anos consecutivos. O segredo tem sido atacar nos dois primeiros dias, para depois manter a posição. Espero vir a fazer a maioria do Campeonato dos Açores, mas com muito esforço”, declarou nitidamente feliz Sérgio Silva.
Esta poderia ter sido mais uma prova perfeita para a ARC Sport, caso não se tivesse registado o abandono de Rui Lousado e Nuno Rodrigues da Silva já muito perto do final do rali. Num verdadeiro teste ao Subaru Impreza R4 e evoluindo nitidamente de troço para troço, Rui Lousado chegou a terminar a 2ª etapa no 10º lugar. Quando nada fazia prever, e a apenas dois troços do fim, um problema de transmissão ditou o afastamento.
“São situações normais nas corridas. De qualquer forma, esta participação acabou por ser positiva em todos os aspectos pois consegui evoluir e testar um carro fabuloso. A ARC Sport e o Nuno Rodrigues da Silva foram espectaculares e penso voltar a fazer mais ralis com esta gente que são excelentes profissionais”, declarou Rui Lousado.
Este ano o Campeonato de Portugal de Ralis arrancou nos Açores por imposição do IRC. Foram jogadas as primeiras cartadas do ano, que encerra ainda muitas indefinições. No entanto, a ARC Sport está feliz pelo resultado alcançado pelo seu Campeão Nacional, tirando também importantes elações em relação ao futuro.
“O Ricardo Moura não podia ter feito melhor, tendo em conta as condições atmosféricas e as limitações do seu carro em relação aos S2000, com o mau tempo a aumentar essa diferença. Foi uma vitória muito importante para os dois campeonatos, querendo dar os meus mais sinceros parabéns à equipa açoriana do Ricardo que conseguiu realizar um trabalho fabuloso.
Em relação ao Rui Lousado, esteve muito bem ao volante de um carro novo que mostrou estar à altura da evolução feita. Parabéns ao Rui e ao Nuno pelo trabalho que fizeram, mas infelizmente o azar bateu à porta quando só faltava um troço para o final.
O Sérgio Silva já nos habituou a resultados extraordinários como este, só tenho pena que ele não consiga ter maiores condições financeiras para poder fazer muito mais. Os nossos propósitos só não foram totalmente alcançados devido à desistência do Rui Lousado, disse no final Augusto Ramiro, responsável pela ARC Sport.







NUNO DINIS
FOTOS: Albano Loureiro -  ARC Sport

IRC SERIES E CPR-RALLYE SATA AÇORES 2012



MIKKELSEN LEVA A MELHOR NA PROVA ABERTURA CAMPEONATO



O derradeiro dia do Sata Rali dos Açores serviu para a maioria dos pilotos cumprirem calendário, mesmo se outros, andando com cautelas, tenham sido obrigados a desistir.
Na luta pela vitória a primeira ronda por Graminhais e Tronqueira, num grande dia de sol, acabou com as dúvidas sobre quem venceria nesta edição. Mikkelsen voltou a ser mais rápido e consistente, e Hanninen, só terá mesmo de se lamentar do erro cometido nas Sete Cidades, pois mesmo mantendo alguma pressão no norueguês, o finlandês teve que se vergar à evidência e superioridade demonstrada por Mikkelsen nesta prova.
Mikkelsen chegou a este rali com um ritmo competitivo enorme, demonstrando rapidez e concentração, o que aos 22 anos de idade lhe dá excelentes perspectivas em termos de futuro no mundo dos ralis.
O francês Bryan Bouffier evoluiu muito em termos de condução em terra, mas mesmo assim não teve carro para acompanhar os ritmo dos pilotos oficiais da Skoda, obtendo um excelente 3º lugar, que alcançou por mérito próprio e não por desistências alheias.
Com o piso seco, Sepp Wiegand foi muito mais competitivo do que tinha sido na etapa anterior, superando com alguma facilidade Herman Gassner que acabou por defraudar as expectativas em termos de competitividade. Já Wiegand, no segundo rali da sua carreira em terra, mostrou valor e competitividade, num rali difícil sem cometer qualquer erro.
A dificuldade de Ricardo Moura foi não "adormecer" nos troços tal o ritmo cauteloso em que rodou não só neste último dia como em todo o rali. Uma prova em que o melhor não foi a exibição mas sim os resultados: vitória no Campeonato de Portugal de Ralis e no Campeonato dos Açores de Ralis.
Num dia com poucos destaques, referência para a desistência inglória de Ivo Nogueira, depois de um toque, que lhe retirou importantes pontos para o CPR.
LÍDERES DO RALI:Andreas Mikkelsen (1ª à 14ª Pec)
VENCEDORES DE TROÇOS:Andreas Mikkelsen (10); Juho Hanninen (3)

