RALLYE SERRAS DE FAFE




46 Inscritos no Rali Serras de Fafe


A Demoporto conseguiu reunir uma lista de 46 inscritos para disputar o Rali Serras de Fafe, prova do Campeonato de Portugal de Ralis, que conta também para o Regional Nordeste e para a Taça de Portugal,

Para o Nacional estão apenas presentes 16 inscritos, registando-se a ausência de Ricardo Moura, que não escolheu esta prova para pontuar, prevendo-se mesmo assim uma luta interessante de seguir pela vitória à geral, como para o CPR2



NUNO DINIS

CURTAS RALLYE SERRA FAFE

Pedro Leone: Um passo em frente  

 Pedro Leone e Bruno Ramos, da Racing Team by Expofor, apostam em 2011 nas provas da Taça de Portugal de Rallyes que estão incluídas no programa do Campeonato de Portugal de Ralis.
Assim, após a estreia na prova Vodafone Rali de Portugal realizada em Março deste ano, estão agora prontos para participar na prova Rali Serras de Fafe a realizar já este fim-de-semana de 30 de Abril e 1 de Maio nos míticos troços de Fafe.
A dupla Pedro Leone e Bruno Ramos levam ao Rali Serras de Fafe o imponente Ford Escort Cosworth, confiantes numa boa classificação final, Esta prova é uma estreia do piloto em Fafe, bem como em eventos do Nacional de Ralis, com excepção da prova Rali Casinos do Algarve que fazia parte do Campeonato Regional de Ralis do Sul em que Leone participou nestes dois últimos anos.
Dispostos a voo maiores este ano irão garantir a sua presença e participação nas restantes provas da Taça de Portugal. Para Pedro Leone e Bruno Ramos o principal objectivo será conseguir uma boa classificação na prova. Segundo piloto “ Esta aposta na Taça de Portugal de Rallyes é um passo em frente na nossa ambição enquanto equipa, por isso vamos com o objectivo de conseguir uma boa classificação, mas conscientes da forte concorrência. O carro sofreu pequenas evoluções e acreditamos que possa também ele dar o seu melhor”.
Já Bruno Ramos reforça as palavras do piloto, afirmando, “ vamos seguramente dar o nosso melhor, esse é nosso espírito e da equipa que nos acompanha”.

 
 
 
 
Ivo Nogueira: Pontuar é importante
 
 
Terceira prova do Campeonato de Portugal de Ralis, o Rali Serras de Fafe marca novo capítulo de aprendizagem para Ivo Nogueira, desta vez numa das regiões mais famosas dos Ralis em Portugal.
O jovem piloto de 20 anos era criança quando o "mundialista" Rali de Portugal visitou pela última vez os espectaculares troços da região minhota, mas Ivo Nogueira sabe bem que aquelas especiais de terra carregam uma história única: "Fafe é um sítio especial para qualquer piloto de ralis", afirma. "Já corri lá no ano passado e apercebi-me da exigência dos troços e da tradição que nomes como Lameirinha ou Luílhas transportam. Não é por acaso que lhe chamam „a Catedral‟", refere o jovem piloto da Maia.
Em termos desportivos, o Serras de Fafe é a segunda prova do Campeonato de Portugal de Ralis 2 Litros / 2 Rodas Motrizes (CPR2), onde Ivo Nogueira ocupa a vice-liderança depois do histórico pódio na abertura, no Rali Torrié. No campeonato absoluto, o piloto do Citroën DS3 R3T ocupa a quinta posição, depois de um Rali de Portugal atribulado e que serviu sobretudo para tomar contacto com a extensão e dureza dos troços de uma prova do Campeonato do Mundo.
"De facto, o ideal era ter feito mais quilómetros no Rali de Portugal e acumular alguns pontos para o CPR. Contudo, os nossos principais objectivos da época são o CPR2 e o Citroën Racing Trophy, e estamos a lutar pelos primeiros lugares nas duas competições. Pontuar de forma regular é importante e é com esse espírito que encaramos o Rali Serras de Fafe, até porque em termos de resultado absoluto não nomeámos o rali para pontuar e será muito difícil repetir o pódio da primeira prova pois estão presentes vários carros de tracção integral de topo."

 



Daniel Nunes: Manter o ritmo competitivo


Depois das excelentes prestações com o Mitsubishi EVO VI a dupla de Sintra Daniel Nunes e Carlos Ramiro irão estar presentes neste próximo fim-de-semana em mais uma edição do Rali Serras de Fafe, inscritos com o seu Citroen Saxo.
A prova em pisos de terra irá ser pontuável para os Campeonatos de Portugal de Ralis, Taça Nacional e Regional Ralis Nordeste.
A equipa centra os seus objectivos na Taça de Portugal de Ralis e aposta em manter o bom ritmo das últimas provas, aproveitando para fazer mais alguns quilómetros nos pisos de terra, de forma a preparar a fase de terra do Open de ralis que se inicia em Junho.
Como nos salienta o Campeão em Titulo do Júnior de Ralis “ Essencialmente vamos a este rali para nos divertir. Por outro lado queremos aproveitar a prova para rodar mais alguns quilómetros nos pisos de terra e não deixar «quebrar» o bom ritmo que estamos a «aplicar» em todas as provas que disputamos este ano. Vai ser a primeira vez que alinhamos neste rali, e mesmo com um carro limitado queremos tentar um bom resultado entre os carros de apenas duas rodas motrizes, mas sobretudo queremos, e como já referi, aproveitar a prova da melhor forma e divertir me ao máximo”.

 
 
 
Luís Mota: Testar Evo VI para o Open
 
 
A equipa da Competisport irá estar presente na edição de 2011 do Rali Serras de Fafe, inseridos na Taça de Portugal de Ralis.
Para Luís Mota e Alexandre Ramos o principal objectivo será testar o seu Mitsubishi EVO VI, que na prova anterior acabou por ter uma prestação muito curta.
Como salienta o piloto do Cartaxo. “Em princípio tudo aponta que deverá ser neste EVO que iremos disputar a fase de terra do Open de Ralis, pelo que temos estado a aproveitar estas provas para fazer algumas evoluções no carro, para no que no Rali Oliveira do Hospital possamos contar com um carro competitivo que nos permita lutar pela vitória. Em termos de resultados finais vamos procurar dar o nosso melhor e tentar alcançar o melhor resultado possível, mas sem grandes preocupações.

 

Pedro Silva: objectivo testar o carro



O Rali Serras de Fafe irá contar com a presença da dupla Pedro Silva e Ricardo Cunha, que na prova em pisos de terra irão estrear um novo motor no seu Citroen Saxo.
Com isto os objectivos estão centrados em rodar com o carro, aproveitando a prova para testar e somar mais alguns pontos no Regional.
Como nos refere o piloto de Guimarães “Vamos estrear um motor novo que ainda não estará a 100% na sua evolução pois a gestão electrónica do motor que vamos usar ainda não é a definitiva, mas sim uma de troféu. A definitiva talvez apenas para o rali de Sabrosa. Vamos ao rali exclusivamente para fazer quilómetros e testar o carro, procurando terminar a prova e marcar alguns pontos para o campeonato regional nordeste. Decidimos inscrever-nos nesta prova integrando também a Taça de Portugal de Ralis, pelo que vamos fazer os dois dias de prova, uma vez que é um rali que tanto eu como o Ricardo (Cunha) desde sempre desejamos disputar. Já fizemos centenas de km a pé e passamos dias e noites inteiras ao longo de muitos anos a acompanhar os ralis e reconhecimentos nos míticos troços de terra de Fafe, com especial incidência às provas que contavam para o mundial de ralis, pelo que participar nesta prova será para nós o concretizar de um sonho de criança, já que vamos ter finalmente a oportunidade de percorrer em prova aquilo que para nós é como que uma espécie de «solo sagrado»”.
O Rali Serras de Fafe arranca sábado à tarde com a realização de uma dupla passagem pelos troços de Ruivães e Luílhas. À noite o centro da cidade é palco de uma Super Especial. Por fim no Domingo os concorrentes efectuam uma dupla passagem por Montim e Lameirinha, totalizando aproximadamente 250 quilómetros.



