BAJA BP ULTIMATE PORTALEGRE 2010



Miguel Barbosa impõe-se no prólogo




Portalegre não fugiu à situação que o País viveu ao longo do dia e a chuva marcou presença no início da 24ª edição da Baja BP Ultimate Portalegre 500, sobretudo depois da metade dos motards ter concluído a primeira classificativa, um prólogo com 5,52 quilómetros, tornando a situação muito mais difícil para os participantes.
Na categoria de automóveis, em que alinharam 50 equipas no evento FIA e 25 na prova nacional, Miguel Barbosa entrou com o pé direito e estabeleceu o melhor tempo, batendo um surpreendente Pedro Grancha por 2,8 segundos: "O carro esteve bastante bem e o tempo conseguido foi excelente, apesar de percebermos a táctica dos nossos principais adversários. Mas como o nosso objectivo é vencer a prova, quisemos liderar desde o primeiro momento. A chuva pode equilibrar os andamentos, o que só nos pode ser favorável", referiu o líder em quatro rodas.
Filipe Campos estabeleceu a terceira melhor marca e parecia evidente que, ao perder 15,1 segundos para Barbosa, o campeão nacional queria largar numa posição estratégica, algo que o piloto do BMW nega: "A prova estava simplesmente inguiável e acabei por perder muito tempo. Apenas isto e não qualquer táctica premeditada em termos de posições de largada. Esperemos que tudo melhore para o segundo dia de competição", afirmou o piloto à chegada ao parque fechado.
No seu duelo particular, o russo Boris Gadasin levou a melhor sobre o polaco Kryzstof Holowcyc, conseguindo a quarta melhor marca absoluta, e de permeio entrou o local Nuno Matos, com o piloto português a confirmar na prova alentejana a sua vitória em termos do agrupamento T2 na Taça do Mundo.
No evento nacional, Henrique Meneses levou a melhor sobre Luís Inácio e Paulo Ferreira.
Para o segundo e último dia de prova está previsto um único sector selectivo de 368,41 km para motos, quads e UTV/Buggy, com partida pelas 09h30 e chegada prevista para as 15h45; dois troços (SS2 e SS3) para os automóveis, com 160 e 240 km respectivamente, com partida para a SS2 pelas 08h00 e para a SS3 pelas 12h50. A chegada sucederá pelas 16h10.

António Maio reinou na chuva entre os motards

Como habitualmente as motos deram um grande espectáculo e levaram muito público à zona do prólogo. A batalha prometia ser intensa entre os homens da frente e acabou por ser António Maio a sentir-se mais à vontade com as difíceis condições climatéricas que se faziam sentir. Se para os primeiros a partir o piso ainda estava seco, a intempérie que se abateu a partir de meio do pelotão tornou o piso naturalmente mais escorregadio, mas o piloto da Yamaha acabou por ser o que melhor se deu com essas condições.
Logo atrás ficou Mário Patrão. O piloto da Suzuki cedeu pouco mais de dois segundos para o rival, enquanto Paulo Gonçalves, depois de uma semana na areia e no calor de Marrocos, não se deu mal com a chuva de Portalegre e é para já terceiro. A luta pela vitória promete ser muito interessante, uma batalha em que deve entrar também Ruben Faria, apenas 5º no prólogo. O algarvio foi batido por João Nobre na guerra pelo quarto lugar, mas amanhã são quase 370 quilómetros de luta com o cronómetro. As estratégias podem alterar a ordem de partida para o dia de amanhã, mas o espectáculo promete.

Ricardo Carvalho foi o mais rápido nos quads

Entre os quads Ricardo Carvalho dominou os pouco mais de 5,5 kms do prólogo, embora o piloto da Yamaha estivesse um pouco surpreendido com este desfecho, pois como o próprio reconheceu “não correu muito bem. Logo na fase inicial fiz um pião, o que naturalmente me fez perder algum tempo. Depois conseguir impor um bom ritmo e passei bem nas duas ribeiras. Apesar disso não estava à espera de ser o mais rápido. Agora vou reunir com a equipa e decidir qual a melhor posição para partir amanhã” explicou Carvalho.
João Lopes em Suzuki foi segundo a escassas duas décimas do mais rápido, enquanto Roberto Beto ficou para já com a terceira posição. As diferenças na frente são naturalmente muito curtas, pelo que é de esperar grande luta amanhã nos 368 quilómetros do Sector Selectivo.

Tiago Cunha o melhor nos UTV

Nos Buggy Tiago Cunha arrancou a melhor marca, batendo Marco Melo por pouco mais de três segundos, sendo que a terceira posição ficou para Bruno Martins. Nota nesta categoria para o mau tempo de Jorge Monteiro, um dos pilotos normalmente mais rápidos, mas que está com problemas nos seu Polaris. “O carro não funciona muito bem em altas. Desde há semanas que isso sucede. Pensámos que o problema podia ser da massa de ar, mas já percebemos que não é. Amanhã vou tentar chegar o mais à frente possível”.




NUNO DINIS

OPEN DE RALLYES 2010



RALLYE TERRAS DE BASTO


O Clube Automóvel de Santo Tirso tem a responsabilidade de organizar a 9ª prova do Open de Ralis, prova que irá para a estrada no último fim-de-semana de Outubro.
Trata-se de uma prova totalmente nova, que irá utilizar alguns dos troços míticos do antigo Rali de Portugal na zona do Viso e de Celorico de Basto.
Destaque para o excelente trabalho do CAST, que em pouco tempo conseguiu montar uma nova prova, fazendo regressar os ralis à região de Basto, depois da recusa da Câmara Municipal de Penafiel em apoiar esta prova



PROVA: Rali Terras de Basto
ELEGIBILIDADE: Open, Júnior e Regional Douro
DATA: 30 e 31 de Outubro de 2010
ORGANIZADOR: Clube Automóvel de Santo Tirso
CONTACTOS: (t:) 252 859 870 / cast@cast.online.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar / www.cast.online.pt
PERCURSO: 174,60 Kms / Troços – 45,12 Kms
NOVIDADES: Prova completamente nova
CENTRO OPERACIONAL: Edifício Mercado Municipal




HORÁRIOS

1ª ETAPA – 1ª SECÇÃO SÁBADO, 30/10/2010

Celorico de Basto / Celorico de Basto

Assistência 14h35m

1ª Pec – Viso 1 (5,30 Kms) 15h08m
2ª Pec – Caçarilhe 1 (3,01 Kms) 15h31m
Assistência 16h16m

3ª Pec – Viso 2 (5,30 Kms) 16h49m
4ª Pec – Caçarilhe 1 (3,01 Kms) 17h12m
Assistência 17h42m

1ª ETAPA – 2ª SECÇÃO

Celorico de Basto / Celorico de Basto

5ª Pec – Super-Especial Celorico (1,50 Kms) 21h07m
Assistência 21h14m


2ª ETAPA – 1ª SECÇÃO DOMINGO, 31/10/2010

Celorico de Basto / Mondim de Basto

Assistência 10h45m
6ª Pec – Mondim de Basto 1 (9,00 Kms) 11h13m

Assistência 12h38m
7ª Pec – Mondim de Basto 2 (9,00 Kms) 13h06m

Assistência 14h31m
8ª Pec – Mondim de Basto 3 (9,00 Kms) 14h59m

Assistência 16h24m
Parque Fechado – Pódio (Mondim de Basto) 16h38m




NUNO DINIS

IRC 2011



Wilks sucede a Meeke na Peugeot UK


Depois de várias semanas de especulação sobre quem iria substituir Kris Meeke na Peugeot UK, o Autosport britânico conseguiu apurar que será Guy Wilks o piloto escolhido para 11 provas no IRC em 2011.
A Peugeot UK recusou-se a comentar qualquer decisão tomada e foi impossível conseguir contactar Guy Wilks mas fontes seguras do órgão de comunicação britânico conseguiram garantir que o acordo está concluído e que o inglês começa já aos serviços da Peugeot, no próximo Rallye de Monte Carlo.
O próprio Kris Meeke, apontou Guy Wilks como sendo uma boa opção para o substituir, dizendo ainda que o melhor para a Peugeot, deveria ser um piloto com experiência no campeonato.
Kris Meeke: "Obviamente, conseguimos alcançar alguns resultados muito bons e para manter o programa a funcionar bem, eles precisam de um piloto como o Guy Wilks, para continuarem com potencial de obter vitórias."



http://www.ralisonline.net/

RALLYE TALENT

O "Rally Talent" está já em pleno desenvolvimento, numa iniciativa que a ExpoRacing decidiu levar por diante, tentando replicar o sucesso que tem obtido na organização do Desafio Modelstand.

Para nos explicar tudo sobre esta iniciativa o Ralis Online falou com José Costa, da ExpoRacing, promotor do "Rally Talent" e do Desafio Modelstand.

Qual foi o primeiro impacto a esta iniciativa (Rally Talent)?