1º Andreas Mikkelsen – Skoda Fabia S2000 2h12m43,2s
2º Juho Hanninen – Skoda Fabia S2000 a 25,1s
3º Bryan Bouffier – Peugeot 207 S2000 a 2m04,8s
4º Sepp Wiegand – Skoda Fabia S2000 a 5m20,3s
5º Hermann Gassner Jr – Skoda Fabia S2000 a 6m23,9s
6º Ricardo Moura – Mitsubishi Lancer Evo IX a 8m43,5s
7º Oleksander Salyuk – Ford Fiesta S2000 a 10m28,1s
8º Sérgio Silva – Subaru Impreza WRX a 16m00,1s
PILOTO DE RALIAndreas Mikkelsen
MOMENTO DO RALIPião de Hanninen nas Sete Cidades (perdeu 18 segundos)
MENOS DO RALIRitmo dos pilotos do CPR


NUNO DINIS

TRRC

FILIPE ALBUQUERQUE




Filipe Albuquerque no DTM em 2012
Filipe Albuquerque vai disputar em 2012 e pelo segundo ano consecutivo o DTM, Campeonato Alemão de Carros de Turismo, considerado um dos mais competitivos campeonatos da actualidade. Aos comandos do novíssimo Audi A5 o piloto português vai enfrentar novos desafios, uma vez que o DTM entra numa nova era. Não só porque para além de Audi e Mercedes entra também em c...ompetição a BMW, mas também por um sem número de ajustes às regulamentações.

Depois de uma estreia auspiciosa onde conseguiu um feito inédito para Portugal ao ser o primeiro português a subir ao pódio na modalidade com o segundo lugar na corrida de Valência, Albuquerque aceitou de bom grado a decisão da Audi de voltar a disputar este Campeonato: “É um privilégio voltar a repetir o DTM. Depois de um primeiro ano em que evoluí bastante será certamente vantajoso poder aplicar todos os conhecimentos. Estou ansioso por dar início ao Campeonato. Vamos estrear um novo carro e vamos ter novos adversários pela frente. Vai ser uma época mais competitiva e exigente. Estou certo que mais uma vez tudo vai ser discutido ao milésimo e que não haverá espaço para falhas”, começou por explicar o piloto português.

Filipe já teve oportunidade de testar a sua nova máquina, o Audi A5 DTM: “O carro é óptimo. Vou ainda ter mais testes antes do início da temporada que serão bastante importantes. As primeiras corridas vão ter um papel preponderante, pois só aí vamos conseguir perceber como estamos face à concorrência”, continuou.

Em termos de objectivos Albuquerque quer: “Lutar pelos lugares da frente. A experiência que adquiri face ao facto de estar em circunstâncias de igualdade com os restantes pilotos da Audi no que diz respeito ao carro e ao número de testes, estou certo me vai permitir lutar por bons resultados”, concluiu o piloto português que estará ao serviço da casa de Ingolstadt pelo menos, por mais 2 anos.

Filipe Albuquerque vai, à semelhança do ano passado, manter-se no Team Rosberg e faz equipa com Edoardo Mortara.

O Campeonato arranca em Hockenheim a 29 de Abril.
 