Gil Antunes: preparar fase de terra do Open


Um dos nomes do Desafio ModelStand e do Open de Ralis, Gil Antunes, irá estar presente na próxima prova do Campeonato de Portugal de Ralis, com mais uma edição do Rali Serras de Fafe.
O piloto de Sintra irá estar inserido na Taça de Portugal de Ralis, servindo a prova em pisos de terra para testar com o Peugeot 206 Gti e preparar assim da melhor forma a próxima prova do Troféu monomarca que será o Rali Oliveira do Hospital.
Como nos adianta Gil Antunes “vamos ao rali essencialmente para testar com o carro e ter umas primeiras indicações com o mesmo nos pisos de terra. Em 2010 fizemos uma prova com um outro Peugeot mas com umas condições climatéricas bastantes más, e foi a nossa primeira prova com o carro, pelo que no momento com mais quilómetros e mais habituado ao carro, penso que poderemos explorar o carro ainda melhor. Não vamos preocupados quando a resultados e o objectivo é mesmo fazer o máximo de quilómetros e fazer um bom trabalho de casa com a nossa equipa técnica da SFR Motorsport, para no Oliveira do Hospital estarmos em máxima força e lutar novamente pelos lugares do pódio”.
Desta feita e por impossibilidade do seu habitual navegador, Ricardo Domingos, Gil Antunes terá um novo co-piloto a seu lado, sendo a estreia de Sandra Ramos nos 206 Gti, a habitual navegadora de Alexandre Ramos no Regional Ralis Sul.
A Taça de Portugal de Ralis cumpre na totalidade as mesmas especiais do CPR, efectuando uma dupla passagem pelos troços de Ruivães, Luilhas, Montim e Lameirinha, e uma única passagem pela Super Especial que decorrerá no centro da cidade no Sábado à noite.




Pedro Meireles encara Serras de Fafe com optimismo



Será já este fim-de-semana que irá para a estrada a 3ª prova pontuável para o CPR 2011 e a dupla do Team JMC/Galp Formula, Pedro Meireles/Mário Castro, fará a sua segunda aparição após a excelente vitória que alcançaram no rali de Portugal.
Partindo com o objectivo de lutar pela vitória, Meireles encara este rali sem grande pressão porque “o nosso grande objectivo será sair desta prova na liderança do CPR. É certo que tudo faremos para vencer o rali mas não é nossa intenção arriscar em demasia por forma a podermos colocar em causa uma boa colheita de pontos para o CPR. Teoricamente existem 4 pilotos com condições idênticas para poderem lutar pela vitória no rali sendo que não será nada fácil para nenhum deles vencer a prova, mas resta-nos dar o nosso melhor e ver como se comportam os nossos adversários ao longo do fim de semana. A pressão está mais do lado deles porque o Pascoal e o Vitor Lopes tem apenas um resultado do 1º rali abaixo do que era expectável e o Peres está ainda sem pontuar. Por muito que gostássemos de vencer esta prova, temos de pensar no campeonato porque este é definido pelo somatório de 6 ralis e não de 1”.







Vitor Pascoal: Vencer
O Politejo Rally Team, com Vítor Pascoal e Luís Ramalho, encara o Rali Serras de Fafe com um objectivo muito preciso, a vitória!
Partindo com o claro objectivo de lutar pela vitória, Pascoal encara a primeira participação com Luís Ramalho como navegador de uma forma bastante optimista: “Vamos para Fafe determinados em lutar pela vitória . O Rali Serras de Fafe é uma prova de que gostamos bastante e em que nos costumamos sentir à vontade. Não temos dúvidas que a concorrência será forte, mas estamos suficientemente motivados para também ter uma palavra a dizer.”
Desta feita com o Mitsubishi Lancer Evolution X alugado à RMC, Pascoal diz ainda que “tal como nos anos anteriores, encaramos o CPR com o objectivo de lutar pelo título. O resultado do Serras de Fafe é muito importante para nós relativamente às contas finais, pelo que estamos determinados em dar o nosso melhor.”




http://www.ralisonline.pt/
 
 
NUNO DINIS

ARMINDO ARAÚJO



Atraso nas peças condiciona preparação do português





Armindo Araújo sem testes para a Sardenha


Armindo Araújo não vai, afinal, realizar o teste programado para o final desta semana (inicialmente para 4ª feira passada e depois adiado para ontem) com o novo Mini JCW WRC. O bicampeão do Mundo de Produção preparava-se para ter o primeiro contacto com a versão WRC do Mini em Itália, mas um atraso no fornecimento de peças, relacionado com os motores 1.6 preparados pela BMW, acabou por inviabilizar o ensaio que só poderá ser feito no 'Monday test', já em vésperas do início do Rali de Itália-Sardenha.
Conforme explicou hoje o piloto português ao AutoSport, "o nosso carro saiu apenas há algumas horas das instalações da Prodrive em Inglaterra onde esteve duas semanas à espera que algumas peças do motor pudessem ser montadas. Tal só foi possível agora pelo que isso acabou por condicionar o teste de preparação que tínhamos agendado, mas isso acaba por fazer parte também das contingências de um projeto e carro novo e também das dificuldades em fazer peças suplentes por parte do fabricante dos motores".

Sem Mini para testar, Armindo Araújo irá agora realizar alguns quilómetros ao volante de um Mitsubishi Lancer R4 da Ralliart Itália, numa solução de recurso, para ganhar ritmo antes de se voltar a sentar no Mini, por forma a ficar a conhecer as reais potencialidades do JCW WRC na próxima segunda feira.






RICARDO AMARAL

PAULO NETO




Na catedral dos ralis




O Campeonato de Portugal de Ralis prossegue, já este fim-de-semana, com a realização do Rali Serras de Fafe. Na terceira prova da temporada voltam a marcar presença Paulo Neto / Daniel Amaral que ao volante do Citroen DS3 R3T apostam num bom resultado.

A Paulo Neto Sport regressa ao Campeonato de Portugal de Ralis no Rali Serras de Fafe tentando capitalizar mais pontos nesta prova, contado para isso com a experiência acumulada com a recente participação no Rali de Portugal.
“Foi muito importante para toda a equipa e para os nossos parceiros estarmos presentes no Rali de Portugal” afirma Paulo Neto, adiantando que “isso permitiu-nos conhecer melhor o DS3 em pisos de terra, pelo que vamos para o Rali Serras de Fafe já um pouco mais à vontade, o que nos permitirá sermos um pouco mais competitivos”.
Contudo, no Rali Serras de Fafe, Paulo Neto é realista e assume que “não queremos entrar em exageros. Sabemos o nosso ritmo e aquilo que somos capazes de fazer nos troços de Fafe. Para nós é muito importante terminar, pois isso poderá representar pontos importantes dentro das competições em que estamos inseridos”.
Quanto ao rali em si, o piloto de Sintra reconhece que “gostamos muito desta prova, num local mítico dos ralis, que qualquer piloto gosta de disputar, atendendo a que dispõe de excelentes classificativas. Vamos ver se temos mais sorte que na edição anterior, para trazer um bom resultado de Fafe, que nos permita manter a equipa no pódio do CPR2”.
Na continuação da política de comunicação que a equipa Paulo Neto Sport tem vindo a seguir ao longo da época, também no Rali Serras Fafe, dois convidados da Revista Caras de Decoração terão oportunidade de experimentar as sensações da competição, acompanhando Paulo neto num Co-Drive.
A Equipa Paulo Neto Sport estabeleceu mais um acordo com um novo parceiro. Trata-se da Dominó – Indústrias Cerâmicas, à qual “agradecemos, desde já, o facto de se ter associado a nosso projecto para esta temporada”, concluiu Paulo Neto.

A presença de Paulo Neto no CPR, CPR2 e no Citroen Racing Trophy, que tem a assistência técnica da P&B Racing, conta com os seguintes parceiros:

- VALADARES – Louça Sanitária
- SAINT GOBAIN – WEBER – argamassas industriais
- QUANTINFOR – Consultoria informática
- VITARTE – Produção gráfica
- CARAS DECORAÇÃO
- DIRESCO – Superfícies de Quartzo
- RESTAURANTE “O AMARAL”
- CARLOS SIMÕES - Concessionário Citroen em Mafra
- BANHOAZIS - Mobiliário de Banho
- LISTOR - Pavimentos Flutuantes
- TRES – Torneiras
- DOMINÓ – Indústrias Cerâmicas
- PAULO NETO, LDA – Materiais de construção