A organização ao dar a conhecer publicamente esta iniciativa recebeu de inúmeras entidades e pessoas ligadas ao desporto motorizado os parabéns pela coragem de em tempo de crise ter levado a cabo esta iniciativa e ainda diversas felicitações dos potenciais participantes.

Já existem muitos interessados / inscritos?

O concurso até à presente data tem cerca de uma centena de candidatos interessados em participar. Sabemos que os portugueses deixam sempre as inscrições para o final.

Qual a data limite para se inscreverem?

A data limite para efectuarem as inscrições é de 15 de Novembro.

Quais são os pontos fortes do Rally Talent?

Para a Exporacing os pontos fortes deste concurso são o facto dos candidatos efectuarem as suas eliminatórias em carros de competição e de terem a seu lado alguns dos melhores pilotos nacionais da actualidade, tais como, Bruno Magalhães, Miguel Campos, Adruzilo Lopes e Vítor Pascoal: Gostava de referir também as comodidades possíveis tais como nos dias das eliminatórias uma refeição ligeira oferecida pela organização para assim se poderem concentrar somente nas provas a efectuar.

Qual o número mínimo de inscritos para esta iniciativa se organizar?

Este concurso necessita, para se realizar, um mínimo de 50 inscritos. Mencionar também que no caso de não haver um mínimo de inscritos a organização devolverá o valor integral a cada um dos inscritos.

Quais são os parceiros deste projecto?

Os parceiros deste projecto são a Pirelli, Q&F, Hotel Grande Lisboa, Modelstand, Multitendas e ainda a colaboração do Carlos Barros, Director Desportivo e Técnico do Peugeot Sport em Portugal.

Qual o apelo que faz aos jovens que querem ser pilotos e têm poucas condições para o fazer?

O que a organização pode dizer aos jovens que não tem condições para fazer provas é que esta é uma oportunidade única para eles, visto que poderão fazer ralis sem custos e os que não vencerem o "Rally Talent" irão pelo menos ter a oportunidade de privar com alguns dos melhores pilotos nacionais e aprender, e ainda serem observados por algumas pessoas ligadas ao desporto motorizado e assim poderem potenciar possíveis participações no desporto em que sempre sonharam estar.



http://www.ralisonline.net/

OPEN DE RALLYES 2010



Modelstand encerra 2010 e prepara 2011


 O Desafio Modelstand vai estar presente no Rali Terras de Basto com 12 inscritos, naquela que será a derradeira prova desta competição em 2010.
Com o título entregue a Daniel Ribeiro e o segundo lugar nas mãos de Pedro Ortigão, que estará ausente desta prova, a luta em termos de classificação final no Desafio Modelstand vai estar centrada no derradeiro lugar do pódio.
Fabrício Lopes, António Rodrigues e Francisco Brites poderão sair do Rali Terras de Basto com o derradeiro lugar do pódio no Desafio Modelstand, pelo que a luta pela vitória nesta prova, dentro desta competição, deverá ser muito interessante de seguir, até porque Daniel Ribeiro vai querer terminar a época com chave de ouro.
"Este ano o Desafio Modelstand foi muito disputado e interessante de seguir. Mesmo estando já decidido, tenho a certeza que no Rali Terras de Basto vamos voltar a assistir a uma grande prova no Desafio Modelstand", afirma José Costa, da Exporacing, entidade promotora do Desafio Moldelstand, adiantando que "já estamos a trabalhar para 2011. Poderão haver algumas importantes novidades a diversos níveis, nomeadamente em termos de pilotos, que irão aumentar ainda mais a competitividade desta competição".

1º Rally Talent

A Exporacing lançou recentemente o "Rally Talent", uma iniciativa que visa encontrar dois jovens valores para os ralis nacionais em 2011.

Através de provas práticas ao volante dos Peugeot 206 GTi de Troféu, os candidatos ao 1º Rally Talent serão avaliados em Sever do Vouga de 26 a 28 de Novembro, por Bruno Magalhães, Miguel Campos, Adruzilo Lopes e Vítor Pascoal.
Os dois primeiros classificados nesta iniciativa vão disputar em 2011 quatro provas do Open, ao volante de um Peugeot 206 GTi de Troféu.
Refira-se que o Boletim de Inscrição e o Regulamento do "Rally Talent" pode ser pedido em exporacing@sapo.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ou pelo telefone 937 031 657.

INSCRITOS RALI TERRAS DE BASTO:

03- Daniel Ribeiro / Hugo Magalhães
07 – Francisco Brites / Numa Pompílio
08 - Fabrício Lopes / Pedro Vaz
09 - António Rodrigues / Jorge Carvalho
11 – Sérgio Arteiro / Estefânio Pinto
14 - André Mota / David Sousa
15 - André Marques / Pedro Almeida
17 - Salvador Gonzaga / Paulo Lopes
18 - Manuel Martins / Rui Vilaça
19 – Catarina Sousa / Alexandra Santos
23 – Paulo Moreira / Pedro Alves
24 - João Castela / Daniel Costa

CLASSIFICAÇÃO DESAFIO MODELSTAND (7/8):

1º Daniel Ribeiro / Hugo Magalhães 50
2º Pedro Ortigão / Mário Castro 46
3º Fabrício Lopes / Pedro Vaz 29
4º António Rodrigues / Jorge Carvalho 26
5º Francisco Brites / Numa Pompílio 23
6º Manuel Martins / Rui Vilaça 16
7º Sérgio Arteiro / Estefânio Pinto 13
8º André Mota / David Sousa 13
9º João Castela / Ricardo Torres 13
10º Nuno Pina / Sérgio Rocha 11
11º André Marques / Pedro Almeida 9
12º Paulo Moreira / José Santos 9
13º Salvador Gonzaga / João Soares 8
14º Catarina Sousa / Alexandra Santos 8
15º Eduardo Antunes / Nuno Catarino 7
16º Mariana Carvalho / Filipe Martins 4
17º Nuno Coelho/Guilherme Pereira 0


NUNO DINIS
FONTE: http://www.ralisonline.net/
.

WRC



WRC Academy em andamento

Segunda, 25 Outubro 2010 21:17 0 Comente Com o fim do JWRC em 2010, a FIA em conjunto com a Nort One Sport, criaram a WRC Academy que será o primeiro passo dos pilotos mais jovens para o inicio de uma carreira WRC.
Baseado no JWRC de onde saíram pilotos como Sébastien Loeb, Daniel Sordo e Sébastien Ogier, sem esquecer o Kris Meeke, Guy Wilks e PG Andersson, o WRC Academy vai ser uma competição um pouco diferente pois, será tipo troféu mono-marca com custos muito baixos.
O carro escolhido para a competição, foi o Ford Fiesta R2 que serão preparados de igual modo pela M-Sport, estando equipados com pneus idênticos pois, a Pirelli Star Driver, também estará inserida nesta competição, em vez de utilizar os mais dispendiosos Mitsubishi, e como tal, será o fornecedor de pneus do WRC Academy.
As provas do campeonato ainda não foram mencionadas mas, será composto por 6 eventos do calendário WRC 2011 e terão uma classificação à parte e respectiva pontuação. Cada temporada terá um custo aproximado de 135.000€ mas, os pilotos terão de desembolsar todas as deslocações, estadias, carro para reconhecimentos e ainda poderão ter custos de reparação, em caso de acidente.
Os pilotos com idades entre os 17 e os 25 anos, que poderão fazer parte desta competição, terão de passar por um programa de treino, para maximizar o seu potencial em todos os aspectos numa competição FIA, cujo vencedor terá um prémio de 500.000€ no final da temporada.
Nos últimos dias em Espanha, foram já encontrados os 6 pilotos para tripular os Ford Fiesta R2 do Pirelli Star Driver que estão igualmente incluídos no WRC Academy. Os 16 pilotos provenientes de África, Ásia-Pacifico, América Latina, Europa e Médio Oriente, foram avaliados por um grupo de juízes composto por Mario Isola (Pirelli Rally Manager), Guido Rancati (Jornalista de rally) e a ex-piloto Michele Mouton.
Após uma prova teste em pisos de gravilha e asfalto, os 6 pilotos escolhidos foram: Frederik Ählin da Suécia (19 anos); Craig Breen da Irlanda (20 anos); Jan Cerný da República Checa (20 anos); Andrea Crugnola da Itália (21 anos); Brendan Reeves da Austrália (22 anos) e a jovem australiana Molly Taylor (22 anos).


NUNO DINIS
fonte: http://www.ralisonline.net/ e http://www.wrc.com/

BAJA BP ULTIMATE PORTALEGRE 2010



Todos querem ganhar!