 
 
NUNO DINIS
FONTE: Página Facebook Fãs Filipe Albuquerque

ARC SPORT- RALLYE SATA AÇORES




ARC SPORT ENTRE OS MELHORES DO IRC



Ricardo Moura é o melhor português
Sérgio Silva e Rui Lousado nos dez mais



A edição deste ano do Sata Rallye Açores não podia estar a correr melhor para os pilotos apoiados pela equipa de Aguiar da Beira.
No final da 2ª etapa, o Campeão de Portugal de Ralis ocupa o 6º lugar da geral, sendo o melhor piloto que não utiliza uma viatura S2000. Ricardo Moura e Sancho Eiró são também a melhor equipa portuguesa em prova, os melhores açorianos e ainda lideram o Agrupamento de Produção. E se esta é a cereja no topo do bolo, a ARC Sport conta ainda com mais dois resultados muito positivos. Apoiados pela equipa, Sérgio Silva e Fernando Nunes colocaram o Subaru Impreza WRX no 8º lugar da classificação geral, sendo a 2ª melhor formação portuguesa em prova.
Quanto a Rui Lousado e Nuno Rodrigues da Silva, estão a efectuar uma prova de estreia fantástica com o Subaru Impreza R4 da ARC Sport, ocupando no final da 2ª etapa o 10º lugar, demonstrando uma evolução constante de troço para troço. Amanhã, decorre a derradeira etapa do Sata Rallye Açores, com quatro troços muito selectivos a terem lugar no nordeste da ilha de São Miguel.






NUNO DINIS
FOTOS: Albano Loureiro-ARC SPORT

IRC SERIES E CPR-RALLYE SATA AÇORES 2012



MIKKELSEN LEVA VANTAGEM



O segundo dia do Sata Rali dos Açores resumiu-se, desportivamente em termos de luta pela vitória, ao despique entre Mikkelsen e Hanninen.
Aquele que poderia ter sido o momento de viragem do rali, com Hanninen a atacar muito forte na primeira passagem pelas Sete Cidades, veio a tornar-se, provavelmente, no momento do rali. De facto, Haninen teve uma saída de estrada (a um quilómetro do fim), que teve poucas consequências para o Skoda (apenas afectado na secção traseira), mas muitas no cronómetro, com o finlandês a perder 10 segundos para Mikkelsen só nesse troço, quando eventualmente lhe iria ganhar tempo.
A partir daí, já deu a entender que Mikkelsen e Hanninen fizeram um pacto de não "agressão" - até pelo agravamento do estado dos troços com muita lama e água - tanto mais que o ritmo competitivo se manteve, mas sempre com vantagem para o Norueguês, que já leva seis vitórias em troços contra apenas duas do seu adversário.
Outro grande facto do dia, foi o aparatoso despiste de Bruno Magalhães, que deixou o português fora de prova, depois de não conseguir chegar-se a Bouffier na luta pelo 3º lugar.
O francês em um ano evoluiu muito a sua condução na terra, e foi sempre forçando o andamento, mesmo quando se viu isolado no 3º lugar, até porque Bouffier pretendeu sempre comparar os seus tempos face aos pilotos da Skoda.
Numa luta germânica, Wiegand e Gassner estiveram empenhadíssimos na discussão do 4º lugar, com ambos a não baixarem os braços, embora Gassner tenha levado a melhor devido à sua maior experiência na condução sob condições de terreno tão adversas, subindo de 7º para 4º da geral.
Ricardo Moura lutou durante o dia apenas contra si próprio. Não cometer erros passou a ser a aposta, tanto mais que passou a liderar entre os pilotos do CPR assim que Bruno Magalhães abandonou.
NO CPR destaque para o segundo lugar de Miguel Barbosa, a cumprir perfeitamente os seus objectivos na estreia no Sata Açores, assim como Ivo Nogueira, terceiro do CPR que está até a ser demasiado cauteloso para lograr obter o pódio neste prova.
Nas duas rodas motrizes, Paulo Maciel continua a voar no Citroen Saxo. O piloto mostra que não é só o conhecimento do terreno a fazer a diferença, mas também o seu virtuosismo ao volante de um carro francamente desatualizado.
LÍDERES DO RALI:Andreas Mikkelsen (1ª à 9ª Pec)
VENCEDORES DE TROÇOS:Andreas Mikkelsen (6); Juho Hanninen (2)



CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Andreas Mikkelsen – Skoda Fabia S2000 1h05m34,0s
2º Juho Hanninen – Skoda Fabia S2000 a 16,2s
3º Bryan Bouffier – Peugeot 207 S2000 a 1m17,8s
4º Hermann Gassner Jr – Skoda Fabia S2000 a 3m26,3s
5º Sepp Wiegand – Skoda Fabia S2000 a 3m36,2s
6º Ricardo Moura – Mitsubishi Lancer Evo IX a 4m55,8s
7º Oleksander Salyuk – Ford Fiesta S2000 a 6m43,9s
8º Sérgio Silva – Subaru Impreza WRX a 8m33,2s



NUNO DINIS
FONTE: www.ralisonline.net

NUNO DINIS PHOTOS

ARC SPORT- RALLYE SATA AÇORES



UM APERITIVO AGRADÁVEL PARA A ARC SPORT



Ricardo Moura é 2º melhor português

Rui Lousado rendido ao Subaru Impreza


O primeiro dia do Sata Rallye Açores contou apenas com três provas especiais de classificação, ficando reservadas as etapas mais duras e selectivas para os próximos dois dias. Ricardo Moura, o Campeão de Portugal de Ralis, acompanhado nesta prova por Sancho Eiró, está feliz por começar a defesa do título na sua ilha. O piloto açoriano iniciou a prova com uma cadência natural, mostrando-se um perfeito conhecedor da prova e das potencialidades dos concorrentes presentes. Um 6º lugar da geral, atrás de cinco S2000 favoritos, são excelente cartão de visita, tendo ainda em conta que conseguiu melhores resultados que outros quatro S2000, para além de liderar a Produção e ser o segundo melhor português em prova.

Rui Lousado com Nuno Rodrigues da Silva estrearam nos Açores a mais recente evolução R4 do Subaru Impreza produzida em Aguiar da Beira, mostrando-se inteiramente animado com o comportamento do carro da ARC Sport. Rui Lousado ocupa o 16º lugar, esperando ansiosamente pelas especiais mais decisivas da 47ª edição do Sata Rallye Açores.






NUNO DINIS
FOTOS: ARC SPORT

BAJA CARMIM 2012





Com o intuito de promover a edição 2012 da Baja Carmim, o Clube Automóvel doAlgarve decidiu recuar no tempo, nomeadamente 20 anos,  e recordar amemorável edição da Baja Transalgarve/Staroup de 1992.


Transalgarve/Staroup 92
Privados levam a melhorsobre oficiais

A ediçãode 1992 do Transalgarve/Staroup foi memorável.Numa prova cheia de incidências, com oito comandantes ao longo dos 450 quilómetros quecompunham os setores seletivos, foram Carlos Leitão e Filipe Campos que saíramvitoriosos.

