CAM RALLYE FESTIVAL

Poderá saber mais sobre este evento em  www.camminho.com/ 




NUNO DINIS

SPECIAL SPONSOR DAY






É já este fim-de-semana que vai decorrer nas estradas florestais do concelho de Valongo, uma prova diferente no panorama dos rallyes em Portugal.
Esta prova conta já com a presença garantida de Armindo Araújo e Bernardo Sousa.
As inscrições terminam hoje.
Poderá consultar mais informações no site oficial da prova...
http://specialsponsorday.com/


NUNO DINIS

BRAVOS EM ACÇÃO









"BRAVOS EM ACÇÃO" II
 
 
Espectáculo Garantido
 
 
 
Faltam apenas dois dias para o programa "BRAVOS EM ACÇÃO" II, iniciativa da FASTBRAVO e dos seus parceiros, que irá eleger mais um piloto iniciado para participar numa prova de ralis, integrado no troféu FASTBRAVO 2012, com todas as despesas pagas. 
 
A lista ainda não está completa, mas apresenta já  um bom número de participantes. Ricardo Teodósio, recente vencedor "na estrada" do Rali Casinos do Algarve, mais uma vez faz questão de estar presente, para defrontar os mais corajosos, assim como Filipe Pinto, campeão de iniciados em 1997 e troféu Porsche em 2005, que regressa desta forma à competição. Um grande número de pilotos vencedores nas quatro edições do Troféu FASTBRAVO e vencedores de vários troféus mono-marca, passando por pilotos de enduro e até jogadores de futebol, como é o caso de Delfim Teixeira, que militou no Sporting e Marselha.
 
Sem esquecer o principal objectivo do evento, Jorge Pinto afirma que: "atendendo ao facto de seleccionarmos mais um piloto para se iniciar no mundo dos ralis, é sempre bom perceber que, contamos com a ajuda de alguns pilotos consagrados, que não se cansam de convidar novos e potenciais pilotos, assim como a sua participação, que contribui e muito para que esta selecção seja possível, reforçando a qualidade do espectáculo".
 
Num traçado desenhado para o efeito, muito próximo de uma especial de ralis, a festa será "brava" e promete, para além de um bom convívio entre os participantes, um bom espectáculo, com muito público, contando ainda com a possibilidade dos presentes participarem nos co-drives, com diversos pilotos consagrados.

As inscrições  podem ainda ser efectuadas através do boletim de inscrição existente no site www.fastbravo.com até ao limite máximo de 40 inscritos.
Para se inscreverem, os interessados devem enviar por E-Mail o boletim de inscrição, acompanhado do comprovativo de pagamento, para: geral@fastbravo.com


Horário:

09:00h - Abertura
09:15h - Briefing
09:30h - Inicio dos reconhecimentos
10:30h - Inicio da prova
18:30h - Podium
 

Lista provisória:

Orlando Duarte
André Cardoso
Rui Portela
Raul Pereira
Hélio Abreu
Jorge Ribeiro
Hugo Queirós
Tiago Meneses
Gonçalo Dias
José Fernando Silva
Filipe Pinto
Francisco Mendes
Bernardo Maia
Rómulo Moura
Cristiano Queiroga
Óscar Coelho
Rui Garcia
António Gago
Diogo Gago
Edmundo faísca
Sofia Almeida
Jorge Santos
Victor Teodósio
Ricardo Teodósio
Ricardo Filipe
Luís Silva
Victor Mendes
Fernando Pereira
Hélder Matos
Delfim Teixeira
...
NUNO DINIS

24H TT FRONTEIRA





Carlos Sousa vence em Fronteira

A equipa luso-francesa, composta por Carlos Sousa, Mário Andrade, Cédric Duplé e Francisco Pita, venceu a 14ª edição das 24 Horas TT Vodafone-Vila de Fronteira depois de um intenso domínio na pista alentejana, bem expresso pelo facto de ter assumido o comando à 10ª hora da corrida, mantendo-o até final.

Este triunfo reforça o estatuto de Mário Andrade no palmarés de Fronteira, sendo o quarto triunfo deste português a viver há largos em França e um adepto confesso das provas de resistência de todo o terreno. Para Carlos Sousa, «a vitória acabou por ser algo surpreendente face ao modo como começámos a corrida, mas depois conseguimos recuperar e manter o comando apesar de alguns problemas que, no entanto, acabaram por não afectar a nossa performance.»

Disputada sob excelentes condições atmosféricas, a prova alentejana foi bastante movimentada nas primeiras horas, com o francês Laurent Dornel (Caze Buggy) a impor o ritmo nas duas primeiras horas , ao fim das quais o BMW Oryx  da equipa Vodafone passou para o comando, na altura com Miguel Barbosa ao volante.

No entanto, Dornel voltou á primeira posição quando estavam cumpridas cinco horas de corrida, numa altura em que era já evidente a recuperação de Mário Andrade e do seu Moncé Clio  V6, muito perto dos lugares do pódio.

Seria à 10ª hora que os vencedores da prova assumiriam definitivamente a primeira posição, não mais a largando até ao baixar da bandeira axadrezada, numa altura em que os seus principais adversários conheciam alguns problemas, muito em especial o BMW de Miguel Barbosa, que viria a partir o turbo e a abandonar.

Na segunda posição terminou a melhor equipa portuguesa, constituída por José Amado, Américo Santos e Igor Marques, ao volante de um Nissan Navara, beneficiando de uma condução muito segura e de uma grande fiabilidade mecânica para um brilhante resultado.

O pódio ficou completo com o Renault Megane Proto da família Manfrinato - o pai, António, o filho Giovanni e o sobrinho, Michele - que travaram uma interessante luta com a equipa portuguesa , acabando por perder a segunda posição a duas horas do final, na sequência de um capotamento.

Saliência ainda para a vitória de João Rato, no Desafio Elf Mazda, com o piloto de Portalegre a assegurar o seu sucesso com o segundo lugar em Fronteira, já que Rui Lopes seria o mais rápido entre os pilotos das BT50.


Classificação final: 

 1º Andrade/Duplé/Sousa/Pita (Moncé Clio V6), 110 voltas em 24h 03m 07,58s; 
2º Amado/Santos/Marques (Nissan Navara), a 2 voltas; 
3º A. Manfrinato/M. Manfrinato/G. Manfrinato (Renault Megane Proto), a 2 voltas; 
4º Vanier/Fabre/Knoll /(Schmit 206), a 4 voltas; 
5º Beheity/Despujols/Carpin/Letu (Behheity), a 5 voltas; 
6º Correia/Charbonnier/Dubrisay/Fromont (QT Wildcat), a 5 voltas; 
  A. Perillous/Juin/O. Perillous/Torane (ORC Mégane III), a 7 voltas; 
8º Passemard/Cuisinier/Combier/Coste (Toyota KDJ95), a 9 voltas; 
9º Gibon/Martin/A. Bastet/R. Bastet (Bowler Wildcat), a 9 voltas; 
10º Lopes/Oliveira/Pais/Costa (Mazda BT50), a 11 voltas; etc.




Toda a informação em  www.24horastt.com



NUNO DINIS 

RALLYE VILA REAL



COMUNICADO DO CAVR


Depois da polémica anulação do Rali de Vila Real, que deixou pilotos e equipas à beira de um ataque de nervos, o Clube Automóvel de Vila Real reseolveu, e bem, esclaracer as razões da referida anulação, para que assim acabei de vez as especulações sobre este assunto.