Apesar da temporada nacional de todo o terreno ter sido menos pujante do que em anos anteriores, a verdade é que o Campeonato Nacional chegou à sua última prova, a Baja BP Ultimate Portalegre 500, com nada menos do que quatro candidatos ao título!
Vencedor da prova alentejana e campeão em 2009, Filipe Campos parte em vantagem com o seu BMW X3: lidera o campeonato com quatro pontos de avanço e terão de ser os seus adversários a anular esta diferença: «Penso que esta situação não espelha o que foi o campeonato e só foi possível pelos azares que tive em duas provas, onde fui forçado a abandonar. Preferia a situação do ano passado, em que havia dois dias de prova e duas pontuações a recolher, mas temos de viver com a situação actual. A estratégia é andar a fundo e conseguir mais um triunfo», referiu Filipe Campos na conferência de Imprensa antes da prova.
Já José Dinis Lucas vincou bem a sua situação de "outsider" neste despique: «Só entrei nesta luta em função dos resultados da última prova, mas devo confessar que me sinto bem neste grupo restrito. Prevê-se muita chuva para a prova e gosto mais de andar em seco, pelo que isso poderá ser um handicap. Mas Portalegre é uma prova de características únicas e vamos desfrutar isso!»
Para Miguel Barbosa, terceiro classificado do Nacional a 9 pontos do líder, só a vitória está no seu objectivo: «Depois da última prova, o campeonato passou quase a ser uma miragem e neste momento tudo o que me interessa é fazer uma boa prova e vencer. Venho com o carro do Dakar, com o motor de 6 cilindros, em teoria mais fiável e não tenho outros objectivos do que ganhar esta edição de Portalegre.»
Bernardo Moniz da Maia é o quarto pretendente ao título, empatado em pontos com Barbosa, e, tal como sucede com Dinis Lucas, as suas hipóteses parecem mais remotas, mas o piloto do BMW X3 parte apostado em tentar melhorar a sua posição no campeonato.
Em termos de Taça FIA de Bajas, apenas os dois primeiros da geral confirmaram a sua presença em Portalegre - o russo Boris Gadasin, que conquistou este título na edição do ano passado da prova portuguesa, e o polaco Krzystof Holowczyc - uma vez que o ucraniano Bodgan Novitskiy acabou por não efectuar a deslocação. Gadasin parte com oito pontos de vantagem, o que parece ser suficiente para assegurar a revalidação do seu título.

De referir que a Baja BP Ultimate Portalegre 500 tem hoje o seu primeiro dia competitivo, com a realização de uma primeira especial, com 5,52 km de extensão, que servirá sobretudo para determinar a ordem de partida para o decisivo segundo dia de competição, a disputar no sábado. A primeira moto parte às 11h00 para a SSS1, enquanto o primeiro automóvel o fará pelas 14h15.




NUNO DINIS

AUTOMOVEL CLUBE DE PORTUGAL

Competições Todo o Terreno 2011



PROVAS DO ACP

SAEM DA TAÇA DO MUNDO


Num comunicado enviado hoje à nossa redacção, o ACP vem dar conhecimento de uma situação que já era falada à algum tempos nos bastidores mas que, esperávamos não viesse a acontecer, o que não sucedeu.
Transcreve-mos em baixo o comunicado do Automóvel Clube de Portugal:
"O Automóvel Club de Portugal decidiu não inscrever as suas provas tradicionais no calendário da Taça do Mundo de Todo o Terreno 2011, mantendo-as no programa do Campeonato de Portugal de Todo o Terreno.
Esta opção surge na sequência de posições já tornadas públicas por parte do ACP de discordância do regulamento técnico da FIA para o todo o terreno, que mantém a desigualdade de competitividade entre os concorrentes, tornando as provas da Taça do Mundo de Todo o Terreno mais desequilibradas e com menor interesse desportivo, não justificando, por isso mesmo, o forte investimento que era feito para a organização destas provas por parte do ACP.
Deste modo, o ACP projecta organizar em 2011 as duas provas integradas no calendário do Campeonato Nacional de Todo o Terreno: o Vodafone Rali TT Portugal 1000, uma competição que apresentará novidades e que vai substituir o Rali TT Vodafone Estoril-Portimão-Marrakech, e a Baja BP Ultimate Portalegre 500, uma das provas rainha do TT em Portugal.
Em 2012 e face às alterações que vierem a ser introduzidas na regulamentação técnica e desportiva da Taça do Mundo de Todo o Terreno, o Automóvel Club de Portugal ponderará a possibilidade de voltar a candidatar as suas provas à integração neste campeonato."




NUNO DINIS
Comunicado imprensa Acp Motorsport

ARC SPORT - BAJA BP ULTIMATE PORTALEGRE 500



ARC SPORT COM FERNANDO ANDRÉ E JOÃO PAIS



Fernando André quer matar saudades do TT
João Pais atrás dos Desafios Mazda

A equipa de Aguiar da Beira vai estar presente em Portalegre com dois objectivos distintos. Solidificar a liderança de João Pais e José Janela nos Desafios Mazda 2010 e fazer com que Fernando André e Luís Gomes tenham um regresso positivo ao TT, depois de um ano de paragem.
“Estamos cheios de saudades do todo-o-terreno. Acho que vai ser um regresso auspicioso depois de uma longa espera, pois tanto eu como o Luís mostramos muita vontade em regressar às corridas. Já efectuámos testes ao Mégane e o carro está muito bom, contando com um novo motor e novas afinações. Apesar de nos encontrarmos todos em boa forma, não faço vaticínios para a prova, pois Portalegre é um enorme desafio onde habitualmente não tenho muita sorte. Mas no fundo estamos bastante optimistas e acreditamos que é possível alcançar um bom resultado”, afirma Fernando André no regresso a Portalegre.
Vencedor dos Desafios Mazda em 2009, João Pais quer repetir a dose nesta temporada. Instalados no comando, piloto e navegador só pensam em fortalecer essa posição.
“Vamos tentar vencer em Portalegre! É esse o nosso trabalho. Mas vamos ter uma postura cuidadosa, sem correr riscos, gerindo bem a mecânica da Mazda, para que não possam surgir surpresas. Sabemos que não vai ser fácil, e que os Desafios só terminam em Fronteira, embora seja possível sair de Portalegre com o título, ou com uma posição ainda mais confortável”, declara, com confiança, João Pais.

Para Pedro Patrocínio, um eterno apaixonado pelo TT, o carisma de Portalegre é sempre um forte incentivo para toda a equipa da ARC Sport.
“Vamos tentar lutar por resultados positivos, tanto nos Desafios Mazda com o João Pais, como no regresso do Fernando André. Acho que temos boas perspectivas para Portalegre, pois o Mégane está mais rápido e o piloto também. A confiança é palavra de ordem para toda a equipa, por isso penso que iremos fazer uma boa prova”, afirma Pedro Patrocínio, o responsável pelo departamento de todo-o-terreno da ARC Sport.

A Baja BP Ultimate Portalegre 500, organizada pelo ACP arranca na próxima Sexta-feira dia 29 de Outubro com a realização da Super Especial, ficando os dois sectores selectivos decisivos agendados para Sábado, 30 de Outubro.


NUNO DINIS






CAMPEONATO REGIONAL RALLYES-MADEIRA



SÁ VENCE RALLYE FAIAL MAS MIGUEL NUNES
SAGRA-SE CAMPEÃO


Vítor Sá e Nuno Rodrigues foram os vencedores da edição de 2010 do Rali do Faial, a última prova do Campeonato de Ralis "Coral".