Há 20 anos a temporada dotodo-o-terreno nacional começou com a Transalgarve/Staroup, prova pontuávelpara o nacional de TT, com o coeficiente 8 da FISA.A prova algarvia disputava-se em dois dias, com o primeiro reservado para oprólogo e o segundo com dois setores seletivos, pelo interior algarvio e baixoAlentejo.
Com 180 inscritos asatenções viravam-se para a presença das equipas oficiais da Nissan, UMM eMitsubishi, e do espanhol José Maria Solé, que ostentava o número 1 de porta noSuzuki Vitara.
Num percurso rápido earenoso, as Nissan PickUp oficiais, tripuladas por Tomás Mello Breyner/JaimeBaptista e Inverno Amaral/José Conde foram os mais rápidos do prólogo com otempo “ex aequo” de3m 47s.  José Maria Solé ficava a doissegundos e estavam definidos as ordens de partida para o segundo dia.
O primeiro setor seletivodeixou marcas no pelotão. Ainda nãoestavam cumpridos dez quilómetros e Inverno Amaral desistia com o motor partido. O seu colega de equipa, Tomás Mello Breyner perdiaimenso tempo a recolocar um tubo de gasolina na sua Nissan PickUp.  Manuel e Pedro Mello Breyner (Mitsubishi Pajero) perdiamalgum tempo devido a problemas de suspensão, consequência de um tombo lateral. Carlos “Tucha” Barbosa num UMM oficial,abandonava com problemas de embraiagem.
Com tantoscondicionalismos foi José Maria Sole, no Suzuki,  quem assumiu o comando,dominando os 147,5 kmdo primeiro setor, que concluiu com 3m37s de vantagem sobre João Vassalo (UMM). Seguiam-se na tabela classificativa Joaquim Garcia(Peugeot Proto), Luís Oliveira (Nissan) e Carlos Almeida (UMM), que rodoudurante algum tempo atrás de António Bayona.
Quando já usufruía de umavantagem confortável, Solé abandonou com problemas no eixo traseiro. Joaquim Garcia assumiu a liderança, mas foi umapassagem fugaz, pois João Serrano (Nissan), que rodava no pó levantado peloPeugeot Proto, embateu na sua traseira e levou ao abandono de ambos.
Já para além de metade dosegundo setor seletivo, que totalizava 300Km, Santinho Mendes e Ismael Margarido,surpreendiam tudo e todos com o Opel Corsa GSi.Quando o piloto de Abrantes prontificava-se para repetir a vitória de 1991, problemasde suspensão, levaram novamente a mudança de líder.
Depois de um iníciocomedido (11º em SS1), Carlos Leitão passou os comandos da Nissan PickUp paraFilipe Campos, que fez uma prova contrarrelógio.Averbando o melhor tempo no segundo sector selectivo, conseguiu ultrapassar adupla Luís Dias/Pedro Barradas, em viatura idêntica, obtendo uma surpreendentee inesperada vitória na prova de abertura da temporada de 1992. Os irmãos Mello Breyner recuperaram no 2º setorseletivo e fecharam o pódio
No troféu UMM, a vitória ficounas mãos de Vasco Salter Cid e Pedro Sanches, que foram quartos na geral. A dupla espanhola Francesc Sanjuan/SantiagoBrustenga, em Suzuki Samurai foram os melhores estrangeiros (11º). Na sua estreia em todo-o-terreno, Fernando Ramos eCarlos Mota em UMM Alter Turbo, foram os melhores representantes algarvios,acabando no 13º lugar.

Classificaçãofinal:
1ºCarlos Leitão/FilipeCampos (Nissan PickUp) 8:07:19, 2ºLuís Dias/Pedro Barradas (Nissan PickUp V6) a2:14, 3º Manuel Mello Breyner/Pedro Mello Breyner (Mitsubishi Pajero) a 13:35,4º Vasco Salter Cid/Pedro Sanches (UMM Alter Turbo) a 13:45, 5ºCarlosSousa/Telles Forte (UMM Alter Turbo) a 15:36, 6ºJorge Antunes/José Clemente(Toyota Land Cruiser) a 23:07, 7ºAntónio Nunes/António Fonseca (Nissan PickUp)a 27:34, 8ºCarlos Rola/Luís Gonçalves (Toyota BJ73) a 30:21, 9º SantinhoMendes/Isamel Margarido (Opel Corsa GSi) a 30:56, 10º Manuel Pereira Alves/HernâniTeles (UMM Alter Turbo) a 35:45. Acabaram72 concorrentes.