Aqui fica o comunicado do CAVR:

"Clube Automóvel de Vila Real orgulha-se do seu passado e tenta pautar a sua maneira de estar, segundo os ditames da honra e do dever. Nunca foi do nosso apanágio fazer o que quer que fosse, que pusesse em causa o trabalho realizado pelos nossos antecessores, estando no entanto conscientes de tarefa tão difícil.

Com o País mergulhado numa dita “crise profunda”, nunca o CAVR trabalhou acima de suas posses e se em algumas situações roçou esse limite fê-lo em consciência e com um interesse superior, que era o da projecção do nome da sua Cidade, muitas vezes com organizações também com a “chancela” desta autarquia.

Cabe-nos agora e perante a anulação do Rali de Vila Real de 2011, esclarecer todos os interessados mas principalmente os nossos associados pois só a eles “devemos” algo mais, que frases soltas, suposições ou insinuações das reais causas desta anulação.

Assim e em relação a este evento, que seria fruto de mais uma parceria entre o nosso Clube e os dois municípios por onde o Rali se iria desenrolar, foram desenvolvidos os mais variados esforços para que tudo chegasse a bom porto. A primeira reunião de trabalho entre CAVR e autarquia de Vila Real realizou-se cerca de dois meses antes da data de realização da prova, o que logo foi aplaudido pela edilidade local na pessoa do seu Vice-Presidente aludindo ainda e passamos a citar, ”ainda bem que estamos a reunir com bastante antecedência, pois só assim conseguimos ter tudo pronto a tempo e horas sem grandes constrangimentos para todos...”, perante esta constatação, o CAVR continuou naturalmente com os procedimentos inerentes a este tipo de evento, nomeadamente a promoção do mesmo junto das equipas que disputam a prova, cartazes promocionais, contactos com as populações onde os troços se desenrolam, elaboração de toda a documentação necessária e ainda os reconhecimentos aos locais por parte das forças de segurança.

Assim sendo e com toda a parte desportiva assegurada e pronta a receber o evento, deparamo- nos com uma total inércia por parte do município de Vila Real, quer a nível de contactos institucionais que seriam de sua responsabilidade, quer quanto aà montagem e preparação dos troços para os reconhecimentos, necessários para o fim-de-semana antecedente aos dos dias da prova. Perante este panorama que tínhamos no dia de encerramento das inscrições, aliado igualmente a uma reduzida lista de inscritos, a direcção do CAVR entendeu não estarem reunidas as condições necessárias à realização de um evento digno.

Desta forma, pretende o CAVR como organizador desportivo do evento, esclarecer as razões que levaram a tão difícil decisão, assim como publicamente pedir desculpas aos mais variados intervenientes: Ao público, às equipas que estavam inscritas, aàs forças de segurança e corporações de bombeiros que logo se prontificaram, aàs equipas médicas do CAVR e em especial a todos os colaboradores do CAVR que uma vez mais não regatearam qualquer tipo de esforço, prontificando-se de imediato para mais uma entrega incondicional na prossecução dos objectivos do nosso CAVR."




NUNO DINIS

SUPER ESPECIAL VILA NOVA POIARES



FOTOS DA SUPER ESPECIAL POIARES


Já se encontram online as fotos do evento SUPER ESPECIAL VILA NOVA POIARES realizada no passado domingo naquela bela vilã beirã.
Estão disponiveis três galerias deste evento referentes à SS1, SS2, SS3 e poderá consultar em



Bem hajam,


NUNO DINIS

WRC - RALLYE DE PORTUGAL 2012




Muitas novidades para 2012 em busca do mesmo sucesso


Mantendo na base uma estrutura algo semelhante à de anos anteriores, a edição de 2012 do Vodafone Rally de Portugal apresenta, no entanto, importantes novidades que acabam por conferir uma nova roupagem a um figurino que tem sido tão do agrado dos construtores e dos pilotos.

Em moldes gerais, podemos apontar três grandes alterações face às edições anteriores:

- introdução de três classificativas nocturnas;

- duas especiais disputadas no concelho de Tavira;

- novo "power stage", de extensão mais reduzida

Para Pedro Almeida, director de prova, «o objectivo da equipa do Automóvel Club de Portugal responsável pela prova tem sido o de inovar sem revolucionar, ou seja, manter a base de uma estrutura do agrado das autoridades desportivas, equipas e pilotos, mas introduzindo-lhe, sempre que possível, esta ou aquela alteração, quer no rali propriamente dito quer nas actividades de promoção do mesmo, um sector que hoje em dia tem a máxima importância.
São exemplos do que atrás fica exposto a super especial no Estádio Algarve, as provas de apoio para clássicos desportivos (2010) ou para carros do campeonato Open (2011), o Road Show do Porto ou, ainda, a super especial de Lisboa, só para citar as nossas mais recentes iniciativas, a que se juntará o Fafe World Rally Sprint em 2012.»

E aquele responsável referiu ainda: «Com um Campeonato do Mundo caracterizado pelo elevado nível de organizações, para nos podermos manter no seu calendário temos não só de garantir uma excelência do nosso trabalho mas também ser inovadores e criativos, aproveitando as janelas de oportunidade que a FIA tem aberto em cada ano.
Por isso mesmo, iremos ter em 2012 uma secção nocturna, depois da entidade federativa internacional ter demonstrado o seu desejo em que as provas cada vez mais se diferenciem umas das outras – após um período em que os ralis tenderam para uma certa estandardização – aproveitando a ligação de Lisboa até ao Estádio Algarve para fazer disputar três classificativas, o que nos vai obrigar a um grande esforço para manter os níveis de segurança nessa fase da prova.»

Pedro Almeida concluiu: «Ainda em termos de novidades para a edição do próximo ano, assinale-se o regresso à zona de Tavira, correspondendo ao desejo manifestado pela edilidade local em voltar a acolher o Vodafone Rally de Portugal no seu concelho, e a criação de uma “Power Stage” curta, com cerca de cinco quilómetros, para fecho da parte competitiva do evento.
A experiência levada a cabo na edição deste ano, com uma “Power Stage” de elevada quilometragem, revelou-se bastante positiva em termos desportivos mas menos conseguida no capítulo televisivo, pelo que fomos sensíveis aos pedidos do promotor do WRC para alterar esta situação.»



QUALIFYING STAGE PROMETE ESPECTÁCULO!

A edição de 2012 do Vodafone Rally de Portugal terá uma extensão total de 1564,26km, incluindo 22 provas de classificação, num total de 434,77km, ou seja, uma percentagem de 27,8 face à distância total e uma média de 19,76km por classificativa, o que confere desde logo uma intensa competitividade ao evento.

A substituição do "shakedown" pelo "qualifying stage" veio trazer uma nova importância a um dia que era normalmente utilizado pelos concorrentes para a confirmação das afinações dos seus carros. Agora, com o "qualifying stage" a assumir as características de uma verdadeira especial, para mais com a oportunidade dos mais rápidos escolherem a sua ordem de partida para o primeiro dia de prova, os 4960 metros de Vale do Judeu serão garantidamente um grande espectáculo.

A 28 de Março, entre as 8h00 e as 10h00, cada equipa poderá fazer duas passagens de reconhecimento e, a partir das 10h15, os concorrentes começarão a largar do Estádio Algarve para o "qualifying stage", disputado a partir das 10h15.



SUPER ESPECIAL DE LISBOA E TRÊS TROÇOS NOCTURNOS

Repetindo a fórmula que tanto sucesso teve este ano, os concorrentes rumarão a Lisboa no dia seguinte - 29 de Março - onde, a partir das 14h30, terá lugar a super especial na Praça do Império, marcando, assim, o início competitivo do evento.