GIL NEVES

ARC SPORT - RALLYE SERRAS FAFE



FORTALECER POSTURAS




Vítor Lopes acredita na vitória

João Silva e Hugo Mesquita podem surpreender



Após o Vodafone Rally de Portugal, a ARC Sport regressa ao Campeonato de Portugal de Ralis sem o Campeão Nacional de Produção Ricardo Moura. O actual líder absoluto do campeonato nacional optou por não estar presente nas Serras de Fafe, guardando as próximas respostas para as provas insulares, nos Açores e na Madeira.
Mas a equipa de Aguiar da Beira não deixa de estar confiante em relação a possíveis sucessos na prova nortenha. Vítor Lopes assume-se como favorito, prometendo dar o máximo ao lado de Hugo Magalhães nos comandos do Subaru Impreza da ARC Sport.
“A vitória em Fafe será o nosso grande objectivo. Foi para isso que preparámos o Impreza, que se mostrou excelente durante os testes efectuados. Temos carro para lutar pela vitória. Para mim Fafe é um rali de terra especial, onde todos gostam de andar ao máximo”, afirma, com optimismo, Vítor Lopes.
A confiança no sucesso de Vítor Lopes e Hugo Magalhães também é partilhada por Augusto Ramiro, responsável pela estrutura de Aguiar da Beira.
“Julgo mesmo que o Vítor Lopes poderá ter uma palavra a dizer nos destinos da prova. Os troços de Fafe são rápidos e todos gostam bastante de dar o máximo.
Penso que o João Silva vai reconhecer a importância de ter participado no Rali de Portugal, tendo todas as possibilidades de discutir a vitória nas duas rodas motrizes.
O Hugo Mesquita vai fazer a sua estreia em pisos de terra, podendo sair de Fafe com uma grande aprendizagem neste tipo de ralis”, afirma Augusto Ramiro.
João Silva e José Janela em Renault Clio R3 e Hugo Mesquita e Nuno Rodrigues da Silva em Citroen DS3 são mais duas esperanças de sucesso para a ARC Sport.
Se para o jovem piloto açoriano Fafe acaba por ser uma nova experiencia, já para Nuno Rodrigues da Silva será o regresso a uma prova espectacular: “Um rali bonito em troços bonitos, como são os de Fafe”, vaticinou o popular navegador.

Nas carismáticas especiais de Fafe, a ARC Sport aposta em mais um resultado positivo.







JOAO BICA

KARTODROMO DE BALTAR



BALTAR KART CUP 2011




Com início agendado para o próximo dia 01 Maio, esta competição que vai para a sua décima nona edição, consecutiva, sendo a competição mais antiga do país e que se espera bastante concorrida e muito competitiva em boa parte devido à igualdade existente entre este Troféu e o Campeonato de Portugal de Karting, pois as categorias e regulamentação são precisamente iguais. Assim, usando o mesmo material e atendendo ao número crescente de inscritos na primeira prova do nacional, embora tenhamos a noção que essa melhoria veio abastecer-se em Baltar, não deixa de ser verdade que todos os outros podem usar o troféu como complemento do campeonato maior, participando no Baltar Kart Cup.



Se atendermos ao facto de existirem provas dos dois campeonatos coincidentes como é o caso de Leiria, Viana do Castelo e a Taça de Portugal em Baltar, todos aqueles que achem que as quatro provas do calendário nacional, sabe a pouco, têm a possibilidade de com mais três visitas a Baltar participarem nas duas competições.



A nível desportivo a responsabilidade organizativa está naturalmente a cargo do Movimento Sport Clube.








NUNO DINIS

CAMPEONATO OPEN RALIS 2011

RALLYE OLIVEIRA DO HOSPITAL




A Super Especial do Rallye de Oliveira do Hospital, que se irá realizar no dia 17 de Junho de 2011, vai ter inicicio a cerca de 50 metros da morada do blogue nunodinisphotos.blogspot.com, como se pode comprovar na foto




VISITEM OLIVEIRA DO HOSPITAL E VENHAM VER UM DOS MELHORES RALIS EM PORTUGAL




NUNO DINIS
ZE CARLOS FERREIRA
RICARDO AMARAL
GIL NEVES
JOAO BICA

CAMPEONATO OPEN DE RALLYES 2011


Informações Rali Targa / Serra da Freita


O Targa Clube montou a sua prova do Open de Ralis em Arouca, recorrendo à famosa Serra da Freita para aí disputar os troços.

Trata-se de um rali totalmente novo, com apenas dois troços a serem realizados por duas vezes, qualquer deles com extensão superior a 14 Kms.

A derradeira provade asfalto do Open, antes da fase de terra, é o rali possível, montado emcontra relógio, mas poderá vir a ser uma jornada bem interessante de seguir do ponto de vista desportiva.



PROVA: Rali Targa / Serra da Freita

ELEGIBILIDADE: Open de Ralis / Júnior / Regional Norte / Clássicos

DATA: 07 de Maio de 2011

ORGANIZADOR: Targa Clube

CONTACTOS: (t:) 225 094 524/ www.targa.pt / targaclube@sapo.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

INSCRIÇÕES: 04 de Maio de 2011

PERCURSO: 149,56 Kms / Troços – 65,70 Kms

NOVIDADES: Ralitotalmente novo

CENTRO OPERACIONAL: Estádio Muncipal de Arouca


HORÁRIOS

1ª ETAPA – 1ª SECÇÃO SÁBADO, 07/05/2011

Arouca

Assistência 14h05m

1ª Pec – Figueiredo 1 (14,35 Kms) 14h30m
2ª Pec – Felgueira 1 (18,50 Kms) 15h45m

Assistência 16h35m

1ª ETAPA – 2ª SECÇÃO

3ª Pec – Figueiredo 2 (14,35 Kms) 17h20m
4ª Pec – Felgueira 2 (18,50 Kms) 18H25m

Assistência 19h05m
Pódio 19H35m




NUNO DINIS

CAMPEONATO REGIONAL RALLYES-AÇORES



RALLYE SICAL


Moura sem oposição



O 30º Rali Sical que se disputou na Ilha Terceira, voltou a ser a prova de abertura para mais um campeonato açoriano, com algumas novidades de percurso.
Sem qualquer oposição ou problemas mecânicos, Ricardo Moura venceu o Rali Sical, sendo o mais rápido em 9 dos 10 troços disputados. O actual campeão regional imprimiu um ritmo forte no inicio do evento, sempre com médias superiores aos 100km/h, amealhando uma vantagem confortável para depois controlar quem vinha atrás.
Mesmo com as ausências de Pedro Vale e Sérgio Silva, a luta pela segunda posição, acabou por ser um dos maiores focos de interesse no evento pois, ficaram apenas 9,6s de diferença entre o 2º e o 4º classificado.
Ricardo Carmo voltou aos bons resultados, ao ser segundo classificado desde o inicio mas, Luis Miguel Rego (3º classificado) e Fernando Meneses (4º classificado e vencedor de um troço) não lhe deram qualquer descanso. No decorrer do segundo dia de prova, as lutas entre estes três pilotos chegou a ser ao décimo de segundo, fazendo com que tudo podia mudar a qualquer momento.
Artur Silva terminou em quinto da geral e dominou desde o inicio nas duas rodas motrizes mas, a pressão por parte de vários pilotos na mesma categoria, tornaram esta luta muito interessante até ao último troço.
Carlos Costa teve alguns problemas de travões no Citroën, durante o inicio do rally mas, nunca se afastou muito da concorrência, pois recuperou o pouco tempo perdido e terminou em sexto a 9,2s de Artur Silva.
Henrique Moniz também esteve excelente a todos os níveis durante todo o rally mas, viria a perder uma posição para Costa na parte final da prova, ficando apenas a 1,6s do outro carro da CC Racing.
Em habituação ao novo Subaru (ex-Luis Pimentel), Paulo Rego lutou contra os melhores 2WD e chegou a estar a 0,2s de Moniz mas, o jovem piloto do C2 conseguiu segurar o mais potente Impreza 1,3s atrás de si, no derradeiro troço do rally.
Esperava-se mais de Marco Veredas e de César Silva com este último a desistir no derradeiro troço, permitindo que Rúben Rodrigues entrasse no Top 10, num tipo de piso que está em aprendizagem.