NUNO DINIS
Texto e Fotos: CLUBE AUTOMÓVEL ALGARVE

IRC SERIES E CPR-RALLYE SATA AÇORES 2012




TACO A TACO ENTRE OS SKODA



Tal como já era previsível, o primeiro dia do Sata Ralis dos Açores, com apenas três especiais, foi dominado pela luta entre Andreas Mikkelsen e Juho Hanninen.
Os pilotos da Skoda estão claramente num campeonato à parte nesta prova, sendo mais que certo que a vitória será discutida entre os dois, estando a vantagem para já do lado de Mikkelsen.
Um segundo grupo é liderado, de forma algo surpreendente. por Bryan Bouffier. Numa discussão entre os pilotos da equipa Delta, o francês tem sido mais rápido do que Bruno Magalhães, qualquer deles a tripular versões menos competitivas do 207 S2000. Contudo, Bruno Magalhães, lidera de forma destacada entre os concorrente do CPR.
Um terceiro patamar, tem na frente o jovem alemão Sepp Wiegand, francamente pouco à vontade nas especiais de São de Miguel, pelo que o seu opositor acaba por ser Ricardo Moura, num Lancer de Grupo N e Hermann Gassner Jr noutro Fabia S2000.
Como também era previsível, Moura é sem oposição o melhor açoriano, com Sérgio Silva, Miguel Barbosa e Ricardo Carmo a travarem uma boa luta pelo terceiro melhor português.
Harry Hunt com o Citroen DS3 lidera nas duas rodas motrizes, mas tem Paulo Maciel num "vestuto" Citroen Saxo em segundo a apenas 5,1s.
LÍDERES DO RALI:Andreas Mikkelsen (1ª à 3ª Pec)
VENCEDORES DE TROÇOS:Andreas Mikkelsen (2); Juho Hanninen (1)
CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Andreas Mikkelsen – Skoda Fabia S2000 13m53,7
2º Juho Hanninen – Skoda Fabia S2000 a 1,4s
3º Bryan Bouffier – Peugeot 207 S2000 a 21,6s
4º Bruno Magalhães – Peugeot 207 S2000 a 29,9s
5º Sepp Wiegand – Skoda Fabia S2000 a 52,0s
6º Ricardo Moura – Mitsubishi Lancer Evo IX a 53,7s
7º Hermann Gassner Jr – Skoda Fabia S2000 a 56,1s
8º Oleksander Salyuk – Ford Fiesta S2000 a 1m17,5s



NUNO DINIS

RALLYE DE PORTUGAL 2012




APRESENTAÇÃO RALLYE PORTUGAL


Irá decorrer no próximo dia 28 de Fevereiro de 2012, pelas 18h a apresentação oficial do Vodafone Rallye de Portugal, edição de 2012 e que irá para a estrada entre 29 Março e 1 de Abril do presente ano.

A apresentação oficial do evento organizado pelo ACP Motorsport irá decorrer no edificio da Vodafone no Parque das Nações em Lisboa e o nosso OCS foi convidado mas não poderá estar presente por motivos geográficos e não só.



NUNO DINIS

CPTT 2012







NUNO DINIS

ACP MOTORSPORT




Qualidade organizativa do ACP
uma vez mais reconhecida internacionalmente
Desde que a Direcção do Automóvel Club de Portugal (ACP) tomou posse, em 2004, uma das prioridades foi a de colocar a qualidade organizativa das provas desportivas da responsabilidade do ACP num patamar de referência em termos internacionais, de forma a reconquistar o prestígio de que as mesmas tinham gozado anteriormente.
É evidente que a grande aposta foi o Rally de Portugal e não demorou muito tempo para que a FIA tivesse ficado rendida a esse propósito, garantindo o estatuto mundial ao evento que, em poucos anos, se tornou numa prova de referência do WRC em termos organizativos.
Com elementos altamente qualificados nas várias vertentes em que o ACP tem desenvolvido a sua actividade desportiva - ralis, velocidade e todo o terreno - não admira que os seus responsáveis façam hoje parte de várias comissões da FIA e que a sua capacidade seja reconhecida além-fronteiras.
Isso mesmo acaba de suceder uma vez mais, agora no Qatar, com a federação local a solicitar a colaboração de Pedro Almeida, director de prova do Vodafone Rally de Portugal e da Baja Portalegre 500, e de Jaime Santos, responsável pela segurança em ambas as provas.
Pedro Almeida desempenhará as funções de director de prova do Sealine Cross Country Rally, terceira prova da Taça do Mundo FIA de Ralis TT, a realizar entre 15 e 21 de Abril, enquanto Jaime Santos será responsável pelo itinerário, mapas e segurança da competição.
O Automóvel Club de Portugal orgulha-se de mais esta afirmação internacional dos seus responsáveis, na certeza de que a sua estratégia tem sido amplamente reconhecida e recompensada.