A partir daqui tudo será diferente, pois o regresso ao sul do País será feito numa ligação por estrada até Ourique, palco de uma neutralização de 2h25, antes das três classificativas nocturnas. Para esta fase da prova, a organização teve em conta todas as questões de segurança que essas classificativas apresentam, reduzindo desde logo a sua extensão, com uma média de 12km, ou seja, cerca de metade da média das restantes especiais. Por outro lado, foi reduzida para mais de metade a distância habitual entre os postos de rádio, permitindo uma mais rápida detecção de qualquer problema. Finalmente estará disponível um helicóptero ambulância com capacidade de voar à noite, em caso de qualquer emergência, estando ainda previstos dois heliportos na zona, também eles operacionais nessas condições.

Os três troços cronometrados a disputar são:

- Gomes Aires, na distância de 10,19km, totalmente novo;

- Santa Clara, com 14,29km, versão mais curta da anterior especial;

- Ourique, num total de 11,1km, em que metade será totalmente nova face à anterior versão

A chegada do primeiro concorrente ao Estádio Algarve está prevista para as 22h30.



REGRESSO A TAVIRA CINCO ANOS DEPOIS

Bem se pode dizer que o segundo dia de prova é um dia de regressos. Na verdade e correspondendo ao desejo que a Câmara Municipal de Tavira manifestou em voltar a acolher o rali no seu concelho, foi possível incluir das classificativas nessa zona, algo que não sucedia desde 2007. Mas esta fase da prova marca ainda o regresso da especial de S. Brás de Alportel ao programa do rali, depois de um ano de ausência. Os troços do segundo dia, cuja partida está agendada para as 11h00 e o regresso pelas 18h20, são os seguintes:

- Tavira, com 25,01km, totalmente novo;

- Alcaria, num total de 25,15km, com 70% de percurso novo;

- S. Brás de Alportel, com 16,18km, semelhante à versão de 2010


TERCEIRO DIA SEM ALTERAÇÕES

O terceiro dia do Vodafone Rally de Portugal 2012 - 31 de Março - não apresenta qualquer alteração face à edição deste ano, incluindo um conjunto de três classificativas tradicionais da prova, muito equilibradas na sua quilometragem e que são do total agrado dos pilotos. Com partida pelas 8h30 e chegada às 17h40, o programa inclui:

- Almodôvar, com 26,22km;

- Vascão, perfazendo 25,29km;

- Loulé, na distância de 22,57km



UMA NOVA "POWER STAGE"

Disputado a 1 de Abril, o derradeiro dia do Vodafone Rally de Portugal apresenta a última grande novidade desta edição, com a introdução de uma nova e curta classificativa, que será o palco do "power stage", que atribuirá pontos extra em termos de Mundial para os três melhores tempos, prometendo um excelente espectáculo televisivo.

Com partida pelas 06h30 e chegada às 15h30, esta quarta fase do rali inclui:

- Silves, com 21,42km, sem alterações;

- Santana da Serra, num total de 31,04km, idêntico a 2011;

- Sambro, num total de 5,08km, utilizando a parte do troço de Santa Clara que não foi realizada no primeiro dia de prova

À excepção das classificativas do primeiro dia, todas as restantes são disputadas em duas passagens por cada uma delas.

Os dados estão lançados para que o Vodafone Rally de Portugal 2012 volte a conhecer o sucesso organizativo, popular e desportivo que marcou as suas mais recentes edições.


Recorde-se que a prova tem organização do Automóvel Club de Portugal, com os apoios da Vodafone Portugal, Turismo de Portugal, BP Ultimate, Hertz, Essilor, Instituto Geográfico do Exército, Câmaras Municipais de Lisboa, Almodôvar, Faro, Loulé, Ourique, S. Brás de Alportel, Silves e Tavira, Mosteiro dos Jerónimos, Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico e Agência Portuguesa do Ambiente. A Bola é o "media partner".






NUNO DINIS

WRC

Sebastien Ogier na Volkswagen


Sebastien Ogier assinou oficialmente pela Volkswagen, sendo o primeiro piloto contratado pela marca alemã para o seu programa no Mundial de Ralis com o Volkswagen Polo WRC.

"A Volkswagen é um dos maiores construtores de automóveis. O objectivo desta marca é conquistar o título mundial de ralis, por isso estou muito contente por fazer parte desta equipa", disse o piloto francês de 27 anos.

Carlos Sainz foi também peça fundametal na contratação de Ogier, dizendo que "ele é um dos três melhores pilotos do Mundo".

Em 2013 a Volkswagen iniciará o seu programa completo no Mundial de Ralis, mas por certo que em 2012 a marca estará em alguns eventos preparando a entrada em formaça nesta competição.


NUNO DINIS

 

RICARDO MARQUES

Ricardo Marques repete CPR2 em 2012



O Campeonato de Portugal de ralis 2L/2RM teve a sua última jornada da época na cidade de Portimão, com a realização do Rallye Casinos do Algarve.

O Team Global Stadium esteve presente com Ricardo Marques e Paulo Marques a alinhar mais uma vez com o Citroen C2 R2 Max, inseridos no Citroen Racing Trophy.
Sem pressões quanto a resultados, a dupla acabou por cumprir em pleno os seus objectivos para o rali em pisos de asfalto, tudo embora a jornada tenha sido algo difícil.

Alguns problemas mecânicos no C2, nomeadamente a embraiagem atrasaram um pouco a dupla na classificação geral, não lhes permitindo andar no seu habitual ritmo forte.
“Foi um rali difícil. Começamos por entrar com um andamento regular, pois o piso estava ainda bastante escorregadio no troço inaugural, mas depois com os problemas de embraiagem acabamos por perder algum tempo e comprometemos a nossa prova. Ainda assim cumprimos os nossos objectivos para este rali, que era essencialmente garantir os pontos para vencer a competição nos C2, o que nos deixou bastante satisfeitos.
No momento estamos já a preparar o nosso projecto para 2012, que passará por este mesmo campeonato, mas só na próxima época poderemos afirmar mais alguns detalhes. Resta-nos deixar um especial agradecimento a todos os nossos patrocinadores, à Sarujoma, Ermal Produções, Kikadesign, Câmara Municipal de Vieira do Minho, e ao nosso principal parceiro a Global Stadium pela confiança e credibilidade dada ao nosso projecto, a todos eles uma vez mais obrigado”.

Ricardo Marques e Paulo Marques foram os 8º do CPR, 5º no CPR 2L/2RM motrizes, 3º entre os Citroen Racing Trophy e vencedores entre os C2 R2 Max.




NUNO DINIS
fonte: www:ralisonline.net

 

RALLYE VILA REAL

Rali de Vila Real anulado




O Clube Automóvel de Vila Real, informou que após reunião de Direção desta noite, decidiu anular o Rali de Vila Real a contar para o Campeonato Open de Ralis.


Na base desta decisão, esteve uma diminuta lista de inscritos o que inviabiliza um evento digno.


NUNO DINIS

VITOR PACOAL

Pascoal já pensa em 2012, depois de ano "não"



Com a disputa do Rali Casinos do Algarve no passado fim de semana, terminou a temporada de 2011 do Politejo Rally Team no Campeonato de Portugal de Ralis.

Ao volante do Mitsubishi Lancer EVO VIII, Vítor Pascoal e Luís Ramalho concluíram a prova organizada pelo Clube Automovel do Algarve na 3a posição, numa prova onde alinharam à partida sem qualquer tipo de preocupação no que diz respeito ao resultado e com a única missão de cumprir calendário.