Cláudio Bettencourt chegou a estar envolvido numa luta interessante com Artur Silva mas, a caixa de velocidades do Evo 8 cedeu, obrigando o piloto da Graciosa a terminar o rally mais cedo.
Rui Torres teve uma prova para esquecer com muitos problemas no seu Mitsubishi, acabando por desistir antes do meio do rally e Bruno Amaral com o seu novo Evo 8 (ex-Luis Cardoso), esteve parado mais de 30 minutos com uma avaria, não escapando à última posição.
O Team Praia da Vitória viu dois dos seus principais pilotos a ficarem pelo caminho. Sérgio Cardoso bateu na super especial em Angra do Heroísmo e Olavo Esteves despistou-se após um salto com o Clio R3.
No Open, Jorge Sousa dominou com o seu Toyota Corolla GT, deixando Paulo Veredas na segunda posição a pouco mais de 50 segundos

LÍDERES DO RALI:
Ricardo Moura (Pec 1 a 10)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Ricardo Moura (9); Fernando Meneses (1)

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Ricardo Moura / Sancho Euro – Mitsubishi Lancer Evo IX 49m36,6s
2º Ricardo Carmo / Justino Reis – Mitsubishi Lancer Evo IX a 1m32,6s
3º Luís Miguel Rego / Pedro Rodrigues – Mitsubishi Lancer Evo IX a 1m39,8s
4º Fernando Meneses / Roberto Areias – Subaru Impreza WRX a 1m42,2s
5º Artur Silva / Paulo Jesus – Citroen Saxo Cup a 3m41,5s
6º Carlos Costa / Fernando Nunes – Citroen C2 R2 a 3m50,7s
7º Henrique Moniz / Pedro Machado – Citroen C2 R2 a 3m52,3s
8º Paulo Rego / Rui Teixeira – Subaru Impreza WRX STi a 3m53,6s


PILOTO DE RALI
Ricardo Moura

MOMENTO DO RALI
Vantagem de Ricardo Moura desde o primeiro troço

MENOS DO RALI
Ausência de luta pelo primeiro lugar



Texto e foto: http://www.ralisonline.net/


NUNO DINIS

CAMPEONATO REGIONAL RALLYES - MADEIRA


RALLYE DE SÃO VICENTE


A solidão da vitória de Vítor Sá


Sem qualquer oposição e com uma vantagem técnica enorme, Vítor Sá obteve uma vitória fácil conquistando os 8 troços do Rali de São Vicente, para terminar a prova com mais de 1m7s para toda a concorrência.
A luta pelo Grupo N esteve inicialmente muito animada. Mesmo com alguns problemas com o pedal do travão, Miguel Nunes andou sempre no 2º lugar, mas quer António Nunes, João Magalhães e mesmo Filipe Freitas andaram muito próximos entre si.
Com o decorrer do rali, Miguel Nunes foi-se impondo, enquanto Filipe Freitas perdia muito tempo devido a um problema na bomba de gasolina do Lancer e João Magalhães desistia já o rali tinha passado a sua metade com problemas no motor do Lancer, ficando António Nunes com o terceiro lugar.
Duarte Ramos foi um calmo 4º classificado com o seu Lancer Evo IX, ficando a vitória nos duas rodas motrizes e no Júnior para Filipe Carvalho, ao volante do 206 S1600, seguido por Filipe Pires no C2, piloto que ainda venceu o Troféu Eng. Rafael Costa.

Isabel Ramos com o 7º lugar foi a melhor concorrente feminina.



LÍDERES DO RALI:
Vítor Sá (Pec 1 a 8)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Vítor Sá (8)


CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Vitro Sá / Pedro Calado – Peugeot 207 S2000 46m20,5s
2º Miguel Nunes / Vítor Calado – Mitsubishi Lancer Evo X a 1m07,1s
3º António Nunes / Roberto Castro – Mitsubishi Lancer Evo X a 1m26,5s
4º Duarte Ramos / Luís Ramos - Mitsubishi Lancer Evo IX a 2m49,0s
5º Filipe Carvalho / João Paulo – Peugeot 206 S1600 a 3m42,6s
6º Filipe Pires / António Sousa – Citroen C2 a 4m42,1s
7º Isabel Ramos / Rubina Gonçalves – Renault Clio R3 a 4m55,9s
8º Dinarte Batista / Paulo Ferreira – Citroen C2 a 6m15,8s


PILOTO DE RALI
Vítor Sá

MOMENTO DO RALI
Vantagem de Vítor Sá desde o primeiro troço


MENOS DO RALI
Ausência de luta pelo primeiro lugar e poucos inscritos



 
Texto e fotos: http://www.ralisonline.net/
 
NUNO DINIS

ERC




Andreucci vence no ERC


Após a Grécia ter retirado o Elpa Rally do calendário europeu, o mítico Rally 1000 Miglia em Itália, foi o palco para o inicio de mais um ERC que também contou para o campeonato italiano.
Paolo Andreucci passou para a liderança na segunda especial do rally e não mais largou essa posição até ao final, vencendo o evento europeu e a averbou a segunda vitória consecutiva este ano no seu campeonato.
Luca Rossetti foi o primeiro líder ao vencer a super especial na quinta-feira mas, quando a prova foi para as estradas normais, Rossetti baixou para a terceira posição. No entanto, Elwis Chentre que ocupava a segunda posição, penalizou 1m50s na sexta especial, permitindo que Rossetti subisse ao segundo lugar da geral mas, primeiro nas contas do europeu.
Renato Travaglia também beneficiou dos problemas de Chentre e conseguiu terminar no último lugar do pódio e segundo do ERC pois, o ex-campeão europeu, vai voltar a disputar o campeonato europeu em 2011 com um Skoda e vai ao Rali Vinho Madeira.
Andrea Crugnola dominou a primeira etapa entre os carros de duas rodas motrizes mas, logo no inicio do derradeiro dia, Crugnola teve uma saída de estrada que o fez atrasar muito na classificação, acabando por ser Simone Campedelli o melhor na categoria com um Citroën DS3 R3T.


LÍDERES DO RALLY:

Luca Rossetti (SS 1); Paolo Andreucci (SS 2 a 14)


VENCEDORES DE TROÇOS:

Luca Rossetti (5); Paolo Andreucci (5); Elwis Chentre (3); Andrea Perico (1)


PONTUAÇÃO CER

1º Luca Rossetti 39, 2º Renato Travaglia 28, 3º Alessandro Perico 21, 4º Luca Betti 16, 5º Dimitar Iliew 10, 6º Stefano Albertini 9, 7º Maciej Oleksowicz 7.


PONTUAÇÃO CAMPEONATO ITALIANO

1º Paolo Andreucci 50, 2º Luca Rossetti 36, 3º Elwis Chentre 25, Alessandro Perico 25, 5º Gianfranco Cunico 20, 6º Alesio Pisi 14.


CLASSIFICAÇÃO FINAL

1. Paolo Andreucci/Anna Andreussi (I) Peugeot 207 S2000 2:56.43,9
2. Luca Rossetti/Matteo Chiarcossi (I) Fiat Punto Abarth S2000 +33,4
3. Renato Travaglia/Lorenzo Granai (I) Skoda Fabia S2000 +1.50,7
4. Alessandro Perico/Walter Carrara (I) Peugeot 207 S2000 +2.13,2
5. Gianfranco Cunico/Rudy Pollet (I) Peugeot 207 S2000 +3.06,5
6. Luca Betti/Maurizio Barone (I) Peugeot 207 S2000 +4.01,5
7. Elwis Chentre/Angelo Canova (I) Peugeot 207 S2000 +4.38,9
8. Alessio Pisi/Fabio Cadore (I) Peugeot 207 S2000 +6.55,7
9. Dimitar Iliew/Janaki Janakijew (BG) Skoda Fabia S2000 +7.51,4
10. Simone Campedelli/Danilo Fappani (I) Citroen DS3 R3 +7.52,6
11. Stefano Albertini/Simone Scattolin (I) Renault Clio R3 +8.09,6
12. Maciej Oleksowicz/Andrzej Obrębowski (PL) Ford Fiesta S2000 +8.38,8




http://www.ralisonline.net/

NUNO DINIS

RALLYE ILHAS CANARIAS



Fuster volta a vencer


O Rali das Canárias era também pontuável para o Campeonato de Espanha de Ralis, embora a maioria dos participantes espanhóis pertenciam ao "regional" e por isso (os seus carros) não cumpriam com as normas FIA.
Nesta segunda prova do Campeonato de Espanha foi Miguel Fuster que se impôs de novo, num tipo de traçado muito favorável ao Porsche. O seu domínio foi absoluto ao longo dos dois dias de prova, ficando com 50,9 segundos de vantagem sobre o Peugeot 207 S2000 de... Bruno Magalhães, que também angariava pontos.
O terceiro, a 1m12,2s de vencedor foi Xevi Pons com o seu Ford Fiesta S2000. As posições seguintes foram ocupados por Alfonso Viera (Porsche 911 GT3), Sergio Vallejo (Lotus Exige Rally), Berti Hevia (Skoda Fabia S2000) e Joan Vinyes, que se impôs nas duas rodas motrizes com o seu Suzuki Swift S1600.