A dupla do Peugeot 207 S2000 dominou por completo este segundo dia de competição da prova faialense, vencendo quase todas as especiais disputadas e terminando a temporada de 2010 com uma vitória. Esta vitória foi insuficiente para travar a conquista do título por parte de Miguel Nunes e Victor Calado, ainda para mais porque a dupla do outro Peugeot 207 S2000 ficou no segundo posto da geral, quando um 6º lugar era suficiente. O ritmo imprimido ao longo de todo o dia foi o necessário para levar os pilotos do Team C.D. Nacional ao título absoluto, o primeiro das suas curtas carreiras no automobilismo regional. A diferença de 12,1 segundos para o pluri-campeão regional e vencedor da prova acaba por ser insignificativa. Ao realizar um segundo dia de competição fantástico, recuperando o tempo perdido ontem na super-especial e ganhando ainda algum ao longo das 6 especiais de hoje. Filipe Freitas e Daniel Figueiroa levaram o Mitsubishi Lancer Evo X ao terceiro posto da geral, acabando por conquistar mais uma vitória no Agrupamento de Produção este ano e um novo animo para o próximo ano de competição. João Magalhães e Jorge Pereira foram os quartos classificados, depois de não terem sido capazes de segurar o forte ataque dos seus mais directos adversários. Sem necessidades de forçar o andamento, os campeões em título do Grupo N preferiram segurar o quarto posto final e somar mais alguns pontos para a Taça da Madeira de Ralis, onde se sagraram vencedores absolutos no final da prova organizada pelo Clube Automobilistico 100 à Hora da Madeira. No 5º lugar surge Samir Sousa e João Sousa, a dupla do Renault Clio S1600 foi desta feita mais veloz que os seus adversários, João Silva/José Janela, e conquistou assim mais um excelente resultado esta temporada. Luís Serrado e Marco Sousa levaram o Peugeot 206 S1600 ao sexto-lugar da geral, depois de terem passado por alguns momentos de aflição logo nas primeiras especiais.Na parte da tarde, e com os problemas resolvidos, o piloto da Ponta do Sol coseguiu melhorar as suas prestações e conquistar uma posição que dá animo para uma próxima temporada. João Silva fechou a temporada de 2010 com um sétimo lugar e com mais dois títulos na “bagageira” do Renault Clio R3. O jovem piloto conquistou no faial o título de Campeão Júnior e de Campeão das 2RM/2L, dois títulos perfeitamente merecidos por o andamento imprimido em todas as provas do campeonato regional. André Silva e Jorge Gonçalves conquistaram no Rali do Faial a sua segunda vitória no Troféu Eng.º Rafael Costa, depois de mais algumas provas repletas de azares. Uma ponta inicial fantástica permitiu ao jovem piloto do Citroën C2 ganhar alguma vantagem em relação aos seus adversários, vantagem essa que foi suficiente para não perder o primeiro lugar quando começaram a surgir os problemas no corte de caixa da viatura francesa. No nono lugar ficou Filipe Pires e Vasco Mendonça, a dupla da Pires Competições imprimiu de ínicio a fim um andamento fantástico, embora não tenha sido o sufeciente para alcançar o vencedor, André Silva, por 1,7 segundos. Bruno Coelho fechou o top 10 da prova faialense, depois de ter visto Wilson Aguiar ser penalizado em 40 segundos no final da prova. Este lugar permitiu ao piloto do Citroën C2 conquistar o vice-campeonato no Troféu Eng.º Rafael Costa, uma competição muito disputada ao longo da temporada de 2010. No que toca às restantes competições, Miguel Andrade venceu e conquistou o ceptro de campeão no Troféu Open de Ralis da Madeira. Destaque ainda, pela positiva para Ruben Sardinha, o piloto do Toyota Corolla fez a delicia dos muitos adeptos que vieram às estradas, e pela negativa, para os três desistentes (Luís Freitas, Ana Sofia Correia e Pedro Coelho).




NUNO DINIS
texto e fotos: http://www.ralismadeira.com/

BAJA BP ULTIMATE PORTALEGRE 2010



Sucesso garantido com 255 inscritos



Notável é o que se pode dizer da qualidade e da quantidade dos inscritos para a 24ª edição da Baja BP Ultimate Portalegre 500: na verdade, nada menos do que 255 pilotos fizeram questão de demonstrar a sua intenção em participar na competição rainha do TT nacional que irá para a estrada na próxima sexta-feira, dia 29 de Outubro.

As contas são fáceis de fazer:

- 80 inscritos nos automóveis
- 82 inscritos nas motos
- 67 inscritos nos quads
- 26 inscritos nos UTV-Buggy

Se a quantidade de inscritos para a prova organizada pelo Automóvel Club de Portugal (ACP) é notável, o que dizer da qualidade? Elevadíssima numa competição que, para além de toda a sua tradição histórica e peso na modalidade, será decisiva para vários campeonatos, caso da Taça Internacional FIA de Bajas e para o Nacional Vodafone de Todo o Terreno, o mesmo sucedendo nos Campeonatos Nacionais de Quads e UTV-Buggy.

Na Taça FIA estarão presentes os três primeiros classificados da geral: o russo Boris Gadasin lidera com 30 pontos, seguido do polaco Krzystof Holowczyc, com 22, e do russo Bodgan Novitskiy, com 21. Gadasin tentará, tal como sucedeu no ano passado, confirmar em Portalegre a sua vitória naquela competição e, com a vantagem de que dispõe, parte claramente favorito, pois os seus adversários são praticamente obrigados a ganhar a prova para poderem sonhar em reverter a situação.

Em termos nacionais, Filipe Campos, vencedor absoluto no ano passado, parte na liderança do campeonato absoluto e do T1, com quatro pontos de avanço sobre José Dinis Lucas e nove sobre Miguel Barbosa e o seu colega de equipa, Bernardo Moniz da Maia, o que representa uma vantagem apreciável. No entanto, está tudo ainda em aberto, o que logicamente só vem contribuir para um maior interesse desportivo da prova. Nas restantes categorias, os títulos nacionais já se encontram atribuídos, sendo ainda de destacar que o Desafio Elf Mazda também se poderá decidir em Portalegre, bastando para tanto que João Pedro Pais vença e Bruno Oliveira não pontue.
De salientar que esta edição da Baja BP Ultimate Portalegre 500 irá ser decisiva para a atribuição de vários títulos nacionais nas categorias de quads e UTV-Buggy, com vários pilotos a poderem ainda aspirar a vencer os respectivos campeonatos.

Embora não seja pontuável para o Nacional da especialidade, a prova alentejana promete um grande espectáculo na categoria de motos, já que os melhores valores nacionais fizeram questão de estar presentes em Portalegre, caso dos primeiros classificados do ano passado, Mário Patrão, António Maio e David Megre, este último recentemente aureolado com o título de campeão europeu de bajas, havendo ainda que contar com nomes como Helder Rodrigues, acabado de chegar do Rali de Marrocos, ou de Ruben Faria.



O programa da prova é o seguinte:

- Dia 28 de Outubro (5ª feira): verificações administrativas e técnicas na NERPOR (Portalegre);

- Dia 29 de Outubro (6ª feira): de manhã, reconhecimentos da Super Especial, entre as 08h00 e as 12h00. A partir das 11h00 realiza-se a Super Especial, primeiro para motos, quads e UTV/Buggy, finalizando com os automóveis, com partida pelas 14h15;

- Dia 30 de Outubro (sábado): um único sector de 400 km para motos, quads e UTV/Buggy, com partida pelas 09h30 e chegada prevista para as 15h45; dois troços (SS2 e SS3) para os automóveis, com 160 e 240 km respectivamente, com partida para a SS2 pelas 08h00 e para a SS3 pelas 12h50. A chegada deverá suceder pelas 16h10.

 
 
NUNO DINIS

MOTOCICLISMO



Miguel Oliveira Vice-Campeão Europeu de 125cc




Miguel Oliveira sagrou-se este domingo em Albacete (Espanha) Vice-Campeão europeu de 125cc, numa prova empolgante que viu Oliveira e Maverick Viñales serem os únicos pilotos a lutar pela vitória. Com este resultado, o piloto de 15 anos é o primeiro português a conquistar o título de Vice-Campeão da Europa no motociclismo de velocidade. Um feito inédito para Portugal e para o jovem piloto luso, que demonstra mais uma vez ter condições para chegar ao topo do motociclismo mundial.
Largando da 'pole', Oliveira caiu para 5º mas rapidamente impôs um ritmo elevado para voltar a ocupar o comando na segunda volta. Empregando um ritmo forte e isolando-se do restante pelotão, Maverick Viñales e Miguel Oliveira foram protagonistas de uma corrida “à parte”, sendo os únicos a rodar no segundo 33, deixando no final toda a concorrência a mais de 17 segundos.
Chegando a ocupar a liderança, por duas vezes, Miguel Oliveira concluiu, contudo, uma gloriosa participação no europeu ao conquistar o segundo lugar do pódio, numa prova vencida por Maverick Viñales, com uma curta margem de 0,457 milésimos.
“Foi uma grande corrida, onde o meu ritmo e o do Maverick foi muito similar ao longo de toda a prova. Tinhamos ambos a chance de vencer, mas na parte final senti uma instabilidade no pneu traseiro, que não me permitiu puxar mais. É contudo um grande resultado e estou muito orgulhoso por ser o primeiro português a conquistar um título de vice-campeão na Velocidade. Dá-me ânimo para encarar com confiança as provas restantes do CEV ”, referiu o piloto português.