Segundo o piloto nortenho “terminou a minha 18a temporada nos ralis nacionais! Infelizmente este ano não correu como gostaríamos, tivemos uma série de contratempos que nos levaram a ficar aquém dos nossos objectivos em termos de Campeonato, mas as corridas são mesmo assim: há altos e baixos e cabe-nos saber ultrapassá-los.”

Numa altura em que a equipa já se encontra a tentar viabilizar um projecto de continuidade para a próxima temprada, Pascoal adianta também que “não posso deixar de agradecer todo o apoio que tivemos dos nossos patrocinadores ao longo desta temporada. Com a crise económica que o país está a atravessar e mesmo com os resultados a não serem como todos ambicionávamos, nunca nos voltaram as costas e apoiaram o projecto até ao último instante. São essas atitudes que nos dão motivação para dar o nosso melhor na representação das suas marcas, mesmo sabendo que estávamos em ano “não”! Estamos confiantes que conseguiremos continuar a competir no futuro, sempre com o principal objectivo de dar o nosso melhor.”



NUNO DINIS
fonte: http://www.ralisonline.net/

PAULO NETO SPORT

Bom final de temporada



Um terceiro lugar no Rali Casinos do Algarve, entre os concorrentes do Campeonato de Portugal de Ralis 2L/2RM, permitiu a Paulo Neto / Daniel Amaral terminarem no pódio desta competição em termos absolutos.

O bom final da temporada 2011 de Paulo Neto / Daniel Amaral permitiram a esta dupla alcançarem um conjunto de excelentes resultados, que estão de acordo com os objectivos traçados para esta temporada.

“Depois da boa prestação em Mortágua, o Rali Casinos do Algarve foi o seguimento lógico da nossa evolução. Fizemos bons resultados ao longo das especiais desta prova e no final do rali com um pouco mais de sorte até poderíamos ter ficado melhor classificados” afirma Paulo Neto, acrescentando que “erramos na escolha de pneus para a secção da tarde, que nos limitou muito o andamento. Mesmo assim o terceiro lugar entre os concorrentes do CPR2, é muito positivo”.

Com uma série de posições de relevo nas diversas tabelas classificativas da FPAK, com pódios na F2 (carros entre 1.601 a 2.000 cc), no Gr.A (Turismo) e na Taça Nacional de Ralis de 1.600 a 2.000 cc, Paulo Neto refere que “acabou por ser um bom ano, com resultados dentro daquilo que estavamos à espera, lutando contra adversários com outros meios e outra disponibilidade para se dedicarem a tempo inteiro aos ralis. Os meus parabéns ao João Silva, Campeão do CPR2 e para o Ivo Nogueira, que foi um digno vencido nesta competição”.



A presença de Paulo Neto no CPR, CPR2 e no Citroen Racing Trophy, que tem a assistência técnica da P&B Racing, conta com os seguintes parceiros:

- VALADARES – Louça Sanitária
- SAINT GOBAIN – WEBER – argamassas industriais
- QUANTINFOR – Consultoria informática
- VITARTE – Produção gráfica
- CARAS DECORAÇÃO
- DIRESCO – Superfícies de Quartzo
- RESTAURANTE “O AMARAL”
- CARLOS SIMÕES - Concessionário Citroen em Mafra
- BANHOAZIS - Mobiliário de Banho
- LISTOR - Pavimentos Flutuantes
- TRES – Torneiras
- DOMINÓ – Indústrias Cerâmicas
- PAULO NETO, LDA – Materiais de construção




NUNO DINIS

CPR-RALLYE CASINOS DO ALGARVE

Meireles sem oposição



Apesar de todo o esforço e dedicação do Clube Automóvel do Algarve, o Rali Casinos do Algarve esteve longe de cumprir os objetivos mínimos, em termos desportivos, que uma prova do Campeonato de Portugal de Ralis exige.

O "nacional" não bateu no fundo, passou já para lá do fundo, sendo urgente que os senhores da FPAK olhem para este exemplo, mais a anulação do Rali de Vila Real, para rapidamente agirem e tomarem medidas drásticas para 2012. Foi mau de mais para ser verdade.

Bem, desportivamente Pedro Meireles ganhou, sem oposição e de uma forma natural, não forçando sequer o ritmo, já que em dois três troços verificou que o seu avanço para a concorrência era enorme.

Curiosamente nem sequer foi Vitor Pascoal o seu adversário, mas sim os dois principais concorrentes no CPR2, que se entregaram a uma interessante luta pela vitória. Ivo Nogueira esteve na frente, depois foi João Silva, depois novamente Ivo e quando parceria que poderia vencer, no derradeiro troço perdeu dois minutos devido a ter ficado sem travões, entregando o "ouro" a João Silva.

Desta forma o madeirense, conquistou todos os títulos que ainda estavam ao seu alcance, confirmando o principal no CPR2, com inteiro mérito.

Vitor Pascoal viu assim cair-lhe o pódio nas mãos, num rali em que tentou condignamente ser competitivo, mas nem o carro nem a motivação foram grandes para tentar ter uma melhor exibição já que o resultado nem foi mau.

Ivo Nogueira saiu do Algarve com um "amargo" quatro lugar, quanto teve a vitória no CPR2 e o segundo lugar quase garantidos, mas o piloto evoluiu muito esta temporada.

O ritmo dos restantes pilotos foi sofrível. Mesmo assim, Paulo Neto ainda conseguiu ficar com o 5º lugar, terceiro no CPR2, rubricando uma exibição acima do que demonstrou esta temporada.



LÍDERES SUCESSIVOS
Pedro Meireles (1ª à 8ª pec)



VENDEDORES DE TROÇOS
Pedro Meireles (6); João Silva (1); Ivo Nogueira (1)



CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Pedro Meireles / Mário Castro – Mitsubishi Lancer Evo X 1h14m04,802s
2º João Silva / José Janela – Renault Clio Maxi a 37,2s
3º Vitor Pascoal / Luís Ramalho – Mitsubishi Lancer Evo VIII a 55,6s
4º Ivo Nogueira / Vitor Hugo – Citroen DS3 R3 a 2m51,3s
5º Paulo Neto / Daniel Amaral – Citroen DS3 R3 a 3m36,4s
6º Miguel Barbosa / António Costa – Mitsubishi Lancer Evo IX a 5m52,6s
7º Hugo Mesquita / Nuno R. Silva – Renault Clio R3 a 6m04,0s
8º Ricardo Marques / Paulo Marques – Citroen C2 R2 Max a 10m03,2s
9º Vitor Calisto / Joaquim Batalha – Citroen Xsara 20.16V a 17m28,3s
10º Isabel Ramos / Rubina Gonçalves – Renault Clio R3 a 19m42,8s



PILOTO DO RALI

Pedro Meireles


MOMENTO DO RALI

Ausência de adversários


MENOS DO RALI

Ritmo competitivo



NUNO DINIS
fonte: http://www.ralisonline.net/

KARTODROMO DE BALTAR



Acabou o Aventura Empresas 2011




Chegou ao fim mais um Aventura Empresas e podemos dizer que acabou em beleza, pois houve asfalto seco, intermédio e molhado o que provocou naturalmente uma variedade de comportamentos nas diferentes condições de piso. Participaram quinze das equipas inscritas no troféu, o ambiente esteve calmo e as corridas foram sempre uma incógnita relativamente ao vencedor final, que acabou por pertencer à dupla da IKF com Mário Dias e Luís Duarte, seguidos pelo Team Bala de Miguel Martin e Joaquim Felipe, seguidos pela surpreendente McNally que venceu as duas finais à chuva já que Daniel Meireles e Pedro Madureira, estiveram irresistíveis. A festa final do pódio, meteu foguetes confetis e champanhe para fechar com umas castanhas assadas e vinho tinto, já que estamos no S. Martinho, ainda que um pouco atrasado. A vitória final do troféu, estava já atribuída à equipa da JL Motorsport que na despedida esteve abaixo do seu normal andamento pois o motor estava pouco colaborante entregando a vitória da prova. No balanço final, foram oito excelentes provas de um campeonato muito competitivo e que promete voltar no próximo ano, começando já com a possibilidade de também participar no Sprint Show 2011/ 2012 a arrancar em Dezembro.