Com esta nova vitória, Fuster afastva-se na liderança do campeonato espanhol, que terá a prova seguinte a 14 e 15 de Maio com o Rali Cantabria Infinita.




http://www.ralisonlinet.net/


NUNO DINIS

SWRC - RALLYE DA JORDÂNIA






"Melhor era impossível"


 Bernardo Sousa e António Costa venceram o SWRC no Rally da Jordânia, prova pontuável para o Campeonato do Mundo de Ralis da FIA, e terminaram a prova na décima posição da geral absoluta (somando 1 ponto no WRC) depois de um evento em que a concentração e a regularidade foram os factores decisivos para o sucesso alcançado.
Esta é a primeira vitória de nível mundial de Bernardo Sousa que é o actual Campeão de Portugal de Ralis em título, e é igualmente a primeira vitória de um Português no S-WRC.
Depois de terem estado consistentemente na segunda posição durante a etapa de ontem, a equipa optou por jogar pelo seguro e não correr qualquer risco durante o dia de hoje, deixando a iniciativa de atacar aos seus adversários, e esperando que a dureza das classificativas fizessem estragos, o que veio a suceder, e Bernardo Sousa conquista assim uma importantíssima vitória na Jordânia, não só pela vitória na prova em si, mas pela pontuação que vai amealhar para o Campeonato e que o coloca desde já numa posição privilegiada.
Ainda antes da chegada ao pódio final que marcará oficialmente o final do evento, Bernardo Sousa não escondia a sua satisfação – "Esta é uma vitória da equipa, o Team Quinta do Lorde já o merecia há algum tempo, e hoje tornamos realidade esse sonho de vencer no S-WRC e as minhas primeiras palavras vão obviamente para todos eles, mas muito em especial para a minha equipa de assistência e para o Serafim, e claro, para o meu pai. O apoio que tenho recebido, dos meus patrocinadores, da minha família, do público e todos aqueles que me apoiam das mais variadas maneiras é hoje coroado com esta vitória e é a todos eles que dedico este momento."
"Hoje o dia correu de forma mais complicada que ontem, no final do rali, tive um problema na suspensão traseira, que felizmente acabou por permitir chegar ao final e fazer tempos que confirmaram a nossa vitória. É um excelente resultado, ainda por cima que esta é apenas a primeira prova em que alinhamos no S-WRC este ano e portanto, as perspectivas são neste momento muito boas para o resto do campeonato. A forma como encarei este rali foi a fórmula certa, o importante era chegar ao final e se a isso somarmos a vitória, melhor era impossível."
"Saímos daqui na segunda posição do Campeonato S-WRC, mas com menos um rali do que o Karl Kruuda que fica na nossa frente, mas deu para perceber que quando forçamos o andamento fomos consistentemente mais rápidos do que ele em prova, e isso são bons indícios para o futuro. Quero agora continuar a realizar bons resultados pois aguardávamos a nossa hora e hoje, ela chegou, mas quero mais."

O Team Quinta do Lorde vai regressar no Rali da Sardenha de 5 a 8 de Maio. Bernardo Sousa e António Costa ocupam agora o 2º lugar da classificação do S-WRC com 25 pontos, menos cinco do que Karl Kruuda que lidera mas com duas pontuações já obtidas, contra apenas uma de Bernardo Sousa.




NUNO DINIS

WRC - RALLYE DA JORDÂNIA



OGIER VENCE DE NOVO POR...0,2 SEGUNDOS


Troços curtos e menos um dia de prova, parece ser a solução ideal para o aumento de competitividade das provas do WRC, como ficou provado no Rali da Jordânia.
Emoção não faltou mesmo até final. Latvala vez uma recuperação notável, conseguindo recuperar toda a desvantagem que tinha para Ogier, passando mesmo a liderar a uma especial do fim.
A Power Stage foi mesmo o momento mais alto do rali, com Ogier a vencer por 0,4s sobre Latvala, passando de novo para a frente do rali e obtendo uma das vitórias mais curtas de sempre no Mundial de Ralis (apenas 0,2s).

Todos queriam ganhar a Power Stage, com Hirvonen a fazer o mesmo tempo de Ogier, provando que o Fiesta em termos de performances é semelhante ao DS3, enquanto Loeb a perder apenas 0,3s, não escapou contudo ao 3º lugar nesta prova, mas passando a liderar o Mundial de Ralis isolado.
Completamente nos limites, tentando acompanhar Latvala e Loeb, Petter Solberg acabou fora de estrada na 17ª especial, terminando aí a sua prova, que estava a ser muito competitiva.

Destaque para a vitória de Bernardo Sousa no SWRC, depois de Nasser Al-Attiyah ter desistido com problemas de motor no seu carro.



LÍDERES DO RALLY:
Sebastien Ogier (Pec 1 e 2); Sebastien Ogier (Pec 3 a 12); Jari Matti Latvala (Pec 13); Sebastien Ogier (Pec 14)

VENCEDORES DE TROÇOS:
Petter Solberg (1); Sébastien Ogier (3); Jari Matti Latvala (5); Sebastien Loeb (3); Mikko Hirvonen (2);


CLASSIFICAÇÃO 2º DIA

1º Sebastien Ogier - Citroen DS3 WRC 2h48m28,2s
2º Jari Matti Latvala - Ford Fiesta WRC a 0,2s
3º Sebastien Loeb - Citroen DS3 WRC a 27,7s
4º Mikko Hirvonen - Ford Fiesta WRC a 2m44,7s
5º Mathew Wilson - Ford Fiesta WRC a 5m44,9s
6º Kimi Raikkonen - Citroen DS3 WRC a 6m14,9s
7º Frederico Villgara - Ford Fiesta WRC a 9m18,7s
8º Kalid Al Qassimi - Ford Fiesta WRC a 9m43,7s
....
10º Bernardo Sousa - Ford Fiesta S2000 a 15m05,5s

PILOTO DO RALI
Sebastien Ogier

MOMENTO DO RALI
Power Stage

MENOS DO RALI
Organização




http://www.ralisonline.net/


NUNO DINIS

IRC-ILHAS CANARIAS



Estatuto de campeão


No início do ano, o Rally Islas Canárias esteve em risco de não se realizar devido a problemas financeiros. Para bem do desporto, a prova foi para a estrada e foi um rally bastante competitivo do principio ao fim.
Juho Hänninen iniciou a derradeira etapa em terceiro, com uma desvantagem de 8,6s para o líder mas, sem nada a perder neste campeonato, o finlandês venceu quase todos os troços do derradeiro dia e averbou uma excelente vitória.
Jan Kopecký perdeu a liderança na primeira especial do dia para Neuville e mais tarde, seria ultrapassado na classificação pelo seu colega de equipa, terminando a prova em segundo apenas a 1,5s de Hänninen.
Neuville passou pela liderança mas, "derreteu" os pneus para o conseguir, ficando um pouco limitado para discutir a vitória. De qualquer forma, o jovem belga esteve muito bem no fim-de-semana e obteve um excelente terceiro lugar a 6,7s do vencedor.
Freddy Loix continuou rápido no último dia mas, não esteve tão bem como ontem pois, perdeu alguns segundos para o trio da frente e não foi além da quarta posição.
Um pouco mais atrás, no segundo pelotão, Guy Wilks venceu a luta particular contra Mikkelsen (6ª) e Bryan Bouffier (7º), com uma vantagem final de 5,3s para o norueguês e de 12,3s para o francês.
Bruno Magalhães voltou a perder terreno mas, manteve a oitava posição na frente de Giandomenico Basso e Toni Gardemeister.
Joan Vynies foi o melhor nas duas rodas motrizes, ao volante do Suzuki Swift S1600 e Miguel Fuster voltou a não dar hipóteses nas contas do campeonato espanhol, superiorizando-se em mais de 1 minuto a Xavier Pons.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Juho Hanninen - Skoda Fabia S2000 1h40m38,1s
2º Jan Kopecky – Skoda Fabia S2000 a 1,5s
3º Thierry Neuville – Peugeot 207 S2000 a 6,7s
4º Freddy Loix – Skoda Fabia S2000 a 8,5s
5º Guy Wilks – Peugeot 207 S2000 a 31,6s
6º Andreas Mikkelsen – Skoda Fabia S2000 a 55,6s
7º Bryan Bouffier – Peugeot 207 S2000 a 1m00,6s
8º Bruno Magalhães – Peugeot 207 S2000 a 1m49,8s