Classificação 125GP

1. Maverick Viñales, 18 voltas em 28:23.721
2. Miguel Oliveira + 0,457
3. Alex Rins + 17,094
4. Alessandro Tonucci + 20,960
5. Mattia Tarozzi + 30,851
6. Alex Marquez + 31,372
7. Luigi Morciano + 31,796
8. Niklas Ajo + 40,652
9. Toni Finsterbusch + 41,298
10. Luca Grünwald + 47,725
...
(33 pilotos classificados)


NUNO DINIS

CAMPEONATO REGIONAL RALLYES-MADEIRA



JOÃO SILVA COLECCIONA TÍTULOS




Mais um êxito para a ARC Sport



João Silva revalida título júnior e vence 2L/2RM


O Rali do Faial encerrou as contas do Campeonato Coral de Ralis da Madeira. João Silva e José Janela terminaram a prova na 7ª posição, depois de um furo que acabou por lhes estragar mais um brilharete na derradeira prova de 2010. No entanto, esta participação foi suficiente para o jovem piloto festejar dois títulos e três outros resultados muito positivos.
João Silva revalidou o título de Campeão Júnior de Ralis da Madeira, alcançou também o título nas duas rodas motrizes (2L/2RM), tendo este triunfo sido partilhado com José Janela, o popular navegador que tem acompanhado o piloto madeirenses na esmagadora maioria das provas.
Para além destes dois assinaláveis sucessos, João Silva alcançou ainda o 2º lugar na Taça de Ralis da Madeira, o 3º lugar no agrupamento de Turismo e o 4º lugar absoluto no Campeonato Coral de Ralis da Madeira, para além de uma espectacular vitória à geral alcançada no último Rali do Marítimo. Não se podia pedir mais a um jovem piloto que tem vindo a evoluir a olhos vistos. Um sucesso partilhado com devoção e dedicação pela ARC Sport que o tem acompanhado nos últimos anos.
“Estou naturalmente feliz, porque os nossos objectivos foram totalmente alcançados. Foi uma época extraordinária, tendo inclusivamente superado os meus objectivos em termos da classificação final do campeonato absoluto. Para o ano está tudo em aberto, mas uma coisa é certa, será sempre com a ARC Sport”, declarou João Silva, na hora de festejar um ano fantástico.
Em 2010 a ARC Sport alcançou todos os objectivos a que se propôs. Para além destes êxitos com João Silva, conquistou ainda o Campeonato de Ralis dos Açores com Ricardo Moura, e os títulos nacionais de Campeão Nacional do Agrupamento de Produção, também com Ricardo Moura e o Campeonato Nacional de Duas Rodas Motrizes (2L/2RM), com Adruzilo Lopes.

Augusto Ramiro não pode estar mais feliz!

“Como já afirmei, trabalhar com pilotos de alto nível facilita-nos bastante o trabalho. Estou muito feliz por estes títulos do João Silva, que já é uma certeza no automobilismo madeirense, esperando apenas que ele suba mais um degrau no panorama do desporto automóvel nacional. Quero deixar-lhe os meus sinceros parabéns, bem como ao José Janela que também alcançou um título na Madeira”, afirmou o responsável pela equipa de Aguiar da Beira após o Rali do Faial, a prova que encerrou o Campeonato Coral de Ralis da Madeira.


NUNO DINIS

FESTA/CONVIVIOS "OS RALIS NO KARTING 2010"



NUNO DINIS

PWRC - ARMINDO ARAUJO




Preparar caminho para o título



Armindo Araújo testou novamente em Itália


De pequenos detalhes se conseguem grandes conquistas. Esta é a máxima do Campeão do Mundo de Ralis Produção e de toda a equipa Ralliart Itália que, esta quarta-feira, estiveram em Ligúria, arredores de Génova, numa sessão de testes com o Mitsubishi Lancer Evo X com vista a preparar o derradeiro e decisivo rali da temporada.
Depois das duas vitórias conseguidas nas provas em pisos de asfalto, que deixaram boas perspectivas na luta pela revalidação do título do PWRC, o piloto português e a estrutura da Mitsubishi realizaram hoje mais de duas centenas de quilómetros com o carro já modificado para enfrentar o difícil terreno do GB Rali de Gales. “O carro foi totalmente revisto e alterado novamente para pisos de terra e era importante voltarmos a testar. Fizemos muitos quilómetros, ensaiamos alternativas ao nível de afinações e eu tive também a oportunidade de voltar a guiar num ritmo competitivo. A última prova do ano será crucial para chegarmos ao objectivo que traçamos e temos a plena noção que o desafio é enorme”, começou por dizer o piloto de Santo Tirso
Mesmo com uma vantagem pontual claramente favorável, Armindo Araújo tem plena consciência que nada está garantido. Preparar o caminho do título é por isso uma tarefa que se impõe e todos os pormenores poderão fazer a diferença. “Estamos muito confiantes e determinados em revalidar o título e é necessário chegar à Grã-Bretanha com o trabalho de casa feito. Sabemos que podemos ser vítimas de qualquer problema inesperado, mas do que depender do nosso esforço e dedicação, garantidamente, estaremos a cem porcento”, concluiu o piloto apoiado pela Galp, TMN, MCA, Lusitania Seguros e Mitsubishi Motors.


O GB Rali de Gales será disputado entre os dias 11 e 14 de Novembro, sendo Cardiff a cidade escolhida para acolher toda a caravana no Campeonato do Mundo de Ralis.




JOÃO BICA

WRC - RALLYE DA CATALUNHA

1ª ETAPA


LOEB CONTINUA A NÃO TER OPOSITORES


O Rally da Catalunha foi hoje para a estrada pelo 19º ano consecutivo no calendário do wrc, onde o seu figurino regressou um pouco às edições o inicio dos anos 90 pois a prova espanhola voltou a ser em pisos mistos.
Talvez devido ao nevoeiro matinal que poderá ter humedecido os pisos de gravilha, Sébastien Loeb não perdeu tempo ao ser primeiro na estrada e até venceu o troço inaugural, tendo mesmo liderado durante todo o dia.
Ogier passou para a segunda posição na terceira especial e venceu a seguinte, permitindo-lhe secundar o campeão do mundo na classificação, com apenas 3,8s de desvantagem.
Jari-Matti Latvala está em boa forma e não perdeu muito terreno para os dois Citroën nos troços iniciais mas, nos dois últimos, o finlandês perdeu cerca de 10 segundos mas, manteve-se na terceira posição a 19,9s de Loeb.
Petter Solberg queixou-se de falta de tracção nas duas primeiras especiais mas, venceu as duas passagens em La Ribera d'Ebre e passou para a quarta posição da geral, estando a 2,5s de Latvala.
Mikko Hirvonen (5º) e Daniel Sordo (6º) ficaram uns furos abaixo daquilo que era esperado pois, se o finlandês confirmou mais uma vez estar com andamento inferior ao do seu companheiro de equipa, o espanhol era tido como um dos candidatos à vitória mas, no entanto, já se encontra a quase 1 minuto do líder.
Yeray Lemes dominou o primeiro dia no jwrc, sendo seguido pelos dois candidatos ao título, Hans Weijs Jr. (2º) e Aaron Burkart (3º).
Henning Solberg continua cada vez melhor ao volante do Fiesta S2000 pois, terminou o primeiro dia na 10ª posição da geral, na frente de Turan e Al-Qassimi com viaturas wrc.





NUNO DINIS
http://www.ralisonline.net/

Kimi Räikkönen Crash at Rally RACC Spain 2010

MOTOCICLISMO

Miguel Oliveira novamente candidato ao título europeu de 125cc


É já no próximo fim-de-semana que terá lugar em Espanha, no circuito de Albacete, o Campeonato Europeu de Velocidade, competição em prova única que reunirá a 'nata' das classes Supersport 600, Superstock 1000 e 125GP. Convocado por estar entre os cinco primeiros no Campeonato Espanhol de Velocidade (actual 3º classificado na 125GP), Miguel Oliveira é novamente um sério candidato ao título europeu na cilindrada de 125cc, que deverá juntar um competitivo plantel de cerca de 40 pilotos.

Por razões de falta de tempo, o Team Andalucía Cajasol, que este último fim-de-semana participou na prova do Mundial na Austrália, não tem a possibilidade de fazer chegar os meios necessários para Oliveira poder participar no Europeu nas melhores condições. Face a esta problemática, o piloto português encontrou, contudo, graças aos patrocinadores, uma solução ao integrar para esta prova a equipa CurvaCero - sub-estrutura do Team ASPAR no CEV.

Quinto classificado no ano passado, o piloto português quer suceder ao germânico Marcel Schrötter (campeão em título) e elevar bem alto as cores de Portugal nesta competição anual. Entre os vários participantes, Miguel Oliveira enfrentará os seus habituais adversários do CEV – Maverick Viñales, Alex Rins e Mattia Tarozzi, entre outros - representando um verdadeiro elenco de luxo, ou não fosse o campeonato Espanhol a competição que mais futuros campeões tem formado nos últimos anos.

Com duas vitórias alcançadas este ano no CEV, mas com um recente abandono em Albacete a manchar a sequência de bons resultados no campeonato, o piloto luso quer uma revanche neste mesmo circuito e melhorar o 5º posto alcançado no Europeu de 2009.

“No ano passado participei nesta prova com um objectivo mas as coisas não correram como previsto. Tivemos muitos contratempos, uma queda e acabei a prova na 5ª posição. O objectivo este ano é o mesmo. Vou para esta corrida com a ambição de vencer, embora não corra com a minha equipa habitual, penso que a CurvaCero é uma equipa que me pode dar os meios técnicos para poder lutar pelo pódio. A moto é praticamente igual à da minha equipa Andalucía Cajasol, se bem que um pouco mais recente e vamos poder usufruir dos dados que possuo, através do meu técnico habitual (Piula) que me vem ajudar, por isso sinto-me em casa e mais motivado, porque afinal é um circuito que conheço bastante bem apesar de na última prova não ter terminado por queda”, disse o piloto português.

Disputado pelo terceiro ano em Albacete, o Europeu promete corridas intensas onde participam os cinco melhores classificados de cada 'Nacional' em cada categoria (Espanha, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Itália e Holanda) e os quatro melhores das regiões da Escandinávia, Balcãs e Alpes/Adria.