NUNO DINIS
FOTOS: ACP MOTORSPORT


ARC SPORT




ARRANQUE CONFIANTE




ARC Sport na defesa do título de Ricardo Moura
Estreia do Subaru Impreza R4 com Rui Lousado




O Campeonato de Portugal de Ralis 2012 arranca na terra do Campeão. Este inédito começo para IRC e nacional da especialidade abraça as fantásticas especiais da ilha de São Miguel para que se conheçam os primeiros sinais competitivos da temporada.
A ARC Sport está tranquila em relação ao primeiro desafio do ano, apostando na maturidade competitiva do seu campeão, que nos Açores tudo fará para chegar a um resultado extremamente positivo.
Para além de encetar a defesa do título de Ricardo Moura, a ARC Sport vai também estrear no Sata Rallye Açores um Subaru Impreza R4 projectado nas oficinas de Aguiar da Beira, que nesta prova irá ser tripulado por Rui Lousado, contando com Nuno Rodrigues da Silva como navegador.
Ricardo Moura que nos Açores conta com a habitual companhia de Sancho Eiró, não podia começar a época com maior entusiasmo.
“É de facto muito estimulante começar o campeonato numa prova tão importante como esta. O peso emocional de correr em casa é bastante forte e saber que conto com o apoio de muitos amigos é sempre gratificante. Acho que este será mesmo o local ideal para regressar depois do título que conquistei na época passada”, afirma Ricardo Moura que, em relação à concorrência admite ser impossível chegar aos S2000:
Os S2000 presentes fazem parte de outro campeonato, no entanto vou fazer o melhor que sei e posso, para alcançar um bom resultado. O carro está em perfeitas condições, mas sem qualquer tipo de alteração em relação à época passada. Estamos todos confiantes para este arranque de campeonatos, esperando voltar a dignificar ao máximo os nossos patrocinadores e a imagem dos Açores”, conclui Ricardo Moura.
Depois de ter conquistado todos os títulos nacionais em que esteve envolvida na época passada, a ARC Sport quer voltar a contribuir para a evolução desta vertente do desporto automóvel. A preparação de um Subaru Impreza R4 foi uma das apostas da casa de Aguiar da Beira, que vai ensaiar no Sata Rallye Açores os “primeiros passos” desta evolução, com Rui Lousado e Nuno Rodrigues da Silva. Uma experiência que está a ser muito apreciada pelo piloto.
 “Penso que vai ser bastante importante para mim, pelo prestigio que é fazer parte de uma equipa como a ARC Sport, mas também pela oportunidade que tenho em ensaiar um caro da nova geração como é o Impreza R4. É sem dúvida um grande desafio nesta etapa da minha carreira, e só espero vir a dignificar a confiança que depositaram em mim. Vou fazer o melhor que posso e sei, com a ajuda de um grande navegador como é o Nuno Rodrigues da Silva. Vai ser uma experiência muito motivante”, garante Rui Lousado.
 A confiança e entusiasmo que se vive no seio da ARC Sport para o Sata Rallye Açores estão patentes na conduta de todos os elementos da equipa campeã nacional de ralis.
“Contamos com o habitual profissionalismo de todos para enfrentar mais esta jornada. Muito nos honra começar a defender o título do Ricardo Moura nos Açores, acreditando que o campeão tudo faça para alcançar mais um brilhante resultado. Em relação ao Subaru Impreza R4, esta prova é um teste de longa duração, num rali excelente, mas também muito exigente. Acreditamos que o Rui Lousado consiga atingir os seus objectivos”, declara Augusto Ramiro, responsável pela ARC Sport.