RICARDO PEREIRA

ARC SPORT - ERVIDEIRA TT


PROÍBIDO FAZER PREVISÕES




• João Pais e José Janela abandonaram sem travões na Mazda




O duplo vencedor dos Desafios ELF-Mazda em 2009 e 2010 tentou regressar à competição com o pé direito. Um comportamento equilibrado fazia prever uma prova a pensar nos pontos. Um terceiro lugar no prólogo, com os principais opositores ao alcance, dava a tranquilidade necessária a João Pais para poder gerir a prova no dia mais longo do Ervideira Rali TT.
Com um ritmo adequado, a equipa chegou perto do final do primeiro sector selectivo no segundo lugar dos Desafios ELF-Mazda, a menos de um minuto do líder João Rato. Com tudo a correr como estava previsto, João Pais e José Janela esperavam poder lutar pela vitória durante o derradeiro sector. No entanto, o imprevisto surgiu a quinze quilómetros do final do troço, quando um tubo dos travões da Mazda BT-50 se partiu.
“Foi uma desilusão! Ficámos completamente sem travões e impossibilitados de continuar em prova. Até essa altura estava tudo a correr bem, pois estava a 55 segundos do João Rato, e julgo que poderia vir a ser uma luta interessante. Vamos tentar para a próxima corrida”, afirmou confiante João Pais.
Neste seu regresso ao Todo o Terreno em 2011, a ARC Sport não contou com o factor sorte.
“Estava tudo a correr como o previsto, numa altura em que se controlava o ritmo do nosso principal adversário. Infelizmente, o tubo de travão que se rompeu acabou demasiado rápido com a corrida. Se existirem verbas suficientes para continuar a lutar pela revalidação do título entre as Mazda, estaremos presentes na próxima prova com o carro bastante mais evoluído”, afirmou Pedro Patrocínio, responsável pelo departamento de Todo o Terreno da ARC Sport.






GIL NEVES

ERVIDEIRA TT




UM ANO DE MÁ COLHEITA




O Team Tanqueluz/Paredecar não conseguiu repetir o êxito do ano passado. Lino Carapeta e Rui António ficaram muito longe da brilhante vitória conquistada em 2010, quando precisamente no final da primeira passagem pelo prólogo, o turbo do Bowler Wildcat partiu. Uma surpresa demasiado desagradável para as aspirações da equipa.
“Não contávamos com um problema deste género. Depois dos quilómetros que efectuámos no Algarve e após os testes intensos que realizámos em Arraiolos, era impensável surgir um problema deste tipo. Ainda chegámos a montar um novo turbo, que voltou a partir. As corridas são mesmo assim, e a sorte é um factor imprescindível. Este ano não esteve ao nosso lado”, desabafou Lino Carapeta, que já aponta para a próxima prova do calendário.
Foram apenas escassos quilómetros que Lino Carapeta e Rui António percorreram no primeiro dia de competição em Reguengos de Monsaraz. Desta vez o turbo do Bowler não se deu bem com o sol intenso da planície alentejana. Um Ervideira de má colheita para o Team Tanqueluz/Paredecar.



GIL NEVES

PEUGEOT SPORT PORTUGAL



Rali das Canárias/El Corte Inglês




BRUNO MAGALHÃES (PEUGEOT 207 S2000) MARCA OS PRIMEIROS PONTOS



O Rally Islas Canárias/El Corte Inglês, a segunda prova do IRC (Intercontinental Rally Challenge), não correu de feição à dupla Bruno Magalhães/Paulo Grave, em Peugeot 207 Super 2000. Os portugueses não conseguiram transpor para a estrada as ambições que à partida traziam para a segunda prova da época e, tendo cumprido os 190,59 km do rali, terminaram no 8.º lugar da geral e marcaram os primeiros pontos no campeonato.
Melhor dupla no Shakedown de quinta-feira, os pilotos da Peugeot Sport Portugal terminaram o Rally Islas Canárias tal como tinham começado, com o sétimo lugar à geral nas classificativas de abertura e de fecho da prova canária. No final, a equipa rubricou 3 sétimos lugares, 5 oitavos e 3 nonos nas 11 classificativas percorridas contra o cronómetro.
Sem mostrar os mesmos níveis de confiança que no ano passado lhe permitiram aqui obter o 5.º posto da geral, Bruno Magalhães melhorou quase sempre os seus ‘cronos’ nas segundas passagens pelos troços, em alguns casos na ordem dos 10 segundos. Porém, num rali decidido ao segundo, o piloto esteve distante dos tempos realizados pelos concorrentes mais rápidos, tal foi o ritmo com que o ‘pelotão’ do IRC encarou a prova.
Desiludido, o piloto da Peugeot Portugal analisou o desempenho neste fim-de-semana, que, não sendo satisfatório, lhe deu os primeiros quatro pontos para o campeonato: “Estou desapontado porque queria andar mais na frente e acabámos por fazer um rali modesto, nem muito bom nem muito mau. Em muitos momentos tive o ritmo próximo dos pilotos da frente, mas tive muitas hesitações que acabaram por ditar as diferenças de tempo no final dos troços. Depois da saída de estrada em Monte Carlo, esperava que fosse mais fácil recuperar a confiança no asfalto, mas ao ritmo a que este rali foi vivido, a nossa tarefa tornou-se muito difícil. A próxima prova, na Córsega, será outro enorme desafio, mas temos que andar mais rápido.”
Segundo Carlos Barros, o Director da Peugeot Sport Portugal: “Vínhamos com boas ambições mas infelizmente não foi possível concretizá-las. O nosso Peugeot esteve sempre bem, agora temos que trabalhar sobre o que faltou, esquecer este resultado que não era o desejado e pensar unicamente no próximo rali.”
Na frente comprovou-se o ritmo alucinante da prova e assistiu-se ao continuar de uma luta emocionante pelo primeiro lugar, que terminou com a vitória para o finlandês Juho Hänninen (Skoda Fabia S2000).
Kopecky, também em Skoda, esteve no primeiro lugar desde a segunda classificativa (ontem) até à nona (esta manhã), mas tendo sempre no seu encalço quer Thierry Neuville (Peugeot Bélgica-Luxemburgo), quer Hänninen, sempre a poucos segundos.
O jovem belga de 22 anos da Peugeot – e revelação do rali – passou para a frente na 9.ª especial, com uma diferença de 0,9 segundos para Kopecky (2º) e 1 segundo para Hänninen. Na 10.ª prova de classificação, Hänninen, campeão do IRC de 2010, subiu ao primeiro posto e aí permaneceu até final, com Kopecky a terminar a 1,5 segundos e Neuville (3.º) a 6,7 segundos.

O IRC prossegue, em Maio, na Córsega, onde Bruno Magalhães e Paulo Grave vão fazer a sua estreia.


Classificação final:

1.º Juho Hanninen/Mikko Markkula (Skoda Fabia S2000), 1h40m38,1s.
2.º Jan Kopecky/Petr Stary (Skoda Fabia S2000), a 1,5 s.
3.º Thierry Neuville/Nicolas Gilsoul (Peugeot 207 S2000), a 8,2 s.
4.º Freddy Loix/Frederic Miclotte (Skoda Fabia S2000), a 16,7 s.
5.º Guy Wilks/Phil Pugh (Peugeot 207 S2000), a 48,3 s.
6.º Andreas Mikkelsen/Ola Floene (Skoda Fabia S2000), a 55,6 s.
7.º Bryan Bouffier/Xavier Panseri (Peugeot 207 S2000), a 1m0,6 s.
8.º Bruno Magalhães/Paulo Grave (Peugeot 207 S2000), a 1m49,8 s.
9.º Giandomenico Basso/Mitia Dotta (Proton Straia Neo S2000), 2m37,8 s.
10.º Toni Gardemeister/Tapio Suominen (Skoda Fabia S2000), a 2m38,2 s.


Classificação do IRC, depois da prova espanhola:

1.º, Juho Hanninen, 33 pontos; 2.º, Bryan Bouffier, 31; 3.º, Freddy Loix, 30; 4.º, Guy Wilks, 25; 5.º, Jan Kopecky, 22; 6.º, Thierry Neuville, 15; 7.º, Stéphane Sarrazin, 12; 8.º, François Delecour, 10; 9.º, Andreas Mikkelsen, 8; 10.º, Nicolas Vouilloz, 6; 11.º, Bruno Magalhães e Giandomenico Basso, 4; 13.º, Toni Grademeister, 2

Próxima prova – Volta à Córsega, de 12 a 14 de Maio





GIL NEVES

VODAFONE RALLYE DE PORTUGAL



Rali de Portugal no calendário do WRC 2012



A FIA aprovou  o calendário do Mundial de Ralis de 2012, onde está incluído o Rali de Portugal. As datas ainda não estão disponíveis já que a FIA pretende minimizar ao máximo sobreposição com os Grandes Prémios de Fórmula 1, de modo a evitar o que já sucedeu este ano com o Rali de Portugal e o GP da Austrália, e agora este fim de semana, quando se realizar o GP da China e o Rali da Jordânia.
O calendário, com doze provas, inclui algumas novidades, como é o caso de Abu Dhabi (substitui a Jordânia), evento que está pendente de aprovação, o mesmo sucedendo com o Rali da Grã-Bretanha que tem passado nos últimos anos por alguns querelas internas. Relativamente a este ano, destaque para o regresso do Rali da Nova Zelândia (que alterna com a Austrália) e com a realização duma prova a 'meias' entre a Suécia e a Noruega.