Corrida 1



Mário Dias impôs a sua lei no treino cronometrado arrancou na frente e controlou o andamento dos seus adversários com relativa facilidade, surgindo no segundo lugar um excelente Joaquim Felipe do Team Bala, que partiu do último lugar usando um motor emprestado depois da rotura do seu levando atrás de si João Brites da JL Motorsport, a lutar com a falta de resposta do seu motor, João Moreira da Gobulling, Paulo Sampaio da Ventilnorte, Daniel Meireles da McNally, o AFS Team Leonel Ribeiro, Roberto Costa do KC Matosinhos, Octávio Teixeira da Clidam, André Guedes da Esc. K. DM, Pedro Guedes da Capa Racing, Hernâni Lopes da Geonorte, Marco Aur´+elio da Monroe Racing, Rui Cruz da VG/ IKF e Ricardo Passos da Mark Team.



Corrida 2



De novo a equipa do IKF a vencer desta forma pelo também pole-position Luís Duarte que arrancou e foi embora, deixando atrás de si a guerra do segundo lugar de novo ocupado pelo Team Bala agora com Miguel Martin e com Luís Fernandes da JL Motorsport a chegar em terceiro. Marco Montenegro da Mark Team é o quarto, seguido pela Geonorte de Jorge Cardoso, McNally de Pedro Madureira, José Fernandes da Clidam, IKF/ VG de Xavier Rodriguez, EK DM de Nuno Godinho, KCM de Joaquim Fernandes, AFS Team de Hélder Ribeiro, Capa Racing de Mário Falcão, David Gomes da Ventilnorte, vítima da ousadia de Reinaldo Fonseca da Gobulling que acabou penalizado e José Monteiro da Monroe Racing.



Corrida 3



Vitória de D. Meireles que ao beneficiar da super-pole, parte da frente e despede-se do pelotão deixando-os a dezanove segundos sem ter necessidade de olhar para trás como é seu costume. Felipe é o segundo com Sampaio e Moreira colados a si, surgindo então Dias no quinto à frente de Octávio, Ricardo, Leonel, Roberto, Guedes, Ayrélio, Falcão, Cruz e Brites que desistiu à segunda volta ao sair de pista. Não participação de Hernâni por avaria irreparável no seu motor.



Corrida 4

Madureira leva o McNally à vitória de novo imitando o seu colega de equipa com as mesmas condições mas teve em Luís Duarte que chegou à primeira curva na frente tem uma saída de pista caindo para o fim da corrida, encetando uma recuperação notável, chegando ao segundo lugar, na frente de Fernandes que acabou a corrida em perda de rendimento, Reinaldo é quarto David é quinto, seguido de Fernandes da Clidam, Hélder, Godinho, Falcão, Montenegro, o outro Fernandes da KCM, Xavier e finalmente Monteiro. De novo ausente a equipa Geonorte, desta feita de Jorge Cardoso pelas mesmas razões da corrida anterior.




NUNO DINIS

ANTONIO NOGUEIRA

António Nogueira ganhou Clássicos à geral e nos H75




Duas corridas, três vitórias



António Nogueira terminou o ano em beleza, no Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos (CPCC), onde participa com o Ford Capri RS 3100. Na primeira corrida, venceu à geral e, na segunda, foi 2º classificado. Em ambas, no entanto, ganhou entre os Históricos 75 (H75), pelo que, em duas provas, conquistou três vitórias!

António Nogueira não acusou reflexos físicos do violento acidente que sofreu ontem, durante a prova de GT e que destruiu o Porsche 911 GT2. De tal forma que, nas duas provas do Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos, levou o Ford Capri RS 3100 ao triunfo na primeira delas para, de tarde, acabar em 2º lugar. De permeio, aproveitou para carimbar mais dois triunfos entre os H75. Mas não se pense que a sua tarefa foi fácil: o seu grande adversário foi Luís Barros, com o poderoso Porsche 930 Turbo e a luta entre ambos foi de antologia.



EM DIRECTO:

“O Ford Capri ficou mais rápido, depois de resolvidos os problemas com os ‘rapports’ da caixa de velocidade, que eram muito curtos. No entanto, ficou com um problema, pois as mudanças saltavam com frequência, o que não era nada confortável.

Na primeira corrida, venci depois de um bom arranque e de uma luta inicial com o Porsche e, na segunda, continuei essa luta, mas agora sempre em 2º lugar. A distância entre nós nunca foi superior aos 3s mas, na parte final da prova, tive que levantar o pé porque a caixa começou a ficar pior e optei por diminuir o andamento, para chegar ao fim e conquistar nova vitória nos H75. Penso que, apesar da infelicidade do acidente nos GT, este fim-de-semana acabou por ser positivo, em termos de resultados finais.”

 
 
NUNO DINIS

DOMINGOS COUTINHO

Domingos Sousa Coutinho fecha temporada em Braga




Mais dois pódios nos H71



Domingos Sousa Coutinho, campeão de Portugal de Clássicos de Circuitos na categoria Históricos 71 (H71) encerrou o ano com mais duas subidas ao pódio. Foi no Circuito Vasco Sameiro, em Braga, palco da derradeira jornada do ano.

Domingos Sousa Coutinho teve, no entanto, que se bater com uma caixa de velocidades pouco colaborante e que o impediu de lutar mais firmemente pelo triunfo. No entanto, resolvidos que ficaram os problemas de motor, o piloto reencontrou a competitividade que faltara ao BMW 2800 CS preparado pela Brandini Racing nas provas anteriores e, em Braga, apenas lamentou o facto de ter ficado sem caixa de velocidades logo na primeira das duas provas. Mesmo assim, coleccionou mais dois bons resultados para o seu bem recheado palmarés, ao terminar ambas as corridas em 2º lugar nos Históricos 71 (H71), atrás do seu principal adversário no campeonato, Francisco Pinto. O balanço da temporada é, como não podia deixar de ser, positivo e, agora, os olhares estão já apontados para o próximo ano.



EM DIRECTO:

“Na primeira corrida, fiz um bom arranque mas, de repente, a caixa começou a ficar com problemas, até que bloqueou. Entrei então nas boxes, onde os meus mecânicos conseguiram engrenar a 3ª velocidade e foi assim que cheguei ao fim da corrida, com algumas dificuldades, mas em 2º dos H71.

Na segunda corrida, o arranque ainda foi melhor e, depois, travei numa luta muito bonita com o Francisco Pinto, até o conseguir passar, com uma grande manobra, na Chicane. Infelizmente, os problemas com a caixa regressaram e tive que levantar o pé para poupar o carro e chegar ao fim, de novo em 2º lugar e de novo atrás do Francisco Pinto.”