IRC, Campeonato de Portugal de Ralis e Campeonato dos Açores de Ralis vão fornecer os primeiros indicadores competitivos de 2012 na ilha de São Miguel entre 22 e 25 de Fevereiro. A ARC Sport arranca confiante para a nova temporada.




NUNO DINIS
FOTOS: Oficiais ARC SPORT

WRC TEAM MINI PORTUGAL





Cerimónia de apresentação oficial decorreu  no Museu da Carris em Lisboa.







O Museu da Carris, em Lisboa, serviu  de palco para a cerimónia oficial de apresentação da equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL. Após a estreia desportiva no Rali da Suécia, disputado na passada semana, todos os detalhes deste novo e ambicioso projecto foram agora apresentados oficialmente. Armindo Araújo e Miguel Ramalho, a dupla principal da equipa WRC TEAM MINI PORTUGAL, foram os grandes anfitriões da cerimónia que contou com a presença de todos os parceiros, muitos jornalistas e inúmeros convidados.


As honras de abertura estiveram a cargo de Helder Boavida, Director Geral do BMW Group Portugal, que não quis deixar de salientar todo o empenho desenvolvido pela MINI na criação deste projecto. “Ter o nome de Portugal numa equipa inscrita no FIA WRC, como M1, é extraordinário. A nossa aventura nos ralis arrancou no ano passado com o Armindo, enquanto piloto da equipa satélite e, este ano, assumimos um papel mais activo. Internacionalmente as condições para o envolvimento da MINI, a longo prazo, no FIA WRC foram criadas e nós, MINI Portugal, não poderíamos deixar de investir mais neste projecto, especialmente quando temos um piloto português, como o Armindo Araújo, envolvido. Assim, a MINI Internacional e MINI Portugal uniu esforços e, em conjunto, assumimos o patrocínio da equipa”, disse.

Bruno de Pianto, Director da Motorsport Itália e do WRC TEAM MINI PORTUGAL, foi também um dos oradores da cerimónia. “Todos os elementos da Motorsport Itália estão naturalmente orgulhosos por esta parceira com a MINI e com a possibilidade de inscrevermos a equipa como construtora oficial. Nós vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para representar a MINI da melhor forma possível e os grandes objectivos passam por garantir os melhores resultados. Estamos também muito satisfeitos por esta ligação ter possibilitado a homologação do MINI John Cooper Works WRC até 2018. Toda a equipa da Motorsport Itália está ligada ao Armindo Araújo há alguns anos e isso permite-nos trabalhar ainda melhor”, afirmou o responsável italiano.

Para Armindo Araújo, a quem coube a tarefa de encerrar a cerimónia, este projecto é sem dúvida mais um ponto marcante na sua carreira. “Lutei sempre desde o primeiro rali por conseguir chegar mais alto. Todos os títulos que alcancei foram muito importantes, mas este é o maior e ambicioso projecto de sempre. Pela primeira vez Portugal tem um piloto a disputar todas as provas do WRC, o seu nome numa equipa no Campeonato do Mundo de Ralis e inscrita como construtora oficial de uma marca. Melhor era praticamente impossível. Por tudo isto, só tenho que agradecer em primeiro lugar a MINI por ter depositado em mim toda a confiança e aos meus parceiros que continuaram a apoiar-me. Sem eles este dia não seria possível. Todos sabemos que não é possível vencer de um dia para o outro e, por isso, de minha parte podem contar com o maior empenho e com a certeza que darei sempre o máximo para conseguir os melhores resultados possíveis”, afirmou o piloto de Santo Tirso.



 
 
 
NUNO DINIS
FOTO: oficial Armindo Araújo