Aqui fica a lista completa por ordem alfabética

Abu Dhabi *
Alemanha
Argentina (evento de longa distância)
Espanha
Finlândia
França
Grã-Bretanha *
Grécia
México
Nova Zelândia
Portugal
Suécia-Noruega



* Sujeito a confirmação





ZE CARLOS FEREIRA

PEUGEOT SPORT PORTUGAL



Bruno Magalhães foi o mais rápido no “Shakedown”




Bom começo da dupla Bruno Magalhães/Paulo Grave (Peugeot 207 S2000), no Rally Islas Canárias/El Corte Inglês, que foi a mais rápida no “shakedown”, que tinha uma extensão de 2,55 km, realizado ao final da manhã, nas proximidades de Las Palmas, onde esta noite tem lugar a cerimónia de abertura do rali.
O piloto da Peugeot Sport Portugal foi 0,2 seg mais rápido do que Andreas Mikkelsen (Skoda Fabia S2000), com os dois a fazerem sete passagens pelo percurso, com Jan Kopecky (Skoda Fabia S2000) a averbar o terceiro tempo, enquanto o detentor do ceptro, Juho Hanninen (Skoda Fabia S2000) não conseguiu melhor que a sétima marca.


O Rally Islas Canárias/El Corte Inglês prossegue amanhã, com oito provas classificativas.



NUNO DINIS

OCEANOTRADE RACING TEAM

AUSÊNCIA FORÇADA




Depois de estrear em Tavira no passado mês de Março, um novo e credível projecto para o Campeonato de Portugal de TT, a OceanoTrade Racing Team está impossibilitada de comparecer na segunda prova do calendário nacional, o Ervideira Rali TT, devido a questões de saúde do piloto Paulo Graça. Lesões ao nível da coluna vertebral (hérnias discais) impedem Paulo Graça de competir durante cerca de um mês.

“Tenho estado cheio de dores e até com alguma dificuldade de movimentos. O médico aconselhou-me a parar por algum tempo e a efectuar algumas sessões de fisioterapia. Tem sido bastante doloroso, mas conto regressar no Rali TT Serras do Norte”, afirmou, confiante, Paulo Graça.

Lesões ao nível da coluna vertebral, um tipo de situação muito comum aos pilotos de todo o terreno, impedem Paulo Graça e Nuno Rodrigues da Silva de levarem a Nissan Off Road até Reguengos de Monsaraz no próximo fim-de-semana.

 
 
 
GIL NEVES

PEUGEOT SPORT



24 de Abril: Dia de testes para as 24 Horas de Le Mans





TRÊS PEUGEOT 908 E PEDRO LAMY PRESENTES



Três novos Peugeot 908 vão estar presentes, pela primeira vez, no traçado das 24 Horas de Le Mans, no dia de testes agendado para 24 de Abril. De volta ao calendário depois de dois anos de ausência, este dia organizado pelo Automobile Club de l’Ouest vai permitir ao Team Peugeot Total desenvolver um programa de testes específico neste traçado único, contando, para o efeito, com a presença de Pedro Lamy.


O INIMITÁVEL TRAÇADO DE LE MANS

Domingo, 24 de Abril, o novo Peugeot 908 percorrerá, pela primeira vez, os 13,629 km do perímetro do circuito, que passa por nomes míticos do desporto automóvel, como é o caso de Tertre Rouge, Haunaudières, Mulsanne, Indianapolis ou Arnage…, que marcam uma parte da história da Peugeot.
Ao volante dos três Peugeot 908, os nove pilotos, Anthony Davidson, Marc Gene e Alexander Wurz (equipa N.º 7), Nicolas Minassian, Franck Montagny e Stéphane Sarrazin (equipa N.º 8), Sébastien Bourdais, Pedro Lamy e Simon Pagenaud (equipa N.º 9), irão cumprir o programa de testes estabelecido, com o objectivo de encontrar as afinações ideais para um traçado de características muito especiais.
Esta é a oportunidade para confirmar ou contrariar os ensinamentos recolhidos nas numerosas sessões de testes e nas 12 Horas de Sebring, no que diz respeito ao traçado das 24 Horas de Le Mans. “Rodámos em circuitos que reproduzem certos aspectos que encontramos nas 24 Horas de Le Mans, mas nenhum consegue reproduzir na totalidade as características deste circuito”, lembra Bruno Famin, director técnico da Peugeot Sport. “Podermos fazer este dia de testes é indispensável, tanto mais que, este ano, estamos presentes com um carro novo. A desmontagem dos Peugeot 908, depois de Sebring, foi muito instrutiva. A partir daí definimos o que tínhamos de fazer nos testes que tiveram lugar em Monza, Castellet e Aragón. Para o dia 24 de Abril, os três carros terão programas de trabalho definidos ao redor de três questões: pneus, aerodinâmica e “set up” mecânico.”


VENCER AS 24 HORAS DE LE MANS É O OBJECTIVO PRINCIPAL DO ANO

O Team Peugeot Total optou por participar com os três carros nesta sessão de testes. “Quando apresentámos o Peugeot 908 HYbrid4, no Salão de Genebra”, prossegue Bruno Famin, “tínhamos a ambição de o fazer rodar durante o dia de testes. No momento de decidir, considerámos que o carro não estava suficientemente desenvolvido a nível competitivo para rodar com condições de fiabilidade aceitável. É por isso que, para preparar melhor a próxima edição das 24 Horas de Le Mans, todos os esforços do Team Peugeot Total estarão concentrados nos três 908 de motorização convencional.”
“Estamos muito interessados no desenvolvimento dessa tecnologia inovadora – na qual a Peugeot é a primeira a apostar – que representa um avanço importante em termos do aumento do rendimentos dos carros”, conclui Olivier Quesnel, Director da Peugeot Sport. “O projecto continua a avançar. O nosso principal objectivo, este ano, é ganhar as 24 Horas de Le Mans e, para isso, é preciso desenvolver um intenso trabalho em torno do nosso novo Peugeot 908. Temos um dia para rolar no circuito e recolher o máximo de informações, já que cada quilómetro percorrido pelos nossos pilotos será importante para encontrar as melhores soluções para o mês de Junho.”

A sessão de oito horas de testes terá lugar no Domingo, 24 de Abril, entre as 09h00 e as 13h00 e das 14h00 às 18h00 (hora francesa).


Informações práticas

Peugeot 908 n.º 7: retrovisores azuis
Peugeot 908 n.º 8: retrovisores brancos
Peugeot 908 n.º 9: retrovisores encarnados

Sábado, 23 de Abril

14.00 – 16.00: Sessão de fotos
16.30 – 17.30: Entrevistas


Domingo, 24 de Abril

09.00 – 13.00: Ensaios livres
14.00 – 18.00: Ensaios livres



 
JOAO BICA

ARC SPORT - ERVIDEIRA TT



 DEFENDER OS TÍTULOS




ARC Sport com João Pais e José Janela no Desafio ELF/Mazda



Duplo vencedor do Desafio ELF/Mazda, João Pais regressa à competição, desta vez com José Janela como navegador. Combativo e com enorme vontade de vencer, o jovem piloto não prescinde do apoio e cuidados da ARC Sport para tentar defender os títulos.
“Vamos ao Ervideira com a mesma intenção de sempre que é a vitória. Só ontem decidi participar, e por isso quero deixar os meus parabéns à ARC Sport por conseguir ter a Mazda pronta em apenas quatro dias. Vamos tentar fazer um teste para que não existam surpresas, embora os novos pneus obrigatórios sejam por si só uma surpresa para qualquer um. A Mazda está praticamente igual ao ano passado, embora a concorrência esteja efectivamente bem mais forte”, afirma João Pais, que não esconde um comentário bem disposto em relação ao seu antigo navegador: “O despique com o João Rato está garantido. Ele que se cuide…”, gracejou o piloto, campeão do Desafio ELF/Mazda em 2009 e 2010.
A decisão de João Pais em participar no Ervideira Rali TT só foi conhecida ontem ao final da tarde. Em Aguiar da Beira a notícia foi recebida com agrado, apesar de pouco tempo para preparar a Mazda BT-50.
“Vamos tentar conquistar pontos que podem ser preciosos para o Desafio ELF/Mazda deste ano, embora as condições não sejam as ideais por notória falta de tempo para se poder evoluir o carro. Como é sempre nosso timbre, vamos lutar por fazer um bom trabalho, embora quatro dias de preparação seja de facto muito pouco. São as condições possíveis, e tudo faremos para tentar chegar à vitória. Estamos confiantes, e vamos desde já trabalhar para que na prova seguinte o carro esteja nas condições que acho serem ideais”, afirmou Pedro Patrocínio, responsável pelo Departamento de Todo o Terreno da ARC Sport.