NUNO DINIS

CAMEPONATO PORTUGAL KARTING

OS NOVOS CAMPEÕES...

Desde a abertura da época de 2007 que o Kartódromo de Baltar não recebia a comitiva do nacional de karting, o que voltou a fazer neste final de campeonato. Claro está que ao realizar a última prova, o número de participantes ficou reduzido, já que todos aqueles que tinham poucas aspirações pontuais, optaram pela ausência o que trouxe somente cinco pilotos na Iniciação, quatro na Juvenil, sete na Júnior/ KF3 e dois na cadete que acabou por não realizar a prova. Relativamente ao Parilla Cup X 30, o número desceu também para dezasseis e não fora as corridas de suporte do Baltar Kart Cup com mais dezasseis inscritos o panorama teria sido bem pior, aspecto realçado pelo agradecimento final por parte do clube organizador Movimento Sport Clube. As provas em si, foram bastante interessantes com todos os intervenientes a disputarem as melhores classificações possíveis, vindo no final a consagrar os vencedores finais. Os vencedores foram Frederico Peters, Yohan Sousa e Henrique Chaves, respectivamente nas categorias, Tributo Figueiredo e Silva, Juvenis e Júnior/ KF3, enquanto no Parilla Cup X30 a vitória foi de João Correia e nas provas de suporte, Simão Ventura na Iniciados, Ricardo Borges na Evolução e Luciano Carvalho na X 30 Júnior chegaram ao primeiro lugar.

Categoria Iniciação

Antes da primeira corrida, o Movimento Sport Clube decidiu prestar a homenagem ao piloto da categoria Paulo Costa (Paulinho para todos), falecido à poucos dias, através do tradicional minuto de silêncio em sua memória. Continuarás sempre connosco... Paulinho.

Frederico Peters revelou-se sempre o mais forte, vencendo as três corridas e sendo o autor da volta mais rápida, relegando para o segundo lugar o vencedor da semana passada Duarte Santos, surgindo no terceiro lugar o mais pequenino de todos André Quaresma, na frente de Rodrigo Vasconcelos. Ruben Silva não pode participar na corrida final, por avaria no seu motor.

Categoria Juvenis

Yohan Sousa esteve imparável e venceu com todo o mérito o seu grande opositor em termos de campeonato Ruben Rua que foi segundo, seguido do piloto madeirense Bruno Pontes a fechar os três lugares do pódio. A quarta classificada foi a estreante lusa-alemã Olívia Kuhne mas que não pontuava para o campeonato. Em termos de campeonato ainda que de forma oficiosa, o vencedor final foi Ruben Rua, seguido Yohan Sousa, Bruno Pontes e pelo ausente na prova Vasco Góis.

Categoria Júnior KF3

A vitória final quer da prova quer do campeonato foi para Henrique Chaves, pois esteve sempre em grande plano e muito forte, sendo certo que os seus dois opositores para o ceptro de campeão, estiveram abaixo do esperado e se Diogo Silva parece ter acusado a pressão de chegar a Baltar em vantagem, nunca se mostrando capaz de suportar a concorrência, acabando mesmo desclassificado na final por um toque escusado no outro candidato à partida Luís Cidade que se houvesse um prémio para o mais azarado seria o vencedor seguramente, pois nas três corridas foi sempre rápido mas também sempre abalroado pelos seus adversários, ficando assim impedido de lutar pela vitória final. O segundo classificado na prova Bruno Oliveira regressou a Baltar em grande forma, sempre muito combativo e a merecer esta posição, à frente de João Carvalho no terceiro lugar.

Parilla Cup X 30

Embora com menos pilotos nesta prova, assistimos a duas boas corridas e a uma disputa pela vitória entre o vencedor final, João Correia e o estreante no troféu mas habitue em Baltar, Diogo Gonçalves. Boa disputa a suscitar bastante incerteza no desfecho final, surgindo no terceiro lugar o vencedor da mesma categoria do Baltar Kart Cup, Paulo Mendes. O vencedor final do troféu Lucas Araújo, esteve sempre atento às contas, sendo segundo e quarto nas corridas o que foi suficiente para a vitória final, pois os seus mais directos adversários para o campeonato João Soares, André Costa e Pedro Silva estavam para trás e isso tranquilizava-o, assim como a ausência na prova de Miguel Pinto. Uma palavra final para a participação de João Barros que embora sendo um especialista da KZ 2, compareceu para chegar ao quinto lugar.

BKC Iniciação (Prova Extra)

A vitória final foi para o vencedor do Master Kart Cup 2010 e segundo classificado do Baltar Kart Cup, Simão Ventura numa prova em que andaram conjuntamente com a Fórmula Evolução, secundado pelo Rookie da categoria, cada vez mais forte Pedro Rodrigues e por Gonçalo Coutinho bem nas qualificações mas menos bem na final. Uma palavra para Andriy Pittiys que não se tendo realizado a cadete, optou por experimentar esta categoria e para Francisco Lobo que nunca dispôs de um kart capaz de lhe permitir, pelo menos divertir-se.

BKC Evolução (Extra)

Numa categoria tecnicamente igual à da Juvenis do CPK, pena foi que não tivessem corrido conjuntamente, assistimos ao mesmo cenário de toda a época, muito equilíbrio e muitos dos participantes podem vencer. Desta vez foi Ricardo Borges, secundado por Diogo Pinto e por Francisco Araújo a fechar os três primeiros. António Rodrigues e Marco Faria quinto. Uma referência também para Tomás Apolónia que pelos mesmos motivos de Andriy, resolveu experimentar esta categoria.

BKC X 30 Júnior (Extra)

Com pouca adesão de participantes, em especial pelo facto de terem acabado na semana passada o Baltar Kart Cup, a vitória final foi para Luciano Carvalho que surpreendeu todos mas beneficiando da cedência do seu escape, seguido do campeão João Ferreira, Gonçalo Rodrigues e Tiago Mota. Por opção de todos os participantes, usaram-se os pneus da última prova do BKC, o que aumentou consideravelmente as dificuldades em prova mas que cumpriram completamente os objectivos, principalmente os da poupança.





RICARDO PEREIRA

SUPER SEVEN BY KIA...GIRLS

Super Seven by KIA Girls


No passado Sábado, 16 de Outubro, o Autódromo do Estoril foi o palco por onde desfilaram, ao volante do irresistível Seven, algumas figuras públicas e mulheres de pilotos do campeonato Super Seven by KIA, provando o sabor desta magnífica iguaria automobilística.
As actividades de paddock convidavam os espectadores a passarem um belo dia em família, com tenda lounge, insuflável e pinturas faciais. Muitas foram as pessoas que aceitaram o convite e vieram assistir a um novo conceito de corridas, pensado e desenhado para os espectadores se divertirem e conhecerem por dentro o desporto automóvel.
Enquanto os pilotos da Super Seven by Kia faziam uma pausa entre corridas, as conhecidas actrizes Helena Costa e Mafalda Matos, a manequim Samanta de Ávila e Castilho, Catarina Pinto, Inês Sobral Raposo de Magalhães, Carolina Boléo-Tomé, Isabel Cudell Patrício Gouveia, Ana Lisboa e Vera Romão, passaram de espectadoras a protagonistas, da bancada para a pista, e desfrutaram do prazer de condução, deste glamoroso automóvel, ao longo de um espectacular e chamativo desfile.
Os pilotos juntaram-se ao público e ninguém conseguiu resistir a tanto charme em pista.
Se para umas esta iniciativa representava um audaz desafio, para outras era a concretização de um sonho. No final, foi difícil fazê-las regressar as boxes e para todas foi sem dúvida uma fantástica experiência que desejam repetir. No Super Seven by KIA, mulheres ao volante é sempre uma emoção constante!

No Super Seven by KIA Diogo Tavares foi o vencedor das três corridas, Ricardo Megre o segundo nas três, Nuno Santos terceiro na primeira corrida, e a dupla de primos Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga conseguiu dois terceiros lugares nas duas últimas corridas. O conhecido piloto Nuno Carvalho fez a volta mais rápida na primeira corrida.