 
 
NUNO DINIS

TEAM VODAFONE BP ULTIMATE

Vodafone BP Ultimate Team faz o pleno



José Pedro Fontes declarou no final da prova que "garantido que estava o título absoluto, restava-nos alcançar a vitória relativa à categoria para fazermos o "pleno". Com estes dois 3ºs lugares e a melhor volta na corrida de hoje terminamos uma temporada excelente, em que cumprimos todos os objectivos a que nos propusemos, pelo que só nos resta agradecer o trabalho a todos os que empenharam o seu esforço para que isso fosse possível."

Co-responsável pelo sucesso destes resultados, Miguel Barbosa assume que "não fazia sentido defender a primeira posição nesta corrida, sabendo que poderíamos por em causa a vitória da categoria. Estamos muito satisfeitos por termos sido os mais fortes ao longo de toda a temporada, ao ponto de termos condições para encarar este circuito menos favorável ao nosso carro sem qualquer tipo de pressão. Encerra assim a temporada de 2011 do Vodafone BP Ultimate Team, acrescentando ao título do Iberian Supercars Trophy o de Campeões de Portugal de Circuitos absolutos e o da categoria GT3.


NUNO DINIS
Depois de garantir na corrida de ontem o título absoluto do Campeonato de Portugal de GT`s, o Vodafone BP Ultimate Team conseguiu, com o 3º posto na corrida de hoje, amealhar também o a vitória no que diz respeito à categoria de GT3. O domínio da fase inicial de uma corrida em que José Pedro Fontes arrancou com o Mercedes SLS GT3 da primeira posição, chegou a fazer pensar que os festejos dos títulos seriam com uma vitória mas, numa sensata opção de "jogar pelo seguro", Miguel Barbosa deixou-se cair até à 3ª posição, resultado suficiente para garantir mais um título para a equipa do carro germânico.

ANTONIO NOGUEIRA

António Nogueira sofre acidente grave em Braga no CPGT



Terceiro melhor tempo nos Clássicos



António Nogueira sofreu uma violento acidente com o Porsche 911 GT2 na primeira prova do Campeonato de Portugal de GT, que teve lugar em Braga e do qual teve sorte em sair ileso. Já no Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos (CPCC), o piloto assinou a 3ª melhor marca nos treinos de qualificação, queixando-se de problemas com os “rapports” da caixa de velocidades do Ford Capri RS 3100, demasiado curtos para as características da pista.



António Nogueira saiu ileso de um violento acidente, logo na primeira curva da primeira prova do Campeonato de Portugal de GT, que decorreu no Circuito Vasco Sameiro, em Braga. Na travagem o seu Porsche 911 GT2 foi embatido com extrema violência pelo Aston Martin Vantage GT4 da Goodsense Racing, então pilotado por Jorge Queiroz, que também saiu ileso. Ambos so carros ficaram muito danificados, com especial incidência no Porsche, que dificilmente terá recuperação.

No Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos, António Nogueira levou o Ford Capri RS 3100 ao 3+º lugar da grelha de partida para a primeira corrida de amanhã, apesar de ter algumas dificuldades em explorar todo o potencial do carro, devido às relações da caixa d evelco9diades serem demasiado curtas para a pista de Braga.



EM DIRECTO:

“O acidente aconteceu logo na primeira volta. Arranquei bem e estava a defender o primeiro lugar do Lamborghini, do Mercedes e do Audi quando, na travagem para a primeira curva, fui embatido, na lateral do carro, com toda a violência por um Aston Martin. A pancada foi de tal forma que a minha ‘bacquet’ se partiu e fiquei deitado para trás. Tive que ser assistido pelos médicos, que em ajudaram a sair do carro mas, felizmente, não parti nada, apenas fiquei um pouco magoado por todo o corpo. Em pior estado ficou o Porsche, pois até o motor saiu do sítio e se deslocou, lateralmente, alguns centímetros. Nãos ei se vale a pena recuperá-lo…
O acidente foi de todo inesperado pois, naquela zona, chega-se a 230 km/h, com uma travagem forte, para os 90 km/h. O piloto que me bateu disse depois que não sabia que existia ali uma curva e que pensava que a recta da meta continuava!
Nos Clássicos, fiz o 3º melhor tempo, mas o motor do Ford Capri cortava a meio da recta da meta, pois as relações da caixa de velocidades estavam muito curtos. Tinha que levantar o pé do acelerador, para não danificar o motor. Para a corrida, vamos alterar os “rapports” da caixa, tornando-os mais longos e adequados, pelo que espero discutir a vitória.”




NUNO DINIS

VODAFONE BP ULTIMATE TEAM

Vodafone BP Ultimate Team Campeão de Portugal de GT`s!




 Segundo José Pedro Fontes "é muito gratificante para nós alcançarmos também o título do Campeonato de Portugal de Circuitos. Foi mais um projecto em que trabalhamos muito para que fosse bem sucedido, sendo um excelente prémio para toda a equipa e patrocinadores que, mais uma vez, voltaram a acreditar na nossa equipa. Amanhã partimos para a segunda corrida da pole-position e sem qualquer tipo de pressão, pelo que vamos atacar a vitória para comemorar da melhor forma!"

Quem também não esconde a felicidade é Miguel Barbosa que, do lado de fora no momento da passagem pela linha de meta declarava "num ano que marca o meu regresso à velocidade, o desfecho não poderia ser mais positivo. Empenhei-me bastante nesta minha readaptação e, evidentemente, que é o melhor reconhecimento que poderia ter desse trabalho. É um ano que alcanço o título nacional de duas das principais disciplinas do desporto automóvel nacional, o que me deixa com a sensação de dever cumprido perante todos os que apostaram nos nossos projectos!"


NUNO DINIS
O Vodafone BP Ultimate Team garantiu hoje, com a 3ª posição na primeira corrida do Circuito de Braga 2, a vitória do Campeonato de Portugal de Circuitos – GT`s 2011. Depois de ter conquistado recentemente o título do Iberian Supercars Trophy, José Pedro Fontes e Miguel Barbosa fecham com "chave de ouro" a primeira temporada do SLS GT3 em Portugal. A 3ª posição na corrida seria suficiente para que os pilotos do AMG garantissem a vitória no Campeonato, levando Miguel Barbosa e José Pedro Fontes a encararem a corrida disputada hoje em "modo de gestão" o que, não implicou, que se livrassem de um susto já na fase final quando a caixa do Mercedes SLS GT3 encravou na 6ª velocidade.

ARC SPORT



ARC SPORT FECHA ÉPOCA EM PLENO




João Silva e José Janela Campeões Nacionais



Os objectivos foram totalmente alcançados na última prova do ano!

João Silva e José Janela com o Renault Clio R3 construído pela ARC Sport alcançaram os títulos que perseguiam desde o início da época. O 2º lugar no CPR no Rallye Casinos do Algarve e vitória nas duas rodas motrizes, foram mais do que suficientes para que a equipa conseguisse os títulos de Campeões de Portugal de Ralis do Agrupamento de Turismo, 2L/2RM, juntando ainda a vitória nacional na categoria 1.6 a 2.0 litros também na Taça Nacional.

Não podia ter corrido melhor!

“Foi um saldo muito positivo. Vencemos tudo o que havia para vencer e devemos isso ao empenho da ARC Sport. Acho que piloto, navegador e todos os elementos da equipa mostraram sempre um grande empenho e dedicação, e o reflexo disso são todos estes títulos que conseguimos alcançar.”
E pensando no futuro, João Silva adianta: “A internacionalização é o meu grande desejo. Não sei ainda se será no IRC com o Renault Clio R3, ou na WRC Academy. Em qualquer uma das situações, a ARC Sport é candidata a acompanhar os nossos projectos”, concluiu o novo campeão.