O Ervideira Rali TT, primeira prova do Desafio ELF/Mazda 2011, e segunda do Campeonato de Portugal de TT está marcado para o próximo fim-de-semana em Reguengos de Monsaraz. A ARC Sport está confiante num excelente início de época.

GIL NEVES

RALLYE DO VIDREIRO 2011

Boa noite,

Já se encontra online no nosso facebook uma galeria de fotos sobre o Rallye Vidreiro, edição de 2011, que decorreu no passado fim-de-semana, organizado pelo Clube Automóvel da Marinha Grande, na zona de Leiria.

As mesmas são de autoria de Ricardo Pereira.


www.facebook.com/nunowrcdinis


NUNO DINIS

WRC - RALLYE DA JORDÂNIA

RALLYE DA JORDÂNIA EM RISCO

O Rali da Jordânia enfrenta novos problemas. Depois de ter sido decidido rumar a Israel ao invés da Síria para chegar à Jordânia, o barco que transporta o equipamento avariou, e agora so se prevê que chegue a Haifa, em Israel durante a tarde de amanhã. A juntar a isso terá de se somar o tempo que vai demorar a passar por dois controlos fronteiriços, em Israel e na Jordânia.
Quando tudo chegar ao Mar Morto, há que arranjar tempo para completar os reconhecimentos da prova e o shakedown. É quase impossível, e isto partido do pressuposto que não vai haver mais problemas com o transporte.
Por isto tudo, o primeiro dia do Rali da Jordânia está em sério risco, o que a suceder, repete a Argentina 2007 quando o mau tempo impediu os aviões de deixar Buenos Aires, e consequentemente, a primeira etapa do rali que se realizava no dia seguinte.


Mais atrasos no barco do WRC para o Rali da Jordânia

Fonte da Citroen Racing revelou na sua página do Facebook que o barco que liga Trieste, em Itália, a Haifa, em Israel, com o material das equipas participantes no Rali da Jordânia, voltou a atrasar-se e só deverá chegar a Haifa por volta da meia noite. Depois disso, há que desembarcar todo o material, fazê-lo passar pelo controlo fronteiriço israelita, que como se sabe não brinca em serviço, depois novamente novo controlo à entrada da Jordânia. Os reconhecimentos deviam ter-se iniciado esta manhã, e por este andar o rali, que está previsto começar na quinta-feira e terminar no sábado, vai ter grandes problemas. Será desta que Bernardo Sousa se estreia no SWRC? Pelo menos três dias de rali não deverá fazer...





NUNO DINIS



WRC


MINI WRC TEAM APRESENTADA OFICIALMENTE

Foi oficialmente apresentada a Mini WRC Team, bem como uma série de detalhes que apesar de terem sido anunciados só agora foram confirmados.

Em primeiro lugar que efectivamente a Mini WRC Team estará oficialmente presente em 6 provas, sendo que a primeira prova é o Rali de Itália, já no início do mês de Maio, seguindo depois as presenças na Finlândia, Alemanha, França, Espanha e Grã-Bretanha.

Outra novidade é a presença da versão definitiva do Mini John Cooper Works WRC. As duas únicas novidades visíveis são o pára-choques dianteiro a a forma definitiva da asa traseira deste carro.

Foram também divulgados todos os parceiros deste projecto, sendo já conhecida a dupla de pilotos com Meeke e Sordo, a serem os protagonistas da Mini WRC Team.

Poderá consultar mais informações e detalhes no site oficial da equipa (http://www.minimotorsport.com/) .




NUNO DINIS

BREVES



O Clube Automóvel da Marinha Grande tem sido dos clubes que mais tem apostado nas novas tecnologias. No Rali Vidreiro efectuou diversas transmissões em directo via internet (Livestream) tendo em vista também a prevenção (futura) sobre questões de segurança. Para além dos tempos online, a prova do CAMG teve ainda a cobertura integral da Rádio Clube Marinhense. Emitindo em 96.0 FM a RCM fez uma bom trabalha na divulgação do rali enquanto ele decorreu com entrevistas e reportagens nos momentos certos. Esperamos que seja para continuar.
Num dos parques de assistência mais concorridos de sempre no Open de Ralis, diversas equipas tem vindo a apostar e bem na divulgação dos seus sponsors. Não vamos aqui referir nomes, pois iríamos esquecer alguma equipa, mas o público que visitou o parque de assistência teve direito a muitos brindes.
O CAMG apostou em levar o seu rali para os troços da mata de Leiria durante a noite. Tal facto permitiu que muitos pilotos tivessem a sua estreia na disputa de troços à noite, tendo a generalidade gostado da experiência, como acabou por levar muita gente para a estrada. Sem dúvida uma aposta ganha para o CAMG.

O carro que venceu o Rali Vidreiro, logo na estreia em Portugal e na estreia com António Rodrigues ao volante, é um veículo com "pedigree". Trata-se de uma unidade adquirida em Espanha, que já foi tripulada por Dani Solá. Mesmo só com 20 Kms de testes, António Rodrigues, mostrou que não precisa de muitos quilómetros para se adaptar a qualquer carro.


Luís Fernandes, que trazia uma grande letreiro a dizer obrigado, acabou por ser um dos protagonistas do rali e logo numa prova em que se estreava ao volante de um 206 GTi. O piloto teve uma saída de estrada aparatosa, que levou o seu navegador ao Hospital. Esperemos que a dupla se recomponha do susto e regresse rápido.

Vítor Pascoal apresentou-se nesta prova ao volante de um Evo VII, que irá servir de carro de treinos para o Nacional. O piloto e o responsável da Sport & You vão agora procurar uma nova montada (no estrangeiro) para disputar as próximas provas do CPR, pois o carro (e a equipa) com que fez o Torrié não voltará a ser usado.

Ricardo Teodósio teve um rali para esquecer, mesmo se ainda deu para vencer um troço. Um tubo do intercooler rompeu-se no segundo troço pelo que entre arranjos e penalizações o algarvio desceu às últimas posições do rali de onde não saiu tal o atraso registado.

Paulo Correia teve um imenso azar no regresso aos ralis. Um problema com uma correia do motor ditou um enorme atraso do piloto ainda antes do rali começar. A partir daí foi apenas rodar, mas na ligação para os troços da noite o Lancer ficou mesmo à beira da estrada. Melhores dias virão.

A estreia competitiva do Peugeot 207 RC Rally da RF Competições foi muito positiva. Mesmo sem grandes acertos no carro, Paulo Louro aproveitou bem o factor casa e como é reconhecidamente um piloto rápido chegou a vencer um troço e a dar excelentes referencias da competitividade deste carro de ralis. Pena a neutralização do rali, e os dois furos, que retiraram a Louro o ânimo de lutar pela vitória.


Carlos Vieira, habitual navegador de José Pedroso, teve no Rali Vidreiro a sua estreia como piloto e logo na estreia de um novo Ford Escort. Tendo Luís Cavaleiro a seu lado, Carlos Vieira vez uma boa prova e foi dos quatro clássicos que chegaram ao final da prova, obtendo o piloto o terceiro lugar. Agora, assim o piloto tenha gostado da experiência, outras se irão repetir.

Sendo dos mais azarados do rali, e quando tinha uma vitória quase garantida, Daniel Nunes mesmo descendo ao 11º lugar não deixou de vencer nos Juniores. Um pequeno mas justo prémio, para Daniel Nunes que para além de piloto fez de mecânico ao mudar as transmissões do Lancer a meio do rali. Um dia intenso que merecia melhor final.

Luís Prazeres não teve oportunidade de fazer um único metro de rali no Vidreiro. Ao montar a calandra de faróis no dia anterior à prova, o Mitsubishi recusou-se a pegar e não mais voltou a funcionar deixando o piloto apeado depois de ter preparado a prova com afinco.



FONTE: http://www.ralisonline.net/
 
 
NUNO DINIS