NUNO DINIS

 

SUPER SEVEN BY KIA

Super Seven by KIA Arrasa no Estoril




No passado Sábado, 16 de Outubro, o Super Seven by KIA testou e aprovou uma nova forma de estar nas corridas, no Autódromo do Estoril. A pensar no público, amantes do desporto automóvel, pilotos e suas famílias, criou um ambiente muito apelativo e impôs uma dinâmica mais interactiva entre todos os presentes. Uma nova fórmula que revelou ter um enorme sucesso!
No plano desportivo, há que referir algumas alterações significativas: Os Seven rodarem sozinhos em pista e a atribuição da posição na grelha de partida (sorteada na primeira corrida, na segunda é invertido o resultado da primeira, e na terceira é pelo combinado do resultado obtido na primeira e segundas corridas). Com uma recheada lista de inscritos, os 23 pilotos em pista, deixaram o público ao rubro, ao longo de 3 emocionantes corridas. Prova deste espectáculo absolutamente arrasador foi o facto de se ter tido de recorrer ao fotofinish para se determinar o vencedor da primeira corrida. Diogo Tavares venceu e Ricardo Megre ficou a apenas 4 milésimos de segundo da vitória, seguido de Nuno Santos que foi terceiro. Destaque para a diferença de segundos entre o primeiro e quarto classificados: apenas 4,5.
Na segunda corrida, apesar da dupla Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga terem dominado na primeira parte, acabaram por ficar em terceiro, depois de Diogo Tavares assumir a liderança na última volta e conseguir mais uma vitória. Ricardo Megre foi mais uma vez segundo, depois de uma luta acesa entre o pelotão da frente, e 40 minutos de emoções ao rubro.
Na última corrida, o lugar mais alto do pódio foi, mais uma vez discutido da primeira à última volta, com trocas de posições constantes entre os pilotos Diogo Tavares, Ricardo Megre e a dupla Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga, que foram respectivamente primeiro, segundo e terceiros. Mas foram mais os protagonistas desta espectacular corrida, as duplas Miguel Couceiro/Paulo Magalhães, Luís Lisboa/Duarte Lisboa e Nuno Santos travaram uma acesa luta pelos lugares da frente e proporcionaram um espectáculo verdadeiramente adrenalínico, pois em várias travagens pudemos assistir às atrevidas discussões pela primeira posição entre os cinco Seven’s da frente, que se faziam às curvas literalmente lado a lado.
Foram 3 corridas verdadeiramente alucinantes, completamente impróprias para cardíacos, com trocas de posições constantes, em média, mais de 100 ultrapassagens por corrida, onde nem pilotos nem público puderam respirar fundo até ao milésimo de segundo final.

Destaque ainda para a Super Seven by KIA Girls, um desfile de beleza, glamour e diversão no feminino, onde alinharam mulheres de pilotos, actrizes e modelos, entre elas Helena Costa, Samanta de Ávila e Castilho, Mafalda Matos, Catarina Perestelo Pinto, Inês Sobral Raposo de Magalhães, Carolina Boléo-Tomé, Isabel Cudell Patrício Gouveia, Vera Romão e Ana Lisboa. Se para umas este desfile foi um autêntico desafio, para outras foi a concretização de um sonho, mas no final todos foram unânimes: na Super Seven by KIA Mulheres ao volante, emoção constante.


Classificações

Corrida 1

1º - Diogo Tavares - 19 voltas em 40:41,42
2º - Ricardo Megre – 19 voltas a 0,041 s
3º - Nuno Santos – 19 voltas a 4,49 s
4º - Nuno Carvalho – 19 voltas a 4,54 s
5º - Luís Lisboa/Duarte Lisboa – 19 voltas a 25,69 s
6º - Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga – 19 voltas 47,25 s
7º - Filipe Boléo-Tomé – 19 voltas a 1:07,18 s
8º - Luís Santa Bárbara/Pedro Romão – 18 voltas
9º - José Manuel Costa/José Manuel Costa – 18 voltas
10º - Miguel Couceiro/Paulo Magalhães – 18 voltas
11º - Bernardo Gonzalez/José Ribeiro – 18 voltas
12º - Pedro Sobreiro/Filipe Barreiros – 18 voltas
13º - João Galvão/José Pacheco – 18 voltas
14º - Marco Gomes/Rosário Sottomayor – 18 voltas

Volta Mais Rápida: Nuno Carvalho em 2:01,85

Corrida 2

1º - Diogo Tavares – 19 voltas em 40:29,57
2º - Ricardo Megre – 19 voltas a 0,57 s
3º - Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga – 19 voltas a 1,43 s
4º - Nuno Carvalho – 19 voltas a 6,19 s
5º - Nuno Santos – 19 voltas a 13,07 s
6º - Luís Lisboa/Duarte Lisboa – 19 voltas a 31,85 s
7º - Miguel Couceiro/Paulo Maglhães – 19 voltas a 32,07 s
8º - Filipe Boléo-Tomé – 19 voltas a 52,17 s
9º - José Manuel Costa/José Manuel Costa – 19 voltas a 58,13 s
10º - João Galvão/José Pacheco – 19 voltas a 1:12,77
11º - Luís Santa Bárbara/Pedro Romão – 19 voltas a 1:29,60 s
12º - Bernardo Gonzalez/José Ribeiro – 19 voltas a 2:06,19 s
13º - Pedro Sobreiro/Filipe Barreiros – 18 voltas
14º - Marco Gomes/Rosário Sottomayor – 17 voltas

Volta mais rápida: Diogo Tavares em 2:01,77


Corrida 3

1º - Diogo Tavares – 19 voltas em 40:30,69
2º - Ricardo Megre – 19 voltas a 1,1 s
3º - Francisco Guedes/Lourenço Beirão da Veiga – 19 voltas a 7,57 s
4º - Luís Lisboa/Duarte Lisboa – 19 voltas a 16,51 s
5º - Miguel Couceiro/Paulo Magalhães – 19 voltas a 25,24 s
6º - Nuno Santos – 19 voltas a 31,82 s
7º - José Manuel Costa/José Manuel Costa – 19 voltas a 1:16,15
8º - João Galvão/José Pacheco – 19 voltas a 1:19,93
9º - Pedro Sobreiro/Filipe Cardoso – 19 voltas a 1:44,36
10º - Luís Santa Bárbara/Pedro Romão – 19 voltas a 2:00,60
11º - Bernardo Gonzalez/José Ribeiro – 18 voltas
12º - Nuno Carvalho – 12 voltas
13º - Filipe Bole-Tomé – 8 voltas - desclassificado

Volta mais rápida: Diogo Tavares 2:01,78
 
 





NUNO DINIS

CAMPEONATO PORTUGAL RALLYES - RALLYE MORTÁGUA



MORTAGUA VOLTA A COROAR CAMPEÕES NACINAIS


O rallye de Mortágua, organizaa pelo Clube Automóvel do Centro, voltou a ser palco da consagração de mais um campeão nacional, sendo desta vez o jovem madeirense Bernardo Sousa, o seu justo vencedor.
Depois de em ediçoes anteriores ter consagrado Armindo Araújo, Bruno Magalhães, Adruzilo Lopes ( Gr. N) coube desta feita à dupla Bernardo Sousa e Nuno R. Silva e também "novamente" a Adruzilo Lopes ( campeão nacional 2L/2RM) sairem da Beira Alta com o ceptro de campeões no bolso numa prova bastante disputada e interessante.
O vencedor desta prova foi a dupla Miguel Campos e Aloísio Monteiro em Ford Fiesta S2000 que levaram a melhor sobre Bernardo Sousa, que se limitou praticamente a fazer um rali cauteloso e a controlar o seu adversário directo, neste caso Vitor Pascoal e Mário Castro em Peugeot 207 S2000.
No segundo dia do Rali de Mortágua não houve grandes alterações face ao final do 1º Dia. As principais posições estavam definidas e muitos pilotos aproveitaram até para dar espectáculo nos espectaculares troços de Mortágua.
Miguel Campos, sem arriscar nada, rodou o suficiente para se manter na frente de Bernardo Sousa, que por sua vez aproveitou as oportunidades que tinha para dar espectáculo e nem um ligeiro toque no derradeiro troço deu para assustar, sagrando-se o mais jovem Campeão de Portugal de Ralis, e o primeiro madeirense a fazê-lo em termos absoluto. Numa longa carreira também Nuno Rodrigues da Silva foi finalmente campeão de Portugal de Ralis.
Vítor Pascoal teve um último dia excelente, já descontraído andou depressa deu espectáculo e fez o que lhe era possível com os meios que tem.
Ricardo Moura teve problemas de diferencial e foi perdendo tempo nos troços, mas mesmo assim foi dos mais exuberantes e espectaculares pilotos do dia.
Destaque também para Adruzilo Lopes, que conquistou o seu sexto título de campeão Nacional na sua carreira, desta fez no CPR2, elevando para dois os títulos da ARC Sport este época.
Paulo Antunes venceu entre os pequenos C2, seguido de Frederico Gomes, Ricardo Marques e Armando Oliveira e Paulo Neto.
Nas restantes posições pouco ou nada houve a contar, a não ser a saída de estrada de Ivo Nogueira, que deixou o C2 muito mal tratado.

No Regional Centro, destaque para a vitória de Raul Aguiar, mas o destaque maior vai para o segundo lugar de Luís Mota que assim sagrou-se mais uma vez Campeão Regional de Ralis Centro.
Grande prova também de Gil Antunes, que foi o melhor nas duas rodas motrizes obtendo um excelente 3º lugar.



 



NUNO DINIS

RALLYE DE MORTÁGUA - BERNARDO SOUSA


CAMPEÕES!!!