Hugo Mesquita e Nuno Rodrigues da Silva: Missão cumprida

O jovem piloto açoriano dedicou esta época para se adaptar ao Campeonato de Portugal de Ralis. Acompanhado pela experiência de Nuno Rodrigues da Silva e apoiado na ARC Sport, Hugo Mesquita cumpriu inteiramente os seus propósitos, evoluindo em todas as provas e nunca registando nenhuma desistência.
“Acho que esta acabou por ser uma prova bastante positiva. Aprendi mais um pouco, pois foi a primeira vez que utilizei pneus intermédios e que conduzi com piso molhado. Melhorei sempre os meus tempos de troço para troço, e penso que isso foi um excelente indicador. Neste meu primeiro ano de aprendizagem tive um pouco de tudo, o que acho ter sido excelente, pois assim poderei abraçar épocas futuras com mais confiança. Para o ano quero continuar no Campeonato de Portugal de Ralis em 2L/2RM, só que ainda não sei com que carro”, afirmou Hugo Mesquita.


Renato Pita estreou-se com a ARC Sport

Renato Pita e Jorge Carvalho confiaram o seu Mitsubishi Evo VII aos cuidados da ARC Sport para a prova algarvia. Sempre favoritos em todas as provas da Taça de Portugal de Ralis, a equipa conseguiu alcançar uma época com excelentes retornos. A nova experiência com a ARC Sport também acabou por ser bastante positiva.
“Comecei a correr com um carro que adquiri ao Augusto Ramiro. A ARC Sport trabalha com gosto e demonstra sempre um serviço sério com o objectivo de auxiliar os seus pilotos. Pela primeira vez tive o prazer de comprovar esse trabalho, e só posso dizer que não tenho palavras por tudo o que fizeram, e que podem vir a fazer comigo. Os meus sinceros parabéns!
Em relação à prova, gostaria de ter saído do Algarve com outra alegria. Venci todas as provas em que participei menos esta, sabendo que era muito difícil vir ganhar ao Teodósio no Algarve. O Júlio Bastos acaba por ser um justo vencedor da Taça”, concluiu Renato Pita.


A ARC Sport fecha a época em pleno, depois de ter conquistado o título absoluto de ralis com Ricardo Moura. Em terras algarvias a equipa de Aguiar da Beira conseguiu alcançar mais objectivos.
“Quero dar os meus parabéns ao João Silva pelos títulos que conseguiu alcançar. Mesmo fora da Madeira consegue andar ao nível dos melhores. As minhas felicitações também para o Hugo Mesquita, que no seu primeiro ano de competição conseguiu uma época muito positiva, registando uma evolução constante. Neste rali, com condições atmosféricas adversas, provou que tem futuro. Em relação ao Renato Pita, quero deixar também os meus parabéns pela excelente prova que realizou. Foi a primeira vez que trabalhámos com ele, e só posso fazer um balanço bastante positivo.
Este foi um ano excelente para a ARC Sport. Com pilotos fabulosos, alcançámos todos os nossos objectivos, contando com uma equipa de profissionais fora de série. Muito obrigado e muitos parabéns para todos. Seria bom que todos os campeonatos terminassem assim”, concluiu Augusto Ramiro.





NUNO DINIS

DOMINGOS COUTINHO

Domingos Sousa Coutinho foi 2º nos H71 em Braga




Sem forçar o andamento nos treinos



Domingos Sousa Coutinho estabeleceu o 2º melhor tempo entre os Históricos 71 (H71), no Circuito de Braga 2, a jornada de encerramento do Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos (CPCC), onde já garantiu o título na categoria.

Domingos Sousa Coutinho, Campeão de Portugal de Clássicos de Circuitos na categoria Históricos 71 (H71), chegou ao Circuito Vasco Sameiro, em Braga, decidido a procurar mais uma vitória para o seu palmarés nos H71.

A pista bracarense, palco da derradeira jornada do Campeonato de Portugal de Clássicos de Circuitos (CPCC), o Circuito de Braga 2, estava molhada quando os pilotos iniciaram os treinos livres, devido à chuva que caiu na região durante a noite. Isso, contudo, não foi impedimento para que fossem utilizados sempre pneus “slick” nos carros, pois as trajectórias foram secando, definindo linhas precisas que eram usadas pelos pilotos e permitiam andar sempre a fundo. Foi nestas condições que Domingos Sousa Coutinho fez a rodagem ao motor colocado, durante a semana, no seu BMW 2800 CS, antes de perceber que, sem forçar muito o andamento, era competitivo o suficiente para acompanhar o ritmo do seu principal adversário, Francisco Pinto, que utiliza um BMW 2002. No final da qualificação, assinou o 2º melhor tempo entre os H71, correspondente ao 12º da grelha de partida.

Amanhã, as duas corridas do CPCC (H71) terão lugar a partir das 11h15 e das 16h30, com 16 voltas cada.

EM DIRECTO:

“Aproveitei os treinos livres para fazer a rodagem do motor. Nos cronometrados, a conselho da minha equipa técnica, nunca ultrapassei as 7.000 rpm, nem forcei o andamento, para não prejudicar o motor. Tudo correu sem problemas e consegui fazer o 2º melhor tempo entre os H71, logo a trás do Francisco Pinto. Para a corrida, espero divertir-me, em especial se conseguir levar o carro até ao fim. Vai ser uma prova engraçada, até porque o Francisco é um piloto muito combativo. Vou correr sem ‘stress’ nenhum, já garanti o título e, agora, apenas quero terminar o ano em beleza.”



NUNO DINIS

BERNARDO SOUSA





BERNARDO SOUSA NO MONZA RALLY SHOW




O piloto Português da United Business, vai participar pela primeira vez no evento de rali com mais "glamour" em Itália e regressará aos comandos do Peugeot 207 S2000 do Team PA Racing, carro com que competiu recentemente no Rali du Valais, em que se viu forçado a desistir quando ocupava o primeiro lugar geral.

A United Business insistiu na presen...ça de Bernardo Sousa neste importante evento italiano, onde figuram entre outros, o oito vezes campeão do mundo Sebastien Loeb (Citroen DS3 WRC), Dani Sordo (Mini Countryman WRC) vencedor da edição de 2010, Dindo Capello (Citroen DS3 WRC), Valentino Rossi (Ford Focus WRC), Piero Longhi (Mini Countryman WRC), Alessandro Perico (Citroen C4 WRC), Felice Re (Citroen C4 WRC) e 20 outros pilotos com viaturas desta categoria WRC.

Sousa vai ter o seu Peugeot equipado com pneus Pirelli, e a competição na sua classe será muito forte, pois vai estar presente o já por três vezes campeão europeu Luca Rossetti, o pluri-campeão italiano Paolo Andreucci, bem como Giandomenico Basso, e pilotos oriundos do Moto Gp e GP2 (Andrea Dovizioso e Andrea Jannone) com mais de 30 equipas a tripularem viaturas da classe S2000.

Também digna de registo será a participação de Max Papis com o Toyota Camry em que compete na NASCAR. Papis terá a seu cargo a função de carro de abertura, e na tarde de domingo realizará a sua própria exibição individual.