Campeões! O Rali de Mortágua consagrou Bernardo Sousa e Nuno Rodrigues da Silva do Team Ford Quinta do Lorde vencedores do Campeonato de Portugal de Ralis. Com muito brilhantismo, competência, eficácia, e muito empenho. Palavras à chegada que Bernardo Sousa viria a ressalvar, juntando o champanhe e os louros. A dupla incontestável desde o inicio da temporada comanda a competição. Um feito irrepreensível.

Satisfeito?

"Como é obvio! Foi sempre o nosso objectivo vencer o CPR e consegui-lo quando ainda falta uma prova para o fim, é como muita satisfação e orgulho redobrado estarmos a celebrar esse desiderato com a minha equipa".

Este foi um rali que até nem foi necessário vencer?

"Sim, é um facto. Desde o inicio do rali que a nossa estratégia foi controlar o nosso adversário mais directo, o Vítor Pascoal, diga-se foi um piloto muito competitivo embora tenha tido alguns percalços, mas os ralis são assim mesmo, eu também os tive, mas como dizia, foi gerir e não arriscar em demasia. Na sexta-feira, entramos tensos, presos até, mas melhoramos ao longo da prova, num ritmo certinho e sem cometer grandes exageros. Só na Super Especial é que resolvemos dar espectáculo, perdendo ali alguns segundos, todavia estas especiais servem para atrair público e tentamos puxar por eles".

A controlar... mas no final da última especial acabou por meter acelerador ao fundo e vencer?

"Esse é um claro sinal de que não estava nervoso. Houve algumas pessoas que tentaram passar essa pressão, mas nunca me senti pressionado de forma alguma. Estávamos confiantes que seria em Mortágua que o título não escaparia, como veio realmente a suceder"

Que sabor tem este título, para mais sendo o mais jovem a conquistá-lo?

"Tem muito. Tenho 23 anos de idade, é uma imagem que perdurará, não sei por quanto tempo, mas está criado para já epíteto. De qualquer forma, fosse ou não o mais jovem, o que importa aqui é ter alcançado o título. Agora, ninguém poderá afirmar que apenas ganho ralis ou que ando rápido. Podem juntar a todas essas marcas que frisei, a de campeão nacional, o que naturalmente é muito saborosa e que é importante"

O futuro?

"Vamos aguardar. Ainda não está nada decidido como vai ser a temporada de 2011. A competirmos em princípio será com o Ford Fiesta S2000, um carro, como pode calcular a todos os níveis muito bom e que dá títulos... (risos). Portanto, melhor que isto, não se poderá desejar. Mas ainda é um pouco cedo para lançar a esta distância o nosso projecto".

Este título quer dedicar a alguém?

"A todos quanto me apoiaram. À minha família, em particular, à Madeira por quem tenho um orgulho enorme de ser natural, aos portugueses em geral e que mostram carinho quando passo, também é para eles que endereço a esta conquista, aos meus patrocinadores (PT Negócios, Ford, Eni, MMM Gift Card, Delta Q, Cision, Beta, Specialized, QF, 2Q, Pirelli) sem eles, nada disto seria possível, e um agradecimento especial à minha equipa. Incansáveis e brilhantes. Ao Nuno, meu navegador que teve de me aguentar".




O NUNO DINIS PHOTOS VEM FELICITAR PUBLICAMENTE O BERNARDO SOUSA PELA CONQUISTA DO TÍTULO DE CAMPEÃO ASSIM COMO O CAMPEONISSIMO NUNO R. SILVA QUE CONSEGUE ALCANÇAR UM TÍTULO QUE LHE FALTAVA NO SEU JÁ GRANDE HISTORIAL...PARABÉNS CAMPEÕES....


NUNO DINIS

RALLYE DE MORTAGUA - ARC SPORT



MAIS DOIS TÍTULOS NACIONAIS PARA A ARC SPORT


Adruzilo Lopes e Vasco Ferreira novos Campeões Nacionais 2L/2RM

António Costa junta-se a Ricardo Moura como Campeão Nacional de Produção


O Rallye de Mortágua continua a ser uma prova especial para a ARC Sport.

Foi aqui que a equipa de Aguiar da Beira conquistou três títulos consecutivos, sempre com Adruzilo Lopes. Depois da Produção em 2008 e 2009, o piloto de Vizela alcança este ano o título de Campeão Nacional nas duas rodas motrizes, uma especialidade que faltava ao seu vasto palmarés.
Foi precisamente no dia em que cumpriu 48 anos, que Adruzilo Lopes começou a desenhar a vitória no Rallye de Mortágua. Um ritmo característico do piloto, anunciou desde muito cedo um triunfo inequívoco na prova do Clube Automóvel do Centro.
“A minha ligação à ARC Sport começou aqui em 2007, quando estreei o Renaul Clio R3 com uma vitória nas duas rodas motrizes. Nos três últimos anos conquistámos três títulos, sentindo uma grande satisfação por ter proporcionado estas alegrias a uma equipa que sempre mostrou enorme dignidade, competência e um profissionalismo muito elevado. Estes três títulos só foram possíveis porque sempre funcionámos como um conjunto, provando que somos de facto uma equipa fantástica, com níveis de exigência muito elevados. Quero agradecer à ARC Sport pelos três títulos consecutivos, mas também, em especial, por este ano nos ter dado um Renault Clio R3 muito fiável e competitivo. Pela minha parte, fiz sempre o melhor possível, sendo um motivo de orgulho fazer parte de uma equipa que admiro muito”, declarou Adruzilo Lopes, na hora de festejar mais um título nacional.
Esta época, ao lado de Adruzilo Lopes esteve Vasco Ferreira, que alcançou um sonho na sua jovem carreira como navegador.
“Foi uma conquista muito importante, ainda por cima ao lado do Adruzilo, um piloto que sempre admirei ao longo da minha infância. Acompanhei sempre as suas vitórias, e é para mim uma grande satisfação ser campeão ao seu lado, num campeonato de duas rodas motrizes que foi difícil, mas que sempre dominámos”, afirmou Vasco Ferreira, visivelmente feliz pelo primeiro título nacional da sua carreira.
Com o título de Campeão Nacional do Agrupamento de Produção já garantido após o Rallye Vinho da Madeira, Ricardo Moura voltou a mostrar grande classe na penúltima prova do Campeonato de Portugal de Ralis. O quarto lugar absoluto, a vitória no Grupo N, mas essencialmente a confirmação do título de Produção para António Costa, que por não ter participado no Sata Rally, só hoje conseguiu alcançar o seu objectivo.
“Esta prova foi muito importante por ter conseguido o título para o António Costa e por ter contribuído para mais um sucesso de toda a equipa. A luta com o Vítor Pascoal acabou por ser bastante interessante, assim como o facto de ter conseguido melhorar muito os meus tempos em relação à prova do ano passado. Na primeira passagem pelo troço de Espinho sentimos falta de tracção no Mitsubishi, e a partir daí decidimos não arriscar mais. Foi mais uma participação digna para os Açores e um dia excelente para a ARC Sport, pelos títulos que hoje conseguiu alcançar”, declarou Ricardo Moura.
O Rallye de Mortágua deu a conhecer novos campeões nacionais. Entre eles António Costa, que hoje festejou o título de Campeão Nacional de Navegadores do Agrupamento de Produção. Um triunfo importante para a carreira do popular navegador de Amarante.
“Quero agradecer ao Ricardo Moura por me ter proporcionado este título. Foi uma honra ter estado ao lado de um piloto tão rápido e eficaz como ele. Agradeço também à ARC Sport por ter contribuído com um carro sempre fiável e competitivo, bem como ao apoio que sentimos por parte de todos os açorianos que vibraram sempre com as nossas vitórias. Um agradecimento também para o Filipe Garcia, o representante da Beta em Portugal. Nos últimos três anos conquistei dois títulos. O agrupamento de Turismo em 2008 e o de Produção em 2010, o que considero excelente”, rematou António Costa.
O Rallye de Mortágua voltou a ser talismã para a ARC Sport. No final da prova, Augusto Ramiro era um homem naturalmente feliz.
“É tudo mais fácil quando podemos contar com dois pilotos deste calibre. Conseguimos alcançar totalmente os nossos objectivos, com a conquista dos títulos de Produção com o Ricardo Moura e Duas Rodas Motrizes com o Adruzilo Lopes, a quem quero felicitar. Quero também dar os meus sinceros parabéns a todos os elementos da nossa equipa, que sem excepção, contribuíram para mais este sucesso da ARC Sport”, afirmou Augusto Ramiro.






O NUNO DINIS PHOTOS ENEREÇA OS MAIS SINCEROS PARABÉNS À ARC SPORT PELOS TÍTULOS CONQUISTADOS ASSIM COMO AOS SEUS PIOTOS RICARDO MOURA E TÓ COSTA E ADRUZILO LOPES E VASCO FERREIRA...MUITOS PARABENS A TODOS...




NUNO DNIS
FOTOS: NUNO DINIS PHOTOS