"É a primeira vez que participo no Rally Monza Show- afirma Bernardo - os outros pilotos da United Business têm elogiado bastante o evento, a qualidade dos nomes inscritos, o público e realçam o retorno que o evento proporciona, graças também às muitas celebridades que marcam presença, mas a minha principal motivação passa por poder competir e tentar ombrear com alguns dos melhores pilotos do mundo.
“Nunca entrei nesta competição, só usei o 207 em metade do Rally du Valais e ao meu lado vou ter um navegador com quem nunca fiz equipa, o Corrado Mancini, ou seja, para mim é tudo novo, mas tudo muito bom. Vou seguramente evoluir ao longo do evento e espero obter um bom resultado. Trata-se de um Rally Show, e é sempre importante entreter o público, mas também vou procurar obter bons tempos.”

O formato de 2011 do Monza Rally Show vai apresentar uma novidade, a “Grid Exhibition”, agendada para antes do início da primeira prova especial do dia 25 de Novembro (Sexta-feira), e trata-se de uma iniciativa que pretende envolver o público e prevê a exposição dos carros no pit-lane, segundo a ordem de partida, permitindo ao público presente chegar bem perto dos carros e conviver com os pilotos antes do arranque da competição.

O evento decorre de quinta-feira 24 a domingo 27 de Novembro no circuito italiano de Monza, apresentando nove provas especiais numa extensão total de 154,70 km. Domingo, a partir de 14 horas terá lugar o "Show Master, prova competitiva por eliminatórias que se desenvolve num percurso de 1.500 metros ao longo da recta principal do circuito e que vai envolver as melhores equipas do "Monza Rally Show". O "Show Master" será transmitido em directo pela RAI Sport (Itália) e em diferido por muitos mais canais de televisão a nível mundial.

Pode obter todas as informações do evento em http://www.monzarallyshow.it/



NUNO DINIS
foto: OFICIAL

RALLYE DE PORTUGAL


WRC regressa a Fafe




A classificativa de Fafe/Lameirinha volta a receber as grandes emoções do WRC em Março do próximo ano



O Fafe World Rally Sprint, cuja apresentação decorreu na Câmara Municipal daquela cidade, promete devolver o troço de Fafe/Lameirinha à ribalta do mundo dos ralis, com toda a emoção dos seus saltos e a animação dos milhares e milhares de pessoas que habitualmente confluíam na zona do Confurco: trata-se de uma exibição sob a forma de um rally sprint, a realizar a 24 de Março do próximo ano, no quadro do Vodafone Rally de Portugal 2012, e que reunirá os principais carros e pilotos presentes na quarta prova do Mundial do próximo ano.

Como organizador de referência do Mundial, o Automóvel Club de Portugal tem procurado nestes últimos anos maximizar as oportunidades de promoção da modalidade, criando uma série de actividades que levaram os actuais WRC muito para além das zonas que a competição percorre. Agora e com o imprescindível apoio da Câmara Municipal de Fafe, surgiu a hipótese de levar por diante o Fafe World Rally Sprint.

Aliás, o dinamismo evidenciado pelo ACP nestes últimos anos, em que tem sempre inovado em cada edição da prova, tem merecido um amplo apoio por parte da North One Sport, promotor do WRC - Campeonato do Mundo de Ralis.

A esse propósito, Pedro Almeida, director da prova, referiu: "Se é verdade que o caderno de encargos do WRC nos obrigou a transferir a prova para o sul do País, não podemos esquecer o apoio que sempre encontrámos no Norte, não só em termos das autoridades oficiais mas também do público, que sempre acorreu em número impressionante às classificativas. Agora e com a liberdade de podermos levar a cabo um evento de promoção do rali numa área diferente daquela onde ele se realiza, não tivemos qualquer dúvida em promover este ano uma demonstração na zona de Fafe, na certeza de que os adeptos da modalidade vão corresponder em absoluto a este novo desafio."

Para José Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Fafe, "felizmente que a história se vai repetir em Fafe, com o Fafe World Rally Sprint 2012! Muito justamente e com mérito nosso. São as mesmas condições naturais que fizeram de Fafe a 'Catedral dos Rallies' que permitem trazer de novo, em 2012, a emoção das máquinas e dos melhores pilotos do mundo aos afamados e mundialmente conhecidos 'Saltos da Lameirinha'. Fafe espera por todos com a simpatia e o carinho de sempre!"

O Fafe World Rally Sprint terá lugar no sábado anterior ao início do Vodafone Rally de Portugal - 24 de Março de 2012 - no cenário privilegiado do troço de Fafe/Lameirinha, aproveitando os últimos seis quilómetros da classificativa. Verdadeiro troço cronometrado, o evento realizar-se-á com base em duas mangas de qualificação e uma final, a que acederão os pilotos mais rápidos.

O paddock do Fafe World Rally Sprint estará situado no Parque da Cidade, junto ao Pavilhão Multiusos, e os participantes na demonstração farão os reconhecimentos da parte da manhã, tendo as passagens cronometradas início a partir das 14h00.

O lote de participantes terá como referências principais os pilotos das três equipas oficiais que irão disputar o WRC 2012 - Citroën, Ford e Mini - o que garante desde logo um espectáculo intenso e que certamente atrairá ao troço de Fafe/Lameirinha milhares e milhares de espectadores.







NUNO DINIS
fotos: OFICIAIS

DOMINGOS COUTINHO



Domingos Sousa Coutinho termina temporada em Braga



“Quero acabar o ano com um bom resultado”



Domingos Sousa Coutinho. Campeão de Portugal de Clássicos de Circuitos na Classe Históricos 71 (H71) vai encerrar a sua bem sucedida temporada no Circuito Vasco Sameiro, em Braga, palco da derradeira jornada do Campeonato. Nesta segunda edição da prova bracarense, o piloto da Brandini Racing quer conquistar um bom resultado, se possível mais um triunfo.

Domingos Sousa Coutinho mantém em alta a motivação que o levou a segundo título entre os H71. Por isso, assume que a sua prestação no Circuito de Braga 2 tem que estar de acordo com aquilo que fez no resto da temporada: lutar pela vitória. Para tal, espera ter a colaboração preciosa do seu BMW 2800 CS, apesar de alguns problemas de motor que têm ensombrado as suas últimas corridas, nomeadamente no Estoril e em Portimão.

EM DIRECTO:

“Depois de uma temporada em que conquistei o título com antecipação, quero manter-me na luta pelas vitórias. A minha motivação está como a do [Sebastian] Vettel: sempre em alta! Quero terminar o ano a vencer, tal como ele quer!
Claro que ir para Braga com o título garantido, dá uma outra segurança e uma tranquilidade diferente. Vou sem “stress” nenhum, sem angústia, apenas desejando divertir-me o máximo e andar bem de início ao fim da prova, procurando mais uma vitória. De outra maneira, sem querer continuar a discutir a vitória, não fazia sentido, para mim, nesta situação de ser já campeão, deslocar-me a Braga. Espero, para isso, que o meu BMW 2800 CS esteja em condições. Tive um problema no Algarve, que foi a rotura de um pistão e, mais tarde, em testes, verifiquei que havia água no óleo, o que era motivado por uma fissura no bloco. A minha equipa de mecânicos conseguiu recuperar o motor a tempo desta corrida, mas a primeira sessão de treinos livres será apenas para fazer a rodagem do motor. Depois, espero que ele esteja em boas condições de me permitir ser competitivo. Mas uma coisa garanto: a minha motivação não irá diminuir em nada com este percalço e vou para lá à procura de mais uma vitória para o meu palmarés.”




NUNO DINIS
foto: OFICIAL